Renault Fluence

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Típico sonho de consumo da classe média. Este artigo é sobre um carro.

♫ Puta que pariu, pisa no freio, Zé... ♫

Ele queima óleo, suja sua garagem, solta fumaça e sempre lhe deixa na mão no meio da estrada!


Renault Fluence reforçando a linha de estilo dos carros franceses.

Cquote1.png Você quis dizer: Samsung SM3 Cquote2.png
Google sobre Renault Fluence

Cquote1.png Experimente também: Vinho D'Fluence Cquote2.png
Google sobre Renault Fluence

Cquote1.png ♫ Alors on Fluence ♫ Cquote2.png
Stromae sobre Renault Fluence

Cquote1.png Botei fogo, que nem no comercial. No Fluence, é claro. Isso não é coisa de macho. Carro para mim é Pagani Zonda. Cquote2.png
Chuck Norris sobre Renault Fluence

Cquote1.png Somos prepotentes mesmo Cquote2.png
Renault sobre as propagandas que faz, incendiando carros dos anos 1990

Cquote1.png Prefiro o Mégane Cquote2.png
Maluco de dorgas sobre Renault Fluence

Cquote1.png Quero um Fluence Grand Tour Cquote2.png
Vendedor de ovos sobre Renault Fluence. Melhor ele comprar uma Quantum

Cquote1.png TERMOS DE USO: Utilize esse carro com delicadeza Cquote2.png
Contrato para ter um Renault Fluence

Fila de Fluences indo para a concessionária resolver os problemas.

Renault Fluence foi apresentado em 2009 na Zooropa Europa e é vendido no Brasil desde 2011. O modelo quer concorrer com Honda Civic e Toyota Corolla, e a marca baixou geral os preços, enganando propriotários que acham que terão a mesma facilidade para bancar a manutenção e o seguro. Ainda assim, o valor que se paga no Brasil por um Fluence é suficiente para comprar, em euros, qualquer outro carro francês, exceto o Bugatti Veyron, que é franco-alemão.

Renault Fluence? Não. Samsung SM3. Amplie a imagem para ver como o Fluence é uma cópia francesa descarada.

O Fluence poderia ter sido projetado pelos franceses boiolas do centro de estilo da Renault na França, mas, como eles estão ocupados demais desenvolvendo Mégane, Scénic, Laguna Coupé, Wind, Diabo-a-quatro e outros modelos, sobrou para os engenheiros comedores de cachorro da Coréia do Norte Sul. Assim, o Fluence possui um design sem criatividade, pois é plagiado do Samsung SM3. As diferenças estão no para-choques e nos emblemas. Os donos de Mégane vão gostar de saber que o Fluence continua a ter chave-cartão, principalmente porque agora é possível deixá-la em qualquer local e, estando próxima, o carro destranca as portas. Assim, os donos poderão colocar o cartão no cu. (e o bambu também)

E a chave-cartão? Enfia no teu cuzão.

Como um projeto ainda recente, o Fluence ainda não se tornou um carro muito visto por aí. Os motivos são dois: o carro é delicado demais para as crateras da Régis Bittencu Bittencourt (esse deve ser francês também), não podendo ser utilizado para transportar a família para a estação de lavagem de dinheiro ou a quadrilha ao caixa eletrônico mais próximo. O outro motivo é que o Fluence não serve como carro de mano, diferentemente do Astrão Vectra. O motor 2.0 é bom, mas é o mesmo da Scenic da tua avó.

Isso é o Renault Fluence vira, quando você retira da concessionária.

O Fluence tem diversos sistemas para entreter seus proprietários e passageiros:

  • Grilos de série nos plásticos, forro de teto e tampão do porta-malas
  • Vidros (sim, é muito importante para se distrair)
  • Sistema de som MIDI, ideal para ouvir os hits do momento
  • Comandos de rádio que são ativados com o esterçamento do volante
  • Propaganda das Casas Bahia no GPS
  • Propaganda do iPhone 5 no GPS
  • Computador de bordo de 8-bits, com tela preto-e-branco, HD suficiente para carregar arquivos do Bloco de Notas e acesso à Internet (via WAP, claro)
  • Link para a concessionária mais próxima quando se liga o carro

Verdades sobre o Renault Fluence[editar]

Um dos raros Renault Fluence de mano.
  • É possível abrir o Fluence com cartão de crédito Visa ou MasterCard.
  • 97% dos seus donos são proctologistas ou urologistas. 2% são gays discretos e 1% ganharam de presente do marido
  • Por R$ 75 990 pode-se comprar o Fluence Dynamique completo com acesso à Internet, via Bluetooth G2 com 4000 Gbps de velocidade, mas restrita apenas ao site da Renault e aos sites que os engenheiros da Renault acessam - ou seja, sites gays. Tudo bem, é adequado ao público-alvo do modelo.
  • Não existe fotos do Fluence batido, pois ele se desintegra durante uma colisão (e os ocupantes viram purpurina).
  • O Restart odeia o Fluence, pois ele é espaçoso. Restart gosta de coisas apertadas.
  • A antena do Fluence garante sinal analógico de TV ao Canal do Boi, Globo (repetiram o nome da mesma emissora) e, com muita sorte, Gazeta.
  • O Fluence permite suicídio à francesa, é só colocar a cabeça para fora do teto solar e apertar o botão de fechar.
  • O descansa-braço do Fluence permite descansar apenas a mão.
  • O computador de bordo do Fluence não serve para porra nenhuma, mas danifique-o e vai pagar mais caro do que um notebook Lamborghini de 16 GB de memória RAM.
  • Se você não levar o Fluence à revisão, ele vai acionar um despertador automaticamente, às 04h da manhã.
  • O Fluence tem um porta-pen-drives. Está na parte traseira, onde em outros carros fica o porta-malas.


v d e h
*Automóveis, atropelamento e fuga