Poté

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Aviso: este artigo é muito violento
Gnome-searchtool blue.png Poté é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Apenas 2 partidos políticos atuam aqui.

Sciences de la terre.svg.png
Serjão entrevista.jpg Enxada-1.png Esti artigu é caipira, sô!! Enxada-2.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!

Wikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Poté.

Cquote1.png Você quis dizer: Pote? Cquote2.png
Google sobre Poté
Cquote1.png Você quis dizer: Roça? Cquote2.png
Google sobre Poté
Cquote1.png Experimente também: Fim de mundo Cquote2.png
Sugestão do Google para Poté
Cquote1.png Nessa cidade da maluca essa turminha da pesada apronta coisas que não estão no gibi!! Cquote2.png
Narrador da Sessão da tarde sobre Poté
Cquote1.png Você está pensando o mesmo que eu Pink? Cquote2.png
Cérebro sobre tentar dominar Poté
Cquote1.png É apenas com o coração que se pode ver direito, o essencial é invisível aos olhos. Cquote2.png
Antoine de Saint-Exupéry sobre Poté
Cquote1.png ♪♫ We live in a Beautiful Place ♫♪. Cquote2.png
Good Charlotte sobre Poté
Cquote1.png Aqueles que se enveredam pelos caminhos do mal, mais cedo ou mais tarde terão que encarar esta terrível verdade: ♪ tananã ♫ O crime não compensa! Cquote2.png
Rádio Teófilo Otoni sobre Poté
Cquote1.png Adoro surfar lá! Altas ondas Cquote2.png
Felipe Dylon sobre Usina de Poté
Cquote1.png Allah u akbar! Mijihidi u allah tua akbar! Mutarradar and radul! Jihaaad!!!!! Cquote2.png
Iraquiano sobre Poté
Cquote1.png Vamos tesouro, não se misture com essa gentalha! Cquote2.png
Dona Florinda sobre Poteenses
Cquote1.png Era uma vez, um lugarzinho no meio do nada, com sabor de chocolate, cheiro de terra molhada!! Cquote2.png
Sandy sobre Poté
Cquote1.png Itis a véri gúdi citi, biutiful, arrumaidi, uére ai goti a lorof guéus Cquote2.png
Joel Santana sobre Poté
Cquote1.png Um dia escorreguei em Teófilo Otoni e caí em Poté. Cquote2.png
Peter Crouch sobre Poté
Cquote1.png Adoro esse lugar! Cquote2.png
Aedes Aegypti sobre Poté

Poté é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Uma cidadizinha "pobrizinha mitida".

[
Município de Poté
"Potezim."
Braza.jpg
Aniversário 17 de dezembro de 1938 a.C.
Fundação Não dá pra saber. Foram os índios.
Gentílico Potente
Lema "Preguiça é a arte de se descansar antes mesmo de estar cansado."
Prefeito(a) Nêgo (deve ser primo do Lula)
Localização
Estado Calamidade Pública
Mesorregião Vale do Mucuri
Microrregião Txófrotoni
Região metropolitana Valão, Sucanga
Municípios limítrofes Tiófrotoni, Ladainha, Malacacheta, Franciscóps, Tambacuri, etc.
Distância até a capital Quatro léguas espaciais pela RioDoce. quilômetros
Características geográficas
Área Do Posto até a Igreja? Uns 2432632464,69 km²
População Cerca de 1.200 trabalham, o resto é daqui mesmo). No total são uns 15.206 hab. est. IBGE/2008
Idioma Não disponível
Densidade \textstyle D = \frac{m}{V} hab./km²
Altitude Vantagem na Libertadores. 2 metros
Clima Calor, quenturão semi-infernal.
Fuso horário UTC 3. Quando funcionava o sino da Igreja.
Indicadores
IDH -0.00001 PNUD/2000
PIB R$ 53.893 mil Cruzados Novos IBGE/2005
PIB per capita R$ 3.362,00 (1% ganha 1000 vezes mais que isso, e 99% ganha 100 vezes menos) IBGE/2005
]

Localização[editar]

Não adianta explicar onde fica a cidade. Não se encontra em nenhum mapa, nem GPS, mas basta dizer que é "pertinho de Teófilo Otoni (uns 40 km)", no Vale do Mucuri. Estrategicamente localizada em uma região baiânicomineiropixaba, Poté posicionou-se desse modo para as guerras do século passado. Informações desencontradas nas tribos inimigas (e a ausência de placas de trânsito), tornavam impossíveis os ataques dos índios rivais, que nunca sabiam onde estavam.

Dizem que foi aqui que Judas perdeu as meias depois de já ter perdido as suas botas. O U2 fez uma música em homenagem à perda das botas de Judas. "Get On Your Boots" foi escrita por Bono Vox em sua turnê pelo Vale do Mucuri, apresentando-se no Galpão do Socorro em Valão, no recorde de público daquela maravilhosa arena. Diante de 27 pessoas e meia, a banda superou em meia pessoa o público do show de Love Beat (featuring Edmilson Batista). No entanto, abandonou o espetáculo e preferiu voltar para a guerra civil irlandesa. A violência de Valão também foi homenadeada em "Sunday Bloody Sunday".

História[editar]

Poté pertencia aos índios hippies potenis. Eram índios pacíficos, que sobreviviam da venda de drogas ervas medicinais a outras tribos vizinhas, como os machacalis (que até hoje consomem dessas ervas) e os botocudos, que eram índios punks. Aqui chegaram os colonizadores brancos, liderados por Teófilo Otoni e seu filho Chuck Norris, que aqui fundou a Vila do Jegue. Reza a lenda que Chuck Norris venceu todas as tribos de índios, sozinho montado num jegue. Então com os índios derrotados, os brancos puderam ajuntar-se nesse buraco que hoje chama-se de cidade. Infelizmente só homenagearam o jegue, com o batismo de uma Vila. Os brancos eram constantemente incomodados em suas barracas por mosquitos e abelhas pretas. As malditas abelhas negras ("poté" em tupi) deram nome à cidade.

Em Poté, numa pedreira, certa vez encontraram a ossada de uma Preguiça Gigante Pré-Histórica. Tá explicado. É um antepassado desse povo.

População[editar]

Os censos do IBGE, e de outros institutos de "estatúpidas" (as estatísticas estúpidas), como o Data-Foda-se, não conseguem definir quantos habitantes têm a cidade de Poté. Os poucos poteenses restantes, são animais bastante ariscos e costumam fugir dos pesquisadores. 60% dos poteenses residem em Peabody ("Poté", em inglês), Massachussetts ("Minas", em inglês) nos EUA. Outros moram em Belorizonte, outros em Nova Serrana, e uns saem de busão à noite pra "estudar" na UNIPAGUE UNIPAC de Teófilo Otoni. Portanto nunca tem ninguém lá. Apenas no domingo à noite, quando toda a população se reúne para uma muvuca na praça, pra botar a fofoca em dia, causar umas confusões, comer um hambúrguer no "Ratinho" Lanches ou no Palmeiras, ao som de "Rony e Giovanni", e se preparar para correr quando começar o tiroteio. A cidade de Poté tem uma das mais altas taxas de violência do mundo. A Polícia Militar têm mobilizado todo o seu contingente (são 3! kkkk) na tentativa de combater a criminalidade. Mas parece ser bem difícil dar voz de prisão aos próprios vizinhos. E todo mundo sabe que três contra um é covardia. O povo de Poté nunca tem nada pra fazer, por isso crimes e fofocas são as práticas mais comuns e constantes, dando a algumas personalidades da high society poteense a alcunha de haters. Informação aqui só através das línguas, da Rádio Teófilo Otoni (onde a violência de Poté é o único tema) e da Bicicleta de Som (sim, temos bicicletas equipadas com uma caixa de som e uma bateria, que informam a população sobre qualquer evento de relevância cultural ou social, tipo: "HOJE TEM FORRÓ NO GALPÃO DO SOCORRO. VAI LÁHHHHHHH")


Taí o point mais badalado da cidade
Arquivo:Naosalvoemo6.jpg
Cidadão comum da pacata cidade

Economia[editar]

Baseada no comércio de produtos de segunda e no tráfico de drogas. Só existem farmácias, padarias e bares. De resto, apenas 1 supermercado, umas 8 mercearias, 1 restaurante e 1 hotel. Além disso, a cidade tem se tornado famosa pela importação de delinquentes do mundo inteiro.


Turismo[editar]

Sério? Turismo em Poté?

  • Jacoviária - Sim, nossa rodoviária é um pé de jaca. O passageiro que aqui desembarca, já pode se deliciar com essa deliciosa (argh) fruta típica da praça de Poté, mas apenas quando o pé dá fruta, ou seja, uma vez a cada 53 anos.

- Obs.: Foi inaugurada em 2012, pelo governador Anestesia Anastasia, um terminal rodoviário para a cidade de Poté. O mesmo já trincou e pode desabar a qualquer momento. O governador já garantiu um novo terminal rodoviário. Deve ficar pronto a tempo para as Olimpíadas de 2098.

  • Monumento ao Senhor Bom Jesus - Padroeiro da cidade, do lado do cemitério (O Estado é laico!);
  • O Índio - localiza-se no entrocamento. Representa um índio pelado armado... com arco e flecha (ufa!). Alguns moradores reclamam, por suas casas estarem localizadas de frente para o traseiro do indígena (seu Arnaldo Baiano que o diga...)
  • Usina's Bar - Montaram um bar do lado da Usina, pra que todos que vão se banhar no esgoto do Rio Mucuri, possam se refrescar com uma cervejinha Primus, enquanto adquirem Xistose.

A cidade inteira vira uma atração turística durante a Festa Cultural de Poté, conhecida como Festa de Setembro. Barraquinhas vendem produtos f'adidas e ni't'e, na promoção "pague 2, leve 1 só". O Centro de Eventos é palco dos shows de Dimas e seus Teclados, Rony e Giovanni, Pepe Moreno, entre outros astros da música internacional. Toda festa tem uma confusão, e o povo se diverte enquanto corre do tiroteio. Todo ano aparece o mesmo parque de velharias diversões. Vá de capacete.


BR que dá acesso à cidade

Educação[editar]

Assim como provedor de Internet, ainda não chegou em Poté.

Instituições de Ensino[editar]

  • Ginásio - A Escola tem outro nome, mas é assim que os velhos falam, porque só lá tem ensino queimaduras de 2º grau. Possui ótimas instalações, coloridas, com pichações. O desenho arquitetônico de Oscar Niemeyer foi baseado na prisão americana de Alcatraz, embora com menos ventilação. A merenda merece estudos científicos, porque alguns alunos conversam com a canjica, e às vezes ela foge do prato. A quadra esportiva da escola já feriu muitos alunos, por ter rachaduras causadas pelos misteriosos terremotos que nunca ocorreram. As cestas de basquete foram arrancadas, as bolas furadas, e ninguém sabe onde estão as traves do gol. Foram realizadas "obras", e a quadra foi coberta. Não sente mais frio.
  • Cláudio Manoel - Primeiro grau. As salas de aula estão sempre vazias, porque todo mundo vai jogar bola no campinho de terra, inclusive os professores. Tia Fátima foi artilheira do campeonato por três anos consecutivos (2005, 2006, 2007), enquanto Tia Maria é nome certo na Copa 2018. O time das serventes realizou grandes contratações na última temporada e promete incomodar a oitava série, que terá de deixar o campeonato no próximo ano, rumo ao Ginásio.
  • Órgão - Vai entender porque usa esse nome... Como qualquer "Órgão" público, não funciona. Por algum tempo funcionou no Órgão uma filial da UNIPAGUE UNIPAC, mas depois de dar diplomas a todos os moradores da cidade, deixou o local, assim como o Circo Olímpico. Hoje, o Órgão voltou a ser uma mistura de escola, com pré-escola, com creche, com cursos profissionalizantes, com pós-doutorado e aulas de tai-chi-chuan. Há doutores sexagenários que estudam no Órgão desde o maternal, por não encontrarem a porta de saída do local (o banheiro também é difícil de achar nas 10 primeiras vezes). Até pouco tempo, cagar a atividade excretora era realizada de cócoras em fossos.
  • Guimarães Rosa - Mudou de nome, mas continua sendo chamado assim. É onde estudam os mininos que moram na Vila do Jegue. Possui calçadas altíssimas para que as crianças possam quebrar suas pernas e braços no recreio.


É assim que você tem que fazer nas lan-houses de Poté

Lazer[editar]

  • A Praça - É o centro da vagabundagem. Lá não se faz nada, mas quando ninguém tem nada pra fazer, vai fazer nada lá em grupo. Inspirou o SBT a transmitir 'A Praça é Nossa', porque tem sempre um velhinho sentado no banco, e alguém contando uma piada sem graça. Há o Motel Hotel, Restaurante e Lanchonete Palmeiras, onde a população poteense se reúne no meio da rua na calçada, e onde se observa um ritual de reprodução em que, visando atrair as fêmeas da espécie, indivíduos de pouca esperança ostentam a aparência de grandes fazendeiros, embora sem-terra, na esperança de que as fêmeas pouco instruídas acreditem em seu potencial produtivo e reprodutivo. Estudos apontam que... Funciona... Por algum tempo.
  • A Lan House - Sim, porque a cidade inteira tem Orkut Facebook para olhar.
  • A Usina - Lá o povo vai encher a cara, ouvir Pablo do Arrocha, beber Devassa, mergulhar no Rio e pegar Xistose. Já é uma epidemia municipal.
  • A hora da Educação Física na Escola
  • O Circo - Mas Lazer mesmo é quando chega o circo na cidade. É sempre o mesmo circo que volta aqui com outro nome. Tem sempre os mesmos palhaços, contando as mesmas piadas, e a mesma voz sai na mesma bicicleta de som anunciando: "HOJE, HOJE, HOJE, A MULHER QUE BATE EM HOMEM, VAI LÁÁÁHH !!!"
  • A Festa de Setembro - Vide Rock In Rio.

Esportes[editar]

O esporte mais praticado por aqui é a fofoca com 98%. Em segundo o futebol, "a bola dos minino na iscola". Em terceiro, a corrida de arrastão e tiro ao alvo com habitantes. E em quarto o vôlei. Poté tem um time campeão municipal INVICTO. O "Star Volley Ball", com nome de motel, nunca perdeu sequer uma partida oficial na história. Mas também nunca jogou uma partida oficial (porque não há outro time com quem se jogue). No futebol destaca-se a Associação Atlética dos Velhos Veteranos, que conta com grandes atletas do passado como Tutancâmon, Garrincha (sim, ele está vivo e bêbado!), e outros, especialistas em "beques" e "pontas" (dê uma risadinha se entendeu esta piadinha). Os jovens são treinados pelo grande Zé Lua (sempre na rua), que faz as crianças que erram pênaltis, darem 250 voltas no campo. Aliás, o Grande Estádio Municipal de Poté, conta com assentos para 93 pessoas e meia, bem acomodadas no cimento da arquibancada, sobre o muro, ou pendurados nas castanheiras (camarote VIP exclusivo, com muita gente "buuuuunita" da high society esportiva). Além disso o gramado é utilizado como heliporto no período eleitoral, e como pasto para gado. Outro esporte praticado pelos poteenses é a puxação de saco (ou lustração de bolas). Geralmente os praticantes deste esporte visam a obtenção de cargos políticos. Muitos deles, chegam inclusive a editar páginas de sites confiáveis (como este)para promover a imagem de seus queridos políticos. (Mas a moderação aqui é nóooissss.)


Acidente de trânsito na rua do mercado

Bairros e Ruas Famosos[editar]

  • Centro - Sabe a merda? Imagine o centro da merda! Falar o que do centro? É onde mora o pessoalzim metido a bosta besta. Quem não mora lá acha que mora...
  • Bairros Floresta e Nova Floresta - Mais conhecidos como "Lá d'outro lado". Pra chegar lá tem que descer o famoso morro tomba-vaca (use equipamento de segurança) e atravessar a ponte sobre o Rio Potezinho, a versão mineira do Tietê.
  • Vila Maristela - É melhor não passar lá de noite. Por questão de segurança os "portões" fecham. Tem um time de futebol pentahexahipertetracampeão municipal (joga sozinho), e as bandas de rock saem todas de lá.
  • Vila Paula - É longe pra burro, e tem que descer uma ladeira quase vertical. Ideal para praticantes de rapel.
  • Jardim Alvorada - Mais conhecido como "lá no entrocamento". É lá que fica o Índio. O bairro inteiro tá fedeno esgoto. Há suspeitas de que seja culpa do Índio pelado.
  • Vila do Jegue - O nome chique é Bairro Sofia Colen. É toda encostada atrás do Morro do Cemitério (Cemetery Hills). Tem mais bala perdida do que o Rio e a Faixa de Gaza juntos.
  • Rua São Geraldo - O povo insiste em achar que aquilo é um bairro.
  • Avenida Getúlio Vargas - Acredite. Poté possui uma "Avenida", e das grandes. Mas como toda cidadezinha do interior tem que chamar Getúlio Vargas.
  • Rua do Mercado - Lá, todo sábado é um caos. Você se sente na Índia, no meio do povo, num trânsito infernal de bicicletas, carroças, motos e caminhões antigos vendendo frutas. É melhor dançar o Calypso junto com eles enquanto você vai tentando se desvencilhar... É difícil.
  • Rua do Hospital - Tem outro nome, mas como o Hospital fica lá, é mais fácil de explicar. Lá rola un negócimnnnn...


Família poteense sendo flagrada em direção à Teófilo Otoni

Distritos[editar]

  • Valão - Lá tem o famoso forró dos véios no domingo, no Galpão do Socorro, que atrái pessoas de toda a região. Tem o famoso Bar Estrelas, onde o Gohan do Dragon Ball toma todas. E o Bar La Mula, que dispensa apresentações. O comércio é baseado no Fast Food em Trailers. Em Valão, Choflotonenses gente de Teófilo Otoni vem se divertir ao som de, ninguém mais, ninguém menos do que... o grande... o garboso... o talentoso... o ele... Edmilson Batista!
  • Sucanga - Tem a única praça que tem telhado. E o telhado é torto, tem o formato de uma asa delta. Os onibus que vão de Teófilo Otoni a Poté tem passar por ali. Imediatamente, o motorista dá as instruções: "Atenção senhores passageiros, estamos chegando a Sucanga. Por razões de saúde fechem seus vidros para que a poeira não os intoxique, e por favor não alimentem o gado que atravessa a pista."
  • Baixinha- Há indícios de que esse distrito existe mesmo, embora o Google Earth discorde. Existem boatos de que a água consumida pelos habitantes é radioativa, e atrapalha o crescimento das criança (alguém conhece Léo?).


Personalidades Históricas[editar]

  • Bananinha ou Tam Bananinha - É o cara. É a nossa mulher fruta regional (?). Com sua risada nada discreta (bahahahahahha), Bananinha conseguiu ser ouvido por Neil Armstrong, quando ele esteve na Lua em 1969. "É uma pequena risada para um homem, mas uma gargalhada para a humanidade", disse Armstrong. É uma personagem conhecida por todo mundo, e estima-se que ele tenha 107 anos, pois esteve na batalha entre Chuck Norris e os índios punks. Orgulho da sua mais nova namorada, Adélia, que o espera ansiosamente aqui fora. Sim, ele foi preso.
  • Bidó - Famoso por conseguir todos os dias percorrer todas as ruas da cidade, com um pau na mão e um saco nas costas. É adepto da moda de se usar vários bonés, um sobre o outro, assim como jaquetas. Consegue dizer apenas três frases:"Moooorrrreu", "dois dia", e "Ó o pau viu!?". Mora no banco da praça.
  • Bidozão - Segundo Bidó: "Moooorrrreu"
  • Fóia - Encontrado no Panamá, é um bebaço, imita Michael Jackson em praça pública.
  • Miguelão - Tem fama de safadão, mártir do rock'n roll e era da formação original dos Strokes.
  • Xereréu - Inspirou Reginaldo Rossi a escrever "Garçom".


Poteenses "famosos"[editar]

  • Adílson Cabeção - Conhecido como chicletim de onça. É um carinha careca com uma cabeça gigante, que só anda de boné e às vezes de óculos escuros, demonstrando seu lindo sorriso sem dentes, pedalando sua bicicletinha (emprestada) pela cidade. Detalhe: às vezes ele pedala para trás e não sai do lugar. É constante confundido com o E.T. do Panamá, que portanto não seria panamenho.
  • Banda Nervosos - Falam palavrões no palco quando o povo começa a vaiar.
  • Joelbert - Grande gênio, estudioso do futebol, da Geografia e da Física Quântica. Foi discípulo de Planck. É o verdadeiro inventor da Internet e da fórmula de Bhaskara, que não é desse tal de Bhaskara. Além disso disputará as Olimpíadas de 2012 em Londres (presença confirmada), mas ainda não decidiu por qual esporte, já que é recordista de várias modalidades.
  • Mário Lúcio - Saxofonista do Placa Luminosa, que tem vergonha de falar que é de Poté. Aprendeu a tocar Saxofone ainda criança na Rua do Hospital.
  • Rony e Giovanni - Grande dupla que anima as festinhas do Hospital em junho (TODO ANO), e as serestinhas da praça, o forrozim dos idosos, ou qualquer evento desse gabarito. Presença garantida na Festa de Setembro do ano que vem, já que tocam nela todo ano desde a primeira (a próxima é a XXVII).
  • Tico - É amigo de todo mundo. Todo mundo conhece Tico.
  • O Minininho da Caneca de Café- Vaga pelas ruas de Poté pedindo café. Teve participação especial no filme "MIB: Homens de Preto". Mas, na verdade, não é café que ele quer não.
  • Zé Mayer - Sim, claro. José Mayer da Silva nasceu no Hospital São Vicente de Paula, vivia sentado no banco da praça, lanchava no Ratinho's, estudou no Cláudio Manoel, e perdeu a virgindade no cabaré "lá d'outro lado". Oras, onde você acha que Zé Mayer desenvolveu toda esta POTEncia?

.