Programa Saúde da Família

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

O Saúde da Família foi mais um programa da série de criados durante a década década de 90 e desviados depois dos anos 2000. É um programa do Ministério sem-saúde afim de desafogar o combalido e falido Sistema Utópico de Saúde. Foi criado em 1994 durante o que sobrou do desgoverno Collor, por Topetamar Fraco, recauchutado durante o desgoverno Lula e finalizado de vez no desgoverno Dilma e é um dos pouquíssimos programas de governo brasileiro que não consistem em somente dar dinheiro pra bancar o ócio improdutivo de pobre burro e cheio de filhos.

Origem[editar]

Logo do programa que é a porta de entrada para o Seu Último Suspiro (SUS)

Em seus primórdios o sistema era destinado a qualquer um que quisesse passar a mesma raiva que passa quando vai a um hospital público, só que mais perto de casa, sem precisar ir até um.

O programa consistiu em uma equipe médica ridícula que eram alocados em algum bairro residencial de pequenos vilarejos e fazendas invadidas Brasil afora. Para a realização dos atendimentos, os médicos usavam apenas um copo de água para esterilização dos dedos e muita força de vontade para enfiarem seus artefatos manuais nas entranhas de seus pacientes.

Como Estratégia de Saúde da Família no Governo Lula[editar]

Com a mudança de Luiz Inácio pro Palácio do Planalto, o programa também teve que mudar, afinal, qual antecessor que continuou um programa de governo do seu antecessor sem fazer qualquer mudança nele?

Como o governo que assumiu não queria continuar sendo chacota por causa de nome de programa (como Fome-Zero, Bolsa Família entre outros nomes ridiculamente engraçados) o governo petista mandou dar um basta no uso do nome programa e mandou chamá-lo de "Estratégia de Saúde da Família", nome que assim como as coisas que a antiga ministra da Casa Civil bostejava, dizia nada com coisa alguma, já que "estratégia" de verdade não existia.

O programa também passou a deixar alguns bairros de grandes cidades e passaram a funcionar apenas em periferias e favelas nas grandes cidades ou longínquos currais Brasil adentro.

Ver também[editar]