Resident Evil: Operation Raccoon City

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Resident Evil: Operation Raccoon City se trata de um jogo virtual (game)

Enquanto você lê, Sua Irmã isola seu controle do Wii.

Cena mais comum do jogo.

Cquote1.png Você quis dizer: Desperdício de dinheiro (tanto seu quanto da CAPCOM) Cquote2.png
Google sobre Resident Evil: Operation Raccoon City
Cquote1.png Espero que o artigo não seja "bom" como o jogo foi Cquote2.png
Fã paga-pau de Resident Evil sobre os resultados decepcionantes de operation racoon city
Cquote1.png ...E você poderá matar o Leon! Cquote2.png
Frase que fez o jogo vender
Cquote1.png O jogo me mostrou que todos os soldados da USSB não tem alma e que se você por açúcar em cocô de cachorro, o cocô fica bom! Cquote2.png
Crítico esfolando vivo Resident Evil: Operation Raccoon City
Cquote1.png A Capcom nos deu um trabalho, concluímos o objetivo deles e entregamos esse jogo ao mundo Cquote2.png
Slant Six Games sobre Como fazer um jogo de Resident Evil ruim

Resident Evil: Operation Raccoon City foi um jogo eletrônico (apesar de controvérsias dizendo que tudo não passava de uma forma de roubar dinheiro dos fãs de Resident Evil clássico e dos fãs de filmes do Resident Evil) onde você controla uma equipe desalmada da Umbrella Special Forces cujo único objetivo é limpar a cagada do patrão que posteriormente vai deixá-los para morrer na cidade (Spoiler, mas ninguém se importa).

O jogo nos lembra da "Velha Guarda dos Games", os quais por não possuírem gráficos fodões precisavam ser divertidos. Vários jogos de SNES, seja pela linguagem estar em japonês, seja por serem chatos mesmo, tornaram os títulos do Nintendinho um campo minado de jogos ruins, porém, com o surgimento do Playstation 3 e do XBOX 360 o que eram "minas" antes tornou-se uma "Armadilha", como aquela mulher gostosa da balada que tem "algo a mais" nela.

No final, o que importa é que todos se esqueceram que Resident Evil: Operation Raccoon City é horrível e os foruns de Resident Evil viraram uma discussão entre "fãs de Resident Evil clássico" (os conservadores) e os "fãs dos filmes do Resident Evil" (ou os fãs contemporâneos).

Produção[editar]

Cquote1.png Não minta para mim, todos aqui sabem que você vive dando pro HUNK, Vector! Cquote2.png

Com o estouro dos filmes de ação desmiolada de Resident Evil e com várias Gurias Retardadas achando que Alice era uma personagem oficial da franquia, surgiu uma ideia pelo lado da Capcom de ganhar um dinheiro fácil usando Raccoon City misturada com filmes de ação. Apesar de tudo, a Capcom tinha o que fazer e não podia perder tempo para fazer mais um Resident Evil, e foi com essa premissa que Resident Evil: Operation Raccoon City tornou-se o que é hoje: cocô de cachorro abandonado.

Os produtores[editar]

Reza a lenda que existe uma maldição na indústria de jogos de sucesso japoneses, ela diz que, caso uma empresa americana, exclusivamente os Estados Unidos, produzisse um jogo japonês o resultado seria um monte de bosta. Dizem que essa macumba começou com Silent Hill, que depois que a Team Silent se separou e foi cada um para oseu lado a, hmmm... Esqueci o nome, não quis parar de produzir esse jogo. Deram para um bando de gringos produzirem os novos Silent Hills.

O resultado foram roteiros tão confusos quanto a própria cidade, um jogo que não tinha graça nenhuma, além dos gráficos horríveis, e jogos que ninguém nunca ouviu falar. E continuaram persistindo no erro, passando a bola um para o outro. Acha que sera diferente com a Capcom?

Por isso, desde o início falavam que a Slant "Slut" Six, empresa escolhida pela Capcom "famosa" por jogos como Lost Planet e... Lost Planet 2, ia foder o jogo, a Capcom não acreditou até que viu as notas dadas pela crítica. Quando quem idealizou o jogo se pronunciou fez a mesma coisa que a Konami com Silent Hill:

Nessa imagem, um fã de Resident Evil tenta esganar Bertha, personagem de Resident Evil: Operation Raccoon City

Cquote1.png A culpada foi a Slant Six Cquote2.png
Porta-voz da Capcom sobre a cagada de Resident Evil: Operation Raccoon City

Qualquer idiota que analisasse por um minuto a produção do jogo veria que a culpa foi da Capcom que estava com preguiça de fazer um jogo razoável. Mas como são fãs paga-pau da franquia, ninguém mencionou esse fato e a Slant Six se tornou a "Vadia" (trocadilho com "Slut") dos gamers insatisfeitos com o jogo. Mas isso tudo aconteceu DEPOIS que lançaram o jogo e descobriram como ficou.

Talvez a Slant Six poderia dividir um pouco da culpa, já que usou Chimpanzés para programar, desenvolver e criar um roteiro de Resident Evil: Operation Raccoon City. Se tivessem usado Orangotangos, como a Rockstar usou e ainda usa, o resultado seria satisfatório.

Em pronunciamento pelo fracasso, a Slut Six disse que lançaria pacotes para corrigir os bugs, melhorias nos gráficos e sacrificaria todos os Chimpanzés envolvidos na produção de Resident Evil: Operation Raccoon City.

Recepção[editar]

Cita3.pngJogue esse jogo por uma hora e você estará rezando para um apocalipse zumbi começarCita4.png
GamesRadar

Quem realmente se divertiu com esse jogo foi a crítica, por motivos óbvios.

O que poderia levar Operation Raccoon City ao rol dos fracassos comerciais, a crítica, levou Resident Evil: Operation Raccoon City em direção a "maior demonstração de amor pela franquia Resident Evil" ou "a maior demonstração que, às vezes, os críticos estão certos".

Quando saíram as notas das demos, nenhum fã acreditou. Quando saíram os comentários de europeus que compraram o jogo e se decepcionaram, nenhum fã acreditou. Quando eles mesmos desembolsaram 150 dólares na compra do jogo, eles viram que tudo era verdade. Esse fenômeno todo pode ser explicado numa só frase:

Cquote1.png PEGADINHA DO MALLANDRO! GLU GLU! IÉ! IÉ! Cquote2.png
Mallandro, Sérgio

A Capcom tem uma sorte danada de Shinji Mikami ter vendido a alma. Resultado: Resident Evil: Operation Raccoon City foi mais um CD abandonado na prateleira de vários gamers, e ninguém conseguiu revendê-lo depois, afinal pessoas comuns acreditaram quando os críticos disseram que o jogo era ruim.

Roteiro[editar]

Echo Six, o grupo de personagens supérfluos de Resident Evil: Operation Raccoon City.
Cquote1.png Resident Evil: Operation Raccoon City não possui relações com o enredo original de Resident Evil, sendo considerado um Spin-off pela Capcom. Ou seja, não importa se Leon morre, se a Spec-ops está ali e se existe a Wolfpack, Resident Evil: Operation Raccoon City é mais um filho bastardo abandonado pela capcom, assim como o Resident Evil: Outbreak e Resident Evil: Gaiden
Aviso sobre spin-offs Capcom


A sinopse do jogo é atirar em zumbis, soldados, tyrants, hunters dividida em duas: A parte da Wolfpack (esquadrão enviado a Raccoon pela empresa malvada, Capcom Umbrella) e pela Echo Six (gangue de adolescentes e motoqueiros enviado a Raccoon para limpar o nome da empresa Slant Slut Six, que criou um filho bastardo e agora tenta pará-lo, ao mesmo tempo que tenta salvar os que participaram desse título bomba que é "Operation Racoon City"). O jogo vem com a campanha do Wolfpack embutida, se vai querer jogar com a equipe de personagens supérfluos - a Echo Six - deverá gastar uma grana pra baixar a campanha deles na internet.

  • Wolfpack

A primeira missão do grupo começa - não antes de vários diálogos toscos proferidos pelo seu grupo...

Cquote1.png Bertha, pronta para brincar; Beltway, prazer em conhecê-lo, Senhor Morte; Spectre, tudo preparado; Vector, prazer em revê-lo amorzinho Cquote2.png
Diálogos toscos da sua equipe, tomara que eles atirem melhor do que falam

... No laboratório da Umbrella. Sua equipe vai numa missão "ultra-secreta" (apesar de já saírem atirando) roubar amostras do G-vírus de Birkin. A expectativa dos donos de Operation Raccoon são grandes nessa parte, comparam o jogo a grandes títulos como o "Gears of War" e nem notam o que estavam dizendo... Até que Willian renuncia a toda sua normalidade e toma o G-virus. Primeiro ele faz HUNK perder toda a pose, depois vai atrás da sua equipe. Depois de vários resets e xingamentos dirigidos ao ex-doutor Willian, você passa da primeira missão e a vozinha maligna do seu rádio culpa sua equipe por foder com Raccoon City. Até aí tudo bem, você diz que "não está acostumado com os comandos" e ignora o fato de seus colegas te deixarem para trás, cuidando do monstrengo, enquanto ateiam fogo em si mesmos.

Cquote1.png MACACOS IDIOTAS! Cquote2.png
Diretor da Slant Six após ver as críticas dos jogos, distribuindo "demissões" entre os funcionários, no caso, tiros de espingarda

Na segunda missão, você - sua equipe está ocupada demais explorando paredes, atirando em você e ateando fogo em si mesmos (outra vez) - está na superfície e deve queimar as evidências na prefeitura. No caminho você encontra um Filho da Puta, seu personagem sugere matá-lo, mesmo que estejam do mesmo lado, mas Lupo, a líder, não o mata, não por respeito ao senso de humanidade, e sim porque "Ele mesmo faria isso", no fim você vai ter que ajudá-lo a "morrer" (e ele ainda vai estar "meio-morto"). Aqui você encontram os zumbis e se diverte atirando neles, elogiando o jogo e os zumbis e praguejando críticos, então você encontra a Spec-ops, reclama por seus companheiros não serem tão espertos e ficarem morrendo o tempo todo, fica irritado pois quando tenta reviver um desses idiotas acaba pegando a arma deles e depois de vários resets finaliza a primeira missão pensando que a próxima "será melhor".

Ledo engano, no final da terceira missão você estará a ponto de atirar o XBOX 360 pela janela. Você deve levar um bando de macacos de máscara, sua equipe, para receber um pacote de pulso-eletromagnético e fazer um apagão em Raccoon (no Brasil nem precisaria de pulso nenhum, mas falamos de EUA). Nicholai mata o piloto do helicóptero, mesmo que esse voasse a uma altitude magnífica, com um tiro na cabeça. Depois de Nicholai liberar Hunters e Lickers para te atrapalhar, e depois de vários resets você consegue recuperar o último pacote e mata Nicholai. Mas só depois de morrer pelas mãos dele, virar um zumbi, morrer tentando ressuscitar um de seus comparsas. E quando você acha que não vai morrer mais, ainda tem que ir até a usina elétrica, ativar o pulso, morrer por causa de lickers, da Spec-ops e por Nicholai (que ainda está vivo). Acabada a terceira missão, os mais otimistas e mão-de-vaca ainda tentam achar que Resident Evil: Operation Raccoon City não foi 200 reais jogados fora.

Mas a quarta missão acaba com a auto-estima de todos, você agora deve encarar o Nemesis, que está descontrolado. Aí vira uma reunião familiar, com direito a zumbis, crimson heads, spec-ops e a metralhadora do filme "Resident Evil: Apocalipse, todos unidos contra você, já que seu grupo está morto e só serve para absorver o fogo inimigo, você será infectado milhares de vezes, um companheiro vindo do inferno irá te infectar, você dará reset por causa do Nemesis, do Spec-ops, dos zumbis, dos seus colegas zumbis. Nessa parte, só existe dois pontos bons: a chance de matar Leon (que você nem lembrava, já que estava ocupado demais ressuscitando seus colegas) e que "poderia ser bem pior". É na quarta missão que a vozinha maligna da Umbrella deixa a Wolfpack para alimentar os nativos.

Depois de alguns encontros irrelevantes com Ada Wong, a vozinha reata com a equipe e troca o resgate deles pela morte de um policial, Leon Scott Kennedy, aí você diz:

Cquote1.png Até que enfim vai valer a pena esses 200 mangos Cquote2.png
Você sobre o motivo de ter comprado o jogo

A vozinha diz que "Alguém que usa um megahair e pinta o cabelo de loiro não merece viver". E então, na oitava e última missão, você percebe que para chegar até Leon terá que dar o triplo de resets que deu quando lutava contra o Nemesis, que todos os zumbis de Raccoon City só atacam você, que o Wolfpack parece que foi banhado em óleo, que mesmo no nível fácil - é impossível matar um Spec-ops -, que Claire Redfield é "uma vadia" com um canhão mirado contra você, que Leon é "um emo francoatirador travestido" e que você terá que pagar o preço se quiser matar Leon de uma vez por todas, mesmo que você pare para tentar matar todos os zumbis eles continuarão vindo, enquanto a Spec-ops atira em você, que tenta reviver os seus companheiros idiotas, que tenta matar o Beltwat que se infectou outra vez, enquanto tenta recarregar a munição.

Continuação da cena, com os empregados da Slant Six justificando que a empresa é naturalmente uma bosta.

Depois de todos os resets, você vê que é bem mais fácil passar correndo, ignorando zumbis e a Spec-ops, e subir logo a porcaria do telhado onde Leon atira contra você. E lá... Chega o tão esperado momento... Leon começa um diálogo tirado de "Os pinguins do papai" com "Jim Carrey" sobre amor e piedade, mas você está tão irritado com as mortes, tiros, zumbis, hunters, lickers, Justin Bieber e os companheiros burros que a verdadeira escolha não é "Matar Leon" ou "Salvar Leon" a verdadeira escolha é:

Cquote1.png Se quer matar seus companheiros por serem estúpidos, mandar a vozinha gay do seu rádio tomar no cu e se vingar da Capcom, que te enganou, fazendo você pagar 200 reais para jogar essa porcaria de jogo, aperte "A". Se você acha que se sentiria bem melhor matando Leon, o motivo de você ter comprado esse jogo, aperte "B"
A grande pergunta de Operation Raccoon City


Somente o Vector, discípulo do Hunk, fica do lado do Leon e o restante da equipe contra você. Sua escolha é se unir com os sujeitos que ficavam explorando paredes enquanto morriam ou matar Leon com eles ao seu lado (isso se não morrerem novamente). Seja como for, o final é o mesmo, você triplica o valor de seu contrato, faz a vozinha homossexual do seu rádio revoltada e fica você mesmo vai atrás da Umbrella Capcom se vingar e tirar o reembolso por ter gasto seu dinheiro para um final xoxo desses.

  • Echo Six

"A campanha que ninguém jogou". Pularemos essa parte, já que é uma campanha irrelevante, que ninguém comprou para não gastar mais dinheiro num jogo como Resident Evil: Operation Raccoon City.

Personagens[editar]

Nem mesmo os peitos em HD da Jill Valentine você poderá ver, a menos, que compre a campanha do Echo Six pela internet.
  • Vector: O "protagonista" dos malvados. Todos seus dados estão confidenciais, mas com certeza possui uma relação amorosa secreta com seu professor, HUNK. Japonês, mesmo falando inglês fluentemente, com habilidades ninjas dentre outros Estereótipos que não podiam faltar. No final, quando você acha que ele possuía alma e alguma bondade no coração mostra que ele só queria se vingar da Umbrella, por matar seu amor, Hunk. Vector possui uma habilidade de camuflagem, ele pode ficar invisível e se disfarçar de Spec-ops, mas basta ficar invisível que Vector nunca morre e nenhum inimigo o encontra.
  • Beltway: Hector "Beltway" Hivers é o especialista de demolição da equipe. Desde menor era um piromaníaco, colocava fogo em carteiras, lápis, documentos importantes e cadernos somente com um isqueiro. Foi por causa desse isqueiro que ele perdeu a perna e agora possui uma perna robótica. Certa vez ele brincava com seu isqueiro quando se alistara na UBSS, estava usando o uniforme banhado em óleo da equipe e resolveu queimar a sola da bota... Quando ateou fogo em si mesmo pela primeira vez, e quando chegasse em Raccoon isso aconteceria com mais frequência. Suas habilidades se resumem a minas a laser.
  • Lupo: Líder da Wolfpack, ex-agente das forças especiais francesas, especialista em armamento. Lupo foi até a UBSS atraída pelo dinheiro, ela cuida de seus membros como uma loba cuida de seus filhotes, fazendo com que a apelidassem de "Wolf Mother". Sim, esse trecho foi copiado na cara dura da Wikipédia, mas é para mostrar o quão desinteressante é essa personagem. Ninguém sabe quais são seus "especiais", talvez porque ninguém joga com ela.
  • Bertha: Masoquista, doutora que encontra o prazer na dor. Por usar uma máscara, ninguém quis fez ainda um Hentai dela, mas se fizessem com certeza seria algo semelhante a "Dominatrix". Bertha ficara louca na guerra e adorava torturar os soldados da própria unidade, os estimulando para que não se ferissem em batalha e se se ferissem, atiravam na própria cabeça para não ficarem aos cuidados de Bertha. Entrou na Wolfpack depois quando viu que poderia continuar a fazer o que gosta e ganhar muito dinheiro com isso. Para ser controlada é uma personagem inútil, mas quando é uma companheira movida pela "IA" torna-se sua melhor amiga, pois é a única que cura você... Quando você já está com a barra de vida cheia.
  • Spectre: Russo, é o único sujeito de toda a Wolfpack com sotaque. Trabalhava na divisão europeia da Umbrella quando foi transferido por razões desconhecidas. Outro personagem tão irrelevante e supérfluo quanto a própria Lupo. Sua habilidade são tão inúteis quão o próprio personagem, se baseiam em "localizar" ervas medicinais, visão noturna, armas, inimigos, etc.
Slant "Slut" Six.
  • Four-eyes: Hentai Girl de Resident Evil: Operation Raccoon City, gótica, CDF, cientista maluca são palavras para descrevê-la. Acha mais interessante abraçar um Hunter do que ajudar a matá-lo e por isso é uma das personagens que mais precisa ser ressuscitada. Quando controlada pela IA, sempre passa um spray anti-infecção em você... Quando você já virou um zumbi, é claro. As habilidades dela, quando usadas por você, também não são as melhores, já que um hunter nunca fica parado para você acertar um bagulho nele.
  • Dee-Ay: Maloqueiro, um jovem rebelde equivalente a Lupo do esquadrão Echo-Six. Calmo e contido, deu a Bunda para o general e por isso é um grande soldado, mesmo que ele nem seja velho, nem tenha músculos, nem pareça experiente ou desperte confiança. Possui as mesmas habilidades de Lupo.
  • Harley: Motoqueiro, apresentou o American Chopper por dois anos e depois foi tocar na banda Slayer, depois de um tempo amadureceu e comprou um diploma de medicina pela internet, para seu azar o exército o chamou para uma guerra e ele aprendeu a atirar (ou não). Era para ele ser o médico da equipe, mas tudo que virou foi um gordo careca que fica sempre para trás. Possui as mesmas habilidades de Bertha.
  • Party Girl: uma vigarista contratada pelo governo após conseguir enganar um especialista em vigilância numa das suas famosas festas especializadas em pegar políticos com a boca na botija. Mesmo com sua fama, ainda há idiotas que vão nas festas dela para depois acabarem em fotos cabulosas no Facebook de Party Girl. Por que alguém assim está na Echo Six?
  • Shona: "Shona" e não "Xana" é um especialista em virologia vindo do Zímbabue, país onde 80% dos problemas da África estão concentrados, entre eles a AIDS, fome, guerras e a super-inflação-zimbabuana. Formou-se em Harvard para tentar por ordem no país mas foi parado no meio do caminho pelo governo americano, que queria suas habilidades em virologia e sua experiência de tiro na Echo Six.

Cquote1.png Não quer dizer que só porque o cara vem do Zimbábue ele participou de uma milícia e sabe atirar! Cquote2.png
O politicamente correto sobre estereótipos

  • Tweed: Equivalente a Beltway e inútil como ele. Entrou na Echo Six pois o governo americano achava que ela iria morrer e calar a boca se a pusessem lá, mas acabou não morrendo, pois você sempre estava lá, para ressuscitá-la. Não se sabe o que é mais destrutivo: sua boca suja ou sua experiência em demolição.
  • Willow: Tarzan armada. Encontrada nas reservas americanas indígenas, vivendo com uma família de urso, segundo reza a lenda o "vale da morte" tem esse nome porque Willow morava lá. Isso para mostrar a criatividade e o realismo das histórias criadas pelos chimpanzés da Slut Six. É o equivalente a Vector da Echo Six.
  • Outros personagens: Supérfluos, só servem para desgastar a raiva ou jogar online.

Site Viral[editar]

Há uma metáfora muito interessante para explicar as grandes expectativas em cima de Resident Evil: Operation Raccoon City e uma dessas metáforas é a do "açúcar e a bosta de cachorro". Uma lenda urbana diz que se você despejar um saco inteiro de açúcar no cocô de um Lulu da Pomerânia, um Pitbull ou qualquer outro cachorro desses, o cocô vai ter um gosto bom.

Não se pode dizer que foi a mesma coisa, o site viral, que foi um recurso bem mais usado posteriormente pela Capcom para divulgar seus jogos, consistia em desvendar vídeos e casos de Raccoon. Parece que todo o enredo bom foi para esse conteúdo viral (o açúcar) e ninguém percebeu que era bosta de cachorro (o jogo).

Considerações finais[editar]

Acho que todos devem estar pensando como um jogo da nova geração, mesmo que de um grande título como o Resident Evil, pode sair uma bela porcaria. Que os críticos, mesmo sendo os caras que dão nota sem sequer jogar, acertaram dessa vez e que a Slant Six nunca será a mesma, tendo depressão e crises de pânico justamente por culpa dos fãs de Resident Evil, que a traumatizaram.

Mas enfim, a melhor parte do jogo? O final, que termina num vácuo, sem trilha sonora, com Vector querendo toda grana para si mesmo.