Professor Dingledong

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira da Polonia.png Hail Polandball!!

Professor Dingledong joga The Crims e Tibia todo dia, não sabe pronunciar seu próprio nome de 250 consoantes, enche a cara no bar de leite, adora checar putas, não pode ir pro espaço e odeia comunistas.
Se você vandalizar, Copérnico vai lhe mandar pro Corredor Polonês!

Cquote1.png Esse é esperto como um azougue. Cquote2.png
Pica Pau sobre esperteza do Professor Dingledong

Cquote1.png Ahhh, professor Dingledong, do planeta Terra, olá!! Cquote2.png
Pica Pau Habitante de "Marte" sobre Professor Dingledong
Cquote1.png Na União Soviética, professor Dingledong é empalhado por VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Professor Dingledong
Cquote1.png O primeiro hippie lunar Cquote2.png
Guiness sobre Dingledong

Personagem[editar]

A escola em que Dingledong dá suas aulas
Dingledong prestes a empalhar Pica Pau sem dar lhe a última refeição. Reparem nas grades perfeitamente adequadas para o tamanho do Pica Pau

Professor Dingledong é o primeiro cientista que apareceu na série Pica Pau. Ao contrário do que muitos pensam, ele não é o Grossenfibber depois de tomar biotônico fontoura. Dingledong é bastante diferente de seu clone mal feito irmão Grossenfibber e suas diferenças são bem evidentes, tais como a altura e a voz, que é mais enjoada e meio fina. Seu temperamento é bastante diverso, variando de calmo como uma preguiça anestesiada a nervoso como alguém com hemorróidas, o que dá a entender que possua bipolaridade.

Ao contrário de Grossenfibber, Dingledong exerce a profissão de professor, dando aulas de exterminador de espécies taxidermia para estudantes sádicos. Seu aluno mais famoso foi o Taxidermista que tentou empalhar o Pica Pau e acabou sendo atingido por um elevador.
Tem em seu currículo a captura do Pica Pau, mas nunca se soube como. Alguns dizem que Dingledong o capturou com a ajuda de criaturas perigosas mas nada foi comprovado, mesmo porque nem elas dariam conta do Pica Pau.

Outro ponto que difere Dingledong de Grossenfibber é sua área de pesquisa. Em vez de inventar coisas, Dingledong prefere mais ter a cabeça no mundo da lua como explorador espacial e estudar novas formas de vida que ele acha que viu. Gosta de estudar principalmente o planeta Marte e a Lua (lugar em que seu foguete pifou e ficou anos a fio como um náufrago).


Viagens e explorações de Dingledong[editar]

Viagem a "Marte"[editar]

Foi dada a largada para a "Operação Pica Pau"
Cquote1.png Oh, que aterrissagem duuura, mas eu conseguiuu!! Cquote2.png
Primeiras palavras de Dingledong em "Marte"

Em um grande motel hotel no deserto, Pica Pau tirava aquelas férias merecidas que tanto sonhava, afinal incomodar, enganar, dinamitar e marretar seus "amigos" dá um colossal trabalho. Quando tudo parecia tranquilo, algum desavisado corta o sossego do Pica Pau com barulhos de parafusadeira. Esse desavisado não é ninguém mais que o lunático professor Dingledong, que terminava os últimos ajustes em seu possante foguete, se preparava para ser o primeiro homem a pisar em "Marte", e estava na iminência de saber o que acontece com quem tira o Pica Pau de seu sagrado descanso.

Incapaz de ficar sossegado por uns momentos e sofrendo de clara hiperatividade, Pica Pau bola um plano de tortura mental para se divertir com seu amigo professor, mas para executar o seu plano, Pica Pau precisava que a viagem de Dingledong fosse a mais breve possível. Então, faz algumas modificações no projeto original do foguete para a viagem ser mais turbinada.

Depois de uma viagem rápida e fazer um tremendo buraco no chão e quase se explodir pouso forçado, Dingledong finalmente chega em "Marte" e é recebido por um marciano estranhamente familiar. Após receber as boas vindas calorosas do Pica Pau marciano, o professor se anima e explica ao ET que quer levá-lo para a Terra para servir de modelo. Pica pau, que não quer virar modelo, resolve por em ação o que ele mesmo batizou de "operação Pica Pau".


Operação Pica Pau[editar]

Professor Dingledong mostrando ser iniciante em bebidas de outro planeta.
Dingledong usando os mais avançados métodos de rastreamento de Pica-Paus.
Tática marciana de salvamento.
Sol de "Marte" desaparecendo rapidamente apenas para o professor.
Cquote1.png Ooh... Marcianos ser gente maluca... Cquote2.png
Professor Dingledong sobre um exemplo dos jogos inofensivos propostos pelo Pica-Pau.
Prof. Dingledong "embarcando" de volta para a Terra com a "frota estelar" do Pica Pau.

Para evitar a fuga de seu modelo, Dingledong corre atrás do Pica Pau, mas não aguenta muito, quase infartando depois de tanto correr. Condoído pelo pobre professor terráquio, Pica Pau lhe oferece um drinque para recuperar suas forças. O professor não só se recupera como quase entra em órbita volta com energia total.

Em seguida, após alguns momentos de cálculos complicadíssimos, o professor constrói uma armadilha engenhosa inspirada no velho truque índio. Para quê exatamente ele precisava de cálculos na construção de uma armadilha indígena é algo misterioso, já que os índios a armavam em segundos (Talvez seja apenas porque Dingledong tem tendências entusiásticas por matemática). Mesmo depois de tanto trabalho inútil do professor, o Pica Pau expressa suas dúvidas quanto ao funcionamento da armadilha. Visivelmente afrontado por ter suas habilidades postas em dúvida, Dingledong se dispõe a servir de cobaia para sua própria armadilha, mostrando ao teimoso Pica Pau que ela funcionava corretamente.

Uma vez solto da própria armadilha, Dingledong retorna à caçada, desta vez, com uma eficiente rede de capturar borboletas pica paus. Valendo-se de seus métodos modernos de rastreamento, Dingledong mete a cabeça no buraco da árvore, convencido de que tinha encurralado o Pica Pau ali. Desfamiliarizado com os horários marcianos, professor Dingledong percebe que puseram um saco na sua cabeça chegou a noite muito rapidamente e Pica Pau lhe explica que isso ocorre porque o sol de "Marte" some muito depressa. Num ato de boa vontade picapalesca humana, Pica Pau conduz o professor para um lugar seguro, mas, por descuido, Dingledong despenca de um grande penhasco marciano. Pica Pau prontamente corre para salvá-lo, mas o salvamento foi um intencional terrível fracasso.

Dingledong passou por maus bocados ao tentar capturar o marciano. Tentou correr atrás dele, mas os objetos inanimados como troncos de árvore marcianos simplesmente entravam em seu caminho para matá-lo derrubá-lo, tentou usar táticas de tocaia, vistas em algum desenho lugar apropriado, para vigiar de perto sua presa, mas em vez de pegar o Pica Pau, acabou sendo eletrocutado pelo gêmeo malvado dele que andava de um jeito peculiar, entre outras idéias idiotas, todas resultando em hilários fracassos.

Ao reconhecer os esforços inúteis de Dingledong, Pica Pau propôe alguns joguinhos de confraternização para mostrar que os marcianos são gente boa. O primeiro (e único) é o seguinte: Com um arco e flecha, o professor devia atirar no alvo marcado e, caso acertasse, receber como prêmio um singelo charuto. O professor demonstra uma certa imperícia ao manejar arco e flecha e acaba por arremessar a si próprio em direção ao alvo, mas ao menos a pontaria dele é boa, o que lhe valeu o prêmio explosivo. Parece que Dingledong tomou o gosto de servir como torpedo humano, pois, logo em seguida, ainda serviu de munição para um estilingue gigante confeccionado em segundos pelo Pica Pau.

Alguns instantes depois de satisfazer seus desejos mazoquistas de voar pelos ares, Dingledong, com um rifle, bola rapidamente mais uma de suas armadilhas recheadas de perícia. Pica Pau, no entanto, ainda mais rapidamente descobre o truque e passa por cima tanto da armadilha como da "inteligência" de Dingledong, deixando o professor ainda mais maluco.

Talvez sob os efeitos da atmosfera de "Marte" ou de outra coisa qualquer, Dingledong começa a explicar efusivamente para o Pica Pau como se deve cair numa armadilha. Pica Pau, para efeitos de demonstração, acionou a armadilha, fazendo Dingledong engolir uns 10 kg de chumbo. Vendo que seria humilhado pela milionésima vez, o professor não tem outra escolha se nao se entregar à milenar tática êmica de tentar conseguir as coisas de modos não convencionais.

Com muita pena (ou não) de Dingledong, Pica Pau resolve atender o pedido dele de embarcar para a Terra. Mais feliz que criança problemática que ganhou presente de natal, Dingledong aceita imediatamente a oferta e se prepara para voltar a Terra na nave do marciano. E assim, Professor chacota Dingledong consegue seu tão desejado sonho de levar um marciano a Terra. Quanto tempo ele levou para descobrir que foi feito de otário durante todo esse dia ainda é um mistério.


Naufrágio na Lua[editar]

Tentativa mal sucedida de se lançar um foguete não tripulado. (Uma prova de que alguns homens ainda não deixaram de ser babuínos)
Monumento erguido em homenagem ao Professor Dingledong depois de seu desaparecimento na lua

Desde que deixou de ser apenas um babuíno sem pêlos, o homem começou a demonstrar interesse em cruzar as fronteiras da imensidão espacial. Muitos tentaram, é verdade (como o inteligente ao lado) mas apenas 1 conseguiu realizar essa façanha até então: O Professor Dingledong.
Havia, no entanto, um pequeno problema. Dingledong inventou um meio de chegar à lua sem ter inventado um meio de retornar de lá, um descuido normal que lhe premiou com o título no livro dos recordes como primeiro luálfrago náufrago na lua.

Professor P. Cosmo Klunk, o presidente da sociedade de foguetes, está prestes a mandar mais um voluntário em viagem a Lua. Em um sorteio honesto e imparcial, o cão Fido foi o escolhido para esta missão suicida honrosa. Fido entra em desespero e suplica de joelhos por sua vida fica muito honrado com o "convite" mas diz que não pode viajar por estar muito doente (Doença esta que o faz esquecer a sua própria identidade e ser alérgico a "altitudes altas"). Enquanto resolvia este pequeno contratempo que impedia o progresso da ciência, Professor Klunk recebe um inesperado telegrama em forma de poema da companhia de telefone.

Sr Klunk fica irritadíssimo com o mensageiro (o simpático Pica Pau) porque este lê a correspondência em voz alta revelando a todos que Klunk é um caloteiro safado. Ao tentar apaziguar os ânimos mostrando ser apenas um voluntário, Pica Pau acaba dando uma grande ideia ao professor de onde achar um candidato para pilotar seu foguete.

Não se sabe ao certo porque Pica Pau aparece, em seguida, dentro do foguete já que nenhum dos membros da sociedade de foguetes forçou Pica Pau a ser piloto (sorte deles). Talvez tenha ido por vontade própria, ou tenha sido hipnotizado ou então subornado com suprimentos de dinamites para os 5 próximos anos.

Seja como for, depois de uma rápida viagem pelo espaço (dando de cara com Sputnik e um punhado de fraldas no varal do satélite), Pica Pau passa de simples mensageiro ao segundo astronauta a pisar na lua e se depara com o Professor Dingledong, que conseguira sobreviver ao naufrágio acidente por 2 anos inteiros.

A briga pelo foguete[editar]

Dingledong, o primeiro hippie lunar
Dingledong controlando sua bunda metade de baixo por meio de ordens verbais. Uma rápida análise torna claro o lugar por onde ela escuta

Professor Dingledong avistou o foguete e quase teve um êxtase ao vê-lo, mas se decepciona ao saber que era tripulado por um reles pica pau. Então trama um plano maligno para roubar o foguete e voltar para a terra. Até um ser com um cérebro composto por apenas 1 neurônio poderia perceber que o foguete é grande o suficiente para levar o Pica Pau, o professor e quiçá a Lua inteira, mas Dingledong não era capaz de ver isso, talvez por causa da dieta alimentar que se submeteu durante esses 2 longos anos de estadia lunar que incluia pastel de poeira cósmica, pão com epa ("Epa, cadê a manteiga?"), bolinhos de aerolitos pedras lunares e suco de pozinho mágico de pirilimpimpin colhido diretamente das estrelas, o que afetou grave e permanentemente seu cérebro.

Para dar sumiço no Pica Pau, Dingledong o convida para examinar umas entediantes fascinantes crateras lunares que usava como vaso sanitário, tendo este o grave problema de regurgujitamento das fezes, devido a ausência de gravidade. Ao ser interrogado sobre a profundidade da cratera, Dingledong acha mais prático o Pica Pau ir verificar por si mesmo, e acaba por jogá-lo cratera adentro. Feliz da vida por conseguir o foguete para si, Dingledong se preparava para zarpar, quando recebe um gancho de direita, o que sinaliza o regresso (via teleporte) do Pica Pau ao foguete.

Não deixando barato, Dingledong parte para cima do Pica Pau. Aquela velha perseguição monótona acontece até o Pica Pau resolver a questão como fazem alguns povos do faroeste moderno: Saca o 3oitão do futuro (mais conhecido como dinamitador atômico) e dispara contra Dingledong. Aparentemente o raio dinamitador não havia surtido efeito, mas ao voltar a correr atrás de Pica Pau, somente sua bunda metade de baixo continua a perseguição, deixando o restante menos importante de seu corpo para trás.

Ao recuperar sua integridade física, Dingledong, com a velocidade de um faminto atrás de comida, consegue tomar a arma do Pica Pau e rendê-lo em menos de 1 segundo. Pica Pau não tem outra escolha se não zoar obedecer o Dingledong, entregando lhe uma chave. Crente que a chave ligaria o foguete, Dingledong a posiciona no painel de controle e, em vez de tão sonhada viagem de regresso, é arremessado para fora do foguete numa cadeira ejetável (Onde o piloto cria uma saída de emergência na hora com a própria cabeça)
Cquote1.png OOoouuu, mas que zururu!!! Cquote2.png
Dingledong sobre ser feito de otário outra vez


O regresso à Terra[editar]

Dingledong retornando à Terra com vista privilegiada do trajeto

Ao se recuperar da empolgante viagem com um assento ejetável pelo espaço, Dingledong rende (pela milionésima vez) o Pica Pau e o obriga a ser seu motorista particular, já que não havia descoberto como dirigir o foguete. A nave decola tão rápido que Dingledong se sente parado no mesmo lugar. Mas de fato ele estava no mesmo lugar e acaba por ser atropelado pelo foguete, tendo sua bunda transformada em escudo anti atrito atmosférico.

Depois de chegar à terra e destruir todo o quartel general da sociedade interplanetária de foguetes, Professor Dingledong reconhece o homem que o havia mandado a Marte há dois anos: O prof P. Cosmo Klunk, que está muito espantado em ver Dingledong e em saber que seu atentado não deu certo.

Demostrando toda sua felicidade em ver Professor Klunk, Dingledong lhe dá como prêmio uma viagem grátis à Lua como forma de agradecimento por todos os momentos agradáveis que passou lá. Pica Pau por sua vez, também entregou um presentinho a Dingledong por tê-lo tratado tão bem na Lua: uma viagem de regresso (só de ida) à Lua para fazer companhia ao seu amigo Klunk e ensinar lhe todas as táticas de sobrevivência lunar que conseguiu desenvolver.

Galeria lunática[editar]

De volta à Taxidermia[editar]

Às vezes, o depósito de criaturas empalhadas é tão sinistro que o próprio Dingledong se assusta.
Não sabe o que fazer com sua mãe seu bichinho de estimação? Passe na loja de Dingledong e marque uma consulta.
Pica Pau fazendo um aparente favor até que...
Pimba!!! Essa doeu! (Reparem na felicidade do Pica Pau ao aplicar o golpe mortal)

Não sendo bem sucedido em aventuras espaciais, Dingledong resolve voltar para a sua paixão mais antiga: O assassinato de bichos inocentes para divertimento próprio A taxidermia. Dingledong demonstrou ser habilidoso nessa atividade homicida, pois possui uma galeria tão grande de bichos empalhados que até abriu uma loja para vender esses cadáveres essas obras de arte.(ver ao lado)

Dentre todos os bichos empalhados de Dingledong, um deles se destaca da galeria: o Pica Pau.... O PICA PAU???. Isso mesmo que eu disse, caro fã incondicional do Pica Pau. Pelo que tudo indica, Dingledong finalmente conseguiu eliminar essa ameaça incômoda a simpática ave da face da Terra.

Antes que você pretenda soltar a franga revelar seus segredos mais íntimos antes de se matar, veja o que Dingledong tem a dizer. Obviamente ele não perderia a oportunidade de contar passo a passo como conseguiu realizar essa façanha que até então se julgava impossível.

Dingledong conta que um certo dia, estava passeando pelo bosque enquanto seu lobo não vem, quando ouviu as famosas bicadas destrutivas do Pica Pau, que arrebentava uma pobre árvore.
Cquote1.png Huumm, HAHA, isto parece barulho de Pica Pau Cquote2.png
Professor Dingledong (claro, apenas parece, pois podia ser um elefante)
A princípio, Dingledong contata o Pica Pau amistosamente e lhe pergunta cordialmente se ele vende semente ele gostaria de ser morto e virar um troféu empalhado. Pica Pau faz aquele trocadilho que só comedores de hambúrgueres e o próprio Dingledong entendem e este o acha com um ótimo senso de humor, o que é bizarro, pois se Pica Pau é tão engraçado e um "belo espécime" porque há a necessidade de matá-lo?

Não se passou nem 2 segundos de contato e Pica Pau, numa combinação perigosa entre suas mãos incontroláveis e armas tiradas de lugares inimagináveis, marreta a cabeça de Dingledong forçando-o a um tempo de descanso, deitado na grama.
Mais tarde, Dingledong faz diversas tentativas de pegar o Pica Pau, entre elas, o uso de um aspirador pra sugá-lo (o próprio Dingle acabou sendo sugado) e o disfarce de pai Pica Pau (Dingle acabou sendo atropelado por um trem que surgiu do nada magicamente com trilhos e tudo).

Antes que seu fracasso comece a crescer e crescer como bolo com fermento, Dingledong decide um confronto indireto e captura Pica Pau dentro de uma caixa.
Cquote1.png Non tente tapear o professor, sim? Cquote2.png
Dingledong antes de ser tapeado
Foi só Dingledong se achar mais esperto e Pica Pau faz uma pequena mágica que aprendeu com o Mestre dos mistérios. Não só consegue sair da caixa como também coloca uma avestruz contorcionista dentro dela.

Neste momento, Dingledong prova não ser só mais um ser inteligente que apanha dos outros e demonstra suas habilidades adquiridas com seu mestre baixando a porrada no avestruz. O coitado do avestruz então entrou para a galeria dos empalhados, até com os ferimentos e curativos originais.

O trem maluco[editar]

Cuidado, pois quanto menos você espera...
... ele aparece para te visitar!

Estava Dingledong perseguindo o Pica Pau, quando ele é surpreendido por uma entidade misteriosa: O trem fantasma, que aparece de repente e que persegue o professor sem razão aparente. Por causa de suas aparições mágicas, expecula-se que esse trem seja a locomotiva de Hogwarts cujo motorista estaria em treinamento e por vezes fugia dos trilhos atropelando indivíduos acidentalmente (ou não).

Dingledong então usa um portal disfarçado de banheiro de interior para dar fim no trem e na imperícia do motorista maluco. Ao ir verificar se o trem já tinha sumido, Dingledong quase tem um ataque cardiaco com o barulho que ouve e liga o foguetinho da bunda. Já a quilômetros de distância, o professor ve que era apenas uma imitação barata de trem feita pelo Pica Pau. Então, Dingledong resolve entrar no jogo e "muda os trilhos" fazendo Pica Pau ir direto para sua motoca motorizada.

Cquote1.png A mais esperta acaba sempre ganhando Cquote2.png
Dingledong sobre seu feito
Cquote1.png Certo! Cquote2.png
Pica Pau "empalhado" sobre citação acima
Para espanto geral, depois de Dingledong contar sua história e se achar "o cara", Pica Pau acaba falando com ele e detonando a cabeça já detonada de Dingledong com várias bicadas. Agora fica a questão: COMO Dingledong não percebeu que Pica Pau estava vivo e como conseguiu se convencer que havia empalhado o Pica Pau??? Eis algumas sugestões para esta questão bizarra:

  1. Pica Pau usou um boneco de Voo Doo para substituí-lo, mostrando que Dingledong é péssimo em biologia.
  2. Pica Pau é ilusionista
  3. Pica Pau usa uma boneca inflável e a disfarça de si mesmo.
  4. Pica Pau faz uma estátua de cera de si. (Dingledong é realmente péssimo em biologia)
  5. Pica Pau ressuscitou (improvável ou não)
  6. Dingledong estava bêbado

Galeria empalhada[editar]