Pontalina

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Pontalina é mais uma cidade irrisória do sul de Goiás que ninguém normal conhece. Famosa por ser uma cidade atemporal, Pontalina não evolui nem involui, já que continua igual ao período quando foi fundada (uma merda). A respeito disso há um jargão fortemente citado naquele local "Quem tem perna vai pra Goiânia" (serve também passagem de ônibus), que simboliza o futuro de todos aqueles que lá nascem e que lá não queiram putrefar...

História[editar]

O Lago de Pontalina onde você pode ir para se divertir vendo a grama crescer e ser picado por inúmeros mosquitos nesse processo.

Os primeiros registros da ocupação da região datam do século XIX, quando aventureiros sem nada de bom para fazer da vida chegaram por ali para caçarem capivaras. O nome "Pontalina" corresponde a junção das palavras ponta (mesmo que fim) e lina (linha), ou seja, quando os pioneiros lá chegaram resolveram parar por acreditarem estar no final da linha daí o nome "ponta da linha", que acabou virando Pontalina. E não foram só eles que chegaram ao final da linha, todos os seus descendentes tiveram ou terão o mesmo fim, já que o local é conhecido como uns dos mais decadentes do país.

Com o tempo aquele acampamento começou a tomar cara de um rancho de Morrinhos, que no início do século XX ficou famoso no interior do Brasil por ter sido o maior criador de pokémons para participarem de rinhas. Todavia, com a proibição dessa prática pelo governo de Getúlio Vargas, a Fazenda de Pontalina enfrentou grande decadência.

Apesar disso, a vila continuou lá, e bravos pioneiros insistiram no erro, que era dar continuidade àquela cidade. Morrinhos como não tinha nada a perder, cedeu a emancipação de Pontalina.

Há quem diga que a cidade tenha passado por um período áureo e que depois deste apogeu acabou por se afundar na lama, mas esta tese pode ser muito bem refutada avaliando os dados históricos: Por volta da década de 40, logo depois da fundação de Goiânia, houve em todo o estado uma melhoria socioeconômica da população goiana, mas Pontalina não acompanhou isso pois se manteve fechada, longe da rodovia (23 Km do progresso). Novamente, na década de 60, com a criação de Brasília, houve outra revolução no estado agrário de Goiás, e Pontalina novamente não acompanhou, o que aconteceu no máximo foi a chegada energia elétrica na cidade, que provocou um êxodo rural, então há quem diga que este fora o apogeu do local...

Atualmente, Pontalina faz parte do Triângulo do Esterco, região formada pela liga de municípios Edealina-Edéia-Pontalina, reconhecidos na produção de fertilizantes e esterco. Reza a lenda que um grupo de pioneiros dissidentes após longos de penúria chegaram à conclusão que o melhor seria abandonar o local e migrar para a recém fundada cidade de Goiânia. Assim, após alguns anos de golpes e trapaças juntaram dinheiro e para Pontalina retornaram. Nesta época abriram as ruas, calçaram algumas ruas principais e deram algum progresso ao local. No entanto a decadência mórbida voltou e não havendo a manutenção, as ruas voltaram ao estado caquético de sempre.

Depois de alguns anos, o país passou por um período de progresso, cidades ganharam iluminação, água tradada, esgoto, ruas asfaltadas, e outras coisas, mas Pontalina não pode receber tudo isto de uma só vez... Primeiro veio a luz elétrica (década de 60 - pelo menos 30 anos depois do restante do país), depois veio a água encanada (não tratada), na década de 70 veio o asfalto. Só nos anos 90 a cidade ganhou tratamento de água e esgoto encanado (não tratado), mas o quê não foi muito bom, pois para tanto tiveram que sacrificar as árvores e as vias asfaltadas...

Economia[editar]

Mais uma dessas cidades pobres dependentes exclusivamente da agropecuária, fazendas de milho e gado dominam as paisagens, e o povo que trabalha na roça torna a cidade de Pontalina o retrato fiel de como era o interior de Goiás no século XIX, pois nada mudou ou modernizou em todo esse tempo.

É uma cidade caindo aos pedaços, atualmente o povo comemora a chegada da televisão preta em branco movida a manivela onde estão sendo transmitidos episódios inéditos de Chaves.

Seu principal produto de exportação são as putinhas que vão trabalhar honestamente em casas de família como babás de bebês de 40 anos. No total 75,45% das famílias são sustentadas pela filha que mora na Espanha (ou nos arredores do puteiro Privê em Aparecida de Goiânia).

População[editar]

Pontalina possui 17.000 habitantes (isso tudo!!? Eu chutaria uns 500 habitantes no máximo...). A maioria desse povo não são vistos na cidade porque estão açoitando o burro na roça, mas todo final de tarde se você procurar nos botecos poderá vê-los lotados de peões bebendo cachaça.

Transportes[editar]

Quando você encontrar uma estrada toda esburacada e mal sinalizada no sul de Goiás, já sabe que é a GO-215 que liga Pontalina à Edealina e portanto deve evitá-la a todo custo (a não ser que você esteja a fim de praticar um emocionante rally).

Na zona urbana de Pontalina (se é que existe algo que podemos denominar "zona urbana" nesse lugar) a cidade é conhecida pelo barro de suas ruas e tédio geral.