Quim Barreiros

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
PortugalDJoãoscary.jpg Manuel, vê-me dois cäcətinhos, o pá!

Æstə ärtigo é purtugäish, gajo. Élə comə cacətinho cum bəcalhau, tuma um ishtränho vinho, adora cumpetir cum a Ishpänha e tem um bigodão.

Cuidado: Ä qualquêr mumento, Napolião podə quirer-tə invədir

Bernardinho nervoso jpg.jpg Please STOP the music!

Este artigo se trata de cantores, bandas ou músicas cantadas muito, mas MUITO mal.
Patrick.gif "Não, cê é burro cara, que loucura..."

Este artigo é sobre algo ou alguém burro ou completamente imbecil.

Cuidado: as burrices podem te morder!
O Rei.

Que é essa porra?[editar]

Quim Barreiros é um cantor lírico/compositor/músico português cujas raízes provêm de Viana do Castelo (mais especificamente na pequena e feiosa vilita de Vila Praia de Âncora - freguesia do concelho de Caminha), mais propriamente da província de Alto Douro e Minho e nascido na cidade da Azeiteirada. Tem participado em espectáculos do Filipe La Féria, cantando grandes composições musicais do mundo, ao som do seu acordeão. É bastante conhecido por estar sempre bêbado no palco, transformando obras literárias na mais pura música pimba pós-progressiva. As velhas pervertidas e estudantes universitários bêbedos adoram os trocadilhos porcos na generalidade das canções.

As Letras[editar]

Quim Barreiros tornou-se famoso pelas letras rebuscadas, com duplo sentido, na maioria versões inalteradas do forró brasileiro. O homem consegue disfarçar nas músicas referências a Sexo, futebol, política, entre outras questões da sociedade portuguesa.

Eis algumas afamadas letras deste autor:

  • "Subo imposto, aumento imposto, à hora que eu quiser, que carteira apertadinha, que doçura de Finanças" - referência implícita aos aumentos de impostos sofridos em Portugal, culpa do Vitor Gaspar, perdão da Troika...
  • "Lizete, mete a ADSL, que eu só estou bem na Internet." - publicidade à rã supersónica.
  • "O tênis está muito duro, mas está quase a entrar" - referência explícita ao órgão sexual masculino.
  • "Chupa Teresa, chupa Teresa, que este gelado gostoso é feito de framboesa" - campanha do Fome Zero em Portugal.
  • "Eu gosto de mamar dos bolsos dos portugueses" - é o que Pedro Passos Coelho faz aos bolsos dos portugueses.
  • "Sua mulher não dorme mais, passa a noite acoradada, tem noite que dá uma, tem noite que dá duas, tem noite que dá três horas da madrugada..." - Inspirado em Cucks como PC Siqueira e Izzy Nobre Quim compôs essa música.

Álbuns[editar]

Tem muitos álbuns (o que não interessa)!!! Os álbuns mais famosos são "Mama Forte!" e "O testiculo". A canção mais famosa dele é: "A Cabritinha".

Cquote1.png "Eu gosto de mamar... No teu vergalho" Cquote2.png

Apresentações Recentes[editar]

O último concerto até à data foi na discoteca "Get It!", com o seguinte set:

  • Cabritinha
  • O mestre da culinária
  • O bacalhau da Maria
  • Parolada em geral
  • Uma virgem
  • O ténis

O público, visivelmente embriagado, delira com a actuação de Quim Barreiros, homem dotado de farto bigode, azeiteiro, tocador de gaita e acordeão (todas as gaitas - menos gaita de foles). Toda a gente, entusiasmadíssima, grita "Só mais um!". Quim não deixa os fãs sem resposta e apesenta uma grande surpresa: A garagem da vizinha é o encore. Ao rubro, o público responde com uma dança tradicional em que consiste abanar as ancas para a frente para trás com as mãos sempre prontas a agarrar o primeiro traseiro que encontrar, mesmo que seja uma velha de 74 anos, 120 quilos e peixeira desde os 10 anos, que responde com uma linguagem gestual erguendo um peixe, geralmente podre, que elas afirmam ser fresquíssimo. Tudo culmina numa cena de pancadaria generalizada. O refrão é repetido indefinidamente.

Quim Barreiros sai em ombros, tal como os utentes da discoteca, mas esses por não aguentarem mais com a bebida.

Um concerto memorável com Quim Barreiros no seu máximo esplendor.

Este artigo está fugindo de um Mafagafo por ser um apetitoso esboço.
Ajude-o a escapar!