Política da China

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

China é hoje considerada a última república socialista soviética ainda vigente, sendo portanto o mais bem sucedido estado comunista/socialista/soviético/autoritário do mundo. É reconhecido por seu sistema político que mais respeita os direitos humanos e as liberdades individuais do mundo, garantindo constitucionalmente, em prol dos bons costumes, proibições que todos bilhões de chineses concordam serem corretas, aceitáveis e coerentes, como as proibições de fazer sexo, proibição de assistir seriados americanos que apareçam mulheres de biquínis (ou seja, todos), proibição de acessar sites na internet com conteúdo subversivo como Xvideos ou Wikipédia e proibição de seguir as religiões ocidentais por mais estranhas que elas sejam.

Analistas políticos denominam a China de comunismo de oportunismo, que consiste em variar sobre ser comunista e ser capitalista de acordo com a conveniência do momento variando também de pessoa pra pessoa, algo que apenas a Iugoslávia tentou fazer mas que falhou por ser a união de uns 50 povos num pedaço do tamanho de Hong Kong sozinho, enquanto a vastidão continental da China e um povo acostumado a só estar nos campos plantando arroz, foi fácil alavancar o país para o posto de mais rico do mundo.

Partidos políticos[editar]

  • Partido Comunista da China - De acordo com a Constituição, é o único partido permitido de existir pelo fato óbvio dele ser infalível, correto e supremo o que torna automaticamente irrelevante e redundante a existência de qualquer partido opositor que automaticamente será falível, errado e fraco, e isso é verdade se considerar que é assim desde 1949. Algo errado não duraria tanto tempo, não é mesmo?
  • Frente Unida de Partidos Democráticos - Um grupo de dissidentes infiltrados dentro do PCC que se cagam na calça de medo do Grande Irmão (ou o Cartaz Enorme de Mao Tse Tung na Praça da Paz Celestial) e sonham que um dia a China inteira possa ser como Taiwan, ou seja, meros escravos econômicos dos estadunidenses.

Poderes[editar]

Executivo

O presidente da China tem poderes de chefe supremo de estado seguidor ferrenho do maoísmo e sua função não é administrativa, mas meramente cerimonial, e seus mandatos são de 10 anos, quando o atual presidente deve renunciar sob ameaças de morte.

Legislativo

O Congresso Nacional Popular é composto por 3000 delegados e funciona no formato zerocameral, ou seja sem representatividade prática, pois para ser delegado do congresso o político deve submeter-se a um processo de lavagem cerebral nos porões da Cidade Proibida onde é transformado em um robô sem emoções.

Os delegados de Macau, Hong Kong, Tibete e Taiwan são normalmente bonecos espantalhos vestidos em ternos, localizados no canto escuro do congresso para parecerem chineses de verdade, com os braços erguidos para o alto de maneira a sempre votarem positivamente nas propostas lançadas pelos presidentes do congresso.

Judiciário

Os tribunais chineses são considerados um dos mais rígidos do mundo, com pelo menos umas 156 penas de mortes previstas, inclusive para quem controle infringir as diretrizes de planejamento familiar, onde é proibido ter mais de um filho de maneira que o sexo anal é incentivado por propagandas do governo, e caso desobedeça o segundo filho de um casal é doado para plantadores de arroz do Laos.

Outra lei importante é a Lei de Diretrizes Básicas de Conduta Saudável na Internet, onde os juízes chineses podem arbitrariamente mandar uma equipe de batalhões especiais entrar de rapel no apartamento de um chinês, caso em sua internet monitorada seja detectado que ele escreva no Google palavras como "protesto", "Estados Unidos", "direitos trabalhistas", "Taiwan" ou "liberdades individuais".

Relações exteriores[editar]

Em primeiro lugar, qualquer país do mundo que queira estabelecer relações com os chineses, precisam assinar um documento chamando "Política de Uma China" onde deve reconhecer que a ilha de Taiwan é uma ilha inabitada e o Tibete é uma região repleta de gente feliz com o governo.

A China é um dos integrantes perpétuos do Conselho de Segurança das Nações Unidas e portanto tem pica grossa (no sentido figurado). É o país que mais gosta de ser do contra no conselho, vetando praticamente qualquer resolução que surja.

Basicamente os chineses são fãs de controversas e por isso são nada amistosos com seus vizinhos, gostando de declarar que são donos de ilhas japonesas, russas ou coreanas, e montanhas indianas, tadjiques, mongóis, vietnamitas e nepalesas.

Flag-map of the Greater People's Republic of China.png China
HistóriaPolíticaSubdivisõesGeografia
EconomiaCulturaTurismo