Presidente Vargas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Presidente Vargas é mais uma cidadezinha pacata do Maranhão com o prefixo de Presidente (puro puxa-saquismo), mas isso não interessa. A população dessa cidade é de cerca de 9000 habitantes, sendo 95% deles matutos, já que a cidade fica no meio do nada, assim como muitas outras cidades do Maranhão.

História[editar]

Avenida Pedro Daréu durante a maior festividade da cidade, o aniversário do município em 13 de fevereiro.

Puro puxa-saquismo, Dizem que a cidade de Presidente Vargas recebeu esse nome porque algum mané que chegou lá com sua família e começou a habitar gostava do presidente Getúlio Vargas, e por isso colocou esse nome na cidade, já outros dizem que foi o próprio Getúlio Vargas o primeiro habitante desse cu do mundo, hipótese este altamente improvável. É mais uma das cidades dominadas pelo José Sarney, só que nessa ele botou sua filha como prefeita, mas pelo que se vê, ela não faz porra nenhuma pela cidade. (Comer dinheiro tá no sangue mesmo)

Economia[editar]

Nenhuma. Não entra nem sai porra nenhuma nessa cidade, e quem quiser ter uma vida decente tem que ir para a capital para se arriscar em uma dura profissão.

O saneamento básico é péssimo. As ruas são cheias de lama e são esgotos à céu aberto, e os moradores de lá estão sujeitos a pegar várias doenças se andarem descalços por aí pelas ruas. A única rua bem calçada é a da casa dos prefeitos (se é que eles moram nesse fim de mundo).

Política[editar]

Mas o Prefeito não faz nada? Não. Como dito antes, roubar está no sangue, a única coisa que a Prefeita faz é limpar os cofres públicos e comprar carros importados e outras merdas com o dinheiro que o povo paga o IPTU.

Educação[editar]

Nenhuma. Nem existe escola por lá, pois a família Sarney colhe mensalmente o dinheiro dos cofres públicos para gastar com viagens para o exterior e com o Amapá. O povo de lá não sabe nem assinar o próprio nome.

Saúde[editar]

Nenhuma também, não existe posto de saúde e muito menos hospital nessa merda chamada de cidade.

Lazer[editar]

Nenhum. As crianças nem podem sair para brincar na rua, para não pegar doenças. E as que brincam na lama peidam pra muzenga depois de uma semana.

Turismo[editar]

Nenhum. Quem é que vai para um fim de mundo desse? Só com uma 4x4 para entrar na cidade, e ainda cobram pedágio na maior cara-de-pau!