Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

O Programa de enFraquecimento da Agricultura Familiar ou Pronaf, sigla que confere ao programa como sendo mais um daqueles programas assistencialistas criados pelo Governo Federal brasileiro. Este foi criado em 1996, durante o desgoverno FHC e não passa de um financiamento bancário, só que ao invés de ser concedido por um banco de privada brasileiro é concedido pelo ladrão do governo brasileiro.

Agricultor colhendo os frutos adquiridos através do Pronaf.

Por movimentar grandes fortunas, o programa é usado para tudo quanto é trambicagem no executivo brasileiro e integra o famigerado Plano Safra que o governo anuncia como um plano, mas não passa de uma simples disponibilização de fundos para agricultores que plantam pés de seca no nordeste (só isso que aquela região produz mesmo).

Origem[editar]

Logo Gov Brazil 2015.jpg
O Pronaf surgiu em mais um dos equívocos do então presidente de república bananeira, sr. Fernando Inácio Henrique Cardoso da Silva que estava em seu escritório quando por um mero descuido acabou assinando a criação de mais um programa assistencialista brasileiro, o 4124° de seu governo.

O programa visa repassar um crédito aos da roça semelhante ao que ocorre no Fies. O governo repassa a grana e o "pobre" do agricultor usa o dinheiro pra comprar uma Amarok, Mitsubishi Outlander, L200 ou simplesmente uma BMW Z4 pra quando for passear pela cidade.

Apesar de ser um financiamento igual ao Fies, o Pronaf não se chama Fnaf porque na época que ele foi criado, FHC estava em concorrendo a reeleição com ninguém menos que o Lula e se o programa tivesse esse nome estranho daria a impressão que o molusco teve algum tipo de participação já que ƒnaƒ é na em lulanês. De qualquer forma, isso poderia influenciar nas eleições de 1998.

Conseguindo uma esmolinha do governo[editar]

Para um agricultor conseguir mamar um pouco dessa apetitosa teta, é necessário que ele tenha alguns conhecidos dentro da Emater que possam lhe fornecer uma Declaração de Aptidão ao Pronaf ou DAP, ou caso não tenha ninguém lá dentro que possa dar uma forcinha, o roceiro pode procurar os sanguessugas sindicais de sua região, estes normalmente dão sem maiores burocracias, bastando ao roceiro apenas pagar uma pequena contribuição pro cafézinho, nada muito caro, sabe?

Depois de pegar seu DAP, o agricultor deve se filiar ao MST e aproveitar uma dessas caravanas rumo à Brasília e que rolam a cada votação no Congresso Nacional, e quando chegar lá, se dirigir até a sede do Incra e acampar na portaria. Se não for atendido, o roceiro pode ainda invadir o prédio e exigir falar com um cara que todos por lá chamam de otoridadi.

Pronaf® Jovem®[editar]

Visando aqueles agricultores em fase de procriação (normalmente gente do campo chega a maioridade aos 14) foi criado pelo governo federal o Pronaf® Jovem®, a mesma merda do Pronaf Home Basic só que destinado aqueles que ainda possuem sensibilidade nos dedos das mãos.