Possessão demoníaca

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Night creature.JPG Possessão demoníaca surgiu das trevas!!

E adora assustar criancinhas!

Puro osso.gif

Capeta-2.jpg

Possessão demoníaca fez pacto com o CAPETA!
Então é melhor nem se meter com esse artigo, senão o capeta vai atrás de VOCÊ!!!

Pessoa sendo dominada por um encosto. Vade retro Belzebu!

Cquote1.png SAI DESSE CORPO, CAPETAAA!!!!!! Cquote2.png
Evangélico metido à exorcista sobre Possessão Demoníaca
Cquote1.png Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito Santo... Cquote2.png
Exorcista de verdade sobre Possessão Demoníaca
Cquote1.png É você, Satanás???!!! Cquote2.png
Bruxa do 71 sobre Possessão Demoníaca
Cquote1.png Daqui eu não saio, daqui ninguém me tira, caralho! Cquote2.png
Demônio sobre Possessão Demoníaca

Possessão demoníaca é a designação dada para o ato ou efeito de ter seu corpo invadido e sua alma dominada por uma entidade maligna oriunda das profundezas do Inferno, vulgo, demônio. As possessões demoníacas são muito exploradas na mídia, abrindo brechas para o surgimento de charlatões e aproveitadores por todo o globo em busca de grana fácil em cima de trouxas que caem no conto do vigário por qualquer coisa, de forma semelhante ao que livrinhos de horóscopo fazem. Apesar disso, existem inúmeros desocupados que adoram dedicar sua vida e desperdiçar o seu precioso tempo em busca de provas que reforçam se tratar de algo real, em contraposição à pessoas sensatas que sabem que tudo isso não passa de uma grande história da Carochinha.

Sobre o tema[editar]

Cquote1.png Eu lhe ordeno, vaza de uma vez dessa porra de corpo que não lhe pertence, seu filho de uma égua! Cquote2.png
Pintura representando uma possessão demoníaca em tempo real.

As ideias de jerico que levam em consideração a possibilidade de bichos chifrudos, malignos, infernais e diabólicos se apossarem do corpo que não lhes pertence estão presentes em tudo quando é religião que procura de alguma forma passar a perna nos trouxas fieis e aliená-los de alguma forma, seja diretamente ou indiretamente. Sempre houve a necessidade de iludir seus seguidores e deixá-los completamente a sua mercê.

Em 100% das ocasiões, as criaturas que possuem o corpo de pessoas sem personalidade e completamente fracas de espírito são tidas como entidades diabólicas das trevas, e consideradas superiores ao ser humano (coisa que qualquer outro ser do Universo é), porém, inferiores aos espíritos surgidos da luz. Afinal, um espírito muito mais desenvolvido não perderia seu tempo com uma raça tão miserável e desgraçada como a dos humanos que vagueiam pela Humanidade.

As possessões demoníacas também são muito exploradas pelo cinema e pela Literatura por cinéfilos e escritores desempregados. E com razão: como 80% das pessoas compartilha de alguma crença em coisas sobrenaturais e não-humanas, o sucesso é garantido, pois a gentalha adora esbanjar seu dinheiro e jogar sua vida fora assistindo e lendo sobre casos de possessão demoníaca, motivo pelo qual, apesar de já ser um tema desgastado atualmente, ainda é muito cultuado por nerds cinéfilos e viciados em livros.

Mentores espirituais e adeptos do Espiritualismo porém, também defendem a tese de que não apenas demônios podem possuir as pessoas, mas também outras entidades, como fantasmas, espíritos zombeteiros, espíritos do bem, anjos, deuses, alienígenas, ninjas do Clã Yamanaka, chupa-cabras e vilões de histórias em quadrinhos.

Apesar de tudo, nas possessões demoníacas, independentemente se as pessoas acreditam ou não, quando o assunto são os alegados "casos diabolicamente reais de pessoas possuídas por encostos trevosos e infernais", há a preferência de se chamar um profissional na área, de preferência o Papa ou Jesus Cristo, pois uma pessoa possuída por um demônio não deve ser tratada como brincadeira. Um exemplo de brincadeira que não deu certo aconteceu certa vez com uma freira na Romênia, que acreditava-se estar possuída pelo espírito do Conde Drácula, que morreu nas mãos de um pastor evangélico, que a amarrou numa cama com correntes de presidiário e investiu consecutivos golpes com um crucifixo com ponta de ferro em sua testa. No dia seguinte, a freira voltou para puxar o pé do pastor, que foi tragado para um buraco infinito e até hoje não se tem notícias suas.

História[editar]

Uma dupla de charlatões encenando um exorcismo falso.

Nos tempos mais remotos e arcaicos, toda a população desfrutava de plena ignorância, que se fazia presente em cada uma de suas crenças. As histórias das possessões tiveram seu ponto de partida ainda na Antiguidade. O Egito, durante aquela época, era constantemente afetado pelas mais variadas pragas, desde insetos e bactérias, devido a péssima qualidade de sua higiene e falta de saneamento básico, até úlceras e chagas, devido as precárias condições de saúde, que em termos de qualidade, na época só perdiam para o Brasil.

Também era muito comum naquela época, espíritos de antigos nobres ligados ao faraó se apossarem do corpo apodrecido das múmias que viviam sendo estocadas no porão das pirâmides, dando vida as criaturas e tocando o terror na população local só de sacanagem. Tais fatos, com o tempo, passaram a ser associados a entidades sobrenaturais vindas de algum lugar do Inferno. A partir daí, sempre que essas coisas aconteciam, de cara eram associadas a ação de demônios, já que por ser um povo primitivo e sem qualquer conhecimento ou intelecto essa era a explicação mais plausível e coerente, uma vez que na época ainda não existia a Internet e sobretudo o Google.

Por volta do século XVIII, porém, com o desabrochar do racionalismo, todas as mentiras inventadas pela Igreja com o intuito de alienar a população caíram por Terra, já que com o surgimento dos primeiros ateus, surgiu também a necessidade de provar de uma vez por todas que a Igreja era uma grande farsa. Os primeiros a se opôr as mentiras do clero foram os psicólogos. Nesse período, não apenas a Igreja, mas também pais de santo, macumbeiros e charlatões que se autoproclamavam videntes, viviam dando cordas para a ideia de demônios se apossando do corpo dos indivíduos. Nesse contexto, os já mencionados psicólogos desenvolveram as mais variadas técnicas de hipnotismo, provando que bastava um pouquinho de poder da mente (vulgo "inteligência") para que qualquer trouxa pudesse fazer uma pessoa caminhar pelas paredes, virar a cabeça pra trás e mudar o tom de voz.

Apesar disso, os esforços não foram suficientes para que a Igreja abandonasse de uma vez por todas as ideias absurdas de monstruosidades infernais roubando o corpo que não lhes pertence, e por sua vez, até hoje a crença em possessões demoníacas mantém-se firmes e fortes. Recentemente, relatos no mundo todo de possessões tem vindo à tona, e em várias ocasiões os mesmos foram dados como verídicos. Entende-se por verídicos, situações onde terapeutas e psicólogos não conseguem resolver o problema com alguma explicação científica viável e saem correndo feito galinhas ao se darem conta que estão diante de algo sobrenatural.

Classificações[editar]

Encosto[editar]

Exemplo típico de encosto.

De todos os tipos de possessões, o encosto é o mais inútil e o que menos exerce influência sobre as pessoas. Qualquer pai de santo ou pastor da Igreja Universal consegue eliminar um encosto com um mísero Pai Nosso e uma Ave Maria. Enquanto a possessão propriamente maldita é uma habilidade básica para todo demônio que se preze, o encosto, por ser uma classificação de quinta, só é realizado por demônios tremendamente medíocres e inferiores, como Toninho do Diabo. Tais criaturas foram incapazes de atingir um nível decente dentro da hierarquia diabólica proposta no primeiro dia de criação da Terra por Lúcifer I do Inferno, e representam a escória e a camada mais baixa de todo o Inferno. Em sua maioria, tais demônios foram em vida ladrões de galinha ou criminosos pé-de-chinelo.

Opressão espiritual[editar]

Exemplo de espírito opressor.

Opressão espiritual é o segundo nível de possessão demoníaca. Geralmente, os demônios ou espíritos responsáveis por esse tipo de domínio, são superiores aos do nível anterior, mas igualmente medíocres. Enquanto no nível anterior são observados manifestações de demônios pobres, nesse nível já podemos encontrar demônios sem talento algum para uma possessão, mas que conseguiram subornar os professores infernais e comprar um nível de graduação superior, adquirindo uma ou duas habilidades à mais. A opressão espiritual, na maior parte das vezes, é realizada por demônios que foram em vida empresários e advogados, motivo pelo qual a sua principal característica é a de extorquir vampirizar a energia das suas vítimas, fazendo com que as mesmas tornem-se preguiçosas cansadas e depressivas. Também pode ser realizada por espíritos zombeteiros.

Obsessão[editar]

Típico demônio obsessivo.

Aqui as coisas começam a ser diferentes. Este é o terceiro nível de possessão demoníaca, e geralmente só pode ser realizado por demônios verdadeiramente fodões, porém, ainda assim desconhecidos. Em sua maioria, os demônios responsáveis por esse tipo de possessão foram em vida criminosos e bandidos bem sucedidos, como chefes da máfia e líderes do tráfico de drogas. Vencedores de competições esportivas e CDF's também podem ser responsáveis por essa classificação. Uma pessoa que passa por esse tipo de possessão é quase completamente dominada, e na maioria das vezes, sua alma continua dentro de seu corpo enquanto observa o demônio fazendo todo o estrago. Pode fazer com que as pessoas mudem de uma voz fina de taquara rachada para uma voz grossa como os ruídos de um porco velho rouco. As pessoas também começam a delirar e xingar todos os membros da família, pois são incapazes de reconhecer qualquer um. Como os demônios costumam ser sacanas, são caracterizados por caçoar da cara dos padres e de todos que estejam por perto enquanto fazem a pessoa dominada parecer um fugitivo do hospício.

Possessão[editar]

Pessoa com o Diabo no couro durante uma legítima possessão demoníaca.

A possessão propriamente dita é a classificações mais alta a poderosa da possessão demoníaca. De todas as classificações, essa é a mais livre de preconceitos, já que pode ser encontrada em todas as classes, raças e gêneros, podendo ser observada de políticos e ganhadores da mega sena até favelados e mendigos. Por definição, entende-se por possessão o ato ou efeito de uma entidade diabólica expulsar as almas fracas do corpo das pessoas e tomar posse do mesmo. Na maior parte das vezes, pode ser realizada por demônios anônimos de que ninguém - nem mesmo o Capeta - já ouviu falar ou também pelos demônios mais fortes e desgraçados poderosos dos Domínios do Fogo Eterno. Podemos considerar a possessão a mais endiabrada de todas as classificações, pois ela é capaz de dar origem a fenômenos capazes de fazer qualquer um metido à valentão sujar as calças, já que podem ser observados aqui fenômenos de poltergeist, combustão espontânea e a troca de idioma do pobre coitado que acabou possuído. O principal requisito para um demônio realizar a mesma é o seu grau de fodacidade dentro do Inferno. Os demônios responsáveis por esse tipo de possessão podem ser desconhecidos pela maior parte da população, mas devem ser fodásticos. Já os demônios mais conhecidos que podem realizar a mesma, costumavam ser em vida Serial Killers (como Jason Voorhees), cientistas doidos (como Dr. Jekyll), guerreiros sanguinários (como Vlad, o Impalador), ou nazistas de primeira (como Adolph Hitler).

Possessões nas religiões[editar]

O Demônio e suas hordas infernais costumam ser ilustrados e retratados nas mais variadas formas de alienação religiões existentes na face da Terra, em tamanhos, cores e sabores diferentes e dos mais mais variados. Porém, a essência e objetivo são o mesmo: tocar o terror na humanidade e levar todo mundo consigo para Inferno. MWAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

Muitas religiões adotam suas próprias táticas para não confundir verdadeiros possuídos com meros contorcionistas, ginastas ou até mesmo pessoas que estão apenas fazendo seus exercícios matinais.

A Igreja Católica é que mais entra em contato com o tinhoso e sua trupe da pesada, porém, de todas as religiões, é que mais oculta casos. Afinal, todo mundo sabe dos escândalos envolvendo a prática de mandar velhinhas gentis e indefesas para a fogueira e a proliferação de padres pedófilos pelos quatro cantos do mundo, e por conta disso, quanto menos o povo saber melhor será, já que eles não precisam de mais polêmicas. Dentro das práticas católicas, Satanás é a personificação do mal cujo único objetivo e destruir todo o patrimônio criado pelo sue maior rival, Deus. Seus subordinados são os demônios dos mais diversos, que devem possuir quantos corpos forem necessários para tornar submissas todas as pessoas. Os indivíduos escolhidos para banir para as profundezas as criaturas malignas são os exorcistas no caso de demônios, e os psiquiatras, no caso de a "possessão" não passar de um surto psicótico de gente esquizofrênica ou paranoica.

Os anglicanos por sua vez, apresentam métodos arcaicos e antiquados para combater as criaturas do Inferno. Ao invés de partir diretamente para um exorcismo decente e útil, os mesmos preferem jogar os possuídos numa roda de gente velha e chata que fica cantando hinos capazes de fazer os demônios rirem. Seus métodos consistem em deixar o possuído sem comida, sem sexo e obrigá-lo a se alimentar de hóstia 24 horas por dia enquanto é banhado com água benta. Na maioria das vezes os demônios abandonam os corpos dos possuídos devido ao tédio ao qual são submetidos.

Os judeus simplesmente são mais sensatos (ou seriam burros?): não perdem seu tempo acreditando em tamanha baboseira, achando que tudo não passa de conversa pra boi dormir folclores e lenda urbana. Em vista disso, não tem nenhum ritual de exorcismo reconhecido oficialmente, já que ninguém quis perder seu tempo elaborando um livro inútil sobre o assunto.

Os evangélicos por sua vez, apresentam os rituais preferidos pelos demônios. Isso deve-se ao fato de que para os mesmos, tudo é obra do demônio, e dentro de suas sessões religiosas, as palavras "demônio", "satanás" e "Lúcifer" são mais pronunciadas do que a palavra "Deus". Logo, seus rituais de exorcismo tem efeito contrário: ao invés de expulsar demônios, eles só agravam ainda mais a situação do pobre coitado que é possuído, e por sua vez, contribuem ainda mais para o advento das forças infernais sobre a Terra.

Exorcismo[editar]

O Exorcismo é o ato ou efeito de expulsar o chifrudo e seus comparsas dos corpos que não lhe pertencem. Ou seja, sempre que algum integrante das hordas infernais decide dar uma escapadinha do Inferno para pegar um pouco de ar fresco enquanto se apropria do corpo de um pobre coitado aleatório, há a necessidade de se chamar um bando de charlatões religiosos aposentados para realizar um ritual longo, demorado e chato até que o demônio em questão fique entediado e decida retornar para a terra das labaredas altas.

Uma tentativa fracassada amadora de realizar um exorcismo.

O primeiro passo de um exorcismo é a sua investigação. Ou seja, antes de mandar qualquer trouxa para realizar qualquer tipo de ritual, o primeiro de tudo é você saber se realmente trata-se de uma possessão verdadeira ou de apenas uma pegadinha do 1° de Abril. Isso vai depender também da falta de ética dos profissionais. Em muitas ocasiões, qualquer um pode simplesmente alegar que uma pessoa com uma diarreia da brava está na verdade possuída por algum tipo de demônio, dar um óleo de rícino pra ela e cobrar pelos serviços assim que o remédio fazer efeito.

Mas, vamos imaginar que estamos em um conto de fadas e que estamos falando de uma Igreja sem nenhum tipo de sujeira escondida debaixo do tapete. O primeiro que deve-se fazer antes de enviar um padre ou qualquer outro para exorcizar o indivíduo, é enviar um psicólogo ou um psiquiatra até a casa do indivíduo. Se o infeliz não entender bulhufas do que se passa e não conseguir inventar nenhum tipo de mentira coerente explicação para justificar o que se passa, significa que está na hora de sair correndo da casa e chamar o padre de uma vez por todas para que ele se vire com a desgraça toda.

O segundo passo é definir quem será o infeliz que terá a azarada tarefa de enfrentar o Diabo olho no olho. Como a maioria dos padres ou religiosos não competentes aptos o suficiente para realizar um exorcismo, escolher um exorcista pode ser uma árdua missão, e o responsável deve ser indicado à dedo. Geralmente será um velho padre aposentado perto dos 90 anos, pois além de ser experiente dentro da Igreja, se morrer durante o processo não fará muita diferença, já que de que uma forma ou de outra já está com um pé na cova. Na maioria das vezes, o dito cujo será italiano ou americano e usará um chapéu esquisito que o deixa parecido com o porteiro da casa do Freddy Krueger. Decidido quem será o escolhido, está finalmente tudo pronto para que o exorcismo tenha o início. Se você for o exorcista escolhido, descanse em paz boa sorte, vai precisar dela. E não esqueça de rezar 100 Pai Nossos, 50 Ave Marias e jejuar por quarenta dias e quarenta noites caso consiga mandar a criatura diabólica de volta para os quintos dos Infernos.

O Rituale Romanum[editar]

Cquote1.png He he he, já te vi aí, seu mama na égua. Cquote2.png

O Rituale Romanum nada mais é do que um livro litúrgico no qual encontram-se as técnicas mais obscuras e proibidas para a prática do Exorcismo. Dizem as más línguas que o mesmo fora escrito pelo próprio Papa em um momento de devaneio psicótico. Não existem cópias do livro disponíveis para venda oficial, porém, exemplares podem ser facilmente encontrados no mercado negro ou disponíveis para download no Pirate Bay. Também pode ser comprado no Mercado Livre.

Um dos ensinamentos do Rituale Romanum é que sob hipótese alguma os exorcistas devem ir sozinhos até o local da sessão de descarrego. Apenas os padres mais fodões que conseguem espantar os demônios com um simples olhar atravessado são capazes disso. Os demais, exorcistas meia-bocas e sobretudo amadores, devem sempre ir acompanhados de dois, três ou quatro outros religiosos para darem cabo dos chifrudos. Isso é uma medida de segurança, pois se o demônio possuir ou de alguma forma conseguir fazer com que o Exorcista 1 se mate (o que é muito comum, já que a maioria das pessoas que decidem ingressar no ramo não passam de charlatões que mal sabem rezar o Pai Nosso), já existem mais alguns de reserva.

Cquote1.png Hey trouxa amigo, poderia me ajudar aqui? Acho que estou com torcicolo... Cquote2.png

Num exorcismo normal, o primeiro pobre coitado, o responsável por assumir a dianteira e enfrentar a criatura diabólica no olho, é o Exorcista propriamente dito. Geralmente é um velhote italiano que já foi padre na igrejinha da cidade e que se aposentou com o dinheiro coletado do dízimo. O segundo condenado costuma ser um padre mais jovem, que costumava atuar como coroinha ou auxiliar do padre mais velho na hora de entregar a hóstia, geralmente, na mesma igrejinha da cidade, sendo sua função ser a de tomar o lugar do padre mais velho caso ele bata as botas durante o exorcismo. O terceiro infeliz que participará da sessão geralmente será um médico, e sua função será a de sedar ou entupir a vítima da possessão de remédios caso a situação vá de mal a pior. O quarto integrante da trupe será provavelmente um parente ou amigo do possuído, e sua função será apenas de ficar parado boquiaberto para servir de testemunha depois no tribunal caso o possuído morra e o exorcista seja acusado de homicídio por cometer atos ilegais.

Antes de dar-se início a qualquer tipo de teatrinho barato exorcismo, é obrigatório que o padre que realizará o ritual esteja livre de todos os pecados, pois se o demônio for esperto, irá esfregar na cara do dito cujo todas as merdas que ele fez em vida (pedofilia, alienação, exploração, extorsão exigência do dízimo e etc) e usar isso contra ele mesmo. Para isso, um dia antes, o padre procura um outro padre para se confessar e ser absolvido de todas as desgraças que cometeu em vida. Após feito isso, o padre utiliza uma daquelas roupas usada por integrantes do coral da igreja mais próxima (conhecida como sobrepeliz, que provavelmente será recolhida do achados e perdidos da capela local e estará roída por traças) e um sudário roxo, que provavelmente estará cheio de teias de aranha, já que quase nunca se vê os padres usando um desses em dias de missa.

Uma gangue de exorcistas seguindo o Rituale Romanum à risca. Notem a posição desconfortável na qual a vítima da possessão ficou após ser recitada a Ladainha de Todos os Santos 2 vezes seguida.

Quando estiver tudo pronto, o padre em questão poderá finalmente parar com a enrolação e partir para a ação de uma vez por todas, que será o ritual propriamente dito. Ao exorcismo ser iniciado, uma série de orações que você, leitor, provavelmente nunca faz antes de dormir, são feitas em latim, como o Pai Nosso, o Salmo 53 e a técnica mais mortífera e destruidora de demônios existente: a Ladainha de Todos os Santos. Essa última é item obrigatório, pois é ela que fará com que os demônios fujam com o rabinho entre as pernas, pois além de ser longa e entediante, invoca o nome de um monte de santos e santas, sendo apenas alguns conhecidos e o resto personalidades cristãs das quais ninguém nunca ouviu falar. Por não conseguir suportar todo esse falatório, que tem ladainha até no nome, as criaturas fogem desesperadas para as covas infernais e nunca mais dão as caras naquela casa ou naquele corpo.

Enquanto as rezas são proferidas, somadas a um texto gigantesco em latim do livro que só padres tem paciência para decorar, é recomendado que se mantenha distância. Nada de bancar o noob e ficar batendo com a Bíblia na cabeça do possuído ou tentar acertar o indivíduo em questão com um crucifixo, pois sabe-se que a maioria dos azarados que morreram em rituais de exorcismo o fizeram por se aproximarem demais do possuído e terem sido arremessados janela afora ao levarem um golpe de karatê dos demônios enquanto possuíam suas vítimas.

Vale ressaltar que sempre antes de banir as criaturas de volta para as profundezas, é tremendamente necessário que o exorcista em questão exija que o demônio revele seu nome. Feito isso, é só ordenar que a aberração se mande em nome de Jesus Cristo e pronto, mais um demônio voltou para o lugar de onde nunca deveria ter saído. Um exorcismo pode levar de 1 hora à 1 ano, tudo vai depender do level de experiência do demônio em questão e do poder de luta do exorcista responsável.

Possessão demoníaca no Cinema[editar]

De todas as mídias que se apropriam desse tema para ganhar dinheiro fácil às custas de otários como você, sem sombra de dúvidas a sétima arte é a que mais se destaca, sobretudo devido às pessoas que gastam o olho da cara em ingressos na primeira fila e em DVD's originais em Blu-Ray dos filmes lançados. Ao longo das décadas, sempre que o assunto mexe com o demônio, há uma predisposição das pessoas a procurar se aprofundar no assunto, o que deixa clara a tendência humana para o obscuro e o maligno, completamente o contrário do que Deus desejava quando resolveu criar essa praga. Dentre a infinidade de filmes que abordam esta temática envolta em suas perversidades, geralmente pertencentes ao subgênero Supernatural Horror, podemos citar:

Esbanjando graça, beleza e simpatia, Regan acabou por tornar-se uma divindade entre os representantes cinematográficos da possessão demoníaca.
  • O Exorcista: O mais famoso de todos os filmes que abordam a temática das possessões demoníacas. Lançado nos tempos áureos do teu pai, conta a história de uma guria retardada que foi possuída pelo Capeta e tornou-se uma cria do Diabo. Na época, foi uma grande revolução, já que estamos falando de um tempo onde o simples fato de mencionar a palavra "demônio" já era motivo para você levar tapas e socos na boca de seus pais e de seus avós. No filme, a mãe da fedelha (que era conhecida como Regan MacNeil), devido a negligência e falta de cuidados com a própria filha, só percebe que a pirralha estava realmente mal quando a desgraçada começou a falar outras línguas, vomitar sopa de ervilha para todos os cantos, andar pelas paredes e a se masturbar com um crucifixo. Posteriormente, um padre e um outro fracassado vem para ajudar no ritual de exorcismo da criança.
  • O Exorcismo de Emily Rose: Segundo filme mais conhecido do tipo. Diferentemente de O Exorcista, esse provavelmente todo mundo já viu, mas pelo fato de ter sido produzido em uma época onde a única alternativa para fazer algum filme de Terror se tornar um sucesso é explorando os clichês mais batidos dos anos 70, 80 e 90, não é capaz de meter medo nem mesmo em uma criança de 10 anos, que inclusive deve dar gargalhadas dessa porcaria. O filme, que de acordo com as más línguas foi supostamente baseado em fatos reais, tem como palco principal um tribunal, onde um charlatão que se dizia padre está sendo acusado de provocar a morte numa outra guria retardada que também estava supostamente possuída. Durante o filme todo há uma grande mistureba entre cenas que se passam no tribunal e cenas que reconstituem o crime. Em síntese, não passa de um filme cuja história é na verdade um grande flashback entediante, com cenas absurdas e atuações baratas de atores desconhecidos.
  • O Ritual: "O Ritual", assim como O Exorcista, é mais um daqueles filmes baseados em livros anônimos dos quais você nunca ouviu falar e que também foram supostamente baseados em fatos reais. Esse filme é razoavelmente conhecido e conseguiu arrecadar uma razoável grana unicamente porque o nome de Anthony Hopkins estava no elenco. O filme conta a história de um jovem fracassado e infeliz que decide entrar para um seminário na falta de ter algo melhor para fazer e na necessidade de afogar suas mágoas e tristeza. O jovem tira as melhores notas em todas as matérias, porém, passa a ser odiado pelos outros alunos e pelos religiosos por não ter absolutamente fé alguma e só ter decidido fazer aquilo por fazer. Por ser um jovem mimado e chato, os padres despacham o mesmo para a Itália, onde ele conhece Anthony Hopkins Lucas Trevant, um exorcista licenciado pelo Vaticano. Após muita encheção de linguiça, Lucas Trevant acaba sendo possuído pelo tinhoso e o jovem acaba recuperando sua fé na marra para exorcizar o dito cujo, que sempre que podia caçoava de sua cara e o xingava de filhinho de papai.
Cquote1.png IÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ! Em nome do Capeta, essa porcaria de trem agora é minha, cambada de filhos da puta! MWAHAHAHAHAHAHAHAHAAHA! Cquote2.png
  • O Último Exorcismo: "O Último Exorcismo" é mais uma porcaria envolvendo possessões demoníacas lançada nos últimos anos só para tentar pegar carona no sucesso de O Exorcista no passado, afinal, todos sabemos que tudo que veio depois não passa de uma sombra daquele filme, assim como Luigi é uma sombra de Mario. O filme conta a história de um pastor evangélico que cansou de enganar os fiéis e resolveu ser um bom samaritano, que decide fazer parte de um documentário caseiro de baixo orçamento explicando como enganava o povo com suas sessões de descarrego falsas, revelando cada uma das armações e tramoias envolvidas em toda aquele charlatanismo do qual ele fazia parte. Porém, certo dia, um fazendeiro que ainda não tinha assistido ao documentário por morar num fim de mundo que não possuía TV, procura pelo charlatão para exorcizar sua filha caipira encapetada, que estava tocando o terror da roça, obrigando o mesmo a realizar um exorcismo verdadeiro e sem armações pela primeira vez em sua vida. Vale ressaltar que a fonte usada no poster de divulgação desse filme foi descaradamente plagiada do poster de O Exorcismo de Emily Rose.
  • Stigmata: "Stigmata" na verdade só é conhecido por essas bandas devido as cenas inicias se passarem numa cidade fictícia do Brasil, conhecida como Belo Quinto dos Infernos. Na história, um padre italiano é enviado até o Brasil para investigar um dos milhares de fenômenos do tipo "santa que chora sangue". Quando chega aqui, o italiano descobre que o sangue só começou a jorrar quando misteriosamente o padre da capelinha local morreu sem mais nem menos. Enquanto isso, um pivetinho do fliperama rouba o rosário do padre defunto e vende para uma turista gringa em troca de umas moedas para comprar fichas para jogar o novo game do King of Fighters que chegou no boteco da esquina. A turista por sua vez, envia o rosário de presente para sua filha, que atuava como garota de programa nos Estados Unidos, e coisas estranhas começam a acontecer. Então, o mesmo padre que foi investigar a santa é enviado para ver o que se passava, e o resto do filme é a mesma conversa fiada de sempre.

Ver também[editar]


v d e h