Presença de Anita

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Se procura romance de Mário Donato, obra que a Rede Globo plagiou descaradamente para fazer a minissérie, consulte Presença de Anita (livro).

Huffraid.gif
Este artigo merece uma chance!
Este artigo tem sido ruim, mas promete que vai melhorar. Por favor não o delete! Ele pode mudar!
Capa do filme Presença de Anita

Cquote1.png Me dá até nojo só de pensar naquelas cenas horríveis!!! Cquote2.png
Clodovil sobre as cenas de sexo explícito protagonizadas pela Anita puta.
Cquote1.png A maioria que o assistia eram homens Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Presença de Anita.
Cquote1.png Na União Soviética, a Anita se masturba por causa de VOCÊ!!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Presença de Anita.

A Presença de Anita foi uma minissérie com 16 capítulos escrita por Manoel Carlos, copiando o enredo da obra homônima (não homossexual) de Mário Donato, e exibida pela Rede Globo de 7 à 31 de agosto de 2001 - ou seja, enquanto conseguiu manter uma audiência razoável de pervertidos e ninfomaníacos.

Sinopse[editar]

Anita prestes a molestar um japinha inocente.

Nando quer aproveitar o final de ano para não fazer nada em alguma cidadezinha pacata e cheia de garotas virgens, mas disfarçando com o motivo de escrever um romance. Lúcia Helena só pensa em alcançar o tão esquecido orgasmo em suas relações com o marido. Zezinho quer perder a virgindade. E Anita só quer seguir seu destino, com a certeza de que nada é por acaso, e se ela realmente quer um homem gostosão e garanhão ela precisa ir atrás dele.

Para tentar escapar da rotina sem orgasmos de São Paulo, Lúcia Helena resolve passar as festas de fim de ano com a família - que por acaso ela odeia - , em Florença, cidade caipira e retógrada do interior de São Paulo. Pensa em aproveitar o clima familiar para reacender a paixão em seu casamento e enfim, reencontrar o clímax sexual. Nando vê nas férias, a possibilidade de comer alguma jovem com menos de 19 anos sem pagar nada. Em busca de economia, encontra Anita, a jovem safada e gratuita ideal. Ela se mudou para um sobrado onde no passado ocorreram uma série de estupros.

Se Anita não pode mudar o destino, vive da forma mais intensa, assim como as suas relações sexuais. Seduz Nando e faz Zézinho acreditar que ele finalmente vai perder a virgindade. Com os dois, forma um triângulo sexual que muda para sempre a vida de todos, afinal vai ser a primeira vez que eles participarão de uma orgia sexual diante de câmeras.

Elenco (surubeiros)[editar]

Os personagens abaixo são inúteis e ninguem mais lembra de quem eram.

Curiosidades[editar]

Cquote1.png Vem gato vamos fazer amor Cquote2.png
Presença de Anita convidando Lima Duarte para fazer amor sobre cena do filme
  • Uma cena em que Mel Lisboa, na pele de Anita, aparece nua foi cortada da exibição original, porém, a mesma cena está no DVD, lançado em 2002, e foi exibida na reprise no mesmo ano na tentativa de aumentar a audiência, porém tal ação foi nula, pois, segundo a Agência Nacional de Televisores apenas 1% de casas tem televisão no banheiro (local onde se encontravam os telespectadores da missérie). Além das cenas de sexo, nudez, orgias, surubas, bundas, pênises, vaginas (depiladas ou não), a minissérie também ficou marcada pela presença do baseado cigarro. O excesso de charutos cubanos ajudou, segundo o autor, a viajar ficar doidão, "a compor" o perfil destrutivo dos personagens e também auxiliou na suruba no entrosamento dos atores que se sentiam cansados de falar falas sempre sobre o mesmo assunto: sexo e morte.
  • Com o sucesso de audiência e a repercussão da minissérie, a direção da TV Globo chegou a pensar na ampliação de Presença de Anita. No entanto, como o público de punheteiros já havia enjoado da personagem de Anita, a Rede Globo achou melhor parar de gravar a minissérie.

A produção foi reapresentada duas vezes: em 2002 na própria Globo e em 2005 no canal pago Multishow. Em 2002 a minissérie foi lançada em DVD, com cenas extras de sexo explícito.

  • As gravações externas da minissérie foram feitas em Vassouras (com cabos) - RJ que serviu como cenário para a fictícia cidade de Florença. Tal cidade sofreu muito com o número de vasos entupidos por camisinhas dos telespectadores e chegou a processar a Rede Globo por promover uma revolução sexual na pacata cidade.
  • Em 2006 foi cogitado um filme baseado na minissérie, mas nunca foi confirmado pela emissora. Segundo a Rede Televisiva valeria mais a pena um filme pornô, mas os dotes dos atores foram postos em dúvida. Segundo o produtor o tamanho dos órgãos (microscópicos e não jumentópicos) do atores não eram grandes o suficiente.