Raiders of the Lost Ark (jogo)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg Raiders of the Lost Ark (jogo) é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Doom guy mata mais 20 cacodemons.


Indiana Jones Leproso
Raiders of the Lost Ark Atari.jpg

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Atari
Publicador Atari
Ano 1900 e guaraná com rolha
Gênero Space Invaders de pobre
Plataformas Atari 2600
Avaliação 0/10 (enjoativo pra caralho)
Idade para jogar Livre

Raiders of the Lost Ark é apenas um dos jogos mais merdas da história da humanidade, tão merda que nem é lembrado na lista dos jogos mais merdas, mas acredite, é pior que ET, Big Rigs e Superman 64, destacando-se apenas por ser o primeiro jogo zerável da história. Criado pela Atari, Inc., o jogo é qualquer coisa, menos uma adaptação do primeiro filme do Indiana Jones, de modo que o título do game "Os Caçadores da Arca Perdida", provavelmente é só uma mera coincidência com o título do famoso filme do Harrison Ford porque absolutamente nada de "Indiana Jones" é identificável nesse jogo.

Jogabilidade[editar]

Tela que é companhia do jogador por um bom tempo. Até ele pegar um manual e descobrir como sair desse inferno.

Neste desgraça você controla uma espécie de boneco leproso que deve andar por um labirinto infernal fazendo sabe-se lá o que, mas provavelmente procurando um paralelepípedo dourado que deve ser a tal Arca Perdida. Sem o manual você está fodido, não passará da primeira tela, já que os puzzles a serem solucionados requerem do jogador um poder de clarividência e visão além do alcance, pois são paredes invisíveis e várias entradas secretas que ninguém vai conseguir adivinhar para onde ir porque não há a menor dica do que diabos fazer.

Não bastasse o jogo já ser sobre um leproso dando cabeçada em paredes, você ainda deve usar dois joysticks ao mesmo tempo, porque precisa de dois botões, um botão para coletar os itens e outro para larga os itens, o problema é que ao largar o item ele some e se teletransporta para seu local de origem, ferrando com a vida do jogador. Aliás, por falar em itens, é necessário também conhecimento artístico em cubismo e surrealismo para ter a mente aberta para conseguir deduzir qual item exatamente é cada uma das várias chiforínfolas.

Você não sabe o que fazer do início ao fim, só sabe que tem que exterminar cobras adoidadamente e as vezes atravessar certas paredes para acessar novos cenários e coletar lixo em lixeiras. O item mais raro e útil é uma , porque a pistolinha é ridícula e atira um projétil dolorosamente lento, mata cobras, mas sempre vem outra cobra.

Enredo[editar]

Para entender a história do jogo você não deve jogá-lo, deve apenas assistir o filme, que é muito bom, e nem se incomodar em ligar o Atari. Caso realmente queira testar o jogo, é melhor só ler o manual mesmo, onde pode entender algo do enredo, agora se quer realmente jogá-lo fisicamente, aí não dá pra entender a história.

Provavelmente o enredo é sobre um cara maluco que odeia cobras e deseja exterminá-las da face da Terra. Um fluxo interminável de cobras vem do topo da primeira tela e o objetivo é continuamente matá-las. Eventualmente vasculhar lixeiras e achar dinheiro que pode ser usado num mercado onde só tem cabeças gigantes vendendo itens.

v d e h
Indiana Jones logo.png