Racionalismo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
60px-Bouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Racionalismo.

Cquote1.png Vamos, pensa... pensa... PENSA!!! Cquote2.png
Jimmy Neutron ativando o auto-raciocínio através do racionalismo

O racionalismo é a corrente filosófica que iniciou com a definição do raciocínio que é a operação mental, discursiva e lógica, coisa de nerd mesmo.

Sobre o racionalismo[editar]

O postulado do interesse coletivo elimina os conflitos de interesses (de classe dos fudidões, entre uma classe e seus membros e até de simples grupos de interesse gays e LBC) existentes em uma sociedade, seja em nome do princípio de funcionamento do mercado, seja como princípio orientador da ação do Estado. Abre espaço para soluções racionais a "problemas" econômicos (não sendo os do Brasil, é claro) ou urbanos (de infraestrutura, da habitação, ou do meio ambiente e da exploração comunitário) com base em soluções técnicas e eficazes, que não seria o seu caso. O racionalismo é a doutrina que afirma que tudo que existe tem uma causa inteligível, mesmo que não possa ser demonstrada de fato, como a origem do Universo, mesmo só aqui na terra sermos os únicos a usar (e muito mal usado) o cérebro. Privilegia a razão em detrimento da experiência do mundo sensível como via de acesso ao conhecimento. Considera a dedução como o método superior de investigação filosófica. René Descartes (1596-1650), Spinoza (1632-1677) e Leibniz (1646-1716) introduzem o racionalismo na filosofia moderna. sendo igual ou até mesmo inferior aos raciocínios contemporâneos.

Os quatros métodos de distinguir o racionalismo[editar]

Logo do movimento racionalista.

O primeiro método era o de jamais acolher alguma coisa como verdadeira que eu não conhecesse evidentemente como tal; isto é, de evitar cuidadosamente a precipitação e a prevenção e de nada incluir em meus juízos que não se apresente tão clara e tão distintamente a meu espírito, que eu não tivesse nenhuma ocasião de pô-lo em dúvida, ou seja, tudo o que te falam é pura mentira, como o álcool ser uma droga que te deixa topado ao beber ou que o cigarro te provocar câncer.

O segundo método era o de dividir cada uma das dificuldades que eu examinasse em tantas parcelas quantas possíveis e quantas necessárias fossem para melhor resolvê-las, em resumo, jogar as dificuldades tudo no ralo abaixo e ir para as próximas questões.

O terceiro método era o de conduzir por ordem meus pensamentos, começando pelos objetos mais simples e mais fáceis de conhecer, para subir, pouco a pouco, como por degraus, até o conhecimento dos mais compostos e supondo mesmo uma ordem entre os que não se precedem naturalmente uns aos outros, como o mais inteligente ser eu e o mais burro é você que lê isso tudo achando que isso é informação verídica, ou sim.

O quarto método era o de fazer em toda parte enumerações tão completas e revisões tão gerais, que eu tivesse a certeza de nada omitir. Em resumo, pegue a tua calculadora e comece a somar o total real do valor do pi.