Revolta da Vacina

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Patrick.gif "Não, cê é burro cara, que loucura..."

Este artigo é sobre algo ou alguém burro ou completamente imbecil.

E acredita na veracidade das lutas da WWE.
Este artigo é relacionado à história.

E é neorrevisionista!

Luteroaaaa.jpg


você tomaria uma vacina com uma seringa dessas?

Cquote1.png Nunca antes na História desta República se vacinou tanto Cquote2.png
Lula levando mérito sobre mais outra

Cquote1.png Tem ai vacina para bala perdida? Cquote2.png
Carioca moderno

Cquote1.png Enfiaram uma coisa na minha bunda Cquote2.png
Esposa de trabalhador sobre vacinação obrigatória

Cquote1.png Que Merrrrrda! Cquote2.png
Cariocas sobre vacinação

Contexto[editar]

No início do século XII, a cidade do Rio de Janeiro, que por algum motivo escroto, era a capital do Brasil, encontrava-se em um estado de rapido crescimento desordenado e sem planejamento gerando as favelas e cortiços que predominavam ainda predominam a paisagem carioca. A rede de esgoto e coleta de lixo era muito precária, as vezes inexistente, o que aliado com os ultra-higienicos habitos cariocas, resultou em uma situação aonde dezenas de doenças se proliferavam na população, como Tifo, Febre Amarela, Peste Bubônica, Peste Negra, Herpes, Diarréia, Varíola, entre outras enfermidades.Alem disso podemos-se intenferir o poder altamente corrosivo das ondas do porto de Santos praticadas iliciadamenmente por cangurus revoltados com os Romanos que tomaram suas terras e cangurus e o s gauleses Asteriz planejavam uma camponissima vingança contra =WTF ou aquele cara da missao do carnaval no hitman . os passsarinhos sao os caras maussss... e querem mata o governador manhas

Brigadistas enfrentam a população revoltada

TRIANGULO, CIMA, CIMA, ESQUERDA, DIREITA, QUADRADO, CIRCULO, DIREITA. Pilote um Avião: Durante o jogo pressione: CIRCULO, CIMA, L1, L2, BAIXO, R1, L1, L1, ESQUERDA, ESQUERDA, X, TRIANGULO. Tráfego Agressivo: Durante o jogo pressione: R2, CIRCULO, R1, L2, ESQUERDA, R1, L1, R2, L2. Tráfego Negro: Durante o jogo pressione: CIRCULO, L2, UP, R1, ESQUERDA, X, R1, L1, ESQUERDA, CIRCULO. Tráfego rosa: Durante o jogo pressione: CIRCULO, L1, BAIXO, L2, ESQUERDA, X, R1, L1, DIREITA, CIRCULO.

O Estopim da Revolta[editar]

Vendo a situação piorar cada dia mais, o então recem-empossado presidente Rodrigues Alves, que por ser paulista estava obviamente chocado com as condições de saneamento basico que iria ter que viver até o fim de seu mandato, decide fazer uma reforma no centro do Rio, implementando projetos de saneamento básico e urbanização e desta maneira tentando tornar a cidade minimamente habitável por seres humanos e menos aconchegante para os ratos e baratas do tamanho de capivaras que lá residiam. Para tal, ele designa Oswaldo Cruz, biólogo, sanitarista e dublê do Super Mario, para ser chefe do Departamento Nacional de Saúde Pública, que juntamente com o prefeito Pereira Passos, começam a reforma.

Foi posta em prática uma ampla reforma urbana, que ficou conhecida como bota abaixo, em razão das demolições dos velhos prédios e cortiços, que deram lugar a grandes avenidas, edifícios e jardins. Fato que obviamente incomodou os cariocas que estavam acostumados com a arquitetura dos cortiços e costumavam lavar suas roupas no esgoto a céu aberto.

Mais além criou-se as Brigadas Mata Mosquitos, grupos de funcionários do Serviço Sanitário que invadiam as casas para desinfecção e extermínio dos mosquitos transmissores da febre amarela. Iniciou também a campanha de extermínio de ratos considerados os principais transmissores da peste bubônica, espalhando raticidas pela cidade e mandando o povo recolher o lixo.

Típico rato carioca de pequeno porte

Essas medidas, no entanto, causaram revolta na população, que viu seus adoráveis ratos e baratas de estimação serem mortos e que teve que pagar o tradicional dinheiro da cerveja pros policiais. Além é claro de ter sido forçada a fazer coisas que a mesma considerava absura, como juntar o lixo em sacos ao invés de simplesmente arremessa-lo pela janela.

Somado a tudo isso, as Brigadas Mata Mosquitos foram responsáveis por diversos abusos, especialmente por parte dos integrantes do Batalhão "Zé Gotinha", o qual supostamente tentou impedir que os pais ensinassem as crianças a colocar ketchup na pizza.

Com a proposta da Campanha da Vacinação Obrigatória, que obrigava as pessoas a serem vacinadas (os funcionários responsáveis pelo serviço tinham que vacinar as pessoas mesmo que elas não quisessem), a situação piorou.

A cidade parecia em ruínas, muitos perdiam suas casas e outros tantos tiveram seus lares invadidos pelos mata-mosquitos, que agiam acompanhados por policiais. Jornais da oposição criticavam a ação do governo e falavam de supostos perigos causados pela vacina, como calvisse, queda dos peitos, crescimento de chifres no cranio e mudança da cor de pele para verde-limão.

Além disso, o boato de que a vacina teria de ser aplicada nas "partes íntimas" do corpo (o que deixaria as mulheres inchadas e impossibilitadas de usar bikinis menores do que uma caneta) agravou a ira da população, que se rebelou.

Com isso a população carioca se negou a tomar vacina, e começou a fazer ataques à cidade, destruir bondes, prédios, trens, lojas, bases policiais, etc(e pelo visto nunca parou).

Mais tarde, os cadetes da Escola Militar da Praia Vermelha também se voltaram contra a lei da vacina. A revolta popular fez com que o governo suspendesse a lei, não sendo mais obrigatória. Para finalizar a rebelião, Alves coloca nas ruas o BOPE, chefiado pelo Capitão Nascimento.

Ao final da revolta, o governo recomeça a vacinação da população, tendo como resultado a erradicação da varíola na cidade.

Ver também[editar]

Revolta da Vaci.jpg
História do Brasil: República Velha (1889-1930)

Eventos que você não se lembra porque não era nascido, e quem era está tão esclerosado que também não se lembra
Proclamação da RepúblicaConvenção de ItuCrise de 1929Café com leiteColuna PrestesCrise do EncilhamentoRevolta da VacinaGuerra de CanudosGuerra do Contestado


Presidentes, ditadores, políticos e outros nomes de rua
Deodoro da FonsecaFloriano PeixotoImprudente de MoraesCampos SalesRodrigues AlvesAfonso PenaNilo PeçonhaHermes da FonsecaVenceslau BrásDelfim MoreiraEpitácio PessoaArtur BernardesWashington LuisRui BarbosaOswaldo CruzMarechal Candido Rondon