Revista Mundo Estranho

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Aplaudindo.gif
Revista Mundo Estranho merece
uma salva de palmas por conseguir ser melhor do que a Superinteressante
Revista Mundo Estranho
Para quem é louco por curiosidades
MundoEstranho.jpg
Mundo Estranho declarando o quanto seu conteúdo é bom (ou não)
Editora Editora Abril
Testa-de-ferro Edir Macedo
Gênero Teen
Origem Bandeira do Brasil Brasil Brasillink={{{3}}} São Paulo São Paulo
Rival
Nuvola apps core.png
Revista Galileu
Fontes de Plágio Superinteressante
Objetivo Maligno Levar Informações Verídicas (ou não)
Público Alvo Adolescentes que acham chato ler a Superinteressante
Nível de Corrupção Baixo
Aliados Capricho
Piores Inimigos Roberto Marinho
Leitores Ilustres
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Bruna Surfistinha
Colunista(s) Conchavado(s) Uma cambada de gente
Pior Seção Mais de oito mil
No. de propagandas Insuportável em algumas edições
Uso alternativo Origami, avião de papel, barco de papel, etc




Cquote1.pngVocê quis dizer: Sátira autorizada da Superinteressante?Cquote2.png
Google sobre Revista Mundo Estranho
Cquote1.pngExperimente também: Desciclopédia Cquote2.png
Sugestão do Google para Revista Mundo Estranho
Cquote1.png É bem melhor do que a Galileu! Cquote2.png
Alguém sobre Revista Mundo Estranho
Cquote1.png É bem melhor do que a Superinteressante! Cquote2.png
Qualquer um sobre Revista Mundo Estranho
Cquote1.png Muito melhor e mais completa do que a Super Interessante Cquote2.png
Carla Perez sobre Revista Mundo Estranho
Cquote1.png Revista legal, hein? Atualizada! Eu sempre quis ler uma revista assim! Cquote2.png
Zeca Pimenteira sobre Revista Mundo Estranho
Cquote1.png O aprendiz supera o mestre, mas ambas emprestam conteúdo uma da outra! Cquote2.png
Conspiratólogo sobre a troca de informações que a mundo estranho tem com a super interessante

Tabela de conteúdo

[editar] Apresentação

O dia em que a Superinteressante faturou faturará mais em edições do que a Mundo Estranho (bem que a ME poderia fazer isso primeiro e ficar com todos os louros e morenos, ruivos, japas...).

Criada primeiramente com o intuído de ser somente uma edição especial de sua grande inimiga amiga, a Revista Superinteressante, assim surgiu a Revista Mundo Estranho, um bando de páginas mensais que acabaram virando um sucesso ainda maior do que a sua progenitora (que está no mercado a muitos mais tempo do que ela e, mesmo assim, ainda não alcançou tanto ibope quanto a Revista Galileu, da Vênus Platinada), se bem que, em relação ao conteúdo, ambas repetem sempre o mesmo assunto (com diferenças de somente umas edições). Com um vocabulário tão amplo quanto a de qualquer revista da Turma da Mônica (só que com bem menos onomatopéias), seu sucesso com adolescentes acabou tornando-a uma revista única para tal faixa etária, haja visto do modo que apresenta o assunto aos seus amigos clientes, trazendo bem mais imagens do que texto, para aqueles que odeiam leitura tanto quanto ir à Igreja no domingo pela manhã (ou seja, ateus preguiçosos). Outro motivo de seu sucesso foi a falta de revista para homens adolescentes, sendo que para as gurias retardadas existem Capricho, Tititi e outras desgraças, que somente pessoas com um QI tão ínfimo leriam.

[editar] Origens

Tudo começou como uma simples Edição Especial da Superinteressante, em suma, uma revista tapa-buracos.

Assim como muitas merdas grandes invenções da humanidade, a Revista Mundo Estranho (mas que também atende pela alcunha de DP ME, já que ficar falando toda hora esse nome enorme é um saco), surgiu como um verdadeiro macaco-gordo para a moral da Superinteressante, que via uma de suas colunas vertebrais ganhando um grande número adeptos, mais do que a revista inteira em sí. Tal coluna visava responder perguntas de leitores sobre coisas banais da humanidade e curiosidades sem pé nem cabeça, mas mesmo assim eles acabavam por responder tais baboseiras, contanto que isso vendesse exemplares. Vendo que isso acabava sendo uma total porcaria, porém muito curiosa, resolveram criar uma edição especial conhecida como Mundo Estranho, que era somente uma junção desses bando de perguntas e que incluiam atualizações sobre o tema e desenhinhos para o mais adeptos do "entendeu, ou quer que eu desenhe?". O sucesso foi tão grande entre os nerds e os mais curiosos do mundo Brasil, que eles tiveram que reimprimir esse primeiro número.

As edições da Mundo Estranho surpreendem mais a cada mês que passa (principalmente nos cuidados que eles tem na hora da impressão das mesmas). Impressionante, não?.

Como você já sabe (ou pelo menos deveria saber, se não sabe é melhor ir estudar do que ficar por aqui) o que move o mundo, além da força da gravidez gravidade (e outras coisas que só Newton entende, já que foi ele quem elaborou), é o dinheiro, a Superinteressante começou a notar a grana que estava entrando em seus bolsos com a primeira edição, não demorando muito para lançar um segunda, esperando o mesmo resultado (que apareceu de novo). Vendo que o sucesso também acabou vindo, lançaram logo uma quarta terceira postagem, agora, com um formato fora dos padrões "Superinteressantíssimos" de ser e mais com a cara da ME, uma revista pseudointelectual, para facilitar a vida de todos os que não entendiam porra nenhuma da Super, mas que gostariam de pelo menos tentar, permitindo que até mesmo gente como a sua mãe pudesse ler sem entrar me parafusos. Foi então que, a partir de 2003, eles resolveram começar a lançar as assinaturas da revista (coisa que só acontece quando a revista fica muito pop, ou você acha que vão lançar assinaturas de coisas que não vendem e com edições anuais?).

A revista então acabou mundando, deixando de ser somente um emaranhado de perguntas e respostas, do tipo Show do Milhão, para um formato dividido em seções, para que o leitor pudesse, logo de cara, escolher a sua parte preferida, para que eles (o diretor e a equipe técnica) pudessem trabalhar mais detalhadamente nela, afinal, vender é o objetivo e se uma seção tem mais prestígio, é nela que devemos trabalhar mais. Ganhou uma página na internet que ninguém acessa, onde ela resume todas as suas matérias, para aqueles que não tem R$ 9,00 para comprar a sua edição mensal, contribuindo assim para a inclusão dos pobres menos afortunados. O bom da Mundo Estranho é que ela ainda acaba sendo bem mais útil do que a Super, principalmente por trazer assuntos que a outra só vai debater meses depois, quando o assunto já tiver mais do que batido ou descontextualizado. Atualmente, a ME representa quase um bunda Buda para os mais curiosos do mundo, respondendo perguntas que vão desde coisas banais e simples, como "Quem veio primeiro? O ovo ou a galinha?", "Desde quando a sua mãe não é mais virgem?" até questões complexas, como a "Resposta para a vida, o universo e tudo mais!", sendo a realização de um sonho, para todos aqueles que gostam de bancar o espertinho na frente dos outros.

[editar] Seções

As seções da ME são o que realmente dão (ui!) ibope para que suas revistas vendam que nem água Coca-Cola, trazendo mensalmente conteúdos plagiados da Super que despertem a CUriosidade de todo e qualquer idiota ser humano, para as questões mais banais possíveis que circundam a nossa vida terra (e até a extraterrena também), mas que outras revistas nem sequer se preocupam em contar, afinal, falar da vida alheia ainda vende muito mais do que um simples folheado pseudo-científico. São elas:

Uma amostra de capa mensal que faz a edição da ME vender que nem água Coca-Cola no deserto.
  • Capa: Já ouviu a afirmação de se "comprar um livro julgando-o pela capa" ou algo do tipo, ah, sei lá? É exatamente dessa forma que a ME busca fazer as suas vítimas adquirir mais adeptos à sua leitura mensal, trazendo sempre (já na capa) algo curioso e diferente na imagem, saindo um pouco das normais capas de revistas, que mostram o casamento de algum famoso no Caribe, como se isso algum dia fosse acessível à você, mostrando-se assim um paginado mais ligado a realidade do que a ficção (ou não). Dentro da revista, a matéria de capa é sempre a mais curta de todas elas, somente recebendo um grande conteúdo quando for um assunto muito popular ou que eles realmente achem que valem a pena acrescentar mais alguma enrolação, tanto quanto a Desciclopédia para deixar um artigo mais pesado.
  • Ao Leitor: Depois que você abre a revista, aparece uma nota do diretor da redação, dando uma palinha do que o seu humilde comprador semanal vai ver na revista, ou mesmo para falar de balelas da vida dele, de como está feliz por estar em uma revista cool e ter uma imagem sua em forma de desenho no rodapé, ou mesmo para puxar-saco de você, que é o verdadeiro ganha-pão dele. A ME já contou com duas caricaturas másculas estampado o final dessa página, atualmente conta com uma gerencia feminina e, por isso, a ME acabou ficando pior melhor, pois sabemos como mulher no poder é melhor do que homem (ou não).
  • Mapa Estranho: O Mapa Estranho mostra na maioria das vezes a geografia de lugares que non eczistem, mas que pensamos existir, sendo que eles são somente um distúrbio de nossa mente primitiva e da parapsicologia, que ainda são testadas com a ajuda desses criadores de infográficos nonsenses. Mapas como a da Ilha de Lost, do Inferno, de Springfield e até de do próprio Cérebro já foram mostradas. Mas, o que a revista nunca mostrou (e nunca irá mostrar) será um mapa detalhado da Geografia do Acre, tanto que é verdade que, desde muitos anos que ela existe, nunca mostrou nada sobre o suporto estado brasileiro, provando assim que até mesmo ela está a par de que, assim como político honesto, o Acre também não se faz presente em lugar nenhum.
O resultado de algum "Debate que eu gosto" (ou até mesmo do "Duelo") proposto pela Mundo Estranho.
  • Debate que eu gosto: Esta seção de nome suspeito fala sobre assustos polêmicos, e para fingirem que são imparciais eles apresentam pontos de vista divergentes sobre o mesmo tema (apesar de puxarem mais sardinha para o lado que tem mais poder de comando, como o governo, ou mesmo os pais dos leitores). Já abordou das mais variadas questões, desde a legalidade do uso de uniforme nas escolas e a permissão para dirigir diminuir para 16 anos, até a importância das escolas para os estudantes, ou se emos deveriam mesmo existir em solo terreno.
  • Retrato Falado: Lugar reservado para contar a história de assassinos e outros psicopatas não muito conhecidos, mas que estão espalhados pelo mundo (sendo que, a maioria que eles mostram, já foi pro saco há muito tempo). Para os leitores mais encapetados, essa é uma das seções mais divertidas, pois conhece-se cada figura bizarra, que matava sem mais e nem menos os seus semelhantes, como Elizabeth Bathory que se banhava no sangue de virgens para se manter jovem por mais tempo (já pensou se a moda pega? haja gente perdendo a virgindade para não morrer), ou da Xuxa, que se aproveitava de garotinhos, para depois tornar-se "Rainha" deles.
  • Duelo: Para aqueles que gostam de uma boa encrenca encrenca em dobro (como playssons, bombados, ou mesmo alguém da polícia), no Duelo a revista mostra dois elementos oposto em conflito, e avalia qual destes é o melhor no mano-a-mano. Até aí tudo bem, mas o problema é que sempre existem duelos toscos e imprevisíveis, como Ornitorrinco x Tamanduá, Britney x Lady Gaga, ou mesmo Chuck Norris x Jet Li, sem falar que os critérios de avaliação são os mais estranhos possíveis, fazendo jus ao bendito nome da revista, beirando quase ao nonsense.
"Existem animais anões?" ME sempre trazendo curiosidades que mudam a vida de qualquer um que a lê (principalmente se for um biólogo).
  • Top10: Essa seção também faz jus ao nome da revista, elegendo sempre dez coisas totalmente estranhas que nos cercam e que pouco percebemos sobre as suas importâncias (sendo que, muito do que eles apresentam no TOP 10, nem importante é, mas relevemos). Não podemos negar que alguns assuntos realmente impressionam e dão (ui!) o que falar aos seus leitores, como os "Dez Locais mais Mal Assombrados", ou as "Dez Dietas mais Bizarras de Emagrecimento" (recomendo que as pessoas com sobrepeso, recorram a pelo menos a "Dieta da Luz" para perder um pouco da vida barriguinha).
  • Conteúdos avulsos: Logo após a reportagem de capa (que, diferentemente de outras revistas, não vem quase no final) segue uma série de outras merdas curiosidades, algumas previamente sinalizadas na capa da revista, ficando do lado do desenhinho principal, que ilustra a reportagem de foco. Nesse grupinho de conteúdos avulsos, estão inclusos o "Dúvidas Clássicas" e o "Curto & Grosso", além de algumas séries de um único tema, para mostrar a evolução de um determinado assunto no tempo (como eles já fizeram sobre Guerras, viagens espaciais e, até mesmo, sexo - um dos melhores temas e que bem que eles poderiam expandir em um especial).
  • Dúvidas Clássicas: Aqui são colocadas perguntas recicladas de edições anteriores, que foram bem respondidas no passado, mas que, um leitor pobre, acabou perdendo a edição mensal de publicação dela e resolveu mandar uma cartinha pedindo BIS da matéria (tipo uma retrospectiva mais bem feita, atualizada e com gráficos mais modernos, diferentes das pinturas do paint na aurora da revista). Isso acaba sendo uma mão na roda dos editores, só para fazer mais volume e os criadores se espreguiçarem, dando um simples "Ctrl+C", "Ctrl+V" na matéria que eles irão recuperar e colocando uma cor mais high tech nos antigos esboços.
  • Curto & Grosso: (Ui!) De nome bem boladum comprometedor, essa seção trabalha com perguntas e respostas diretas, sem muito rodeios. São Perguntas que só são completamente respondidas na edição seguinte (isso se ganharem numa rapidinha votação com outras "curtas e grossas" para ver qual delas é que a que merece ganhar uma resposta mais detalhada no próximo mês). Quando chega a próxima edição, o "resposta completa" é somente uma simples resposta meia boca, mas, caso você tenha comprado a revista (e não a tenha somente folheado na banca) já valeu para eles.
ME também é denúncia. Eles já apresentaram as maiores gambiarras que se aprende na escola e que ninguém se toca de questionar.
  • The book is on the table: É a parte mais intelectual da revista, sendo a seção favorita de nerds e pessoas que pensam em seguir a área de Letras, ou mesmo de Literatura, na faculdade ou seja, ninguém. É a seção que indica livros que provavelmente nenhum leitor da revista irá ler (salvo os que eu explicitei no começo). Por ser a parte mais intelectual da revista, é sempre também a mais pulada de todas elas, ainda mais quando ela resolve colocar como recomendações livros de modinha de gurias retardadas, como Crepúsculo, Harry Potter e outros livros que apresentem algum idiota como protagonista.
  • Tech: Nessa parte revela-se sobre alguma tecnologia mais avançada do que o seu PC do Ruindows e que sempre também é a mais cara do mercado, impossibilitando a sua compra por pobres e outras pessoas de IDH abaixo de 1 dólar por hora. Além disso fala do modo como tal coisa funciona, as qualidades de se ter um (só pra dar mais inveja ainda) e quanto tempo ela dura nas mãos de amadores, principalmente nas mãos daqueles que gostam de sair se exibindo por aí com algum brinquedinho novo. Apesar de revelar o quanto somos incapazes humildes para ter um troço daqueles, é sempre bom saber um pouco de tudo (para brigar com Deus, por ele ter dado esse destino desgraçado a você depois!).
  • Games: Não se engane, essa não é uma seção para dar dicas e macetes de como dar um combo no chefão de algum joguinho do Mortal Kombat de 1900 e guaraná com rolha do seu Dynavision, mas sim para mostrar os mais novos jogos do momento, daqueles com gráficos em 3D, tecnologia de ponta e que nem controle é preciso, basta você fazer um movimento com a cabeça para a ação começar. Claro que tais coisas não rodam no seu pré-histórico Super Nintendo, só é mesmo pra você ficar babando e sonhando no dia em que terá um desses (que nós somos bem realistas para dizer que um dia como esse NUNCA chegará... e, se chegar, talvez lá pra 2012, antes do mundo acabar, MWAHAHAHAHAHA!).
A "Contando ninguém acredita" faz tanto sucesso na ME que até já virou reportagem de capa dela na falta de algo mais interessante.
  • Caixa Postal: É o SAC da Revista ME, uma página onde todo mundo pode quebrar o pau em relação a edição anterior que veio mal editada, com a matéria sem graça, ou mesmo para puxar-saco da revista que finalmente deve ter vindo com algo de bom (se bem que, na maioria das vezes, é somente para isso que a Caixa Postal serve mesmo). Além disso ainda conta com uma parte que mostra conversas de MSN entre a produção e os leitores de todo o mundo Brasil, com o mesmo intúito daqueles que escrevem cartas e mandam e-mail pra lá, ou seja, puxar-saco comentar as matérias.
  • Presentão ME: Sabe aquelas promoções de revistas que você só vê o nome da pessoa que ganha no final dela, mas nunca viu se quer a cara da pessoa para comprovar a veracidade de tudo? Essa página se dedica somente a isso, lançar promoções e, no próximo mês, informar quem ganhou, sendo que só aparece o nome do indivíduo e mais nada o que passa a impressão de que tudo não passa de uma maracuitaia. Os prêmios variam desde um milhão de reais em barras de ouro, que valem mais do que dinheiro ano de assinatura da revista totalmente de grátis, ou somente uma simples camisa meia boca fazendo merchan da revista.
  • Contando ninguém acredita: Sim, exatamente isso que você leu, pode acreditar. A última página da revista conta casos de pessoas que passaram por algum mico em suas vidas e que, se alguém contasse do nada um fato como esse, passaria como uma grande mentira, mas, como é publicada em uma revista, o cunho acaba sendo verdadeiro (ou não). Essa página final é tão interessante estranha que já chegou até a ser matéria de capa da revista (sim, uma seção já ocupou matéria de capa, se eu não tivesse lido essa revista, não acreditaria). Os casos são dos mais bizarros, como o homem que vendeu sua casa para o dono de um bar e recebeu tudo em cerveja, até a mulher que parou uma bala na cabeça devido ao gel que tinha passado no cabelo (ou seja, uma seção total WTF?).

[editar] Curiosidades da ME

Esse tópico pode até parecer estranho (até mesmo para a revista que conta com o nome homônimo), mas acaba-se fazendo necessário por aqui. Vejamos algumas curiosidades para aqueles que chegaram a ler pelo menos até aqui:

A coisa já evoluiu tanto que até mesmo a "antiga edição especial da Superinteressante" hoje lança a sua própria Edição Especial.
  • A ME é uma prova de que as mulheres estão "tomando de conta" em todas os setores da sociedade, até mesmo gerenciando revistas, o problema disso é a quantidade de conteúdo inútil feminino que vem assolando as edições;
  • Depois que o tema dela ficou voltado até mesmo para o público das garotas, a cada mês a Capricho, Tititi e o caralho a quatro de revistas de fofoca, perdem várias leitoras, mostrando que o intelecto da sociedade pode vir a aumentar em pouco tempo no âmbito feminino;
  • As seções da ME mudam a cada várias reclamações que recebem, já tendo perdido seções legais como:
  1. Intercâmbio: Era uma seção voltada para o público rico e que podia viajar para várias partes do mundo. Mostrava todo mês uma cidade diferente, seus costumes e crendices, sendo locais incríveis e que um segregado social, como você, jamais poderia conhecer;
  2. Superprofissão: Mostrava as mais variadas profissões bizarras que você poderia tentar concorrer no vestibular, seus altos e baixos e (claro, o mais importante) quanto seria o salário médio da profissa;
  3. Aula Prática: Um antigo guia que ensinava a fazer uma porrada de coisas, mas que acabou perdendo força quando se descobriu que a maioria dos leirores da ME não gostavam de fazer nada (é, aí fica complicado uma coisa assim). Entre outras mais seções excluídas.
  • Além disso, a ME também lança as suas edições especiais (pra você ver como a coisa evoluiu), falando de somente um único tema (geralmente as típicas "100 perguntas sobre o tema X"), assim como os Almanaques da Turma da Mônica. Já falou sobre Harry Potter, Senhor dos Anéis, Star Wars, Animes e outras modinhas (e, claro, sobre Sexo também);
  • Na seção Presentão ME tem seções bem chatas divertidas, entre elas há:
Até Stevie Wonder já teve o prazer de ler a Mundo Estranho.
  1. Leitor repóter: Onde uma pergunta qualquer é feita e a resposta mais nerd e a mais descíclope são editadas na próxima revista, claro que, assim como a disputa entre a Wikipédia e a Desciclopédia, a mais criativa é sempre a mais divertida;
  2. Momento estranho: Mostra uma imagem sobre algo bem bizarro que roda o nosso país canarinho;
  3. Cara de um...: Faz uma analogia entre pessoas famosas e algum personagem menos mais famoso ainda, como mostrar que o Pinguim, inimigo do Batman, tem a cara da Maria Bethânia, ou que a Barbie se parece muito com o Maxi López (e não é que parece mesmo?);
  4. Perguntas que amamos (mas não sabemos responder): Apresenta uma curiosidade mensal que nem mesmo a Wikipédia é capaz de responder, como: "Porque toda a roupa do Hulk rasga quando ele se transforma, menos a calça?", ou "Porque se dá o nome de Boa Noite Cinderela a bebida que as putas dão para os otários, se a princesa que dorme é a Bela Adormecida?"

[editar] Ver também

v d e h

Marcas de Papel Higiênico Revistas famosas

v d e h
Porcarias impressas pela Editora Abriu
Abril logo.gif
Arquitetura & ConstruçãoAventuras na HistóriaBoa FormaBons FluídosBravo!CaprichoCarasCasa ClaudiaClaudiaContigo!ElleEstilo de VidaExameGlossInfo ExameInfo CorporateManequimMen's HealthMinha NovelaMTVMundo EstranhoNational GeographicNovaNova EscolaPiauíPlacarPlayboyQuatro RodasGuia Quatro RodasRecreioRevista da SemanaSaúde!SERSuperinteressanteVejaViagem e TurismoVida SimplesVipVocê S.A.Witch
Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas