Recanto das Letras

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
ImagesCAOJGT4W.jpg Este artigo é relacionado à literatura.

E ordenha brancas ovelhinhas!

Usuário cadastrado como "Escritor Profissional" no Recanto das Letras

Cquote1.png Você quis dizer: DeviantArt para Escritores? Cquote2.png
Google sobre Recanto das Letras
Cquote1.png Pode postar fanfic nesse site? Cquote2.png
Otaka sobre Recanto das Letras
Cquote1.png Pode, mas praticamente ninguém vai ler ... Cquote2.png
Eu sobre citação acima
Cquote1.png Só vou na sessão de Contos Eróticos! Cquote2.png
Punheteiro sobre Recanto das Letras
Cquote1.png É uma melação só! Cquote2.png
Qualquer um sobre 80% das poesias do Recanto das Letras
Cquote1.png Volta o cão arrependido, com suas orelhas tão fartas ... Cquote2.png
Chaves escrevendo uma poesia para o Recanto das Letras
Cquote1.png Aprendi a ser escritor neste site! Cquote2.png
Paulo Coelho sobre Recanto das Letras
Cquote1.png Escrevi e sai correndo, pau no cu de quem tá lendo ... Cquote2.png
Guri Retardado após escrever algo no Recanto das Letras
Cquote1.png Atirou. Matou. Morreu. Cquote2.png
Alguém que escreve textos minimalistas no Recanto das Letras


Recanto das Letras (Também conhecido como "Recato das Letras") é um site criado para escritores ou simplesmente para pessoas que não sabem desenhar e por isto não são capazes de utilizar o DeviantArt, mas sentem uma grande vontade de mostrar seus dons artisticos. O Recanto das Letras é acessado todo dia e sempre tem novos textos, muito embora a grande maioria sejam poesias de amor que todo mundo cansou de ler.

Como surgiu[editar]

Cquote1.png Oh não! plagiaram meu poema no Recanto das Letras! Cquote2.png

Em meados de um ano por aí, pessoas que participavam fluentemente do chat de putaria da UOL tiveram a ideia de criar um portal para armazenar contos eróticos de diversos tipos, uma vez que boa parte destes usuários tinham entre 10 a 12 e não podiam acessar o sexo na van, uma vez que isto gerava um grande risco da mãe dos mesmos observar o que eles faziam e deixá-los um mês sem televisão. Com isto, os punheteiros tentaram forçar a UOL a criar o tal do site para contos eróticos, e vendo uma deliciosa fonte de lucro, os mesmos criaram o tal site sem pestanejar.

Mas, depois de um tempo, um CDF sem ter o que fazer, resolveu começar a postar textos do Carlos Drummond de Andrade e Clarice Lispector no site, os punheteiros ficaram com um ódio tremendo desse cara e o chamaram de bobo, feio, chato e cara de mamão, o que revoltou o mesmo e fez o mesmo hackear o site e passar a administração do mesmo para Paulo Coelho, que alterou o site por inteiro, adicionando sessões como: Poesias, Artigos, Acrósticos, Acústicos, Cartas e outras viadagens que ninguém se importa. Mas ainda mantendo a sessão de Contos Eróticos.

Com o tempo, o Recanto das Letras ficou lotado de gente sem ter o que fazer, a fim de escrever poesias para seus miguxos ou falar de assunto relevantes para a sociedade como "Porque Tupã é o deus do sol" ou "Qual a localização exata de Salzburgo". Hoje em dia, ele tem várias atualizações e vários textos novas na página inicial, entretanto, ninguém lê a tal da página inicial, uma vez que os contos eróticos são proibidos de aparecerem por lá e ficam escondidos em sua própria sessão. O site Recanto das Letras é um lugar onde alguém que se acha escritor escreve "contos de terror" e acha que é um Edgar Allan Poe, mas a culpa é do cara que anda nas redes sociais chamando as pessoas para lerem e só por isso consegue bastante leituras, o que mais ganha leitura nesta maratona é um cara de Sergipe. A merda disso é que o site tá perdendo outras pessoas que escrevem lá porque não são lidos, só o cara, demonstrando como é bom ter amigos neste mundo.

Este é o resumo do Recanto das Letras, um lugarzinho onde se escondem pseudo escritores e seus contatos para aparecerem para eles mesmos.

Seções[editar]

O Recanto das Letras conta com muitas seções que não servem para porra nenhuma, muitas vezes sendo ignoradas até pelos próprios usuários. Abaixo, um pouco mais sobre elas ...

  • Acróstico:

Simplesmente uma sessão para poetas que não consegue escrever nada do zero e por isto utilizam palavrinhas aleatórias para criar uma poesia, como por exemplo.:

Usuário típico do Recanto das Letras

V
O
C
Ê

É

V
I
A
D
O

Tendo isto como molde, basta escrever a poesia utilizando as letras para a primeira palavra de cada verso e depois usar a tal frase michuruca como título de sua obra de merda de arte, um exemplo pronto:




Você é viado

Você é viado.
O maior pederasta da Desciclopédia.
Cê é viado!
Êêêêêêê

É o maior manja-rola da Desciclopédia.

Viado.
Isso é o que você é.
Ai ai ai, ui ui
Deu o c*
O maior pederasta da Desciclopédia.




Pronto, a merda tá feita.


  • Artigos:

Não, não tem nada a ver com a Wikipédia e muito menos com este site. Nesta seção se encontram nada mais que textos para refletir típicos de livros de autoajuda, que na verdade não querem dizer porra nenhuma e só ficam enchendo linguiça na página principal, geralmente possuindo imagens bonitinhas para ilustrar, coisas que só os usuários idiotas pagantes têm o direito de uso.

  • Biografias:

Sessão que, quando na guarda textos que podem ser facilmente achados na Wikipédia, guardam textos que não chegam nem perto de serem biografias, provavelmente escritos por gente sem o mínimo de sanidade em suas mentes.

  • Contos de terror:

Contos da carochinha recheados com algum sangue que causam falsas impressões em quem lê, geralmente falsos elogios de amigos que querem agradar quem escrevem umas porras que eles dizem que é conto de terror, pura rasgação de seda, se formam até casaizinhos para escrever, não ria que este assunto é serio, o casalzinho mais famoso consegue muitas leituras, porque anda pra lá e pra cá nas redes sociais procurando loucos para lerem os textos que eles escrevem, não é orgia gente, estes são os contos de terror do Recanto das Letras.

  • Homenagens:

Existem homenagens para tudo no Recanto das Letras, aniversário, rostinho bonito, retribuição de visitas, dia da sogra, dia do corno, vai escrever um cordel e pendurar numa praça, faz homenagem a todo mundo que contribuiu com papel, deu uma saidinha boa pro motel vem agradecer e homenagear a torcida no site, é uma festa da vaidade barata.

  • Crônicas

Quando você acessar este site e tiver curiosidade em ler alguma caca que tiver lá, vá nas crônicas para ver a enxurrada de chá de fossa que tem lá. E o mais chocante é que tem quem comente as tais crônicas, uma das pseudo-escritoras, com sua mineirice, fala em "nonsense" como se dominasse a língua portuguesa, é mais uma sessão para dar boas gargalhadas. Visite por curiosidade e se arrependa depois.

  • Infantil

A obra prima "Atirei um pau no gato" ganharia menção honrosa nesta sessão, com um pouco de esforço qualquer pré escolar escreveria o que lá se vê, que qualquer trepada de joaninha dá uma poesia, vá e viste a sessão infantil do Recanto das Letras, irrite-se e para aliviar a tensão visite os "Textos Eróticos", no velho estilo Cassandra Rios.

Desmantelo[editar]

Outro exemplo de desmantelo encontrado no site:

Zentiii!! O autor desse texto não é viado, nem nunca tocou punheta porque já morreu. Bom, foi o que entendi, porque todo o resto do mundo é, na visão dele... "Um olho cego vagueia procurando por um"... Fio, te dizer... Essa contração anal que apressa a ereção e que todo não broxa apresenta, tem nada a ver com bichice não, viu? Só vira isso quando o cara decide preencher o vácuo que se forma lá (U). Aí, laskô! Qualquer dinossauro macho dos 6 aos 60 anos, desde que este último ainda preserve a próstata, passa por isso. Fisiologias à parte, Freud só errou numa coisa: macho da espécie humana nunca sai da fase anal. Quando não está defendendo sua própria "silaba fedorenta", tá pensando na do próximo. Na melhor da hipóteses, usa um teclado de computador pra sublimar os instintos com a vã ideia de estar desconstruindo a ele mesmo e aos outros... E como gosto é como (U), cada um tem o seu, tá valendo as tuas silabas fedorentas (escritas).