Reino (biologia)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
A mais famosa e querida representante do reino Plantae: Cannabis Sativa.

O Reino é o comando master fucking da classificação científica dos organismos dentro da Biologia, conceito criado pelo chefão d'A Grande Família. Originalmente, para não contrariar as normas da Vigilância Sanitária, ele dividiu o mundo, sob a aprovação de Jesus Negão, em 3 tipos:

Os reinos, por definição, se dividem novamente, em filos (para os bichos) e em divisões pras plantas. Nem faço ideia do porquê disso.

Com o passar dos anos essa merda foi complicando, pois se descobriam os seres unicelulares, e viram que eles seguiam umas ideias muito loucas. Por um tempo os Protozoários, que se mexiam, viraram um filo chamado Protozoa, e os seres que eram palmeirenses verdes (?) foram enfiados na divisão Algae. Quanto às bactérias, sabe-se lá porque porra enfiaram tudo no reino vegetal (???????????????????)

Um tal de Ernst Haeckel, então, criou um reino novo, o Protista, pra servir de abrigo pra esses seres esquecidos e jogados como lixo. Depois, Herbert Copeland, percebendo que as bactérias eram deficientes físicas, por serem procariontes, ou seja, faltar um núcleo decente pra enfiar o DNA delas, ganharam um novo reino todo pra elas, chamado antes de Mychota, mas como mais parecia uma zoação, uma mistura de mico com chacota, logo mudaram elas mesmas para Monera, uma homenagem a uma bactéria bonitinha que era muito amiga delas.

Um dia, Robert Whittaker, que finalmente percebeu que os fungos e cogumelos faziam as pessoas crescerem ao comê-los não tinham clorofila, portanto não exatamente eram realmente plantas, mesmo que vivessem plantados num canto, deu a eles um novo reino, chamado de Fungi. E assim, ficaram 5 reinos, 3 para seres multicelulares (se bem que depois enfiaram uns unicelulares no Fungi só por dúvida) e 2 para unicelulares ou coloniais (vulgo agregados).

E todos viveram felizes para sempre Porra nenhuma! Primeiro que inventaram uma tal de cladística, que tentava mudar essa porra de reino toda após uma descoberta em 1977 de Carl Woese, que descobriu a existência de dois tipos completamente distintos e sem a mais absoluta correlação um entre o outro de bactérias, dividindo o Monera em Eubactéria (a bactéria que sabia que era uma) e a Arqueobactéria (a bactéria antes de ser bactéria), que depois ficou como Bacteria e Archaea, pra ficar mais simplesinho. Depois criaram um SEXTO reino, o Chromista (aposto que sua professora de Biologia nunca falou desse né?), que seria onde colocaram uns seres nada a ver uns com os outros, mas que também eram um nada a ver da porra nos outros reinos (como alguns fungos microscópicos parasitoides - entendeu? - e as malditas algas, que vivem de um canto pro outro nos reinos e ninguém decide onde porra elas ficarão de vez). Por fim, quando descobriram os vírus e um monte de merda que existe dentro dessa aberração, criaram o reino Vírus (com o nome "reino" na frente mesmo), só que como os vírus não possuem células, fizeram umas macacadas ae e criaram Super-Reinos e um Domínio (que seria, então, o grande verdadeiro maioral de tudo): o Biota, que engloba os 3 Super-Reinos: o Acytota, só dos vírus, os Sem-Terra sem-célula; e os dois dos Cytotas: Prokaryota e Eukaryota. Entendeu ou preciso desenhar destilar todo o meu latim?

Ok, terminou o artigo, graças a Oxalá!