República Rio-Grandense

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é relacionado à história.

Se você vandalizar, Vlad Tepesh vai te empalar!

Caravela-1.jpg
Gauchodanc.jpg Mas bah, tchê!

Este artigo buenaço e tri-legal é do mais puro humor gaudério dos pampas, vivente, então veste tua bombacha, recolhe teu pelego no galpão e toma um mate amargo com a gente, macanudo!

Chima.jpg
Cquote1.png Você quis dizer: "O Sul é Meu País" que deu certo Cquote2.png
Google sobre República Rio-Grandense

Cquote1.png Experimente também: Movimento LGBT financiado pelo Reino Unido Cquote2.png
Sugestão do Google para República Rio-Grandense


●República Rio-Grandense
●República do Pirarucutini

Bandeira da República Rio Grandense.png Brasão da República Rio-Grandense.png
Lema: Cacetinho,fandango e CTG
Hino: Hino do Rio Grande do Sul
Localização do Rio Grande do sul.png
Capital Piratini
Língua Gauchêis
Tipo de Governo República parlamentarista
'
Moeda Boi
População Muita gente



A República Rio-Grandense era uma grande fazenda de gado que tinha na época do Império Brasileiro que queria virar um país. O Império cobrava autos impostos para os produtores de carne de charque, baseado nisso ocorreu uma independência e a Província de São Pedro do Rio Grande do Sul virou a República Rio-Grandense. O país não tinha significância alguma, tanto que só o seu miguxo reconheceu como uma nação idependende.

Começo[editar]

Até a Globo Golpista cobriu (tedenciosamente) a Revolução Farropilha

Tudo começou quando a fazenda ainda era do Brasil. Na época era cobrado altos impostos (era?) e os bando de burgueses safados ficaram descontentes com isso, assim eles descidiram levar isso na porrada. Logo eles aproveitaram para lutar com outros indivítuos que também diziam que imposto é roubo, que é Revolução Farropilha. Os proprietário querendo demostrar ter muito dinheiro compraram alguns soldadinhos de chumbo para bricar com os regentes do Império do Brasil. Depois de muito combate, em 7... digo... 10 de setembro ocorreu a Batalha do Seival, e o Genaral Toninho Souza Neto compra ganha a batalha e ainda aproveitou para proclamar a independência do estado no dia da explosão.

Os homãos da porra do Rio Grande do Sul, tacaram o pal, se é que me entende nas marchas imperiais, assim conseguiram fundar (e afundar) a República Rio-Grandeinse. A republica do RS foi o Estados Confederados do Brasil. Para os intelectuais da época era muito benéfico, pois na época jogaram os filhinhos de papai para a Europa para estudar e herdar o conhecimento dos franceses (que acabaram herdando mais que isso), assim, logo baseado nos principios iluministas adotaram o liberalismo (e liberaram geral, bixa). Mais foi o liberalismo só pros fazendeiros, os pobres e microempreendedores que se fodam.

Governo[editar]

Óbvio que a maçonaria não perderia a oportunidade de controlar mais um país com seu super poder controlador, assim eles adotaram o presidencialismo para o país, que quem tomou posse foi o maçônico e satânico Michel Temer Bento Gonçalves da Silva.

Presidente Período
Bento goncalves.jpg Chico Bento Gonçalves Dias da Silva
1836 - 1841
Gomes Jadim.jpg Ciro Gomes Jardim
1841 a 1845

Fim[editar]

A República Rio-Grandense era um país tão mixuruco que nem mesmo o Paraguai reconhecia como nação, então por falta de apoio (e de gado) ela volta a se chamar Província Fazenda de São Pedro do Rio Grande do Sul.