René Descartes

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Discionario em png.PNG
O Descionário possui um verbete sobre Descartes
Discionario em png.PNG
O Descionário possui um verbete sobre cartesiano

Cquote1.png Deus está morto! Cquote2.png
Friedrich Nietzsche a René Descartes

René Descartes (Renato Descartado, em português) foi um francês com nome latim que ficou mundialmente reconhecido depois que ganhou o prêmio "Biquinho do Ano" honraria dos mais célebres intelectuais fresquinhos da humanidade. Esse prêmio é dado num intervalo de 24 anos. Sua mãe o batizou com esse nome porque ele jogava muito "Pif-Paf" quando criança, e graças a uma doença nos dedos, sempre descartava duas cartas ao mesmo tempo.

Tabela de conteúdo

Biografia

René Descartes e seu característico "biquinho" francês.

Descartes em termos gerais foi um desempregado, logo existe teve um bocado de trabalhos e bicos diferentes. Entre as atividades que mais exercia era as de filósofo, físico, cientista louco, matemático, grande jogador de pôquer e truco, cético, mendigo e flanelinha e muitas outras profissões, mas sempre com o mesmo jeitão metido a moderninho e salvador de alguma coisa. René Descartes foi tipo uma celebridade odiada de sua época.

Infância e Juventude

O famoso livro: "Discurso do Método para bem Lidar com a Droga do Mundo e seus Processos Epistemológicos"

Nasceu no dia 32 de Março de algum ano, na cidade feudal de La Haye en Touraine em alguma esquina suja da França. A infância do pequeno Descartes foi complicada, desde garotinho ele já gostava de usar batom, e para um adolescente essas coisas são complicadas, mas com o tempo ele foi conseguindo se enturmar com as pessoas certas e não apanhava tanto para os valentões da escola.

Já crescido fez direito na faculdade, mas na época René Descartes ainda era um jovem normal (tirando a sua orientação sexual) e por isso foi reprovado repetidas vezes na prova da OAB. Triste, foi apresentado aos vinhos, queijos podres e cogumelos alucinógenos que ainda viriam a fazer parte integrante de sua vida.

Sem opção, se alistou na marinha, onde pelo menos Descartes poderia ter um consolo em conhecer seu ídolo Maurício de Nassau, a quem Descartes achava tão sensual e másculo, mas como Nassau não era francês, não se sentiu nem um pouco confortável como toda aquela situação e mandou Descartes ir atuar na Guiana Francesa.

Desse modo Descartes encontrou seu primeiro amor, Isaac Beeckman com quem escreveu poesias e musiquinhas de ballet, intitulados de Compendium Musicae e assim Descartes agora teve sua primeira decepção amorosa quando flagrou Beeckman na cama com Alexandre Frota. Descartes transferiu-se e foi combater ao lado dos nazistas na Alemanha aonde fugiu de todos os combates, mas era mantido no pelotão, já que era a "bonequinha" do grupo de soldados.

Vida como Pensador

Descartes em um bar conversando com duas biscates sobre sua teoria do método (ele era um boça).

René Descartes em uma batalha contra os gauleses, recebeu um pequeno soco acidental do soldado inimigo Obelix, o impacto em sua massa encefálica foi tal, que René Descartes de um dia para o outro virou um "gênio", começando a blasfemar coisas que ninguém tinha a mínima ideia do que significava. Traumatizado com os horrores da guerra, Descartes promete nunca mais sair de casa e ficar trancafiado em salas de aula falando e escrevendo sobre coisas difíceis e compreensíveis apenas por mentes malucas, como a dele.

Os primeiros estudos de Descartes foram as teorias estranhas e inconsistentes do Heliocentrismo junto com um velho moribundo, o Galileu Galilei. Mas Descartes não esperava pela Inquisição Espanhola!! René cagou e não publicou seu trabalho sobre o heliocentrismo e teve a vida poupada, já Galileu que foi macho e publicou suas teorias, foi queimado junto com a Joana d'Arc.

Traumatizado profundamente, Descartes ficou ligeiramente insano e começou a falar mais difícil do que o seu costumeiro, as vezes até falava em latim, mas Descartes insistiu em publicar seus materiais científicos baseado na clássica teoria de enrolação da igreja proposta anos antes por Agostinho.

Com o tempo, Descartes foi convidado a mudar de país pela Rainha da Suécia Cristina da Suécia em pessoa, uma encalhada loira estúpida (não repare no pleonasmo) que viu algo que decerto ninguém mais viu em Descartes. O problema é que Descartes não tinha interesse em belas mulheres ricas e Cristina morreu encalhada, pondo fim na linha real sueca. Descartes como punição pela sua terrível falta de "macheza" foi punido a ficar dando aulas para pré-adolescentes o resto de sua vida.

Descartes e a Inquisição

Descartes sendo torturado pelos padres da igreja durante a Inquisição.

Ao publicar o Discurso do Método e dizer que nada existe, Descartes foi chamado pela Inquisição e permaneceu sob tortura durante quarenta dias e quarenta noites. Além de métodos de tortura famosos como o Berço de Judas, Descartes fora vítima de abusos sexuais doentios como coprofagia e zoofilia, o que, posteriormente, o levou à insanidade. Numa tentativa de convencer a Igreja Católica de que não era pagão, Descartes prova que deus existe através de um método fedorífero de comparação idealista. Ora, dizia Descartes, se os seres humanos variam de mais fedorentos a menos fedorentos, deve haver uma máxima de fedor. Essa máxima não está aqui, então, precisa estar em outro lugar. Logo, deus existe, deus é o inigualavelmente fedorento. Mas o argumento fedorífero para a existência de deus não foi o bastante para convencer os católicos e mesmo assim Descartes permaneceu sob tortura.

Insanidade e Morte

Crânio de René Descartes em algum museu na França.

Aprisionado como escravo na Suécia, Descartes aos poucos foi ficando insano por ter que trabalhar por tanto tempo sem descansos com crianças estúpidas e que não duvidavam de nada. Tentou cometer suicídio várias vezes sem sucesso até que morreu de um resfriado que pegou em um rigoroso inverno em Oslo, durante uma viagem à Noruega. Os restos de Descartes foram profanados e enterrados em solo pagão.

Com a invasão de Napoleão na Suécia, o exército francês recuperou os ossos de seu herói Descartes, que foram levados para um enterro digno na França.

Durante a Revolução Francesa, René Descartes teve seus restos mortais desenterrados para serem expostos em um museu, mas ano passado ladrões roubaram a carcaça de Descartes para tentarem ressuscitá-lo, não houve sucesso...

Estudos

Os estudos de René Descartes eram tão vagos, que continuam sendo estudados até hoje, e até hoje ninguém entende direito o que aquele drogado quis dizer... Ele foi o inventor do bendito jargão usado por tolos metidos a pensadores sobre os métodos de estudo da análise teórica metodológica e epistemológica. O que quer dizer muita coisa, mas ao mesmo tempo não quer dizer nada, algo que Descartes adorava fazer.

As teorias epistemológicas de Descartes influenciou grandes filósofos da modernidade como Raul Seixas, comentaristas de futebol, Tiririca e Professor Girafales e também, Descartes fora influenciado por grandes nomes da Ilha de Lost como John Locke e Rousseau.

Pensamento

Descartes teorizando.

Em linhas gerais, o pensamento de Descartes pode ser considerado algo doido, sem sentido e difícil de entender. Muito a frente de seu tempo e longe de qualquer outro tempo. Ele foi o primeiro gay a ser perseguido pela igreja, e de tão chato, manchou eternamente o público homossexual perante a igreja que persegue essa raça com suas espadas até hoje por culpa de Descartes que ficava de gracinha tentando provar a existência de Deus falando do éter que permeia o espaço absoluto do universo.

O homem era um cheirador profissional de gatinhos e dotado da melhor arte de enrolar os outros através de uma aplicada escolástica e retórica às ciências humanas filosóficas, fazendo com que o diálogo com qualquer pessoa nunca dure mais que 1 minuto de tão chato que é o assunto.

De vez em quando se disfarçava de jesuíta, já que ateus eram maus vistos na época, ao contrário da atualidade que todos humanos são ateus com orgulho.

Uma de suas táticas de inspiração era beber vinhos até encher a cara para escrever suas teorias psicodélicas heliocêntricas do universo que ele dizia ser totalmente preenchido por um "éter" onipresente feito de LSD em cor púrpura. Assim, a rotação do Sol, através do éter, criaria ondas ou redemoinhos, explicando o movimento dos planetas, tal qual uma geladeira aquecendo um sorvete.

Outra área objeto do estudo de Descartes era a antropologia e ética (essa, por exemplo, falta muito no Brasil). A teoria geral afirma e prova que o corpo humano é uma máquina movida a comida e sexo. Isso significa, basicamente, que nós somos robôs. Logo, Superman é um robô desenvolvido em laboratório para salvar a humanidade cumprindo as leis da robótica de Asimov (incluindo a Lei Zero), e a partir daí o povo vai naturalmente descobrindo a roda, o fogo, etc.

Teoria dos Métodos

Se você diz que a Pepsi e a Coca Cola são um cartel, você precisa provar antes!

Um outro estudo de Descartes era a produção de teorias e métodos de como discutir de forma bem sucedida em um bar, bebendo vinho elegantemente e falando abobrinhas, a sua famosa Teoria dos Métodos, que consiste em 5 passos claros: 1 - Falar sobre a ciência, principalmente sobre as matérias recentes da Superinteressante; 2 - Falar sobre as teorias de forma não clara e inconsistente; 3 - Falar de forma convincente sobre as provas de suas teoria e se possível colocá-la em prática empiricamente; 4 - Falar de Deus e que ele existe para ficar limpo perante a igreja e despistar qualquer inquisidor que esteja espionando por perto; 5 - Justificar porque você está falando tudo isso dizendo que é um prazer formar sábios. Por fim, se cumprir essas etapas, receberá o diploma de chato honorário. Já atualmente essa teoria é o manual de como ser o boça.

Já o motivo de tanta badalação em torno de René Descartes, foi por ele ter escrito o famoso Discurso sobre o método para bem conduzir a razão na busca da verdade dentro da ciência e blá blá blá aonde ele descreve que com 4 tarefas básicas é possível afirmar se alguma teoria é verdadeira ou não(plágio do método científico descrito por Isaac Newton). Esse método é baseado em algumas taras de Descartes, e os 4 passos são: Verificar a mercadoria; Analisar outra vez; Sintetizar em um resuminho legal para ficar de fácil compreensão; e Enumerar no dicionário das teorias.

Teoria Metodológica Epistemológica da Dúvida e Prova

Sempre duvide do que vê.

Surge a Teoria Metodológica Epistemológica da Dúvida e Prova aonde René Descartes expressa a necessidade de encontrar uma abordagem verdadeiramente segura que lhe permita adquirir um conhecimento profundo e inegável, e assim ele tenta saber porque estava deprimido e tinha dúvidas se pagava o aluguel do mês ao Senhor Barriga. É usada o Método da Dúvida, Descartes duvida a diferença entre o mundo real e a dúvida metódica, isso porque a primeira dúvida é a dúvida por hesitação, rejeitada por Descartes, embora a dúvida sobre a própria dúvida ainda seja aceita ironicamente, já a segunda dúvida é aquela investigada pelo método como objeto para mais dúvidas, e seria através dela possível chegar a algum tipo de verdade inegável, ou seria essa verdade realmente verdade, Descartes duvidava! E você que leu até aqui está cheio de dúvidas - Essa teoria possui 4 características básicas:

Método: Em outras palavras, é dúvida que os meios utilizam, com o objectivo de se chegar a algum tipo de certeza inegável. Na verdade, a dúvida metódica é usada para saber se realmente há alguma dúvida pertinente ao conhecimento científico, por isso, não há certeza de que as dúvidas realmente existem e tudo se resume a escolher a pílula azul ou vermelha.
Universal: A teoria deve ser aplicada a qualquer proposta sobre a qual se quer todas as respostas.
Temporária: A dúvida deve ser abandonada logo que você chega a descobrir algum tipo de verdade que é absolutamente inegável. O problema é que se eu tenho dúvidas se a verdade é absoluta, como diabos vou saber quando algo realmente é verdade!?
Teórica: A dúvida não se estende ao comportamento. Descartes é igual São Tomé, só acredita vendo.

"Detalhe: O texto anterior sobre a Teoria Metodológica Epistemológica da Dúvida e Prova foi tomada a partir de uma fonte anônima usando "CTRL + C" e "Ctrl + V", mas a explicação da dúvida metódica para que você entenda, é a arte de duvidar de tudo e mandar que qualquer um prove o que diz ser verdade". Hoje, essa corrente filosófica é usada exaustivamente por advogados.

Teoria das 3 Coisas

Antes de morrer, Descartes teve tempo para pensar mais teorias esquisitas, a Teoria das 3 coisas que para Descartes, há basicamente três coisas ("Res", em latim) que regem o comportamento humano perante os acontecimentos intrínsecos da física (realidade).

"Res extensa" (ou "grande coisa"). Diz sobre o que está espalhado por aí. A gordura é "res extensa" (grande coisa). Por isso são coisas elásticas, como manteiga.
"Res cogitans" (ou "a merda que você pensa"): Baseado descaradamente em Platão. Diz que tudo o que você pensa é uma coisa que você pensa.
"Res infinita" (ou "coisa infinito"). São as coisas que não acabam nunca. Como os desodorantes e partidas de banco imobiliário.

Geometria

Descartes nunca solucionou esse problema e tentou por toda a vida...

Vale lembrar que Descartes tinha uma cabeça pirada e, portanto era bom com matemática espacial, que ele gostava de chamar de geometria.

Descartes inventou o diabo do Sistema de coordenadas cartesiano, o grande terror de qualquer aluno normal de ensino médio. Com esse plano cartesiano Descartes podia fazer seus desenhos meigos usando fórmulas como 7X + 2³ - { \sqrt{1 - \frac{x^2}{c^y} }  } + \Lambda g_{ik} que no caso representaria o desenho de um coelho felpudo no plano cartesiano.

Grandes Citações

Cquote1.png Penso, logo desisto. Cquote2.png
Cquote1.png O bom senso é a coisa mais bem distribuída do mundo: todos pensamos tê-lo em tal medida que até os mais difíceis de se contentar nas outras coisas não costumam desejar mais bom senso do que têm sem antes conferir se os mais fáceis de conseguir nessa medida podem se contentar em possuir uma pequena parcela disso. Cquote2.png
Cquote1.png Não basta termos um bom queijo. O mais importante é o vinho para acompanhar. Cquote2.png

Alguém ao conversar com René Descartes, ou mesmo ler um de seus trabalhos...

Cquote1.png Não tenho medo de duvidar de dúvidas, mas tenho dúvidas das dúvidas, e duvido que o tempo realmente exista. Cquote2.png Cquote1.png Tudo isso baseado em análise teórica, metodológica e epistemológica. Cquote2.png
Cquote1.png Luke, eu sou gay!! Cquote2.png

Obras

  • Trabalhando como pedreiro, construiu 4 casas.
  • Livro: "As coisas que eu penso do meu pensamento ao pensar de mim pensando em mim mesmo".
  • Livro: "Espiritismo segundo René Descartes".
  • Livro: "Discurso sobre o Método Contraceptivo".
  • Livro: "Matemática Espacial".
  • Livro: "Meditações concernentes à sexologia primeira em que a existência de Chuck Norris e a distinção real entre os viados e os emos é demonstrada".

Curiosidades

  • A frase "cogito ergo sun" (penso, logo existo), essa frase significa dizer que um indivíduo só passa a existir a partir do momento em que ele pensa, e, com isso, cresce seu intelecto. Esse "existir" não significa habitar, ocupando lugar no espaço, mas sim é o ato de você pensar, filosofar, buscando sempre questionamentos e sugestões. Logo, podemos concluir que indivíduos como Carla Perez, Sabrina Sato e George W. Bush (entre outros), são pessoas que jamais existiram, e quem disser ao contrário vai se ver com Descartes!

Veja Ainda

v d e h
Os maiores nerds gênios de todos os tempos!


Jeremias pensador.jpg
Filósofos, autistas e outros maconheiros pensadores
v d e h

Adam Smith | Albert Camus | Anaxágoras | Aristóteles | Arquimedes | Arthur Schopenhauer | Ayn Rand | Blaise Pascal | Confúcio | Demócrito | Descartes | Diógenes | Émile Durkheim | Empédocles | Engels | Epicuro | Francis Bacon | Nietzsche | Giordano Bruno | Gordo Nerd | Galeno | Goethe | Hegel | Heráclito | Horácio | John Locke | Jürgen Habermas | Kant | Karl Jaspers | Karl Popper | Lao Zi | Leonardo Boff | Louis Althusser | Ludwig Feuerbach | Maquiavel | Marco Aurélio | Marilena Chauí | Martin Heidegger | Marx | Michel Foucault | Montesquieu | Olavo de Carvalho | Pitágoras | Platão | Roger Bacon | Rosseau | Santo Agostinho | Sartre | São Tomás de Aquino | Sêneca | Seu Madruga | Sócrates | Sólon | Søren Kierkegaard | Sun Tzu | Tales de Mileto | Thomas Hobbes | Voltaire | Walter Benjamin | Wilhelm Dilthey | Zenão de Eleia | Anthony Giddens

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas