Praia Grande (São Paulo)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Abacaxi Grande Cquote2.png
Google sobre Praia Grande (São Paulo)
Cquote1.png Experimente também: Vice City Cquote2.png
Sugestão do Google para Praia Grande (São Paulo)

Cquote1.png Praias cristalinas, clima aprazível e população amigável Cquote2.png
Imperador Albertus Mourão I sobre seu reino
Cquote1.png I love this city! Cquote2.png
Tommy Vercetti sobre Praia Grande
Cquote1.png Caralho, roubaram o meu carro de novo! Cquote2.png
Turista sobre após perceber que algum pivete favelado de Praia Grande roubou o seu carro pela enésima vez
Cquote1.png Sempre passo minhas férias lá Cquote2.png
Coliformes fecais sobre Praia Grande
Cquote1.png Cocada com fuligem, tapioca porca, quebra queeixo! Cquote2.png
Paraíba sobre seu trampo
Cquote1.png Como Zaqueu, quero subir... o mais alto que eu pudeeeeeer... Cândida, cândida cândida!! Cquote2.png
Kombi da Cândida, despertador dos praiagrandense
câ, dida. A ela uniram-se os pamonhas moradores e os ovos de chumbo. Cquote1.png É aquela praia que têm quilômetros e quilômetros de pobres se tostando ao sol? Cquote2.png
Caco Antibes sobre Praia Grande
Cquote1.png Vai tomar no cu, filha da puta! Cquote2.png
Você sobre mais um motorista tirar uma fina dos seu carro nas ruas da cidade
Cquote1.png Anda logo, caralho! Cquote2.png
Você no trânsito atrás de um carro andando a 10km/h em plena avenida
Cquote1.png Nunca vi. Cquote2.png
Stevie Wonder sobre as "belezas" naturais de Praia Grande
Cquote1.png Tomei sol e fiquei manchada, parece que estou manchada, escura! Cquote2.png
Turista sobre bronzeado direfenciado sobre Praia Grande
Cquote1.png Vocês vão ter que me engolir Cquote2.png
Material fecal pegando onda em P.G. e morador de ZONA
Cquote1.png Praia Grande é um cRu: só tem uma entrada e uma saída que ninguém sabe ao certo! Cquote2.png
Turista observador sobre Praia Grande
Cquote1.png Sempre passo minhas férias lá Cquote2.png
Gripe Aviária sobre Praia Grande
Cquote1.png Em São Paulo, bairro que tem Jardim no nome é bairro nobre. Aqui em Praia Grande, é bairro infestado de dengue de varios tipos! Cquote2.png
Alguém sobre bairros de Praia Grande

Praia Grande (São Paulo) Maconhaland, mouralandy
Bandeirapraiagrande.png
Bandeira
Cidade de Todos (todos mesmo)
Hino "Praia Grande: Orgulho de ser Traficante!"
Local Baixada Santista
Idioma Português (ou quase), Tailândes, Russo, Ingles americano, Portugues de Portugal, Chinês (falado pelos mafiosos do Boqueirão) e Favelês
Geografia
Clima Friozinho de leve no meio do ano, infernal no resto
Locais de referência Praia, quiosque fechado por dois anos pra reforma de tão vazios.
Economia Drogas, dinheiro (roubado) e sorvete, roupinha de cachorro, minérios
Produtos exportados Drogas, falsificações
Política
Governo
Nuvola apps core.png
Dos morros e os criames de armadeiras "mouras"
Atual prefeito
Nuvola apps core.png
Imperador Albertus Mourão I
Vice-prefeito
Nuvola apps core.png
Príncipe Albertus Mourão Unico
Mídia
Cidadãos ilustres
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Mendigos, e os fela, os finge bão de ternos enlargecidas.
Esporte símbolo Tiroteio e arrasto
Santo local Yemanjá e os moradores de rua, muitos, que triste.


Praia Grande é mais uma das colônias do Reino de Santos, famosa internacionalmente por sua desorganização e porquice. Cientistas ainda estudam a composição do seu solo, que durante a temporada de férias, tem a capacidade de suportar a população toda do estado e mais um pouco, mas a incompetência da rede de abastecimento de água na cidade faz com que turistas e residentes fiquem cheirando mal por semanas. Por causa disso, ganhou o título de esgoto do litoral brasileiro, possuindo a maior quantidade de fezes por metro quadrado. Faz fronteira com São Vicente, Mongaguá, Santos, Cubatão e um lugar ainda não totalmente descoberto chamado Caieiras, que diz a lenda que seu carro aparece por lá algumas semanas após ser roubado nas ruas de Praia Grande, todo depenado e riscado.

O gentílico da cidade é caiçara, praiagrandense e bandido.


O Império Mourão[editar]

Desde a derrubada de Dorivaldeon Lória, em 1992, a família Mourão assumiu o trono de Praia Grande, tendo como primeiro herdeiro "Albertus I" o "anti-mídia", “ANTI-PROTESTO”, o inculpável. Será chamado O Grande logo após as primeiras investidas: alargamento de vias, espaçamento dos órgãos públicos, técnicas de magia para tomada de decisões. Seu governo, bom para a cidade - os eleitores, que não conseguem lembrar-se da última vez que tiveram um "bom governo" (uma cidade grande é difícil gerenciar), mas a família Lória permanece batendo na porta para reivindicar o troninho tomado pelas lacraias e crias "mouras" ... que munidos de seu Guerreiro desfavelaram quase toda a planície até os pés de morros. Restam três povoados de milhares de esquecidos.

Os “mourinhos” quando não são plantas parasitas aptas a transformar o nada em algo meio nada, estão espalhados em meio à multidão. Tomam a forma e a cara do povo se preciso for. E o que o paulistano brasileiro na famosa cidade está acostumado a ser? Mesmo com algumas moedas nas mãos diz: "Nossa que lindo". Afinal ele tem algumas moedas que gastará em vão.

O imperador, Albertus Mourão I.

Sobre ser antijornalístico o Rei disse: "criminosos quererão meu reino, tomarão até dum justo. Nos medicamentos tem placebo, filas, mas atendo. Prendam todos.".

Se Eleito novamente. Note que a Lei em PG é diferente da do Brasil. Por isso tantos anos de poder e reeleições nesta mágica cidade de brilhos. Prometeu ao pigmeus, centralizar o poder. Tornará pública sua opção ao lado de Esqueleto: seu mais novo empreendimento na cidade. Prometeu ainda adornar o Espaço Municipal criando a praça dos animais dos mata Plaza: da vista da janela de seu gabinete verá uma grande onça. Para suas ninhas locais no Paço, uma gigante estátua de uma tartaruga. Para mostrar ao contribuinte que a cidade prepara-se para uma nova era. Nunca viram tamanha beleza. Os parques infantis já tem caracteres como os formatos, e formas para que os usuários percebam-se animais: macacos, aranhas e moscas no vazio natural que é a praça.

Musiqueiros insurrecionários, são cepas "mouras", irritaram He-man dado alcance das máquinas de ondas curtas e baixas espalhadas pela cidade. O nuclear alien a mil de PG em pontos estratégicos, antenas pequenas na orla e uma gigante nos fundos mouras da Kennedy.

Antigamente, os Lórias e os Mourões travaram sanguinolentas batalhas na Ponte Pênsil, a ponte é famosa por suas estruturas necessitarem de valores expressivos em reformas a cada pleito regional, embora dependa de São Vicente e Santos pra tudo, quem decide a vida de todo o Sul é a cidade cabocla rica de Guarujá. Família das poderosas de São Paulo mantém a ordem em tudo: o povo é consultado nas eleições. Muitos dos lorias foram perseguidos pelas forças atuantes. Uma cidade forçada a ser cosmo pela proximidade ao porto seguindo os rumos dos poderes paulistas desde a República Café com Leite. Guiando o centro do governo ao rumo do vazio, só podem ver o agora.

Em todas estas cidades veremos os “brackbrocks”: uma forma local de chamar os revoltosos acostumados a tomar pra si os ornamentos da cidade: flores, mudas, aço, latões em vasos, bronze, … Não são apenas os índios da Amazônia que tomam pra si o que seria de todos. Os de São Vicente, representantes dentados, tem as pontes que trazem as hordas de favelados e trombadinhas para praia grande. A cidade é famosa por seus bolsões de pobreza, palafitas, abandono desde 1973 (uma das tribos organiza 500 mil índios vicentinos, não sabem ler, não tem água tratada).

Mas... como as diaristas, peões de obra, e até mesmo as garotas de programa vem tudo de lá, acabam permitindo a existência das pontes. Um funcionário ganha a mesma diária a 15 anos. A praça das cabeças feita pra embelezar e lembrar ao moradores as suas funções. Um meio busto que todos, perguntam-se o que seriam as obras estranhas. Não são nada só faltam a elas o corpo. Infelizmente você precisa ter saúde mental para morar na PG: confira a quantidade de clínicas psiquiátricas locais, você vai querer uma.

O que fazer, Veja como Isto é:

Av. da praia, onde ninguém mora, só nos finais de semana prolongado os duros de São Paulo que não podem ter apto em São Vicente ou Santos, invadem essa faixa de areia malcheirosa (peixe, xixi de gato, e esgoto internacional marítimo ilegal).

O Trecho entre av. Kennedy e a Praia fedorenta? Larga isso pra lá, o nariz acostuma com o cheiro. É onde os pobres coitados que foram despejados dos Fortes acabaram conseguindo um aluguel mais baratinho. Os cientes do saque que advém, preparam-se para irem às zonas.

Eles são a classe MORDIA e repressiva.

Mas com a crise da Dilma e do Temer, estão todos indo para Cianito. Local de criminosos, a arte do jeitinho. E ar ... puro.

E finalmente o trecho entre a av. Kennedy e o crú do mundo onde moram os verdadeiramente praia grandenses ... é ali que se formam as quadrilhas da região e que as meninas aprendem a profissão das mães que fazem ponto na Kennedy perto do MC bom. Falando de MC, no shopping confira a máquina de sorvetes, por dentro coberta de baratas. O crú é onde esconde-se a Prefeitura.

Se você não é COC ou Paulo Freire, não é ninguém: a escola errada. O professor e o diretor também não sabem, e o governo não contou, se contou está em algum livro empoeirado na estante. Você escolheu a escola errada.

Comum os “CHOVENS” levarem seus rádios para as portas das escolas para as saídas.

As pombas são alvo de macumbeiros e adoram ficar perto dos restaurantes limpos da baixada. De uma encruzilhada a outra algumas velas pretas, vermelhas e umas pombinhas sacrificadas.

Pombas também enfeitam fachadas de restaurantes famosos. A solução tiú chá sabe?

O famoso chines dogue recheio tem numa portinha lá. Nem todos salgados são ressecados. Os caros e dá quebrada é bom, limpo e saboroso, só “por curar”. A barrelada não é a favelesco!

Quando você erra no GPS aqui você dye, e nas Europa cai no lago e dye afogada.

Lotada de Poc Poc. De dia ou de noite.

Perva? Tem também. E das perigosas também. Arrasadoras nos restaurantes fazem as leitoras de Best-sellers terminarem a refeição antes.

Roce sempre vai ver uma placa indicando algo, mas quando for ver, verá que não tem nada.

Uma festa anual reúne 300 mil corpos, uma legião, legiões, e espíritos dos mais diferentes possíveis. Uma moradora disse jamais ter visitado por temer não retornar sã de uma noite de gritarias e danças.

Uma cidade que não para? Uma moradora relatou ter saído do Norte há vinte anos. Desde então trabalha na cidade e jamais viu o mar. Perguntada disse que não teve tempo ainda para realizar o lazer após o trabalho e lide com a casa própria.

Lixeira em áreas comercias estão quase sempre abarrotadas.

Mendigos são mais amigos que coxinhas malvados.

De uns anos pra cá, começaram a construir uns prediozinhos mais ajeitadinhos em alguns trechos desse reino, e conseguiram enganar uns incautos que pensam que estão melhorando de vida enquanto nadam no bosteiro e pegam micoses na areia fétida. Na verdade os ricos mesmo ou não moram aqui ou só saem de helicópteros ou de carros luxuosos.

Poucos ricos conseguem circular pela cidade calmamente.

A parte da chuva quase ácida você esquece.

Os “livres” precisam fingir não ver os veículos, as queimadas de pneus nas ilhas diariamente, o esgoto nas baías, empresas fumaceiras noturnas e ao amanhecer melhoram a qualidade do ar que chega de Cubatão.

Aqui o Vale da Morte.

Uma praça foi inaugurada em 3D plano: veja o homem que abre e fecha os olhos, o esfarrapado, o homem que carrega peixes já comidos, a vaca morta de sede. A praça é em memória à presença da vida dual: o poder local tratou de acentuar os momentos atuais: tanta vida e tanta falta lado a lado. Desvende as outras esculturas. Parceria da redetvia e globulosmynds com o clã Romão, Mourão, Moura, Acoberto, sinhozinho.

Que aproveitamos para falar da sinhara dama: ama das artes alquimistas, aclamada como Nossa senhora desaparecida das mentes. O que seria? Dom disse o bruxo seguidor que tem carteirinha pra comprovar ser autêntico católico.

Mas é apenas burrice de pobre, porque qualquer um sabe.

VEJA que a Ponte Penciclovir, originalmente era apenas um suporte pra levar o cano de esgoto de São Vicente para a Praia Grande. Dai o verdadeiro nome Ex-Brejo Grande …

As emissoras locais lutam pra manter suas programações no ar: são claras as falas prontas e despreparadas dos pátriasitas por de trás da tela. O povo retrocede e quem tem o que fazer desliga deste entretenimento e busca uma praia e uma maldição pra soltar.

Mas não se iludam... ainda tem muito carinha que vem de São Paulo, Santos e São Vicente pra pegar as meninas locais, porque ali quem tem 10 real no bolso é milionário.

Perguntados os moradores, percebem que uma nuvem negra paira sobre uma área sempre em reforma quase anexa à praça espelhada de cabeças de pensadores.

Outro local conhecido são os pagadores de conta de luz que saltam ali. As notícias são de insanos que devem ser desconsiderados que estavam no icônico colorido prédio que adorna a praça estranha.

Alias, no Brasil hipocrisia incrustada pelo governo: tem como sair disso se continuam rindo?

A pobreza gritante nessa cidade, de diferenças gritantes.

O seriado noturno do SBT “Oblongs” teve a prancheta criada na cidade. Bem como o Dindo dormiu no banco da cidade, e o Charlier fez música.

Muitos esconderijos podem tornar seu passeio mais bacana de bom. Derrotados noturnos correm vagarosamente ao lado da ciclovia marítima. Atividades ao ar livre noturnas nas calçadas. Uma verdadeira Noite do Terror do Playcenter ao ar livre.

Choveu: paulista não sai de casa. A praia tem alagamentos, imensos buracos que abrem-se e são postos vigas. O restaurante local esqueceu de ser criativo: doar galochas ao clientes em noites de alagamentos.

Loucos, estranhos e malucos usam seus aparelhos celulares para coagir as pessoas. Filmando-as. Fotos das paisagens locais, belas.

O mercado sorteia facas. Junte selos e ganhe facadas ao pagar a conta.

A cidade é conhecida como escoadouro também de vencidos recuperados, os lotes proibidos comercializados até oito meses depois. Sucesso dos grandes atacadistas.

Batata congelada verde? Que bom! Esverdeada.

Se você está na quadra da praia dá pra sentir-se mais seguro, mas não estará livre se for ao Litoral Plaza. O cliente esta vulnerável a um assalto ao dia no local a mão armada.

Agora a pista tá enorme e alta. Aquele arrastão sério, de 12 horas, até 12 horas, está desprogramado pro enquanto. Os pobres, esfomeados dormem embaixo nas vigas e nos morros ou espalhados pelos cantos nas noite frias. 2013?

A paisagem natural é completada pelo caminho da capital até a PG. Centenas, de casas, sem rebocos, sem cores, ou de pedaços completam longos percursos. Grandes aglomerados e comunidades podem ser observados. As palafitas nos rios, em toda margem na divisa entre SV e PG.

Tanto os coxa, os viado, os pobre, os abastados são divertidos pelo noticiário face boqueiro Praia Grande Mil Grau. Expondo as forças de Maligna (codinome da Dama) em interferir também no vizinho onde Lhe predomina.

Já entrou num restaurante e saiu cheirando a gordura? Avenida da praia.

Garçom que manda cliente ir embora? Já deu o horário? Abordado por mano pra uma entrevista? Som alto e ECO?

Criminosa que dá barraco no bar e envolve você? O fim da sua noite.

Ser seguido ao sair da academia … até em …

Buscaraio, mete, fode, musica de sexo ás 16 horas na beira do mar? Sim isso é possível.

Enquadramento de 9, 12, 15, manos?

Festas de arromba no fim de semana pra mais de três da madru. Sim. Mandela? Tem também.

Ladronas nas ruas? O noticiário do Date na e as estrelas do cidade alerta, todas pegando uma praia, batendo uma bolinha … um voleizinho?

Sim, é possível comer lanche em posto de combustível com tanque estourado. Comprar e ser sujeitado coagido por ter comprado algo com dano. Fique com o produto pirata e guarde ou arrume. Pra comer ou beber, todo restaurante tira um bebum. Os vassalos pisam pães com tênis para melhorar o sabor, e o mal sorriso é perfeito pra comprar queijo. Uma exigência e sua carne escolhida pesará um pouco a mais. Caixa de mercado viciados em enganos. Carne passada, escurecida mas dá pra comer. Triste. Era só guardar ou arrumar o freezer.

A arquitetura local divide-se em: zona, casas exóticas, religiosas e as taperas amadas e as 1/2água doadas. As exóticas podem exibir peixes, luzes e águas, as religiosas traços, formas e demônios para proteger a morada.

Os moradores das zonas, sabem o que é uma zona, são afogados semanalmente em noites de fumaça. Há décadas. A forte maresia confunde a todos, ocorrem juntas as bichas. Antes fosse fumaça de pizzaria trabalhando.

Arqueiros maias percorrem o local livrando os humildes das garras dos dementes hipnólogos. Arrastões nos morros estão assustando.

O melhor a fazer é ser um local e saber onde ir, parece que irá branquis. Deixe ouros, mesmo ourina em casa. OU escolha um dono e compre as coisas que precisa: um mesmo dono é dono de milhares de comércio numa mesma rua, ou em várias praias da Praia Grande. Uma rua toda de um mesmo dono. O caixinha do manos existe pra manter segura a via Vicente de Carvalho. Tudo mil maravilhas.

E tem gente boa, ooooooou cê tem. Mas tudo com medo. Isso é um trabalho pra quem?

Um bom lugar pra passear depois de atracar no porto.

Transporte[editar]

Praia Grande é a pioneira no sistema "Coração de Mãe", em que não importa se os ônibus estão lotados, sempre cabe mais um. Só que os motoristas acham que dirigem uma Ferrari devido à alta velocidade que os veículos alcançam em perímetro urbano (130km/h para cima), então não tem problema se você estiver quase atrasado para o trabalho ou para a escola: você chega quase vinte minutos adiantado. Há também dois terminais: o Tude Bastos (do bairro Tude Bastos, duuuh!) e o Tatico (que ninguém faz a mínima ideia do porquê desse nome, nem mesmo o imperador Mourão), tudo para a comodidade do praiagrandense, com seus ônibus sempre lotados, fedidos e pixados. Lá, você pode pegar várias linhas (mas só dois já percorrem 80% da cidade) e também ônibus intermunicipais, altamente recomendado para aqueles que gostam de calor humano. Esses veículos chegam a transportar 500 pessoas ao mesmo tempo cada, o equivalente a toda a torcida do Jabaquara. Emos que trabalham na Tivit e pessoas que trabalham em Santos ou outra cidade que preste ocupam todas o mesmo lugar, refutando assim o argumento da física.

Semáforo típico de Praia Grande
As malditas bicicletas. Repare que um vai atrás do outro, como um trenzinho da alegria. Fontes confiáveis dizem que as pessoas da foto foram roubadas minutos depois.

O transporte à cavalo é muito comum também, e o IBAMA está de olho. Os coitados dos animais magros e cansados carregam um ou outro funkeiro pé rapado debaixo de sol e chuva; mas muitos turistas e residentes preferem as bicicretas e as carrocellas para andar pela cicrovia da praia. Essas cicrovias estão em todos os lugares: no centro da cidade, no meio do mato, no nada (Vila Sônia), no puteiro, sobre as casas, mar adentro e até nas galerias subterrâneas. Se você não tem a sua, pode alugar uma por um valor nada agradável ao seu bolso ou pechinchar uma na famosa Feira do Rolo.

Praia Grande também é referência em engenharia de transporte. Seu túnel na entrada da cidade, sugestivamente chamado de Mergulhão, obriga que os visitantes e residentes comprem uma canoa para ali se locomoverem em dias de chuva. Em algumas regiões, entretanto, é o único meio de transporte, como na Vila Sônia e no Jardim Real.

Bairros[editar]

Praia Grande é dividida em duas províncias: a Província de Santa Guilhermina, ao norte, e a Província dos Manos, ao sul.

Província de Sta. Guilhermina[editar]

  • Vila Guilhermina
  • Campo da Aviação (um enorme conglomerado de mato e insetos que de vez em quando serve como ponto de encontro de bêbados e travestis. O imperador Mourão disse desde o início de seu reinado que ali faria um pequeno shopping ou um conjunto residencial, mas até agora nada)
O campo da Aviação, lugar que fede à cigarro e mijo. É aí onde há a maior concentração de camisinhas usadas em toda a cidade, só perdendo para a Praça das Cabeças.
  • Vila Tupi
  • Cidade Ocian
  • Boqueirão
  • Canto do Forte (bairro onde moram vários riquinhos que estudam na Fortec ou no Objetivo)
  • Vila Mirim (bairro onde fica o Castelo do Imperador)
  • Jardim Quietude
  • Jardim Anhanguera (para onde os aprendizes de bandido do Jardim Quietude vão para treinar roubos e assassinatos)
  • Vila Sônia (bairro onde ficam as casas de alguns mafiosos da cidade)
Moradores da Vila Sônia.
  • Tude Bastos (bairro conhecido como "Ilha de Lost")

Província dos Manos[editar]

Moradores da Vila Guilhermina.
  • Vila Caiçara (a mesma coisa que a Vila Tupi, só muda o nome)
  • Parque Imperador (foi um presente de Albertus I para os moradores de uma região pobre dos morros)
  • Jardim Esmeralda
  • Jardim Melvi
  • Andaranguá
  • Solemar (é a Mordor de Praia Grande)
  • Balneário Maracanã
  • Jardim Real (um presente do cacique Imperador de São Vicente para a cidade)

Existe também algumas terras desconhecidas, como Caieiras, Sanharol, Cidade da Criança I e II e Xixová. Essas foram destituídas de Praia Grande e devolvidas à São Vicente e Mongaguá. Só que não? São uma passagem cheias de calcários. A paraia Gãrande tem rios e canais abandonados que irão ser parcialmente recuperados como tudo no Brezil é. Armadilhas dos e para os manos.

O PODER REAL REGIONAL TOMA PARA SI TUDO QUE É DO POVO: quiosques, faixas, direitos, poderes comunitários que foram garantidos inclusive por D. Pedro I. O Rei Mourão também atesta junto daqueles que são os outros. Lost, seriado de sucesso americano, gravou algumas externas de selva aqui.

Novas formas de apontar os jardins e bairros: Nossa Senhora da Esmeralda, Nossa Senhora da Samambaia, Jesus no Balneário Melvi. Surgem em meio a tanta diferença entre riqueza e despreparo.

As formas mais primitivas de moradias alimentam-se dos animais de mangue, infelizmente contaminados. Há décadas.

Defesa[editar]

  • Exército: no Canto do Forte, 10 conscritos, no resto da cidade, nenhum;
  • Marinha: contando com os catadores de caranguejo do mangue, uns 10;
  • Aeronáutica: 2 bêbados que ficam no Campo da Aviação;
  • Manos: uns 140.000;
  • Guarda Civil: mais ou menos na proporção de dois pra cada turista;
  • PM: mais ou menos na proporção de dois pra cada Guarda Civil;
  • Câmeras: quatro. (?) 460 pra mais ...

Jesus Negão atuante nos trabalhos aqui.

Defesa Real Tem sua face branca espalhada pela cidade. Em alguns pontos a face pode expressar sorrisos que diferem da natureza Cristã. Um morador da "liberdade pela desmemória" pinta os olhos do poster como quem chora sangue.

Centros por toda a cidade trabalham com os nomes dos políticos locais para defender as muralhas da cidade enfraquecida pelos desnorteados.

"Educação"[editar]

Praia Grande possui 20290819040142 escolas municipais (uma pior que a outra), umas 20 escolas estaduais e umas quatro faculdades (uma já foi pro saco). Há também escolas particulares, chamadas de Centros Educacionais pelo governo e de "Iscola dos Boy" pelos praiagrandenses.

Faculdades

  • FALS: uma faculdade gratuita meia boca com alguns cursinhos. Conhecida por ser o lugar onde os vagabundos que por algum milagre saíram do Ensino Médio vão para cursar Administração ou Turismo. Os cursos são ruins, os professores mais tapam buraco do que dão aula e o diretor é um capeta gordo que só pensa no próprio pau;
  • FPG: uma tentativa de faculdade melhor que a FALS, com mais opções de cursos e mais infraestrutura (ainda que pouca). É também chamada de VilaVerde, A diretora é muita chapada, por isso o nome da Escola.

Ensino Médio

  • Reynaldo Kuntz Busch: grande por fora, mas pequena por dentro. Criadouro de bandidos, cujo diretor ninguém sabe o nome ou a cara;
  • Maria Pacheco Nobre; os que não conseguem passar de ano no Kuntz vem pra essa escola.
  • Abrahão Jacob Lafer; "Abrahão, entra burro saí ladrão".
  • Gago Coutinho (Bopeva): mais um criadouro de bandidos, cujos professores são formados nos cursos do PCC. A aparência da escola imita a de uma prisão, visto suas janelas gradeadas, portões de ferro e alunos que parecem fugitivos do Carandiru;
  • Oswaldo Toschi: maioria dos alunos aqui são patricinhas e emos;
  • Etec de Praia Grande: As pessoas desta escola são extremamente falsos, acham que são ricos, mas tem gente até do Real;

Ensino mínimo Fundamental

  • São Francisco de Assis: bonitinha, mas ordinária. Escola para formação de bandidinhos mais sofisticados. (depois vão para o Kuntz, completar o curso de bandidagem).

Centro Educacional

  • COC - Novo Mundo;
  • BOSTEC FORTEC;
  • Escola Técnica Fênix;
  • El Shaday;
  • Sem Objetivo;
  • Recanto dos condenados;
  • Celestin Freinet;
  • Paulo Freire;
  • CNA.
  • Escola Magnificat; Escola falida desde 2015.

Se você possui uma renda maior que três salários mínimos, certamente seu filho jamais pisará em uma escola pública. Irá para um Centro Educacional! Lá ele aprenderá coisas extremamente uteis à vida, como:

  • Comentar com os(as) amigos(as): "Nas férias vou à Nova Iorque"; pra depois passar uns dias em Cubatão.
  • Ligar para um amigo da sala ao lado pelo celular; de mentirinha claro porque não tem crédito no celular...
  • Pedir um carro de aniversário; e ganhar um vale transporte com validade de 15 dias...
  • Fazer festas de debutante com artistas internacionais; (as meninas) se bem que pra elas quem é de Cubatão já é internacional.
  • Organizar rachas pra exibir o carro que ganhou do papai; mesmo que seja aquele fuscão 1970 capotado 3 vezes que o papai comprou no leilão... (os meninos)
  • Nunca aceitar bronca dos professores, afinal são os pais do bonitinho que pagam o salário deles. Logo eles são os empregados da família. É a vingança de quem vive na miséria tomando porrada da vida...

"Lazer"[editar]

  • Praça das Cabeças - Um presente do Imperador Mourão para a cidade. Uma praça gigante que fica no cruzamento das avenidas Brasil e São Paulo; tem 8 cabeças gigantes que bota medo até em quem reside na cidade, já que é sinistro mesmo. Também é um bom local para fumar maconha e transar (já que as estátuas são ocas, dá pra entrar nelas, o que é mais sinistro ainda);
  • Sebeira - Uma das principais empresas da cidade, fica em frente da Praça dos Emancipadores, ou seja, é rota certa de quem vem da Imigrantes. Como o nome diz, é uma sebeira, transforma restos de açougue em sabão, então já se tem uma noção do cheiro agradável dessa região... Um ótimo lugar para fumar maconha sem chamar atenção;
  • Presidente Kennedy - É uma avenida minuscula, só 25km (embora digam que se você caminhar reto por toda a vida vai chegar no Acre), e lá você encontra a maior concentração de prazeres carnais por m² do mundo. São mulheres de todos os tipos, desde arrasa quarteirão até sósia da Dercy Gonçalves, travestis, homens de peruca, bêbados de calcinha, etc... E claro, tem ótimos locais para fumar maconha;
  • Acesso 3 do shopping - Um lugar famoso por concentrar emos, funkeiros e alguns otakus nos sábados e domingos ociosos, que se reúnem para comer seus salgadinhos furtados do Extra e bombons das Lojas Americanas. Não é um bom lugar para fumar maconha, mas ninguém ali se importa se você fizer isso;
  • Pista de Skate da Ocian - Uma pista pequena na praia que sempre reúne viados, emos, fãs posers de CBJR e patricinhas que dão o cu para esses fãs. É um ótimo lugar para fumar maconha e fingir que anda de skate, tudo isso regado à Smirnoff, vinho de cinco reais e cerveja Skol pra dizer que bebe.

Pista de Skate do Boqueirão - Fica na praça Emancipadores ao lado da Sebeira. Lugar bom pra dar um F1 (fumar maconha)

A noite na cidade[editar]

Boulevard Chopperia - Ponto de encontro de funkeiros, corinthianos, pagodeiros e bêbados. Ou seja, só gente ruim. O lugar é muito frequentado também por mafiosos, assassinos e traidores do Império Mourão;

Baladas universitárias - Como os pobre resolveru estudá, e a FATEC abriu um monte de curso onde a concorrência é alta, mas a média das notas é menor que a metade, o povo está na era da inclusão no ensino superior. Enfim, esse mesmo povo que ta entrando na faculdade agora, que acha que arrasa fazer churrasco com Balalaika e Dolly em qualquer fundo de quintal zoado tocando num som fudido na traseira de um Gol 98 e fritando como se estivesse num lugar decente, também tiram dezenas de fotos fumando maconha, segurando as garrafas de Skol Beats e fazendo uma careta ou empinando o rabo (no caso das meninas).

Forró do Mato. Note a beleza dos homens e mulheres e como parece um lugar animado e descontraído.

Forró do Mato - Transformaram um inocente boteco localizado no Portinho destinado anteriormente à servir guaraná para pescadores em uma sucursal do inferno na terra. Garotas sofrendo de carência (piriguetes), homens de inteligência questionável, bandidos, usuários de qualquer tipo de droga em massa, corinthianos, punheteiros em massa e gente feia em geral garantem emoções que vão desde tiroteios até gangbang ao ar livre.

Comércio e Economia[editar]

Dividem-se entre informal (galerias do Boqueirão), ilegal (camelôs na Costa e Silva) e imoral (demais estabelecimentos com seus preços abusivos exploradores de turista).

Os turistas têm a cara de pau em dizer que são eles que movimentam a economia da cidade, mas ledo engano. São os próprios moradores da cidade, que aceitam menos de um salário mínimo para engraxar sapato e lamber as bolas dos turistas ricos que vêm aqui para comer frango na areia. O maior comércio é o de sorveterias, tendo pelo menos duas à cada cem metros na avenida da praia, seguido de moda, restaurantes, sorveterias, concessionárias, restaurantes e sorveterias.

As vendas nos supermercados impulsionam nas altas temporadas, pois Praia Grande é a única cidade do país que possui esse tipo de estabelecimento. Filas quilométricas de velhos gordos e tias quarentonas de teta caída são figurinhas carimbadas. Graças à eles, os escravos funcionários do Atacadão precisam fazer hora extra enquanto os bonitos estão com suas famílias no conforto de seu lar (dividido com mais três famílias) comendo uma bela picanha e tomando vinho.

Turistas até que contribuem para a economia da cidade, principalmente no que diz respeito à água: Praia Grande também é a única cidade do país que possui chuveiro e torneiras, então quando eles vêm para cá, enchem baldes e baldes para fazer sabe-se lá o quê e tomam banhos demorados. Passa-se dois dias e urubus começam a rodear casas e condomínios.

As pessoas de Praia Grande[editar]

São muito carismáticas, amigáveis e divertidas. Respeitam-se muito uns aos outros e adoram turistas! Esbarram em você sem pedir licença e te xingam se você esbarrar sem querer neles, roubam você se não forem com sua cara, te olham estranho na rua, reclamam que você tá sentado no lugar do idoso mesmo não sendo assento preferencial, xingam os caixas do Extra por não serem rápidos... São verdadeiros amores! Mais educados do que os santistas e mais civilizados que os sãovicentinos.

Funkeiros e idosos são maioria em Praia Grande, tendo cinco de cada por m², mas em época de temporada as crianças dos empresários ricos ocupam o espaço que antes eram deles. Os homens da cidade, chamados bandidos, curtem funk e pagode, e é impossível você entrar em um ônibus que não tenha algum mongolóide com uma caixinha de som tocando aquela música do Exaltasamba que ninguém mais suporta ouvir, e se vestem todos iguais: bermuda de surfista, óculos da Oakley, camiseta da Lacoste e chinelo da Havaianas mordido por algum cachorro, e em sua maioria são depilados. Maioria não sabe quanto é 2+2 e trabalha no McDonalds ou mata aula para beber na praça da Fatec e fumar maconha. As mulheres, chamadas piranhas, também se vestem todas iguais, fazem luzes no cabelo, e usam shorts curtinho e rasteirinha até em tempestade com vento frio. São tão burras quanto os bandidos, matando aula para dar para um funkeiro qualquer. Trocam de namorado uma ou duas vezes por semana. Velhas safadas assassinas ensinam.

Além disso, há os velhos reclamões, maior parte da população além de funkeiros. São idosos com seus quase 90 anos que só sabem reclamar de tudo: do ônibus que demora, do ônibus que vai devagar demais, do ônibus que vai rápido demais, das moças dos caixas do Extra, do preço das coisas, do calor, do frio, da chuva, de tudo! São tão chatos quanto os idosos de Santos, mas um pouco mais humildes. Idoso no fim nem reclama até ele elaborar foi humilhado.

As crias mouras passeiam com seus veículos barulhentos que ninguém tem, desfilam fazendo curvas, por que estamos programados só para que eles tenham. Obrigado dissemos. Obrigado.

A temporada em Praia Grande[editar]

Aaah, as tão esperadas férias. E o que fazer? Descer para Praia Grande pela 103291240912ª vez, claro! A cidade é uma porcaria, dizem os turistas, mas todo fim de semana e feriado estão aqui comendo camarão na praia e esquentando a areia com suas bundas fedidas e gordas. O trânsito fica infernal, as filas do supermercado extremamente cheias (como se não existisse supermercado em outras cidades e eles esperassem para fazer as compras do ano na cidade) e, claro, prédios lotam de crianças melequentas gritando e pulando às 2h da manhã. A criminalidade sobe à níveis astronômicos, mesmo que o imperador Mourão e o governador do estado digam que a segurança é reforçada. As praias ficam sujas, poluídas com embalagens de sorvete, garrafas quebradas, papel e camisinha furada. As ruas são dominadas pelos farofeiros que gritam, bagunçam e colocam seus funks no último volume dentro de seu Corsinha. A cidade se torna de propriedade dos turistas, e não dos moradores.

Pequeno dicionário Pegeês-português[editar]

Os praiagrandenses possuem um jeito peculiar de falar o português. Seu sotaque é carregado, uma mistura de carioca com nordestino, sem esquecer o santistês de praxe. Veja alguns vocábulos:

  • Tio = Pessoa qualquer, um nada.
  • Boy = Pessoa com uma condição financeira um pouco melhor, presa.
  • Humilde = Pobre, não pensa.
  • Mindigo = Morador de rua, cachacero, amigo.
  • Emo = Qualquer um que não curta funk ou pagode, e brilhe a rosca só no escuro.
  • Loco = É como se fosse um ponto final na frase. fi ki loko.
  • Gostosa = Mulher. ou Travesti.
  • Brisando = Falando bobagem. Curtindo a paz, um brown.
  • Paulista = Turista, alquimista

Exemplos de frases:

  • "Caraaaio, looooco, olha aquela gostosa ali" = Olhe só aquela mulher!
  • "Tá brisaaaaando, tiiiiiio?" = Você está falando coisas sem sentido
  • "Vamo assaltá aquele turista lá, looooco, mó boy" = Vamos cumprimentar aquele turista? Parece ser uma pessoa bem bacana
  • "Ae novinhaaa, vamo transar" = Garota, você é muito bonita

dá onde c é? e ce acha que vai na favela? que que c faz? você sabe quem eu sou? Oi, que horas que são? Oi posso seguir nesta rua? Onde vai dar isso? Em frente ao BB: onde fica o BB? Fica calmo, você viu como piorar as coisas pode ser ainda pior? Hoje vai ter mandela em SV. o síndico roubo o condomínio do prédio e não há o que fazer. Sem sobreviventes c acredita?

Vale a pena visitar Praia Grande?[editar]

Não. E sim. Cinco anos seria o prazo maximo ideal caso sequelas surjam. Locais aos 300 mil ou mais criam famílias, oblongs adultos ricos sem sequelas e oblongs das zonas. Idosos em estados de AVC aos monte. Dum morro próximo a S.V. a vista para o Hospital em Santos que expeli fumaça preta de uma chaminé.