Poof, a teoria

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Estou vendido! Cquote2.png
Oscar Wilde sobre Poof, a teoria

Cquote1.png Eu entendo de ciências mais que qualquer um - agora deixe-me dizer uma coisa, essa tal Poof, a teoria, é fudida! Cquote2.png
Isaac Newton sobre Poof, a teoria

Definição[editar]

Poof, a teoria é a mais usada teoria para explicar a criação do universo. Tal teoria é extraordinariamente complexa e complicada (logicamente por isso não é ensinada na escola) mas pode ser resumida, mais ou menos, assim:

No início, não havia universo, e então;

POOF!

Começou a existir.

Poof, a teoria[editar]

Agora podemos, finalmente, penetrar nos detalhes da criação do universo, esse grande conto inventado pelos Idiocrata. Um dia, no sexto plano da existência, um incêndio num dos postos da Petrobras perto da Avenida Paulista, cuja extensão foi amplamente difundida pelo rapper Primo Preto, causou a violenta separação das coisas de mano do rapper existencialista Primo Preto. E então, a explosão foi a causa de tudo no universo! Porém, como o autor não foi estourado?

Poof, a teoria.

Depois da explosão o autor expôs que a explosão do posto aconteceu no décimo quarto plano da existência. Um buraco negro na camada de ozônio criou a discrepância, afirma ele. Esse buraco negro foi resultado de uma explosão no sexto plano da existência. O autor foge de qualquer confusão e, sim, Chuck Norris tem tudo a ver com isso.

Premissa[editar]

Tudo existe. Tudo é. Como isso tudo pode ser? Poof: assim é que é.

Essa explicação parece um tanto simples para algumas pessoas. Ora, é simples! Mas há outros, nerds e comunistas, que perguntam: "O que causa um Poof?" "Como o Poof inicia seu trabalho?"

Entretanto não há nada mais Poof do que o próprio Poof. Como um poeta destaca: "Um poof é um poof que é um poof". E outro poeta destaca: “No meio do caminho tinha um Poof. Tinha um Poof no meio do caminho.” Em uma palavra, Poof é. Em duas, Poof é autossuficiente.

Por fim, um Poof não é um evento espontâneo, longe disso. Devemos entender um Poof como um: evento randômico meticulosamente planejado. Se você entendeu esse conceito, você deu mais um passo para entender o Poof. Se você não entendeu, tente sua sorte aqui.

Porque Poof, a teoria? Não soaria melhor Big-Bang?[editar]

Não, não soaria. Além disso, a teoria do Big-Bang já foi passada para trás. A falaciosa teoria do Big-Bang sustenta apenas que houve uma explosão, os dinossauros morreram e os filmes de Bang Bang viraram mania. Já Poof, a teoria nos permite muito mais complexidade que a ordinária teoria do Big-Bang. Isso pois sua abrangência caminha à sustentação do universo enquanto que a outra só trata de Western´s e algumas lagartixas. Poof, a teoria é o cimento - o concreto-sólido - do cosmos. Alguns a chama de a nova sensação. Entretanto, não há como aplicar o método científico com Poof, a teoria. Acadêmicos disputam a validade da premissa discutindo, gritando e derramando chá nas suas camisetas. Isso da um grande ibope para Poof, a teoria: sua estrutura universal explica a pedagogia acadêmica tão bem quanto sua idiossincrasia.

Consequências da Poof, a teoria[editar]

Não sabemos quase nada das consequências da Poof, a teoria. Como foi descrito anteriormente, tudo é e tudo foi em razão do Poof. Simples assim, de verdade. A teoria nega a causa e o efeito porque tudo é explicado pela Poof, a teoria. A Herbalife é a única religião terrena que reconhece a validade da Poof, fazendo com que seus seguidores sejam chamados, não raro, de "poofeiros" ou "poofólogos". No reinado da Poof, a teoria a imaginação manda, isso pois tudo chega à existência através das faculdades originais de um poofeiro.

Muitos livros foram publicados sobre Poof, a teoria, poucos mantiveram o mínimo discernimento, porém um dos mais famosos foi escrito sob autoria de Bozo

Como o primeiro poofeiro Poof?[editar]

Cientistas sérvios nada encotraram sobre o primeiro Poof, exceto que isso deva ter ocorrido. Se não tivesse acontecido, nós nunca teríamos poofado, não estaríamos aqui e muito menos estaríamos nos perguntando: "Como o primeiro poofeiro Poof?" Nossa existência prova que deve ter havido um primeiro Poof. A maioria dos poofeiros/poofólogos aceita essa conjectura teórica, portanto é verdadeiro.

Quem foi o primeiro poofeiro/poofologista?[editar]

Desde que eu e você existimos provindos da primeira poofada do Poof, nada podemos conhecer a respeito dele. O primeiro poofologista teve muitos e pesados pensamentos e a gravidade foi o resultado. Tão rápido quanto a gravidade foi poofada um reflexo quântico do joelho forçou o eletromagnetismo à existência. Subsequente a matéria e a antimatéria foram poofadas para a existência para estabelecer uma relação entre a gravidade e o eletromagnetismo. A matéria é o elemento básico de construção do universo. Já a antimatéria foi poofada porque soava legal e, desde que soe legal, é muito mais poderosa em termos de energia-massa. Mas, apesar das dificuldades matemáticas, escritores de ficção científica acharam a antimatéria fascinante.

Como reconhecer um genuíno poof[editar]

Ver um poof em seu processo de poofação é uma visão miraculosa. Infelizmente, poof´s são muito raros. Se você quiser ver, procure por essas duas coisas:

  • Uma larga camada de nuvem aparecida do nada, em regra, acompanhada de um baixo e sonoro "POOF";
  • Após a dissipação da nuvem alguma coisa nova aparece. Pode ser uma cidade como Ourinhos, uma identidade secreta ou mesmo um universo. Você nunca vai saber.

Se você assistiu a esses dois fenômenos então você presenciou um genuíno Poof. Mais que isso ou menos, pode ser algo feito pelo Serginho Malandro.

Como poofar[editar]

Se você ainda não conseguiu poofar, você nunca vai aprender. A poofação está geneticamente codificada nas Filhas do Brasil, Juliana Paes e Carla Perez (como você acha que inventaram a teoria dos quanta e o logarítimo, ninguém pode mentalizar um coisa dessas. Foi poofada, é lógico).

Poofs e datas[editar]

Nós compilamos uma pequena lista de coisas poofadas no universo. Um poderoso poof criou o próprio universo, é claro, e então, subsequentemente poofs de segunda categoria aconteceram, devido, obviamente, ao primeiro poof.

  • 16 de junho de 2816 A.C. ás 18h15min - Mai Tai, um poofologista chinês, poofou a pólvora para a existência para fazer fogos de artifício.
  • 4 de agosto de 1101 D.C. ás 4h28min - Habib´s, um poofologista árabe poofou uma rota de comércio entre a Ásia leste e Constantinopla para a existência.


Teoria Híbrida[editar]

Recentemente, em 2007, poofologistas quânticos propuseram um modelo híbrido conhecido como "Grande Poof, a teoria", que é quase literalmente igual a Poof, a teoria, porém adiciona a grandeza associada com o clássico Big-Bang, fica mais ou menos assim:

No início, não havia universo, e então;
Big-poof.png
Começou a existir.