Primeira Guerra Mundial

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
40967074 nikita.jpg
Caravela-1.jpg

Este artigo é relacionado à história.

E contém referências a importantes eventos históricos da evolução da humanidade.

Lembre-se que o Uruguai ficou independente do Brasil.



Primeira Guerra Mundial
Data: 28 de Julho de 1914 a
11 de Novembro de 1918
Localização: Planeta Terra
Status: Vitória dos Aliados e esfacelamento dos Poderes Centrais
Resultado: Destruição dos Impérios Russo, Aústro-Húngaro, Otomano e surgimento da URSS e de vários Países Europeus e no Oriente Médio.
Europa1914.jpg
Tabuleiro Mapa da região do conflito.
Estados Beligerantes
Tríplice Entente
EUA,
França,
Reino Unido,
Rússia,
Itália e
mais um mol de países
Poderes Centrais
Império Alemão,
Império Aústro-Húngaro,
Império Otomano,
Bulgária
Alistamento.jpg
Kaiser1915.jpg
Ideologia Político-Econômica
Capitalista Impérios Monárquicos
Chefes de Estado
Harrison Ford,
Nicolas Sarkozy,
Lenin
Kaiser Guilherme II,
Arnold Schwarzenegger
, Leônidas
Forças Militares
42.320.000 soldados
22.000 aviões
23.000 navios
23.270.000 doldados
18.500 aviões
18.000 navios
Baixas Fatais Militares
8.115.850 5.135.250

Cquote1.png A culpa de tudo é sua! Cquote2.png
Alemanha para a Sérvia sobre Primeira Guerra Mundial
Cquote1.png Não, a culpa é sua! Cquote2.png
EUA para Alemanha sobre Primeira Guerra Mundial
Cquote1.png Tô poco me lixando... já estamos brigando aqui... Cquote2.png
Lenin sobre Primeira Guerra Mundial e Revolução Russa
Cquote1.png Entrou por uma porta, saiu pela outra, quem puder que faça outra. Cquote2.png
Gigi Anhelli sobre a Primeira Guerra Mundial, prevendo a Segunda
Cquote1.png Na União Soviética, a Primeira Guerra é detonada por VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Primeira Guerra Mundial
Cquote1.png É geralmente utilizada para deixar você de recuperação. Cquote2.png
Seu professor de História sobre Primeira Guerra Mundial.

A Primeira Guerra Mundial foi o primeiro conflito bélico do séc XX que conseguiu matar mais de 10.000.000 pessoas, quebrando o recorde Espartano de 4500 anos, contra os persas. Estima-se mais de 18.500.000 zilhões de pessoas mortas, tanto do lado a Tríplice (pelo menos no começo) Entente; Reino Unido, França e Rússia e do outro lado os conhecidos como Poderes Centrais (ui que medo), cujos principais expoentes era Alemanha, Áustria-Hungria e Império Otomano (Turquia). Foi o conflito que introduziu (Ui!!!) no cenário da guerra com toda a força e pra ficar os aviões e os tanques.

Tabela de conteúdo

Causas da Guerra

A Europa estava em clima de guerra há muito tempo, porque a Inglaterra tinha inveja dos pintos Europeus. E também dos cabelos dos suvacos dos negos de lá... Desde que os alemães começaram a peitar os ingleses e os franceses davam ré em tudo o que viam, os ânimos começaram a esquentar. Os turcos, sedentos por sangue por terras, estavam loucos para uma briga e só não tinham iniciado a guerra ainda porque não tinha ninguém pra cuidar do lódjinha. Já os russos estavam quietos, coisa muito suspeita, diga-se de passagem. A Áustria-Hungria, com sua política imperialista brigando com a Sérvia, uma região explosiva da Europa. A Alemanha, ficando na moita, mas cantando de galo, só esperava uma oportunidade para chutar a bunda da Inglaterra. E essa oportunidade veio...

Arquiduque Nandão e sua sala antes de virar presunto.

O grande acontecimento que alguns historiadores na ânsia de achar explicação pra tudo acreditavam (acreditavam porque hoje em dia a teoria já é outra, assim como amanhã será mais outra...) ser o evento principal que teria levado à guerra aconteceu justamente na Puta que Pariu (Sérvia) (pra variar): o assassinato do herdeiro ao trono do Império Austro-Húngaro e filho bastardo do Imperador Arnold Schwarzenegger, o arquiduque Francisco Ferdinando.

Esse acontecimento, que tinha o envolvimento de oficiais do exército Sérvio fez o Império Austro-Húngaro exigir, para não declarar guerra, que a Sérvia pedisse desculpas pelada e em público, o que a Sérvia prontamente aceitou; em seguida exigiu que a mesma pagasse um boquete, Ok feito; depois uma punhetinha. Bom, a Sérvia já totalmente puta da vida concordou "tá bom vai, vamos lá, tudo pela paz"; não satisfeito o Império Austro-Húngaro chamou o Império Alemão, exigindo que a mesma ficasse de quatro para ambos. "Ah não, aí já é" demais recusou a Sérvia, que, (boba, pois acabou tendo de servir aos dois de qualquer jeito) com sua recusa deu o pretexto para o início da Grande Merda Mundial. Após o início dessa orgia Germânica nos Bálcãs, as nações europeias começaram a se declarar guerra umas contra as outras iniciando de facto o conflito.

Essa ânsia de todo mundo declarar guerra à todo mundo no começo se deveu talvez ao fato de cada País se julgar o Fodão invencível do pedaço, pensando que estavam tão por cima da carne seca que vencer a guerra seria como dar um passeio, uma grande parada Gay militar sem maiores consequências a não ser claro pra quem morresse no caminho.

De qualquer modo, a maioria realmente acreditava que, com tanta Potência (naaassa...) militar envolvida a guerra não só seria curta (calculavam... mal... bem mal, como se veria), como devido à isso o lado perdedor levaria uma surra leve, aceitaria tudo na esportiva, deixando as mágoas pra lá; sendo o lema de enganação dessa guerra: "a guerra que poria fim a todas as guerras". Como se vê, a idiotice humana e a capacidade de se autoenganar não tem limites...

A guerra

A Primeira Guerra Mundial possui três grandes fases: A guerra de movimento (1914-1915), A guerra de trincheiras (1915-1917) e A troca de turno (1917-1918).

A guerra de Movimento (1914-1915)

Em 4 de Agosto, a Áustria-Hungria começou a invasão dos balcãs. A Rússia invadiu a Alemanha pra aliviar a barra dos Sérvios, tentando ajudar estes também ao Sul à expulsar os austríacos, que haviam invadido o território sérvio.

A Alemanha invadiu a Bélgica pra poder pegar a França por trás (os franceses adoraram), chegando às margens do rio Marne, onde ocorreram as sangrentas Batalhas do Marne. Devido a deduragem da aviação os franceses anteciparam o movimento dos Alemães, venceram umas batalhas conseguindo proteger Paris e fazendo o exército alemão recuar para o leste. A Inglaterra, com o intuito de ajudar a França, enfia envia tropas a fim de auxiliar o exército francês, o que leva os exército alemão,
repare na estrategia fantastica dos aliados.
francês e inglês a um enfrentamento no leste da França. Como nenhum dos exércitos conseguiu vencer o outro, em vez de parar aquela merda toda e declarar "empate técnico", os mesmos decidiram lusitanamente que o melhor caminho pra sair do buraco era cavar mais fundo e assim se entrincheiraram, criando o front oeste.

A Rússia Czarista por sua vez, como fariam depois Portugal e Romênia (veja seção "Olho maior que a barriga"), havia medido mal seu potencial, tentando dar um passo maior que a perna e se fodeu. Depois de começar invadindo a Alemanha se viu no maior sufoco pra tentar conseguir apanhar de pouco e ser penetrada devagarinho (ui), com jeito pelos Alemães e seus primos Austríacos.

A guerra de Trincheiras (1915 - 1917)

Wikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Primeira Guerra Mundial.

Apesar dessa fase da guerra ser muito chata parada foi a mais sanguinolenta, desta guerra e uma das mais de todas as guerras ("Outro recorde" como diria Woody Allen), tanto para a Tríplice Entente quanto para os Poderes Centrais que realizaram ataques infrutíferos um contra o outro com os Generais de ambos os lados usando velhas táticas aprendidas de cor e salteado nos manuais das melhores Academias Militares tirando 10 e com louvor ("Caxias" que eram "'tavam se achando" que fossem), tudo muito bom nos manuais, teoria e nos jogos de guerra e exercícios de treinamento mas que na prática, ali no "vamu vê" se mostraram inuteís contra a moderna tecnologia e a realidade fluída (+) , porque como já dizia o vèio deitado e sábio China Sin Fun Deo: "zogu é zogu, tleinu é tleinu né?!", o que vem a provar que escola é bom pra adestrar, mas não deve ser levada muito à sério, aliás nada deve ser; quer mesmo aprender algo que preste ô mané?! Desliga a porra desse computador e sai pra Vida (Naaaassa, rapaaaz, isso ficou "filosolfiku" pra cacete, acho que 'to precisando de outra cerva pra 'baixar o níver). Mas voltando ao tema em questão, como diria Capitão Óbvio toda aquela sangreira parece não ter servido pra ensinar muita coisa nem para os militares nem pra humanidade. De qualquer modo as maiores batalhas dessa fase da guerra foram:

  • Batalha de Verdun: ocorrida na região de mesmo nome, foi a região com mais mortos por quilômetro quadrado da guerra, onde cerca de 2 zilhões de homens de ambos os lados bateram as botas.

A Alemanha, tomando a ofensiva, atraiu parte dos soldados franceses com edições da G-Wutssenberg (G-Magazine, em alemão), matando os soldados franceses que deixavam as fortificações com rajadas de metralhadora. Os poucos que eram capturados eram torturados, sendo obrigados a assistir desfiles da Victoria's Secret (onde sua avó participou, nua).

Os franceses, por sua vez, atraiam os alemãs com comidas típicas alemãs, como chucrute (na guerra, a comida é péssima, quando há comida), que eram colocadas em locais estratégicos, como campos minados, guilhotinas e outros aparatos. Quando o soldado alemão chegava perto, Kaput!

  • Batalha do Somme: onde o exército Britânico enfrentou o Alemão em campo aberto. Foi a batalha com mais mortes da Primeira Guerra, outros zilhões de mortos sendo superada na sangria ( olha os recordes aí de novo) apenas pela Batalha de Stalingrado; daí o nome da batalha - do Somme (aonde muitos sumiram... ahaha - Ok essa foi horrível).

Tudo isso fez com que as tropas dos exércitos beligerantes se retirassem, um para cada canto e voltassem às trincheiras antes que todos morressem. O que terminou a chatice e a sangreira da guerra de trincheiras foram: a melhoria (pra quem?!) da tecnologia dos tanques e aviões que por ex. passaram a acertar as bombas, jogadas agora não mais com as mãos (é sério), dentro das trincheiras mais a saída da Rússia, que depois de uma mãozona no começo 'tava agora mais é atrapalhando e a entrada pra valer dos EUA no conflito.


(+) (Sangria com falta de resultados militares concretos) que em retrospectiva dá a falsa impressão de ter sido apenas incompetência natural dos militares (e políticos), e que gerou a clássica frase espinafratosa do então 1º ministro Francês Seu Jorge Clemenceau: "----Guerra é um assunto importante demais pra ser deixado (só) na mão dos militares" (Como se os políticos fossem "melhores"... aliás ele foi um dos cabeçudos que armaram o Tratado de Versailles que daria um belo empurrãozinho proa Segundo round mundial segunda merda mundial Segunda Guerra Mundial )

Loucura, loucura, loucuraaaaa

Os ishpertush

A 1ª Guerra também (re)ssuscitou antigas estratégias, muito comuns até a Idade méRdia:

A mais popular, ou não... dependendo do lado é a velha: "Ir para onde o vento soprar", conhecida também como "Vira-casaca" ou mudança de lado conforme a conveniência - a preferida dos Italianos que a utilizariam por livre e expontânea vontade nas 2 guerras mundiais. Já sua variação - ser forçado a ir para onde o vento MANDAR, seria mais utilizada na 2ª guerra mundial, em especial no leste europeu;

Outra dessas estratégias "ressuscitadas", muito utilizada nos Cassinos e Bolsa de Valores por Jogadores e Especuladores Profissionais bem sucedidos é a "humm... minha capacidade agora só vai até aqui, então desse linha não devo passar má neeeem fudendjo!". Os principais expoentes desse comportamento sangue frio e avesso ao comprometimento, típico dos que não 'tão nem aí para os que os outros acham ou irão escrever (ou deixar de) nos livros de história só pensando em si; foram Japão e Brasil que se envolveram na briga de forma mínima, rídicula, besta mesmo sô se comparado com os demais; só tendo distribuído uns cascudos, uns tabefes e beliscõezinhos dentro da exata medida de seus cinismo e cara de pau lavada em legítimo óleo de peroba interesses e possibilidades. O primeiro no início do conflito, quando todo mundo ainda pensava que aquela merda não iria durar muito ou dar em grande coisa, só pra manter sua marinha e seu exército em forma, tomou dos Alemães umas ilhotas no Pacífico e umas possessõesinhas na Ásia e Ó, caiu fora antes que a merda fedesse. O segundo, já no final da briga, quando todo mundo já tinha percebido a cagada que aquela parada gay militar tinha se degenerado (devido a um grupo ter copiado a fantasia do outro, além de brigarem pelos namorados um do outro), também entrou do lado da Tríplice Entente enviando um número ri-di-cu-la-men-te baixo de tropas à Europa, porém o suficiente: Tanto para garantir à seus toscos militares o aprendizado na prática das modernas técnicas de guerra para serem usadas contra sindicalistas, anarquistas e qualquer outro segmento do seu próprio "zé povinho" que por ventura se metesse a besta exigindo Direitos; Quanto para tomar parte ativa no Banquete de Versailles que colocou a Alemanha de 4 pra ser bem comida e fodida por todos os Aliados que fizeram enorme fila (com direito a repeteco) pra tal se esbaldando e deixando-a totalmente lanhada, assada e sem um pentelhinho sequer pra se cobrir, além de lhe arrancar até o último tostão.

Olho maior que a barriga

Outros como a Rússia não foram tão espertos assim... tendo tentado passos maiores que a perna, caindo e batendo feio com o saco e o cóccix no chão além de ganharem uma bela distensão com rompimento do músculo Orgulhal foram Romênia, Grécia e Portugal que também entraram do lado Aliado na guerra. A Romênia, acreditando na lorota de Ingleses e Russos "pode entrar qui nóis garanti, conosco ninguém fodosco" esquecendo-se tanto dos conselhos do preto véio Gil Brother, primo do véio deitado Sin Fun Deo ("na vida num si deve di si 'fiar muito in ninguém né mizi fiu?!"), quanto do "detalhe" que, aquela altura da guerra, já estava cercada geograficamente por todos os lados pelos Poderes Centrais, acabou indo na onda do filho ilustre o conde Drácula (que só 'tava afim era de ver sangue) e cometeu a imprudência de declarar guerra aos mesmos, sendo imediatamente Penetrada (uiiiiiiiiiii) por estes de todos os lados, formas e maneiras possíveis, imagináveis e não declaradas.
No caso da Grécia, alguns políticos achando que podiam tirar uma casquinha da situação, também começaram a arrastar a asa pro lado aliado, outros que achavam que aquilo só podia dar merda, e que o melhor que a Grécia tinha a fazer era não se meter naquela zona, se opuseram. Então pra foder de vez a situação, um lado com a ajuda dos aliados, resolveu não reconhecer o rei que tava indeciso, colocando outro no lugar pra agilizar a parada. O outro lado, obviamente não gostou e recolocou o rei de volta no lugar. Nenhum lado reconhecia o outro, resolvendo acertar as coisas no tapa mesmo. Depois de um tempo acabaram por se cansar de brigar entre si, concordando em esbanjar toda essa energia contra os alemães mesmo. Depois da guerra, como a Grécia não conseguiu o que pensava que iria conseguir, o lado que inicialmente se opunha ao envolvimento virou pro outro berrando "Ah lá, tá vendo seus babacas?! A gente falou que ia dar merda, mas vocês disseram que nãããão. Que isso era um baita negócio... E agora, quem vai trazer nossos mortos de volta? Blá blá blá". Assim, gregos que adoram uma discussão tinham ganho com a guerra (sem querer, é verdade) mais um motivo pra ficarem se estranhando por todo o século XX e além...
Já Portugal, de olho nas colônias Alemãs no sul da África e em readquirir o prestígio dos tempos das Caravelas entrou na briga e... se fodeu de vermelho e verde - não conseguindo nem uma coisa (as colônias ficaram com os Britânicos) nem outra, e ainda levou um cacete federal dos Alemães na última ofensiva destes na França em abril de 1918 quando os mesmos varreram do mapa o corpo expedicionário Português (que estava lá largado as traças) sem deixar vestígio do cadáver.

Só na marra

Outros como a Índia, o Marrocos e o Senegal por exemplo, como não eram independentes, participaram ativamente da briga mas só porque foram levados pelos seus então senhores Coloniais, não tendo portanto nenhum direito a nada a não ser apanhar (tanto do inimigo quanto de seus senhores), bater (só no inimigo) e morrer. Apitar ou requerer alguma coisa neeeeeem pensar, muito menos participar da orgia em cima da Alemanha depois da guerra... Ok se quisessem só como Voyeurs e Punheteiros ...e olhe lá!!!

Armário

Alguns Países como a Polônia e a Finlândia aproveitaram a confusão pra tomar coragem e soltar a franga, saindo do armário; outros como a Sérvia que ajudou a começar a cagada foram trancados no armário por décadas como castigo; outros ainda como a Armênia só trocaram de armário tendo de esperar mais algumas décadas antes de poder sair dos mesmos e outros ainda tiveram nascimento conturbado como as irmãs siamesas Tcheca (não confundam com sua primas, a Xana, a Xoxota, a Chechênia ou a PreChéquia e muito menos com a Xuxa porra!) e Eslováquia que só beeem depois puderam ser separadas e viver cada uma a sua vida depois de uma operação de separação e mudança de sexo da segunda, tudo pago pela UE.

Só no Papel

A 1ª Guerra também inaugurou uma nova modalidade de se fazer guerra (e que também seria muito usada na guerra mundial seguinte); a guerra por procuração Ou usando apenas o poder da mente enviando vibrações (zeeente, nassssaaaaa) negativas para derrotar o inimigo(+), de qualquer modo se limitando a só dar (uiii) apoio moral aos aliados. Apenas 2 exemplos dos muitos Países que usaram dessa técnica 171 neste conflito foram a China e o Peru que ficaram de mal com os Poderes Centrais, fazendo biquinho e prometendo nunca mais blincar hummm... com aqueles feios... O Peru ainda chegou a tirar pra fora o próprio, mostrar pra Alemanha, balançando seu instrumento: "ó aqui ó, chupaaaaaa" e depois virando as costas (ui) e mostrando a bunda para os filhos desta, os Alemães que, por sua vez não sabiam se riam como a Mãe ou corriam pro banheiro pelo estômago embrulhado diante de tamanha bizarrice e, olha que Peru ainda arriscou um "Que foi, num gostaram? Então vem me pegar aqui nas selvas e montanhas do outro lado do mundo, vem kkkkkkk " mandando um "poderosíssimo" sinal de banana mas... ficou só nisso mesmo, terminando por cuspir de lado e sair ajeitando as calças resmungando um "bando de frouxo, humph".


(+) "Isto non eczisssteee" teria protestado um palpiteir... digo comentarista profissional da época, Padre Quevedo.

Gol de honra na África

A Alemanha que, como vimos chegou a obter vitória na frente Russa, também teve 1 vitória (outra que no final das contas não contou pro resultado desse campeonato de imbecilidade que foi a I Guerra) bem menos conhecida e comentada. Foi na África, aconteceu assim ó, 'pestenção' que só vou contar 1 vez só:

Quando estourou a merda principal nazOropa, a maioria dos líderes coloniais alemães achou melhor não sacrificar a população local envolvendo as mesmas num conflito fazendo-as pagar o pato de algo que afinal não era da conta delas. Alguns militares alemães subordinados à administração colonial chegaram a ameaçar o prosseguimento de 1 resistência frente às forças aliadas que eram em maior número mas de um modo geral acabaram na pior das hipóteses, após alguns dias de luta acordando em se render e encerrar aquela merda toda por ali mesmo.

No entanto, nas colônias alemãs onde fica hoje a Tanzânia, o comandante militar local, um alemão mucho loko, chamado Lettow-Vorbeck achou que seria muito entendiante esperar passar a guerra num campo de prisioneiros sem chope e salsicha (ui), e que seria mais interessante e divertido bater pé. Assim, juntou sua tropa bicolor e foi pro pau. Os britânicos de início acharam é graça naquele "monte de africanos com 1/2 dúzia de alemães 'sem noção' no meio" mas sorriram amarelo depois que as tropas de sua elite colonial - brancos, indianos e gurkhas foram massacrados igualmente e sem preconceito por aquele bando de "inferiores".

Depois dessa 1ª vitória, o alemão que era loko mas não era burro viu que não daria pra encarar os intermináveis reforços aliados que viriam na seqüência, assim juntou seus milhares de guerreiros Askaris e partiu pr'uma excursão na selva pra fazer 1 velho jogo de bate e esconde conhecido como guerrilha. Ao sentirem que muitos africanos das tropas aliadas simpatizavam c/o branco maluco que tratava à todos igual, nomeando oficiais e promovendo igualmente à negros e brancos; achando que os nativos estavam fazendo corpo mole contra este "mal exemplo", Britânicos (que naquela frente eram majoritariamente, Sul-Africanos), Belgas e Portugueses resolveram à partir de 1916 usar basicamente tropas brancas contra aquela "corja" pra lavar a honra da raça e dar exemplo definitivo botando ordem na senzala. Mas como sempre acontece, a teoria na prática (+ 1 vez...) se demonstrou outra e os bailes e surras impostos por Vorbeck e sua trupe aos aliados só aumentaram de tamanho. Assim, quando veio o fim da guerra na europa em novembro de 1918, os líderes coloniais aliados na África ficaram muuuuuuuito mas muito mas muito aliviados mesmo em ganhar de graça, no tapetão aceitando com muita alegria a vitória por tabela que os acontecimentos na europa lhe forneciam. Não sem algum constrangimento, como ter de aceitar certas condições impostas por Vorbeck, como tratamento digno para sua tropa que agora era obrigada a se render diante das circunstâncias. "Constrangimento" levado na sua volta à Alemanha, quando como militar e depois como político, lutou para garantir aos seus veteranos africanos os mesmos direitos e pensões que tinham os veteranos alemães, coisa que lhe traria problemas com o emo Adolf por exemplo...

Finalmente, o Fim

Ah Habib, cuidado com o Kibeeee

No Oriente MéRdio, Britânicos e Franceses assim como o resto do Mundo, numa tradição que iria se firmar, apesar da grita feita pelo Cônsul Americano na região, não estiveram nem aí Pro 2º, porém não o primeiro (que havia sido dos Belgas contra os Congoleses anos antes) nem o último grande Genocídio do sanguinolento século XX. Afinal como diria Woody Allen, em relação ao assunto, recordes existem para serem quebrados e qualquer político pragmático sabe de cor e salteado que além de perigoso é de uma deselegância sem par atrapalhar os outros quando os mesmos estão concentrados tentando bater um recorde mundial e histórico de idiotice. E reconheçamos, os Turcos Otomanos fizeram por merecer serem os novos macabros recordistas ao, em 1915, mandar para o Beleléu 1 milhão e meio de Armênios sob a acusação de que, parte deles talvez, todavia, no entanto, porém, um dia, quem sabe pudesse em alguma hipótese ajudar de alguma maneira sabe-se lá como os Russos que faziam fronteira com a Turquia mas que estavam pra lá de ocupados com os Alemães e Austro-Hungaros mas... sacuméukié... Segura morreu de véio né brimu?!

Em relação à guerra propriamente dita, Churchill numa noite após entornar a 20ª garrafa de uísque, teve a brilhaaaante ideia de invadir a Turquia, no que foi unanimamente seguido por todos os outros membros no Alto Almirantado Britânico que se encontravam também em avançado estado de decomposição etílica. Pra resumir, a ideia deu merda, conhecida como Batalha de Gallipoli, milhares de soldados aliados, principalmente Australianos morreram e o gordo em remorso passou o resto da guerra nas trincheiras como voluntário (óia o que a marvada pode fazer com um homem).

Os Russos entre 1914 e '16 deram uma bela sova nos Turcos mas apesar de na teoria, terem de devolver tudo que haviam tomado dos brimus, em razão do tratado assinado em '17 com os Alemães, na prática deixaram Armênios e Arzeibajanos tão armados até os dentes antes de saírem de volta pra casa que os brimus sem mais poder foder nem sair de cima resolveram abandonar aquela região do Caucaso em 1918.

Embora os Britânicos tivessem avançado um pouquinho na Babilônia (hoje Iraque), as coisas estavam meio paradas na região e, pra esquentar convocaram, eles e os Franceses, dois especialistas* (essa verdadeira praga de qualquer área) em história e assuntos de brimus, para que estes convencessem os inúmeros líderes tribais Árabes a unir força com os infiéis Ocidentais contra os Turcos malvados em troca de independência, promessa que, após a guerra desnecessário dizer; apesar dos Árabes terem cumprido seu papel na derrota Otomana, não foi cumprida e, criou a merda que hoje se vê naquele de mundo.

+ O nome pelo qual ficou conhecido o especialista Britânico, aliás um rapaz muito... dado era Lawrence da Árabia Ou Laurêncio dá (e muuuuito) nas Árabias

A Revolução Russa e a passada de bastão (uiiii) (1917-1918)

Em 1917, a fome e o pau que a Rússia estava levando da Alemanha na guerra eram de tal grandeza que levaram a uma revolução que depôs (de quatro) o Czar. A burguesia capitalista, como sempre, tomou o governo, mas não cumpriu com o que prometeu (lembra alguém?), que era comida e paz, o que fez os Alemães ficarem muito irritados, não pela comida, pois estavam pouco se fodendo pros Russos mas porque estavam com uma renca de tropas presa na frente Russa quando precisavam destas na França. Assim, mui generosamente patrocinaram a volta de Lenin pra Rússia, que a essa altura já 'tava cansado de comer chocolate, fondue, engordando como um porco e congelando a bunda e os dedos no exílio dos Alpes Suíços, já achando que iria terminar seus dias como comunista Brasileiro, fazendo revolução só de boca em boteco no fim das tardes pra depois apanhar da mulher em casa e dormir no sofá. Pra garantir que o careca não iria mudar de ideia no meio do caminho, descendo por exemplo na Alemanha, encher a cara de Choppe, esquecer que a revolução era na Rússia e aprontar confusão por lá mesmo, aonde aliás depois de 3 anos de guerra o povo também estava propenso a aceitar uma revoluçãozinha; os Alemães, além de garantir uma boa quantia, porque sem dimdim, grana, bufunfa, dinheiro não se faz nem guerra, muito menos revolução, blindaram a porra do trem pra ter certeza que o uomi e outros "companheiros revolucionários" só iriam descer na Finlândia, que na época fazia parte do Império Russo. Após tomar controle do governo, Lenin assinou com a Alemanha o armistício. Assim, a Rússia além de devolver oficialmente o que havia tomado dos Turcos, com muita dó tirou do fundo de seu rabo o bastão que a Alemanha havia lhe introduzido (uiiiiii), passando o mesmo para os EUA a fim de que estes o enfiassem bem fundo no dos Poderes Centrais, principalmente no maior deles, a Alemanha.

Os EUA, depois de tanta encheção de saco da parte da Inglaterra, decide declarar guerra à Alemanha. Lutando agora contra os exército Francês, Americano e Britânico, os Alemães não conseguiram suportar a pressão e acabaram arregando e abrindo as pernas. No final de 1918, a Áustria-Hungria foi pro saco se fazendo em mil pedaços que até hoje estão se separando principalmente nos Balcãs, idem pro Império Otomano em relação ao Oriente MéRdio. Em 11 de novembro daquele ano com a rendição da Alemanha, oficialmente os Poderes Centrais estavam reduzidos à , encerrando assim a Primeira Grande Merda Mundial.


CãoSequências & (D)Efeitos Colaterais: Fantasmas, Zumbis e outros Mortos-Vivos resultantes

A Primeira Guerra Mundial, fruto das desavenças entre os países da Europa, só piorou mais as coisas (que já não estavam lá grande coisa) na Europa.

A Itália que começou a guerra aliada aos Poderes Centrais saiu fora pra logo em seguida passar para a Tríplice Entente; porém levando um pau significativo dos Austro-Húngaros e após o conflito mesmo estando do lado vencedor, não tendo conseguido aquilo que queria, se vendo na rua da amargura se entregou de corpo e alma, mais corpo do que alma como se veria em 1943, aos embalos da banda de "Benito (que não era o amigo do Charlie Brown, di Paula) e seus Camisas Negras " numa longa noite que só iria terminar pra valer em 1945 mas que mortos-vivos como Berlusconi insistem em fazer um remix pop.

As imposições duríssimas (uiiii) à seco, sem vaselina (aiiiiiiiii doeu...) colocadas na Alemanha rabo adentro pelos Aliados como castigo após a guerra por ter sido ela a líder entre os Poderes Centrais; enquanto outros países saíram legalmente ilesos, fizeram os alemães embirrarem e querer a revanche, o que causou a uma gigantesca onda êmica na Alemanha após a crise de 1929, ocasionando a ascensão de Hitler que muito se inspirou em seu namorado Italiano Mussolini. O emo bigodudo querendo vingar toda a humilhação sofrida por seu povo, com o maiorrr apoio deste decide iniciar o segundo round (a Segunda Guerra Mundial), que acabou dando muito mais merda que a primeira.

Os EUA ficaram meio traumatizados pelo preço em sangue pago pelo "privilégio" de serem os principais a segurar o bastão da Vitória (aquele travesti ilusório que de tão formoso engana até o pacifista Heterossexual mais empedernido). Assim não quiseram dar uma força pra Cinta-Liga das senhoras Nações casadas, a mãe fracassada da ONU "me engana que eu gosto", o que, iria fazer a merda feder muuuito no mundo à partir das invasões Japonesa da Manchúria em 1931 e Italiana da Etiópia em 1935-36. De qualquer modo, segurar no bastão da Vitória (naaassa) tornando-os líderes do Mundo é algo tão viciante que, da próxima vez antes mesmo que o Segundo Round terminasse nos anos 1940, os Americanos não iriam querer mais largar do mesmo nem morrrrrtas, santa. Mas após a Primeira Merda Mundial na base do "Xô chuá, cada macaco no seu galho" os então ultrarracistas EUA pregavam que intervenção só no quintal, que no caso era a América Central, de resto só estavam querendo mesmo curtir a liderança econômica mundial que haviam obtido graças à guerra e eles que já eram viciados (Ô povo pra ficar viciado viu) em guerras aí é que viciaram mais ainda. Durante os anos 1920 essa orgia econômica iria dar na crise de 1929 que, por sua vez, entre outras coisas, daria um belo empurrãozinho na banda do emo Adolfo e seus nazistas.

Quanto aos outros (D)efeitos decorrentes da merda de 1914-18 nem é preciso gastar muita saliva; basta citá-los:

  • A Revolução Russa ocupou os pobres (e também os não tão pobres assim) seres humanos lutando de um lado ou de outro com ou contra a dupla capitalismo x socialismo ao longo de praticamente todo século XX;
  • A excursão "Negão bota pra 'fudê'" liderada pelo Mestre-Sala Lettow-Vorbeck além de derrubar de vez o mito racista da "superioridade branca" expôs no leste africano feridas (uiêê) que só seriam fechadas após o fim do regime do apartheid, 8 décadas depois e
  • A forma desastrada, afobada, míope, filha da puta mesmo como Franceses e principalmente Ingleses partilharam e (DES)organizaram os restos do Império Otomano no Oriente MéRdio são a causa da merda que vemos hoje naquele Ó do mundo.



Isto quer dizer GUERRA! ! !
Soldado mirim.
Batalha de Waterballoon | Grande Guerra Israel-Japão | Guerra Mundial , , , , , e | Guerras Black-Folk Metal | N-ésima Guerra Mundial | Guerra Civil | Guerra Fria | Guerra Quente | Guerra Platina | Guerra Bolivo-Brazuca | Guerra de Canudos | Guerra de Canutos | Guerra da Wikipédia | Guerra da Cereja | Guerra dos Cem Anos | Guerra Mineiro-Fluminense | Guerra do Norte Paranaense | Guerra do Pão-de-Queijo | Guerras Clônicas | Guerras Genpei | Guerra de Travesseiros | Guerra do matador | Guerra Japão - Irã | Guerra das Malvinas | Guerra dos Seis Dias | Guerra de Troia | Guerra Gamística e | Guerra do Pacífico | Guerra Tucano-Petista | Guerra dos Farrapos | Guerra do Paraguai | Guerra dos Imundos | Primeira Guerra Mesozóica | Guerra nas Estrelas | Guerra dos Emboabas | Guerra de Bolas de Neve | Guerra de Póing | Guerra do Golfo | Guerra do Ópio | Guerra Infinita | Guerra dos Trinta Anos | Guerra de Hogwarts | O Grande Crash dos Videogames | Segunda Guerra da Cereja | Guerra de Secessão | Guerra Civil Romana | Guerra do Vietnã | Guerra de comida | Quarta Grande Guerra Ninja (Naruto) | Guerra Oz-País das Maravilhas | Guerra do Iraque | Guerra Civil Inglesa | Guerra Civil Russa | Guerra Civil Espanhola | Guerra da Crimeia | Guerra Mundial Z
Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas