Psicologia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
60px-Bouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Psicologia.

Clippy.gif

Estamos te analisando no momento. Aperte Alt+F4 para encerrar a sessão.

Cquote1.png Você quis dizer: PornTube? Cquote2.png
Google sobre sua busca
Cquote1.png Você quis dizer: Narcóticos Anônimos? Cquote2.png
Google sobre Psicologia
Cquote1.png Quer ter uma profissão? Não faça essa merda de curso! Cquote2.png
Analista sobre Psicologia
Cquote1.png Preciso de terapia, logo presto Psicologia! Cquote2.png
Desabafo de um estudante que prefere pagar uma mensalidade ao invés de um tratamento, sobre Psicologia
Cquote1.png É o estudo dos peixes. Cquote2.png
Carla Perez sobre Psicologia
Cquote1.png As pessoas não gostam de pessoas que elaboram teorias sobre o comportamento das outras pessoas. Cquote2.png
Dr. House sobre psicólogos(e ele mesmo)
Cquote1.png Você tem um equipamento incomum para o sucesso, use-o corretamente. Cquote2.png
Sorte do Dia do Orkut sobre psicólogos
Cquote1.png Psicóloga é uma cartomante de nível superior. Cquote2.png
Explicação de minha mãe ao sair para a análise
Cquote1.png É a profissão na qual as pessoas pagam pra ouvir: "Faça o que te faz feliz!" Cquote2.png
Psicólogo bem sucedido sobre Psicologia
Cquote1.png Disse a um paciente que ele poderia estar errado, ele nunca mais apareceu. Procurou o sujeito ai de cima e ficou satisfeito! Cquote2.png
Psicólogo frustrado sobre Psicologia
Cquote1.png Psicolorgia? Cquote2.png
Aluno pegador de Medicina sobre Psicologia...
Cquote1.png Mania, cada um tem a sua. Cquote2.png
Roberto Carlos, cantor com diversas manias bizarras
Cquote1.png Nem Freud explica. Cquote2.png
Relator da CPI do Mensalão
Cquote1.png Psicologia é a ciência da fofoca. Cquote2.png
Hebe Camargo
Cquote1.png Psicologia de cu é rola! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Psicologia
Cquote1.png A vontade das pessoas é a melhor das leis. Cquote2.png
Sorte do Dia do Orkut sobre Psicologia
Cquote1.png A minha terapia comportamental é a mais eficiente no tratamento de TOC. Cquote2.png
Chuck Norris sobre Psicologia
Cquote1.png Abugabugabú Cquote2.png
Presidente de um hospital psiquiátrico sobre Psicologia
Cquote1.png Só tem mulher na sala!!! Cquote2.png
Aluno de Psicologia sobre Psicologia
Cquote1.png Só tem viado na sala!!! Cquote2.png
Aluna de Psicologia sobre Psicologia
Cquote1.png Só tem retardado na sala!!! Cquote2.png
Alunos de Psicologia sobre Psicologia
Cquote1.png No dia que me perguntarem se eu já fui numa festa gay, posso citar essa? Cquote2.png
Qualquer um numa festa de formatura em Psicologia
Cquote1.png É foda!!! Cquote2.png
Freud sobre a vida

Psicologia do grego Ψυχολογία; ψυχή (não, não xinguei tua mãe) é uma ciência que estuda as cabeças lesadas, sentimentos (caso você seja emo), coisas bizarras do animal humano, o inconsciente e outras loucuras. Seu símbolo universal é a letra grega psi (Ψ), mais conhecida como garfo do diabo. Por meio de diferentes linhas, a Psicologia tenta provar a insanidade mental do mundo inteiro. Porém, só os neuróticos maníaco-depressivos-paranóicos acreditam nisso. Fato.

Letra grega, Psi. Símbolo da Psicologia e usada para espetar salsichas

Cquote1.png Na Rússia, quem domina o mundo é você!!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Psicologia

História[editar]

"Estou pensando, não perturbe!!"

A Psicologia, em todas as suas vertentes, parte do seguinte pressuposto: você é um oligofrênico neurótico que não sabe nada sobre si mesmo e precisa de alguém para dizer o que você deve fazer - vide Medicina. Logo, por causa da sua veracidade, a Psicologia entrou na moda. Até hoje essa disciplina é muito frequentada por seus grupos fundadores.

Se iniciou com Wilhelm Wundt, em 1879, o qual criou um laboratório experimenal muito bizarro na Alemanha, no qual eram utilizadas técnicas primitivas, como a xuca instrospecção. Entretanto, por todos no país se acharem superiores, não davam a mínima para o coitado e procuravam resolver seus problemas sozinhos. Até hoje é assim, mas em qualquer lugar no mundo - vide "suicídio".

Religião?[editar]

Para alguns, a Psicologia não passa de mais uma religião que se passa por ciência. Para outros, o que ocorre é o inverso. Segundo os críticos, é uma verdadeira religião. Segundo os sádicos (Freud não se encaixa), é uma ciência.

Para que serve a Psicologia?[editar]

Na verdade, nem mesmo os psicólogos sabem para que serve a Psicologia e, então, ficam dando palpites na vida dos outros e tentando descobrir se possuem algum desvio de personalidade. Como a maioria é facilmente influenciada, se garante assim uns trinta anos de terapia para estes indivíduos. Segundo os psicólogos, a terapia geralmente se baseia numa relação de amor platônico entre o paciente e psicólogo, onde este último tem o papel de ouvir as ladainhas dos pacientes cujos familiares não aguentam mais seus nhém-nhém-nhéms. Os próprios psicólogos vetam qualquer psicólogo a tecer qualquer tipo de acusação, julgamento, aconselhamento ou discriminação sobre seus pacientes, salvo no caso da pessoa não querer transar com todo mundo que vê pela frente (a pior das neuroses), sendo que, durante a terapia, o paciente fala um monte de merda e o psicólogo tem que aguentar, pois ganha bem pra isso.

Como nascem os psicólogos?[editar]

Todo estudante de Psicolorgia (v. aluno de Psicologia) entra na universidade pra tentar arrumar a cabeça daqueles que consideram "pagodão" uma arte. Geralmente os estudantes de Psicolorgia se sentem a ovelha negra da família, se acham injustiçados, não aceitam críticas e não permitem ser contrariados. Procuram qualquer fato da infância para explicar suas sem-vergonhices do presente e choram descontroladamente caso alguém os acuse disso.

Cerca de 95% dos estudantes de Psicologia são do sexo feminimo e não são gostosas, são muito reprimidas quando entram no primeiro período do curso, sendo que, logo após o terceiro período, ficam assanhadinhas. Segundo o IBGE, 250% delas engravidam durante essa época e dão mais que chuchu na serra. Já os estudantes do sexo masculino, acabam por engravidar as mesmas são.

A religião oficial dos psicólogos é o Santo Dai-me. É comum a estes estudantes organizar saraus em conjunto com estudantes de Filosofia, Letras, Música e Artes Cênicas para a troca de experiências e qualquer coisa que seja alucinogênica.

Os estudantes de Psicologia são os conhecedores de toda a verdade e podem explicar o comportamento de todo mundo. Adoram dar pitacos na vida de todos e de identificar traumas e complexos nos membros de suas famílias, motivo pelo o qual passam a ser incovenientes em qualquer reunião familiar. Fazem uso de mutcha! maconha, ou qualquer outra droga (lícita ou não), de preferência alucinógenas, para assim, em seu futuro não muito próximo, poder ajudar pacientes que tiveram a mesma inEXPERIÊNCIA!

Isso ocorre porque, segundo a Psicologia (ou psicolORGIA - fato), a mente humana atinge o seu ápice de inteligência quando está sob o efeito de alguma droga alucinógena legal ou ilegal. Por isso, os psicólogos vivem fumando maconha, fazem uso frequente de LSD e psicotrópicos, além de serem adeptos do cheiramento de gatinhos. Os psicólogos entendem os males humanos através da experimentação, por isso eles experimentam qualquer tipo de droga alucinógena (sendo viciados na maioria delas, mas nunca admitem) e fazem sexo (passivo, ativo, neutro, multifase, etc.) com tudo que veem pela reta. Em outras palavras, Psicologia é um modo de vida.

Psicologia começa a crescer

O fundador da Psicanálise, Sigmund Freud, é o ídolo da grande maioria dos psicólogos. Freud era um intelectual pedófilo, tarado e pervertido que adorava maconha e cocaina. Esta última, ele percebeu que servia como anestésico (não se sabe até hoje o local que ele perecebeu este efeito) e possuía uma verdadeira obsessão por pênis (o seu próprio ou de outrem). Achava que tudo poderia ser explicado pela liberação de uma energia sexual chamada libido, liberada em diferentes fases do desenvolvimento sexual. Se você quiser ser inimigo mortal da maioria dos psicólogos, dirija insultos a Freud. Isso não funciona com todos, pois existem discidentes mais inteligentes que gostam de outra coisa alem de pênis. Ou não.

Os psicólogos são completamente inseguros, por isso recorrem a outros psicólogos "mais experientes" que também não sabem lidar com essas inseguranças e, então, esse encontro, chamado de orientação ou supervisão, se transforma numa orgia com muito sexo e drogas. A partir daí, tudo se resolve. E que melhor remédio para insegurança e os problemas do mundo, não é mesmo?

Geralmente, psicólogos costumam dar dicas sobre casamento, mas são divorciados. Dão dicas de como educar seus filhos, mas suas filhas viraram putas. Dão dicas sobre estudos, mas não foram capazes de passar em Medicina. Dão dicas sobre família, mas foram deserdados pelo pai depois de serem pegos fazendo suruba em casa (claro que a culpa disso é do machismo e da repressão ao sexo). Em outras palavras, as experiências vividas pelos psicólogos são melhores do que as dicas que eles dão.

Reza a lenda que muitos queriam ser psiquiatras, porém a baixa atividade cerebral não os permitiu entrar em medicina, então optaram por essa naba de curso. Mesmo assim, eles estudam a vida toda e, a cada regra de gramática que aprendem se sentem cada vez mais psicólogos e ver mais importância ainda na psicologia apesar de não compreender o porque dos salários tão mal-pagos..

Perspectivas[editar]

A psicologia é uma ciência tão séria e eficiente que há diversas correntes distintas que acreditam cada uma em algo diferente e ninguém chega a um consenso. Ou seja, não passam de teorias idiotas criadas por "acadêmicos" retardados e pessoas que querem papar o seu dinheiro. E acredite, ainda tem idiotas que acreditam nisso só porque os chamados "acadêmicos" (amebas com um pedaço de papel que eles chamam de "diploma") dizem que aquilo é verdade. Como se não bastasse, ainda há imbecis que chegam a pagar dinheiro para "psicólogos" (pessoas que passam 5 anos fumando maconha e comendo as professoras atrás da escola) para ouvirem o que o coitadinho tem a dizer e aconselhá-lo "corretamente" de forma "profissional". Na verdade, até sua avó poderia lhe ouvir e aconselhá-lo melhor e ainda faria isso de graça. Depois de 10 anos enriquecendo o psicólogo, o tal coitadinho vai parar no psiquiatria para tomar "pílulas mágicas". É então ele finalmente encontra a felicidade, apesar de estar completamente dopado e gastando em dobro (além do psiquiatra, é preciso ser assaltado pelas farmácias também). Vale lembrar que os "ismos" abaixo continuam sendo uma piada até mesmo se você os ler na Wikipédia.

Estruturalismo[editar]

O Estruturalismo foi implementado por Teacher Titchner Ronaldo TitchEner, amante e discípulo de Wundt, o qual afirma que cada totalidade da psique humana é composta por elementos, como sensações, imagens, afeições e sentimentos. Em outras palavras, se pudéssemos esquartejar a mente de um emo em mil pedaços é isso que encontraríamos... não custa tentar.

Funcionalismo[editar]

Linha que surgiu por meio de fofoca entre as comadres Charles Darwin e Francis Galton. Surgiu através de William James, um emo que, deprimido e frustrado com a perseguição estruturalista, decidiu criar uma nova linha teórica para a Psicologia. O principal interesse desta corrente residia na utilidade dos processos sexuais mentais para o orgasmo organismo, nas suas constantes tentativas de se adaptar ao meio. O ambiente é um dos fatores mais importantes no desenvolvimento humano. É por isso que "Will" (como era chamado por seus amantes miguxos) não durou muito: morreu em 1910, espancado por uma multidão enfurecida de punks e metaleiros (vide Revolução Psiquiátrica).

Behaviorismo[editar]

Skiner, pai do Behaviorismo Radical

Linha da Psicologia criada por John B. Watson que busca entender o comportamento humano. Por isso não foi pra frente.

Tendo Burrhus Frederic Skinner como um grande nome nesta linha por seus métodos radicais e sádicos (entre eles, torturar ratinhos pra entender o comportamento humano). Para os psicanalistas, Burrhus Frederic Skinner teria sofrido um trauma quando criança pela recusa do seu pai em levá-lo à Disneylândia. Desde então ele passou a torturar qualquer coisa que fosse parecido com Mickey Mouse, criando seu renomado método de tortura.

Beharioristas da Atualidade[editar]

Dentre os diversos behavioristas contemporâneos, é possível citar as decrépitas babá Super Nanny e sua mãe, com seus métodos radicais de tortura infantil e humilhação paternal. Utilizando constantemente recursos de punição para controle comportamental, essas mulheres acreditam ser superiores e tratam os seres humanos como se fossem os ratinhos de Burrhus Frederic Skinner. Em outras palavras, se você agir conforme as suas ordens, ganha um biscoito, senão, vai pro cantinho da disciplina. Um outro exemplo de behaviorista da atualidade que utiliza métodos parecidos com os dessas megeras anciãs é o famoso Capitão Nascimento, bem como o nosso grande ídolo da TV popular brasileira, Senor Abravanel (vulgo Silvio Santos), e o rebelde Cérebro (Cientista) - o rato que faz experiências com humanos.

Gestaltismo[editar]

Conhecido também como Gaystaltismo, é a corrente da Psicologia que busca estudar e compreender, através dos campos da percepção, a visão holística do homem e do mundo (com ênfase no homem). Tudo começou numa balada GLS da Alemanha, quando Max Wertheimer conheceu o gogoboy Kurt Koffka e o zoófilo Wolfgang Köhler, o qual adorava brincar com chimpanzés. Eles acabaram ficando e, depois de muito LSD, no ápice do ménage à trois, tiveram a ideia de criar uma corrente psicológica capaz de explicar suas alucinações eróticas. Assim, a gaystalt preocupa-se com o homem visto como um todo, e não como a soma das suas partes íntimas. Com o advento da modernidade, essa corrente vem cada vez mais ganhando espaço. Homossexuais do mundo todo vêm se encontram em Paradas para discutir suas práticas e visões do homem contemporâneo.

Psicanálise[editar]

Sigmund Freud, pai da Psicanalise e garoto propaganda de alucinógenos

Foi um método criado por Sigmund Freud, o qual forrava o um sofá velho (mais conhecido como divã) com cocaína, levando seus pacientes ao estado inconscinte da mente, a partir do qual eles falavam que queriam matar e seu próprio pai e praticar incesto com a sua própria mãe.

Mas também é uma religião. Os freudianos ou ortodoxos costumam ter uma imagem de seu mestre, um quadrinho com um velho queimando um chaturinho de maconha pendurado na parede do consultório, e dão a vida, e outras coisas também, para defender a causa psicanalítica.

Graças a Freud a Psicologia ficou conhecida pelos divã, sonhos, inconsciente, sexualidade e longa perda de tempo com conversas que nunca acabam e que levam a uma grande perda de dinheiro. Tudo é ligado a prazer, coito, tesão pela mãe, sadomasoquismo, Buttman e Cine Band Privê (não esquecer do Sexytime para o boysinho). O pai do Freud era um cara muito tosco e rude, enquanto sua mãe era uma baita de uma gostosa. Foi daí que surgiu a sua teoria do Complexo de Édipo.

Segundo Freud, as crianças passam por algumas fases em seu desenvolvimento psicossexual (sim, para ele tudo é sexo). São elas:

Fase Oral[editar]

A fase oral consiste no fato do bebê chupar o peito de sua mãe para garantir sua satisfação libidinal.

Fase Anal[editar]

A fase anal consiste no fato da criança aprender a cagar para garantir sua satisfação libidinal.

Fase Fálica[editar]

Período: de 4 a 6 anos aproximadamente.

Características: Nesta etapa do desenvolvimento a atenção da criança volta-se para a região genital.

Inicialmente a criança imagina que tanto os meninos quanto as meninas possuem um pénis. Ao serem defrontadas com as diferenças anatômicas entre os sexos, as crianças criam as chamadas "teorias sexuais infantis", imaginando que as meninas não tem pênis porque este órgão lhe foi arrancado (complexo de castração). É neste momento que o menino tem medo de perder o seu pênis.

Neste período surge também o complexo de Édipo, no qual o menino passa a apresentar uma atracção pela mãe e a se rivalizar com o pai, e na menina ocorre o inverso.


  • Qual a relação disso tudo? Só Freud explica.

Carl Gustav Jung[editar]

O mundialmente conhecido Jung foi amante colega de Freud nos primeiros anos da Psicanálise. Eles trocaram um monte de cartinhas com apelidos carinhosos, como: "Meu filho", "Papai", "Lindão", "Príncipe", etc; cartas estas fundamentais para a sua mudança de sexo teorização psicanalítica. Um belo dia, eles acabaram brigando devido a uma almofada que fazia barulho de peido que Jung colocou na cadeira de Freud na palestra da faculdade de Clark Kent, nos EUA. Como Freud já era velhinho, achou a brincadeira muito sem graça. Afinal de contas, o que iriam pensar os psicologos americanos? Que Freud tinha gases inodoros barulhentos? Que Freud tinha o cu frouxo e flatulenciava sem perceber? Que ele era passivo? Como ficaria a imagem da Fase Anal do pai da Psicanalise? Apesar de tudo, a admiração e amizade colorida dos dois homens nunca diminuiu. Verdade que, muitos anos depois, Freud mandou Jung enfiar o dinheiro no rabo quando ele ofereceu financiar sua fuga dos Nazistas, já que este último era simpatizante dessa corrente cultural, mas isso é uma outra história. O importante aqui é relatar fatos históricos da vida do psicanalista para explicar sua teoria.

Por muitos anos Jung sentiu possuir duas personalidades separadas: um ego público, exterior, que era envolvido com o mundo familiar e um eu interno, secreto, enrustido, que tinha uma proximidade especial para com homens "Deus". Ele reconhecia ter herdado isso de sua mãe (além dos cabelos no peito), a qual tinha a notável capacidade de "ver homens e coisas tais como são". Diante disso, não muito tempo depois, ele descobriu-se homossexual.

Após a separação de Freud, Jung sentiu o chão desmoronar-se sob os pés. Olhava as cartinhas que haviam trocado e sobre elas, derramava lágrimas melancólicas. Foi aí, em sua solidão e incompletude, que Jung começou a se drogar a ter sonhos e visões que mudariam o percurso de sua teoria psicanalítica. Criando assim a Psicologia Analítica, também conhecida como: Psicologia Junguiana, Psicologia Complexa, Psicologia Profunda, Psicologia das Trevas, Ocultismo e Magia Negra. Para desenvolver sua teoria, ou 'filosofia de vida', Jung usou de muitas substâncias alucinógenas, estudou Alquimia e Filosofia e juntou na bagunça um pouco de Mitologia, resultando em uma abordagem psicológica sem sentido algum, que acaba por causar o efeito reverso no tratamento clínico, levando os pacientes à esquizofrenia.

Jacques Lacan[editar]

Jacques-Marie Émile Lacan sofreu muito preconceito durante sua infância por ter mais nomes femininos do que masculinos em sua Certidão de Nascimento. "João-Maria Emília (Lagosta?)" era um nerd francês - vítima de bulling - que, através de sua compulsão por matemática, buscou desenvolver uma teorização para consolidar um novo campo das ciências da mente: a Engenharia Psicológica. Além dos números, Lacan adorava as letras, o que contribuiu para sua pesquisa ao instituir a Linguagem como sendo a estruturação do inconsciente. De acordo com isso, fundiu matemas com palavras. Entretanto, Jacques Lacan era extremamente fã de Freud. Não que isso fosse um problema, mas a partir do momento em que ele começou a plagiar o velho e retomar seus conceitos de maneira idêntica, Lacan começou a se complicar. Para disfarçar isso, criou diversos Seminários para diluir "suas" teorias e enganar os trouxas de plantão. Foi assim que o jovem Maria Emília conseguiu seu ganha-pão de cada dia e permaneceu famoso até a atualidade. Fala um monte de merda sobre matemática que os alunos (que não sabem contar direito) engolem e acham que é verdade. BRHUE!

Melanie Klein[editar]

Objeto de estudo dos mais diversos psicólogos

Judia eslovaca, dedica-se, por necessidades familiares, ao comércio de plantas e répteis (sim, répteis), cuja família, erudita e culta, era dominada por uma linhagem de putas mulheres. Melanie Klein, pouco desejada, foi a quarta entre os filhos de um casal que só queria saber de orgias gratuitas e swing sem compromisso. Foi a percursora da psicanális com crianças, assim como Anna Freud, quis se aventurar na mente perversa de crianças e bebês (coitadas). Dessa forma, além de ser uma menina horrorosa, cheia de verrugas e pêlos pelo corpo, Melanie era ignorada por sua família. Morreu em Londres (1960), queimada numa fogueira em praça pública sob os calorosos gritos da multidão enfurecida: "Queimem a bruxa! Queimem a bruxa!".

Wilhelm Reich[editar]

Cquote1.png Todos ganham presentes, mas nem todos abrem o pacote. Cquote2.png
Sorte do Dia do Orkut sobre os pacientes de Reich

Não, Reich não foi só mais um judeu austríaco enrustido interessado em sexo verbal, ao contrário, este rebelde circuncidado foi o verdadeiro revolucionário da Psicanálise (senão da Humanidade!). Enquanto que Freud e seus comparsas buscavam solucionar os problemas de seus pacientes através da verbalização de seus transtornos sexuais, Reich buscou resolvê-los através da prática vivencial. Fundador da "Teoria do Orgasmo", o jovem formulou um complexo metodológico de intervenções, baseando-se em livros famosos, como o Kama Sutra, além de inspirar-se em profissionais midiáticos, como Emanuelle e a VJ Penélope (MTV).

Essa sapiência fenomenal que o canonizou como sendo o Santo das Orgias Casuais não foi por acaso. Reich, ao longo de toda sua vida, passou por diversas experiências (muitas delas, de dar inveja) que o consagraram como tal. Desde cedo, vivendo na fazenda e em contato direto com a natureza, se interessou pelos fenômenos e funções naturais. Na sua autobiografia, Reich conta que aos quatro anos já sabia o essencial sobre a sexualidade animal e humana, e que nessa tenra idade tentou intimidade erótica com uma criada e três ovelhas. Aos doze anos já tinha relações sexuais com as moças da fazenda e o curral todo. De acordo com uma outra fonte não-muito-confiável-mas-que-às-vezes-nos-surpreende chamada Wikipédia, ele "foi casado com a sua paciente Annie Reich (que se tornaria psicanalista), de quem se divorciou em 1932, e de quem teve duas filhas, Eva e Lore. Viveu mais tarde com a bailarina Elsa Lindenberg, de quem se separaria ao partir para os E.U.A.. Pouco depois de lá chegar, viveria com a sua assistente Ilse Ollendorf, com quem se casaria e com quem teve um filho, Peter. Mais tarde, divorciar-se-ia de Ilse e teria uma ligação com a bióloga e sua colaboradora, Aurora Karrer, sua última companheira" fixa. Através de todas essas informações, é possível notar o porquê deste panssexual zoófilo ter descoberto e praticado, de maneira profissional e inigualável, a sua "Teoria do Orgasmo". Todavia, foi com a criação de um msn falso que suas intervenções realmente começaram. Cansado de sexo virtual, só no blá-blá-blá, começou a marcar programas encontros pessoais e através deles, a "clinicar" profissionalmente. Dessa forma, buscou remoldurar os valores éticos das práticas psiterápicas, principalmente depois de ter sido acusado de assediar sexualmente diversas de suas pacientes. Em suma, Reich teorizou, de maneira completa e difusa, a prostituição, legalizando-a assim, através de seus métodos e práticas psicossomatológicas, como sendo uma profissão de carteira assinada e consolidando-a como sendo o melhor remédio para os problemas do mundo.


Reich se suicidou em 1957, ao tomar consciência de que pagava mais pensões do que impostos.

Psicodrama[editar]

Psicodrama nada mais é do que uma técnica cênica psicoterápica para evidenciar e intensificar os surtos histéricos dos neuróticos que sofrem desse mal, os quais, egocêntricos e narcisistas, adoram fazer uma cena. É uma ótima terapia para autistas e tímidos patológicos. As pessoas tendem à catar-se através da exteriorização de seus sentimentos reprimidos. Freud não gostava muito desse tipo de procedimento, pois, de acordo com ele próprio, todos os problemas dos seres humanos são derivados de complicações sexuais, sejam de origem psíquica ou de origem somática. Dessa forma, as práticas psicodramáticas tendiam á orgias, e como Freud era muito sisudo e antiquado, preferia salvaguardar tais práticas para serem feitas secretamente... em contrapartida, Reich fez a festa!

Áreas de Atuação[editar]

//SE VOCÊ CONSEGUIR UM EMPREGO (FATO MUITO RARO), PODERÁ TRABALHAR NAS SEGUINTES ÁREAS:

Clínica[editar]

O campo mais comum das práticas psi's. É aqui que os psicólogos, em geral, costumam atender indivíduos problemáticos falando merda sem parar e ajudar com seus problemas mesquinhos e infames. Os profissionais dessa área tem o maior prazer em fazer isso, mas convenhamos que, aqui, a paciência é uma dádiva! Depois dizem que eles recebem mais do que deveriam... "aff".

Saúde Mental[editar]

A área mais interessante da prática psicológica. Aqui, os trabalhos costumam ser realizados em hospitais psiquiátricos e CAPS's. O trabalho é feito com doentes mentais em estágios mais avançados, algo que os experimentalistas dos ratinhos (behavioristas) adoram e onde também se pode investir em um paciente afinal de contas se ele contar e maluco mesmo e ninguém lhe dará credito. Um exemplo de psicóloga dessa linha é a Super Nanny, a qual trabalha com crianças e pais que sofrem deficiência mental.

Hospitalar[editar]

O trabalho dos psicólogos aqui é não mostrar aos doentes hospitalizados que eles deveriam ter usado camisinha durante o ato sexual e que, por sua própria falha, estão condenados para o resto de suas vidas, pois, do contrário, poderiam ficar mais traumatizados do que já estão. Além disso, nesse campo, os psicólogos são pagos para dar falsas-esperanças àqueles que aguardam uma improvável cura. No caso dos doentes terminais... bem, não há muito o que se dizer, senão "carpe diem"! (se der tempo)

Escolar[editar]

A área mais injusta e infame da atuação psi. Foi criada especialmente para os pedagogos inúteis (vide Pedagogia ou Vadiagem) que acreditam que sabem tudo de Psicologia e saem diagnosticando às cegas seus alunos, muitos dos quais não têm nem a noção de que são seres humanos, dada a idade ínfima que possuem. Dessa forma, encaminham-lhes para os psicólogos alegando: "Esse aqui tem tal doença! Toma! Cuida dele!". Que psicólogo atura um pedagogo medíocre que jura-de-pés-juntos que sabe absolutamente tudo sobre psicopatologias?! Ou melhor, que ser humano na face da Terra atura isso?! Isso se chama "falta de profissionalismo" e/ou "vagabundagem". Isso é jogar para os outros o próprio trabalho. Trabalho este que não são capazes de realizar satisfatoriamente, já que precisam de terceiros para "tratar" dos seus próprios alunos, além de não se darem conta de que o problema reside na sua própria atuação e modo de conduzir-se. Em outras palavras, a doença da sala de aula não está nas crianças, em sim nos adultos que nela trabalham "trabalham".

Jurídica[editar]

Campo pouco difundido aqui no Brasil, pois ser humano algum gosta de ficar se intrometendo em divórcios alheios e d.r.'s mau-resolvidas. É chato quando isso acontece conosco, imagina ter que cuidar da separação dos outros e de como deve-se portar perante os filhos, poupando-os de maiores transtornos. Um exemplo de psicóloga bem sucedida nessa área é a nossa famosa Márcia Goldschmidt.

Criminal[editar]

Área voltada aos campos de concentração presídios, ou melhor, detentos. Aqui, os psicólogos atendem companheiros traficantes, estrupradores, ladrões, homicídas, enfim, todo corpo patólogico ao bem-estar da sociedade contemporânea. Um notável e renomado psicólogo dessa área é o famoso Capitão Nascimento, o qual, com suas técnicas avançadas, trata de tais pacientes com extremo profissionalismo e ética.

(Des)Organizacional e Recursos Humanos[editar]

O campo de atuação psi de melhor remuneração e, ao mesmo tempo, mais detestado pela maioria dos psicólogos. É uma área enfadonha, que serve apenas para selecionar e recrutar pessoas numa dada empresa, escolhendo as menos burras e as mais bonitas. Quando uma pessoa entra no curso de Psicologia, essa é a última coisa que passa pela sua cabeça quando for atuar profissionalmente. Na realidade, muitos deles nem têm conhecimento prévio sobre esse campo psi. Assim, quando entram na faculdade, só querem saber de clinicar e diagnosticar pacientes, e não ficar lendo currículos e escolhendo pessoas pra trabalhar num determinado emprego. Um grande exemplo de psicólogo que se deu muito bem nessa área é o famoso Roberto Justus.

Como relacionam o perfil do candidato com vagas de trabalho:

  1. Personalidade agressiva: área de cobrança.
  2. Desordem mental: consultoria.
  3. Esquizofrenia: área de segurança.
  4. Ninfomania: secretária.
  5. Ludomania (apostador compulsivo): gerente de negócios.
  6. Taquifonia: comunicação.
  7. Fofoqueiro: no momento não temos vagas, mas podemos te indicar outras boas empresas da área...
  8. Alucinações: publicidade.
  9. Desilusão: atendimento ao consumidor.
  10. Personalidade antissocial: programador/tecnologia da informação.
  11. Distúrbio de gênero (mulher): gerente de tecnologia da informação.
  12. Personalidade dependente: um trabalhador normal da linha de produção.
  13. Amnésia: controle de qualidade.
  14. Psicopatia: gerente.
  15. Mitomania (compulsão em mentir): marketing.
  16. Niilismo (crença no fim-do-mundo): investidor da bolsa de valores.
  17. Megalomania (mania de grandeza): revendedor/representante.
  18. Narcisismo: assistência aos empregados.
  19. Histriônismo (extroversão): recepcionista.
  20. Déficit de atenção: contabilidade.
  21. Transtorno obsessivo compulsivo: gerente de processos.
  22. Demência: área social.
  23. Piromaniaco: corretor de seguros.
  24. Facticilidade: relator.
  25. Persuasividade crônica: gostaria de juntar-se ao nosso time de RH.
  26. Normal: lamentamos, mas seu perfil não é compatível com a vaga.

Esportiva[editar]

É a área mais almejada pela grande maioria dos psicólogos e psicólogas do Brasil, pois é voltada ao tratamento dos problemas psicossomáticos dos esportistas em geral. Dessa forma, como a estatística mostra, a Psicologia engloba mais mulheres do que homens, e os poucos que restam têm por tendência se transviarem do eixo heterossexual durante o decorrer do curso. Assim, tratar de atletas sarados e musculosos torna-se mais do que um mero trabalho rotineiro: é unir o útil ao agradável, ou seja, em outras palavras, é o desejo de consumo de qualquer ser humano. E que melhor troca do que esta: o psicólogo acaba com os problemas dos gostosões esportistas e vice-versa? Nada mais justo. Pena que aqui no Brasil essa prática não é difundida. Permanece oculta às elites obscuras da sociedade promíscua psi. Pena dupla! Um exemplo de psicólogo que se deu bem nessa área é o travesti Andréia Albertini, o qual (ou "a qual", enfim) cuidou muito bem de Ronaldo Luis Nazário de Lima, o Fofômeno.

Psicólogos Notáveis[editar]

Ver também[editar]