Raciocínio Racional

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Testeparaloira2.jpg Este artigo não serve pra porra nenhuma!

Se você estiver disposto a perder seu tempo com esta porcaria, vá em frente. mas não venha reclamar dizendo que perdeu tempo, senão a chapa esquenta, morô ?!


Cquote1.png É... Isso... Quando o senhor pensa em supermercado, qual o primeiro nome que lhe vem à cabeça? Cquote2.png
Pergunta do repórter, para testar o filósofo

Cquote1.png Raciocínio racional... Cquote2.png
Olha só o naipe da resposta!

Cquote1.png Qual o supermercado??? Cquote2.png
Repórter, já meio confuso e atordoado pela radiação

Cquote1.png Raciocínio racional, esse é o mercado que eu conheço! É o mer - É o mercado, do seu ID, do interior de cada ser. Esse é o verdadeiro mercado... entendeu? É do eu verdadeiro, é o eu interior, esse é o mercado... esse é o que se, que se mercado... qué o desenvolvimento da glândula pineal, da célula epífise, que está no íntimo do mesencéfalo na base do cérebro. Meu nome é Antônio Carlos Ferreira de Sena! Cquote2.png
Antônio, concluindo sua tese de mestrado. WTF?

Raciocínio Racional é um supermercado a linha de pensamento progressista e filosófica mais aceita e utilizada atualmente, criada pelo grande mestre e doutor honoris causa Antônio Carlos, quando estava no auge do nirvana budista.

Um grande utilizador do Raciocínio Racional.

Contexto histórico[editar]

Tendo visto que Saddler Lord Jesus não precisava de renda extra, e que ainda por cima havia proibido os comércios nos templos de seu PÓOI, Antônio Carlos decidiu então que era necessária a prospecção do comércio por uma outra forma. Como é sabido que as pessoas são templos da pomba gira, Antônio resolveu juntar forças para trollar o bloqueio e instaurar também mercados dentro de cada um dos cristãos, mais precisamente no íntimo do mesencéfalo na base do cérebro de cada um deles. Mercados esses que seriam mais tarde chamados de demônios interiores. Tal heresia fez com que Antônio e suas respectivas e sucessivas encarnações fossem caçadas como hereges, segundo a ótica redundante pleonástica do Raciocínio Racional, culminando em seu exílio para a África durante o período trevoso.

Aplicações[editar]

Embora nem todas tenham sido totalmente estudadas, conhecidas e remasterizadas por culpa dos mistérios cerebrais, o ser humano (você, por exemplo) é capaz de usar o Raciocínio Racional quando:

  • Começa a raciocinar.
  • Percebe a grandeza do supermercado próximo à glândula pineal.
  • Participa de manifestações sérias, ou começa a votar direito.
  • Deixa o char invisível ou foge (num MMORPG), quando o mesmo está prestes a morrer.
  • Deixa de assistir televisão.
  • Sai do computador e vai ler um livro.
  • Está escrevendo um livro.
  • Faz contas.
  • Está redigindo algo que preste.
  • Não está lendo a Desciclopédia.
  • Faz algo de útil e que presta.
  • Anda ou faz outra coisa difícil de olhos fechados, mesmo sem ser cego(a).
  • Trabalha para si próprio(a).
  • Mata sem ser percebido(a).
  • Se previne de algo.
  • Trai seu parceiro(a) sem deixar vestígios.
  • Está prestes a se ferrar bonito em uma prova facílima.

...Ou não. E por aí vai.

Entenda do que se trata[editar]

Artigos relacionados[editar]