Princesa do Solimões Esporte Clube

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Princesa do Solimões Esporte Clube
Escudo do Princesa do Solimões.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Putinha do Solimões Esporte Clube
Origem link={{{3}}} Amazonas- Manacapuru
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote
Torcedor Ilustre
Estádio
Capacidade
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato amazonense
Divisão
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Princesa do Solimões Esporte Clube é o time de futebol com o nome mais gay do Brasil, e se acabou sendo mais ou menos conhecido é só por causa desse seu nome peculiar e porque no Amazonas não existe time bom, então é fácil se destacar só com meia-dúzia de índios chutando uma bola de um lado para outro.

Apesar de Manacapuru ser na prática só um bairro isolado de Manaus, o time do Princesa do Solimões possui um complexo de time do interior. Como este time jamais vai superar as estatísticas dos times rivais da capital, é muito comum ver o torcedor do Princesa do Solimões se gabando que seu time é o "primeiro time do interior" a fazer alguma coisa, ou o "primeiro time do interior" a participar de alguma outra coisa. Se eles puderem ser o primeiro time do interior a dar o cu em campo, eles brigaram por essa meta.

História[editar]

Fundação[editar]

Este time lamentável surgiu em 1971, ainda como mero clubinho amador da pequena e isolada cidade de Manicure deu o cu. Inicialmente era só uma equipe de pescadores de piranhas, mas que aos poucos foi perdendo sua pesca devido à migração das piriguetes para a cidade vizinha de Manaus, onde a modinha entre as meninas de se comportar feito prostitutas se firmou. O time então foi nomeado como Putinha dos Solimões assim que abriu um bordel e por várias décadas só serviu para ser fodido pelos times da capital.

Posteriormente o nome Princesa do Solimões se firmaria em homenagem a um travesti que ficava no meio da estrada e era o predileto de um caminhoneiro chamado Solimões, esse caminhoneiro era o responsável por levar o carregamento de pão com mortadela que era o salário dos primeiros jogadores do time de futebol de Manacapuru. Isso explica porque todo jornal e noticiário se refere ao time no masculino como "o Princesa do Solimões".

Estreia no estadual[editar]

A estreia do Princesa do Solimões no campeonato estadual amazonense se deu em 1987. Encerrou o campeonato na quarta posição, o que já considerou muito.

Série B de 1989[editar]

Em 1989 o Princesa do Solimões estreou na Série B do Campeonato Brasileiro. O motivo disso fica bem claro, quando analisamos que 192 times disputaram esse torneio. As primeiras fases preliminares envolvendo os times café-com-leite foram anotados à caneta em pedaços de guardanapo, registros que foram perdidos após o Grande Incêndio da Biblioteca do Acre de 1990, então ninguém sabe contra quem ou de quanto perdeu o Princesa do Solimões (ganhar ele não ganhou, não jogou a Série A em 1990).

Anos 2000[editar]

A partir de 2004, o Princesa do Solimões se estabeleceu como a quinta força do futebol amazonense, fazendo rodízios de perder para o Fast e Nacional. Quando ganha de um, se compromete a perder para outro.

Título amazonense de 2013[editar]

Em 2013 o Princesa do Solimões ganhou seu grande título estadual, essa merda que nem os próprios amazonenses se importam, muito menos o restante do país. Tal feito só foi possível porque dessa vez o Fast Clube e o Nacional foram derrotados. Para um time do nível do Princesa vencer esses dois lixos é fato marcante e histórico que jamais se repetirá.

Temporada de 2014[editar]

A temporada de 2014 foi a mais movimentadas da história do Princesa do Solimões, quando conseguiu ser eliminado em mais de 4 torneios distintos num mesmo ano pela primeira vez na história.

Não repetiu a façanha de 2013 no campeonato amazonense de 2014, quando na final apanhou que nem cachorro por 5x1 para o Nacional FC, de quem é freguês.

Na Copa Verde de 2014, mais um fiasco. Apesar da eliminação relâmpago com derrota por 8x2 sofrida perante o Paysandu, o Princesa do Solimões pelo menos pode registrar ser o primeiro time do interior amazonense a enfrentar uma equipe paraense e perder por apenas 6 gols de diferença.

Já na Copa do Brasil, outra marca histórica! Contra o Santos FC o Princesa de Solimões tornou-se o primeiro time do interior de Amazonas a conseguir forçar um segundo jogo fora de casa, mesmo que isso só tenha custado uma derrota por 4x2 em São Paulo.

Continuando sua saga de fiascos em 2014, o Princesa do Solimões encerrou seu ano Série D, não sendo capaz de superar dois times que sequer existem, o Santos do Amapá e o Rio Branco FC.

Temporada de 2015[editar]

Após o agitado ano de 2014, o Princesa do Solimões desistiu de jogar tantos campeonatos, pois sabe que será eliminados em todos, então durante o estadual amazonense de 2015 fez questão de não ganhar, e perdeu na final de propósito para o Nacional FC pela 100º vez em sua história.

E lembrando que por ter sido goleado pelo Paysandu em 2014, na Copa Verde de 2015 decidiu ser goleado pelo Remo.

Títulos[editar]

  • Primeiro time do interior amazonense a disputar um campeonato amazonense (1987)
  • Primeiro time do interior amazonense a disputar uma série B de Campeonato Brasileiro (1989)
  • Primeiro time do interior amazonense a disputar uma Copa Verde (2014)
  • Primeiro time do interior amazonense a disputar uma Série D de Campeonato Brasileiro (2014)
  • Primeiro time do interior amazonense a ser eliminado em 5 competições em menos de 1 ano (2014)
  • Primeiro time do interior amazonense a forçar um segundo jogo numa primeira fase de Copa do Brasil (2014)