Pneumonia galopante

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Pneumonia Galopante)
Ir para: navegação, pesquisa
Asclepius.png A Desciclopédia não é um consultório de medicuzinho.
Por isso, tome vergonha e vá procurar um pra fazer seu check-up.

Cquote1.png Certamente uma doença muito preocupante... Cquote2.png
Pneumologista sobre Pneumonia galopante
Cquote1.png Também é muito severa na nossa área. Cquote2.png
Veterinário sobre Pneumonia galopante
Cquote1.png Essa doença é uma zoonose proveniente do cavalo... Cquote2.png
Infectologista sobre Pneumonia galopante
Cquote1.png Não me interessa, de hoje em diante a Pneumonia galopante será cobrada em quilômetros. Cquote2.png
Médico que comprou o diploma sobre Pneumonia galopante

A Pneumonia Galopante, doença conhecida desde os tempos de Abraão, é uma forma gravísima de pneumonia que afeta cavalos, mulas, vacas, entre outros animais, incluindo o homem. Com a descoberta da doença pelo veterinário Waiterk Pasthar, em 1937, descobriu-se a rota de infecção nos seres humanos.

O vírus causador, o Vírus do Mosaico do Tabaco (Estirpe Dahlemense) foi descoberto por Robert Kubica Koch em 1912, porém, por ineficácia dos pesquisadores, o vírus nunca foi relacionado à doença.

Sintomas em animais[editar]

  • Febre;
  • Respiração ofegante;
  • Trote mais acurado;
  • Falta de apetite;
  • Queda de pêlos;
  • Necessidade de consulta veterinária;
  • Morte (em casos mais avançados);

Sintomas no homem[editar]

Cavalo sofrendo de Pneumonia galopante avançada.
  • Febre;
  • Caminhar equivalente a trote;
  • Soluços (devido ao diafragma estar galopando);
  • Falta de ar;
  • Quedas de pressão;
  • Desmaios;
  • Necessidade de consulta com um Pneumologista;
  • Relinchos Súbitos
  • Morte (se não tratado);

Progressão da Enfermidade[editar]

A doença inicia-se com febre, dores no corpo e calos frios calafrios. Depois do vírus instalar-se na membrana parenquimentosa alveolar (vulga parede do pulmão), inicia uma infecção e um inchaço da região, o que dificulta a respiração.

A produção de neurotoxinas pelo vírus é rápida e as mesmas são levadas ao cérebro pela corrente alcoólica sanguínea. Essas toxinas acabam por causar espasmos musculares que lembram um trote e, com isso, levam o animal a um estado de extrema fraqueza.

Os outros sintomas são resultantes do cansaço, do colapso respiratório e da intoxicação pelas toxinas. O sistema imune se fode entra em colapso e os vírus acabam por matar o doente por infecção generalizada.

Tratamento[editar]

O tratamento dessa doença cavalar é o uso de antibióticos de amplo espectro, como a Vancomicina, a Cofrina, a Butirina e a Parafina, podendo serem administradas por via oral, intravenosa, retal e por meio de nebulização. O tratamento dura de acordo com a gravidade da infecção, variando de dois meses nos casos leves a seis meses nos casos graves.

Ver também[editar]


Nuclear-explosion.jpg