Porto

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Se procura outros portos, consulte Porto (desambiguação).


PortugalDJoãoscary.jpg Manuel, vê-me dois cäcətinhos, o pá!

Æstə ärtigo é purtugäish, gajo. Élə comə cacətinho cum bəcalhau, tuma um ishtränho vinho, adora cumpetir cum a Ishpänha e tem um bigodão.

Cuidado: Ä qualquêr mumento, Napolião podə quirer-tə invədir

Va-a-merda-porra-(Luiz-Carlos-Alborghetti).gif Este artigo pretende ser ofensivo!
Se não se sentiu ofendido, edite-o até se ofender.
E se você se sentiu ofendido, VÁ A MERDA, PORRA!!!


Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.
Cquote1.png Você quis dizer: Futebol Clube do Porto Cquote2.png
Google sobre Porto

Cquote1.png Experimente também: Pontes Cquote2.png
Sugestão do Google para Porto
Cquote1.png Soumos us mái-óres, cuaraílhu! Cquote2.png
Portuense sobre Porto
Cquote1.png Uff. Cquote2.png
Lisboa sobre comentário acima
Cquote1.png Tás cum alegum prublémâ, ó álfacínha du cuaraílhu? Cquote2.png
Portuense sobre comentário acima
Cquote1.png Não me dirija a palavra, está bem? Cquote2.png
Lisboa sobre comentário acima
Cquote1.png Ó, íd-bos fudêre, murcôm! Cquote2.png
Portuense sobre comentário acima
Cquote1.png Eu séilá, se é du xinêse, se é do cuaráilho! Cquote2.png
Portuense sobre Porto
Cquote1.png Azáltus? E nun são muitus! E nun xaom pouucos, nun é? Bastânts! Cquote2.png
Portuense sobre a taxa de criminalidade do Porto
Cquote1.png Quem vem e atravessa o rio... Junto à serra do Pilar... Cquote2.png
Rui Veloso sobre Porto


O Porto é uma das cidades mais importantes de Portugal, também conhecida como Cidade Invicta (ou Imbíqueta, no dialecto portuense), devido a nenhum conquistador ter encontrado nela algo que valesse a pena conquistar ou invadir. Também é apelidada como Cidade do Dragão, supostamente por causa dos Vikings, mas todos sabem que é por causa do Futebol.

É a Capital do Norte e do Distrito do Porto, e pelos seus habitantes, devia ser a berdâdeíra Capital do país. Por causa desta crença, vive numa eterna rivalidade mortal com Lisboa. Também partilha uma disputa com Vila Nova de Gaia, a cidade "do outro lado do rio".

Aproveite a estadia para comer uma Francesinha (é um prato gastronómico, não esteja a pensar em Putaria) ou umas Tripas à Moda do Porto, beber um cálice de Vinho do Porto, e para sobremesa uns Papos de Anjo. Beba um cimbalino na Ribeira, com vista para a Ponte D. Luís. Se estiver no Verão, junte-se aos Ciganos e aos Gunas e dê uns mergulhos no Rio Douro.

História[editar]

Mas a cidade só tem o porto, ó pá!?

Esta pequena nação, tal como o resto de Portugal Continental, teve origens romanas, e tinha o nome de Portus Cale, que mais tarde viria a dar nome ao país inteiro. Desde os primórdios que existe a disputa com Lisboa pelo pódio de quem deveria ser a capital. Os benfiquistas não são bem-vindos à cidade do Porto, apesar de existirem alguns portuenses benfiquistas, mas são obrigados a habitar na clandestinidade.

Em resumo, é uma cidade velha pra caralho.

É a cidade mais industrializada do país, e durante uns tempos ficou submersa devido às excessivas descargas das famosas suiniculturas das redondezas. Desde o momento em que a ameaça de submersão surgiu, e como sempre tinha acontecido, o Porto foi alvo de desprezo por parte do Governo.

Mas, liderada pelo ditador Jorge Nuno Pinto da Costa, que apareceu montado num Dragão, a cidade conseguiu sobreviver às inundações. Desde então, que o senhor Pinto da Costa é o governante supremo da cidade e idolatrado pelas suas gentes, tanto que existe a expressão popular: "Deus no céu, Pinto da Costa na terra".

Geografia[editar]

  • Campanhã / Heroísmo

Afamada pela estação de comboios e pela elevada concentração de gunas. É onde fica localizado o Estádio do Dragão (ou das Antas), e o centro comercial Dolce Vita, muito frequentado pelos putos ricos do secundário, já que a gunagem tende mais para o NorteShopping, em Senhora da Hora.

  • Bonfim / Campo 24 de Agosto

Local pacato e com imensas árvores e jardins, mas localização da Faculdade de Belas Artes da UP e da Escola Artística de Soares dos Reis, e, como tal, muito frequentado por retardados com a mania que são artistas e muito alternativos, e que, consequentemente, se acham superiores às outras pessoas.

A famosa Ponte do Infante ou Ponte D. Luís. Um dos locais predilectos para cometer Suicídio por parte dos habitantes.
  • Rua Santa Catarina / Passos Manuel

Famosa rua para fazer compras, com grande variedade de oferta e de população, ainda que mais frequentada por turistas. Impossível percorrer a rua sem ser abordado por algum ressaca a pedir dinheiro. Então, estar sentado numa esplanada e vir alguém pedir Tabaco é tão tradicional quanto a própria Francesinha. Muito frequentado por Ciganos que tentam vender a sua mercadoria do contrabando e que, de vez em quando, entram em confronto com a mulher que vende meias a cinco euros.

  • Bolhão

Localização do mercado mais emblemático da cidade: o Mercado do Bolhão, povoado por mulheres de grande porte com bigode, que vendem as suas Frutas, Peixes, Flores, etc, com grande simpatia e bom-humor. Se ofender alguma destas mulheres, o único conselho é: CORRA PRA CARALHO!!! É bonito observar o nível de preocupação cívica dos nomes dos estabelecimentos desta zona, em que todos terminam em "do Bolhão", para que o turista tenha a certeza absoluta do local onde se encontra. Ou não.

  • São Bento

Mais emblemática do que a Estação de Campanhã, mas com menos comboios. O seu estilo arquitectónico é muito apreciado pelos turistas, que fotografam os azulejos até à exaustão. Grande antro de ressacas, sempre a pedir tabaco e dinheiro, e que continuam a insistir na desculpa que é para o bilhete de comboio, mesmo que sejam duas da manhã e o último comboio já tenha partido há uma hora atrás. Não é aconselhável a permanência na Estação de São Bento durante a noite, excepto se tiver desejos de sofrer um assalto.

  • Ribeira / Centro Histórico do Porto (São Nicolau e Vitória)

Elevada concentração de granito, lojas tradicionais e turistas. À noite é muito frequentado por Gunas, excepto à segunda-feira, a chamada "Noite dos Baldes" devido às promoções dos bares, e, como tal, a fauna adolescente e os universitários descem até à Ribeira para desfrutar de uma Vodka bem-servida e relativamente barata. Só os turistas é que bebem café na Ribeira, mesmo. Ou os otários que gostam de esbanjar dinheiro.

  • Foz do Douro / Nevogilde

É uma espécie de equivalência nortenha a Cascais. Enquanto a Foz é a "praia dos ricos", Matosinhos é a "praia dos pobres" (e dos Gunas). Grande abundância de assaltos e de casas da zelite. Os mais retardados tendem a dizer que a Foz é a "marginal do Porto". Muito frequentado por homens efeminados durante o Portugal Fashion.

  • Praça da Liberdade / Avenida dos Aliados

A célebre avenida portuense. Acolhe as manifestações e as festas populares do S. João, onde as pessoas esfregam alho-porro na cara umas das outras e dão marteladas em cabeças alheias. Quando o FêQêPêe é campeão, os Aliados são inundados por um mar de gente em estado máximo de histerismo: a população salta em cima das paragens dos autocarros, grita descontroladamente, tenta aparecer na televisão nacional e abana os carros que tentam passar por entre a multidão em fúria.

  • Trindade / Santo Ildefonso

Conhecida por ser a principal estação de Metro da cidade, onde é possível apanhar ligação para qualquer canto da cidade. Há uma estranha obsessão com esta estação de metro, onde a fauna adolescente, essencialmente guna, aprecia passar as suas tardes, a conviver e a fumar. É essencialmente afamada pela elevada concentração de casas de cariz duvidoso, sendo a mais famosa a "Pérola Negra", e por várias meninas (e meninos disfarçados de meninas) passearem pela Rua de Camões durante as horas nocturnas.

  • Clérigos / Miragaia

Localização da Praça dos Leões, onde os habitantes, essencialmente a fauna adolescente e universitária, se reúnem para começar a noite. É onde fica o famoso café Piolho, que a maioria das pessoas pensa ser o nome da zona inteira. É onde fica o Jardim da Cordoaria, com grande afluência de autocarros e de gunas (entre outros) a fumar charros. Muito frequentado por pessoas de sexualidade colorida, também.

  • Cedofeita

Antro do alternativo. Reúne todos os Hipsters e Indies da cidade, pelos seus cafézinhos cult, e o mítico Centro Comercial Bombarda, na Rua Miguel Bombarda, e a casa-de-chá Rota do Chá. Localização de várias galerias de Arte, cabeleireiros e lojas de velharias, os chamados "alfarrebistas", onde se vendem os mais variados itens que são alvo de adoração por parte da população Hipstó-retardada da cidade. A Rua da Cedofeita é ainda uma espécie de segunda Rua Santa Catarina, mas com uma menor afluência de ressacas.

  • Lordelo do Ouro / Massarelos

Localização dos Jardins do Palácio de Cristal e do Pavilhão Rosa Mota, onde a juventude se reúne nos jardins, geralmente para tirar fotografias para dar numa de cult. Mais conhecido como "Campo Alegre". Também abarca as Faculdade de Arquitetura, de Ciências e de Letras da UP.

  • Boavista

Localização da Casa da Música, considerada como uma cicatriz no rosto da cidade, excepto pelos retardados, geralmente estudantes de Arquitectura, que a acham uma obra completamente inovadora. A única coisa que interessa na Avenida da Boavista é o melhor restaurante de francesinhas da cidade; Capas Negras.

  • Ramalde

Habitações, basicamente.

  • Paranhos / Areosa

Localização do Pólo Universitário, onde se localizam as Faculdades de Desporto, Economia, Engenharia, Medicina, Medicina Dentária, Psicologia e Ciências da Educação, e de Ciências da Nutrição e Alimentação. Além destas, ainda acolhe várias universidades e institutos privados, e o Politécnico do Porto. Grande antro de assaltos, sendo os mais notórios os feitos pelos Gunas da Areosa, um gang de putos que foi denunciado pelos universitários no Facebook.

Dialecto[editar]

Mais duas pontes: D. Maria e do Freixo.

O Português falado na cidade do Porto é diferente do Português falado no resto dos países de Língua Portuguesa, até porque o Porto é uma nação, e, como tal, adoptou um dialecto muito próprio. O nativo portuense parece fazer o máximo de esforço para não pronunciar as palavras de forma correcta, quase como um Brasileiro.

O idioma portuense é abundante em calão, sendo cuaráilho a palavra mais comum. O calão é socialmente aceite na cultura da cidade, sendo utilizada por professores e alunos, sem qualquer discriminação. Ou não. O nativo revela uma certa dificuldade em pronunciar o substantivo terminado em "-ão", substituindo-o por "aum" ou "âu". Possui a tendência a prolongar ou encurtar as vogais, dependendo das palavras. Também pronuncia "b" em vez de "v" (à semelhança dos nativos de Viseu e da Guarda).

Reza a lenda que esta linguagem em código teve origens visionárias numa tentativa de não serem entendidos, para que, posteriormente, e em conjunto com o seu líder Nazi, Pinto da Costa, tentarem derrubar a Europa, como já o fizeram na Champions Cup e Copa Uefa, mas desta vez a nível político.


Vejamos alguns exemplos e sua respectiva tradução para Português:

Dialecto Portuense Português
Murcôm Morcão = Indivíduo preguiçoso
Bujôm Bujão = Cu
Curaçôe Coração
Ál-facínha Alfacinha = Lisboeta
Cíbalíí-nu Cibalino = Café tipo Expresso (em Lisboa, Bica)
Espâlhu Espelho
Bêlhã (geralmente acompanhado por "cuaráilho") Velha = Pessoa idosa, de idade avançada
Bumbeiro Bombeiro
Bacína Vacina
Tá um bêntu du cuaraílho! Está um vento do caralho!
Tá um grízu du cuaraílho! Grizo = Muito frio ou Gelado
Baselína Vaselina
Grí-zei-me tó-tíl! Grizei-me tótil = Ri-me muito! ou Dei muitas gargalhadas!
Fooooudássee! Fodasse = Raios! ou Caramba!
Um día bais cua cóna! Um dia vais com a cona! = Um dia, vais ser tramado.

População[editar]

Típico habitante "nascido e criado" na cidade do Porto.

Os habitantes do Porto são apelidados de Portuenses, mas nacionalmente conhecidos como "Tripeiros". E Você pergunta: porquê "tripeiros"? É por causa do prato tradicional Tripas à Moda do Porto? Pois, sim. Mas esta expressão surgiu na época do arco da velha, durante os Descobrimentos, quando os idiotas solidários portuenses enviavam carne para os soldados e ficavam só com as tripas para comer. Há quem diga que a célebre canção do Zeca Afonso, Vampiros, com o refrão eles comem tudo e não deixam nada (excepto as tripas), foi baseada nesta lenda.

A população é, essencialmente, constituída por Gunas, adeptos fanáticos do FCP, ressacas com três dentes que passeiam a sua matilha de cães, mulheres de bigode, Brazes, Loiras e Hipsters. No Porto há ainda uma grande afluência de Gays, mas é dito que o homossexual portuense é um macho comedor de açaí, pois têm pavor a bichas modernas, isso só existe em Lisboa.

Desporto[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Futebol Clube do Porto

Transportes[editar]

Não é fácil chegar ao Porto, uma vez que existem 17346595 pontes à escolha para o fazer. Esta imensidão de pontes, confunde o condutor que desejar entrar na cidade, uma vez que cada ponte vai dar a um ponto oposto. Esta deficiência de acesso, faz aumentar a taxa de acidentes rodoviários, pois quando planeia mudar de ponte, já é tarde demais, e quando vai para fazer inversão de marcha, já se deu o choque frontal. Outra causa frequente de acidentes no Porto é quando alguém se proclama benfiquista num espaço público, e é misteriosamente atropelado.

O melhor método de transporte no Porto é mesmo o Metro, no qual está cientificamente provado ser possível andar sem pagar, uma vez que não existe qualquer barreira entre a "passagem" da senha e o Metro propriamente dito. Ainda que exista o risco de pagar multa, este é muito reduzido, uma vez que é só nos princípios e nos finais dos meses que se encontram revisores nos Metros.

Existem ainda as duas estações de comboios, Campanhã e São Bento, que asseguram ligações às rivais Vila Nova de Gaia e Lisboa, e a várias cidades neutras como Coimbra e Aveiro, por exemplo. Os comboios mais podres simples, chamados de suburbanos, fazem ligações aos subúrbios, e transportam, diariamente vários gunas (e não só) que vêm ao encontro dos seus sócios ou ver um jogo ao Estádio do Dragão.

Finalmente, existe o Aeroporto Francisco Sá-Carneiro, fazendo do Porto a única cidade que nomeou um aeroporto em honra a alguém que morreu num acidente de aviação.

Videoteca[editar]

Afiliados[editar]