Revolução Industrial

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
60px-Bouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Revolução Industrial.

Cquote1.png Você traiu o movimento da manufatura, véio! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Revolução Industrial
Cquote1.png Agora sei porque dizem que tenho um parafuso à menos na cabeça... Cquote2.png
Carla Peres sobre Revolução Industrial
Cquote1.png Essa é a dança do desempregado, quem ainda não dançou, tá na hora de aprender... Cquote2.png
Gabriel Pensador sobre Revolução Industrial
Cquote1.png Mas que porra! Ninguém trabalha menos de 18 horas nesta porra!... Cquote2.png
Tia Risomar sobre Revolução Industrial
Cquote1.png Ainda lembro da época que eu trabalhava nas minas! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Revolução Industrial

Um típico operário feliz da vida por viver numa nova era (ou não)...

Revolução Industrial consiste em um movimento tecnológico iniciado na Inglaterra no século XVIII e espalhado pelo resto do mundo ao longo do século XIX até os dias atuais, um processo denominado de globalização, possibilitando o surgimento do capitalismo e por conseguinte a criação do Guaraná com rolha, entre milhares de tranqueiras que atrapalham sua vida, mas que você não vive sem.

Com o advento da Revolução Industrial, o trabalho agrícola e artesanal foi dando espaço às máquinas, que por conseqüência promoveu inúmeros benefícios (para os comerciantes, é claro), como a produção em larga escala e o acúmulo de lixo, o crescimento urbano e econômico e por conseqüência o inchamento das grandes cidades, com o surgimento de cortiços, favelas e bolsões de pobreza, assim como a eliminação do trabalho escravo que a Inglaterra como potência econômica desta época determinou a sua erradicação, para disseminar suas máquinas pelo resto o mundo, afundando os Navios negreiros. Com essas transformações econômicas, políticas e sociais, o mundo sofreu uma intensas transformações com o desenvolvimento tecnológico (muitas inúteis por sinal), política (FHC que o diga sobre o Neoliberalismo), social (aumento do número de pobres), como o surgimento dos Sindicatos, que consiste em uma grande estaca nas engrenagens industriais que sustentam a enorme pirâmide do Capitalismo, na qual você jamais conhecerá o topo, por pertencer a base desse sistema.

Contexto histórico[editar]

Com o advento da Revolução Industrial, muitas ações que eram manuais, passaram a ter uma mãozinha das máquinas para auxiliar nessas tarefas...

Antes da Revolução Industrial, os produtos tinham origem artesanal, ou seja, eram elaborados manualmente como a punheta, também denominado de manufatura, em que as pessoas tinham que se foder especializar em diversos ramos de produção, desde a coleta da matéria prima até a elaboração do produto final, ou seja, na sociedade predominantemente agrícola, se uma pessoa desejasse uma blusa, deveria nesta época cruzar com as ovelhas tosquiar uma ovelha e trabalhar artezanalmente até a elaboração final de um vestuário.

Com a Revolução Industrial, aplicou-se o conceito de maquinofatura, em que as pessoas perderam a apropriação da produção geral, para assemelharem-se às máquinas burras que deveriam operar, na qual as suas funções seriam resumidas na habilidade de controlar botões e parafusos, sendo controladas por máquinas com funções específicas, embora estas pessoas pensam que fazem o contrário. Com isso, passaram a se classificar como uma mera engrenagem produtiva de um extenso sistema lucrativo para os senhores feudais, que passaram a receber a alcunha de industriais, banqueiros, empresários, entre outros cretinos do colarinho branco.

Consequencias da Revolução Industrial[editar]

Princesa Isabel: "Ó céus! O que será da minha existência sem a minha mucama para passar meus longos e rendados vestidos???

Uma das conseqüência direta da Revolução Industrial foi a Libertação dos Escravos, isso mesmo! Não pense você que a Princesa Isabel foi boazinha em liberar a carta de Alforria geral para a galera do engenho, como disse sua querida professorinha da quarta série. Tampouco a Inglaterra foi boazinha em acabar com a escravidão, tendo em vista que bombardeava os navios negreiros, para afundar com os escravos. Na verdade isso ocorreu por conta do governo inglês que tinha que despachar suas porcarias do estilo Polishop para o resto do mundo, incluindo o Brasil, e para tanto fez pressão para a erradicação da escravidão, uma vez que nenhum latifundiário da época abriria mão da rapaziada da mão-de-obra barata em prol de algumas engenhocas que ninguém sabia operar, tendo em vista que nesta época não existia cursos do SENAC, tampouco alguém disposto em pagar a manutenção desses equipamentos que fazem o mesmo serviço dos escravos, mostrando o quanto os exploradores desta época eram visionários, ou que não evoluímos tanto assim do século XVII pra cá, tendo em vista que as fábricas ainda necessitam de mão-de-obra barata, que atualmente denominamos de "trabalhadores", e sua carta de alforria é denominada de "carteira de trabalho", na qual o seu trabalho servil é repassado de senhor do engenho em senhor do engenho empregador para empregador.

A diferença é que como o Brasil é o país do "jeitinho", os escravos foram substituídos por imigrantes europeus, que nada mais eram do que bandidos, foragidos, prostitutas, analfabetos e mendigos, que foram enganados pelos grandes fazendeiros com falsas promessas de melhorias de vida e grandes perspectivas no Brasil, mas que acabaram por virarem servos em terras tupiniquins, em substituição aos escravos, com a diferença que a ração alimentícia que os afro-descendentes recebiam, foi substituída por salários, que consistiam em pequenos e irrisórios ordenados para que eles se alimentassem em igual condição, assim como as senzalas que deram espaço aos cortiços. Ou seja, os orgulhosos descendentes de europeus que louvam a terra de origem dos seus pais no Brasil e principalmente nos Estados Unidos do Sul, nada mais são do que o resto do resto, descendentes de poltrões que foram expatriados da sua nação de origem.

Mesmo após dois séculos, o Brasil mantém este ciclo, na qual os cortiços são atualmente denominados de favelas e periferias, que concentram milhões de mãos-de-obra barata para as grandes corporações americanas e européias que se instalam no Brasil, em prol de incentivos fiscais (sonegação, melhor dizendo) e operários a custo baixíssimo...

Princípais movimentos sociais[editar]

Marx notório pensador do sistema capitalista

O vagabundo filósofo Karl Marx, um operário qualquer sem ter o que fazer um importante (ou não) teórico que conquistou notoriedade na era da Revolução Industrial, pondera diversas situações que teve repercussão com a revolução industrial, tendo suas ideias disseminadas por vagabundos indivíduos contrários ao sistema de exploração produção deste contexto, que implantaram em diversos países o Comunismo, além do Sindicalismo, na qual este último perdura até os dias atuais, como outro sistema de exploração da massa trabalhadora, com seus descontos em folha, por uma suposta "proteção" aos seus colaboradores, sendo esta uma coisa que não existe, tendo em vista que qualquer empresa em crise botina seus funcionários para cortar custos. Já o Capitalismo, perdura em poucos países, que no auge da Guerra Fria, não conquistaram suas geladeiras com prestações de longo prazo, quando as coisas esquentaram nesta época.

Marx atualmente é um pensador muito valorizado nos ambientes acadêmicos, seja no universidades públicas ou nas privadas como as PUC's, com inflamados discursos contra o sistema capitalista e a favor dos pobres, até que estes estejam de fato formados e cobrado fortunas por seus serviços, que são oferecidos aos capitalistas, bem longe das periferias, em que pregavam seus discursos de apoio à diversidade pela UNE.

A Revolução Industrial também contribuiu para eliminar diversos empregos, como tradicionalmente exemplifica os livros de história do primário, embora os industriais ainda precisem dos humanos imprestáveis para a realização de programação e manutenção das máquinas, lubrificação e manuseio, da qual as indústrias demandaram por mais gente ainda para operar e produzir as máquina, nas metalúrgicas, entre outras indústrias, como produção de combustíveis, parafusos, componentes elétricos, além de peças diversas, que obrigam às pessoas a levantarem a bunda do sofá em frente a tv, para estudar mais, da qual este processo é denominado de qualificação profissional. Basicamente, mesmo com a existência das máquinas, a humanidade está cada vez mais longe do Gênesis, em que pensava que iria descansar enquanto as máquinas lhe serviriam, sendo que os humanos a cada dia estão mais maquinizados, e as máquinas mais parecidas com os humanos, aplicando-se o conceito da Reverssal Russa no sistema capitalista...

A Revolução Industrial contemporânea[editar]

O super e útil rebobinador de dvd, considerado um dos maiores inventos da humanidade...

Nos dias atuais, contemporânea mente em nosso atual dia-a-dia, a industrialização além de garantir milhares de empregos (ou não), possibilita diversos benefícios (ou não), para toda a sociedade, notado nos diversos comerciais do Polishop, com produtos que fodem melhoram a sua visa, como o incrível rebobinador de dvd, item indispensável para os cinéfilos, assim como o juicer, que espreme a fruta iteira! Isso mesmo, a fruta inteira! E se você ligar agora! Mas somente agora! Você ganha este incrível gel redutor de medidas, mais esta linda necesser para guardar o filtro desta incrível máquina que vai revolucionar a sua vida! Mas ligue agora! Promoção válida apenas para as 100 primeiras ligações!

Principais Avanços Tecnológicos[editar]

Séc. XVII[editar]

  • 1698 - Thomas Newcomen, cria o frasco de conserva para o ovo verde, especiaria desenvolvida como aperitivo nos principais botecos ingleses. Um dispositivo utilizado até os dias atuais na preservação dos alimentos por décadas, resultando em investimento de longo prazo aos donos de bares que guardam este recurso alimentício por anos, sem qualquer desperdício ou perda financeira com inflação, até que um Kamikaze com estômago de avestruz e mamado resolva pagar para comer este fóssil envelhecido na água mofada, tendo grande aceitação pela Vigilância Saniotária, que faz vista grossa para este alimento em decomposição.

Séc. XVIII[editar]

  • 1708 - Jethro Tull, inventa o criado-mudo, que ao contrário do criado que fala, este não gera despesas e tampouco é filiado ao sindicato, ou exige qualquer direito trabalhista ou folga semanal e remunerada, como normalmente fazem os malditos proletários socialistas que acham pouco um salário mínimo para uma jornada de 88 horas semanais, e ficam torrando a paciência por pedidos de aumento e redução da jornada de trabalho, que esses mal agradecidos costumam fazer. O criado-mudo nos dias atuais foi modernizado, e possui milhares de novas funções, como suspensão de remédios, papéis, despertadores, entre outros objetos, da qual a versão paraguaia deste importante dispositivo normalmente é conhecido como cadeira, banqueta ou caixote de CEASA na cabeceira da cama...
  • 1709 - Abraham Darby, desenvolveu um incrível pijama com bolso, na qual este importante acessório consiste em um item de extrema importância, reproduzido amplamente nos pijamas dos dias atuais, dada a sua grande necessidade no amparo de guardanapos para os assaltos à geladeira na madrugada, suspensão de talões de cheque, dinheiro e cartões, para tratar e curar a esposa com freqüentes dores de cabeça durante a noite normalmente antes do sexo.

Séc. XIX[editar]

  • 1890 - Sigmund Freud, inventou o divã, e com isso repercutiu um um novo jeito de transar lidar com seus pacientes, da qual este invento passou por algumas adaptações, denominando-se como maca, amplamente usada nos hospitais e no IML, com a mesma função que é a de ignorar as pessoas em situações de emergência, deixando-as para se encontrar com Deus (ou morrer de uma vez, se você for um Ateu comedor de criancinhas como o Lula), como normalmente é feito no SUS, com os pacientes aguardando no corredor por atendimento na falta de leitos, ou com os médicos e enfermeiras com um bacanalzinho básico na hora do intervalo;.

Séc. XX[editar]

  • 1989 - John Philips criou a máquina de masturbação, responsável pelo controle de natalidade e erradicação da tendinite entre praticantes do onanismo, da qual o seu invento também pode ser utilizado como batedor de bolo, amplamente utilizado nas confeitarias para fazer clara-em-neve e chantily para a cobertura dos bolos, por ser mais barato que uma batedeira (não que ista máquina não seja uma batedeira), em que deve-se certificar de que o equipamento seja bem lavado (ou não).
  • 1999 - Arnold Shuasneguer criou o revolucionário rebobinador de dvd, que trata-se de um importate aparelho que recondiciona o filme na posição inicial, antes da próxima visualização, na qual a sua impressionante força centrípeda pode desenvolver diversas tarefas impressionante, como secagem de roupas, serra e lixadeira na construção civil, desde que adicionadouma lámina para esses fins, peso de papel, suspensão de geladeiras e fogões entre outros móveis que este equipamento pode calçar, na ausência de suporte, além de saboneteira, áudio subliminar para doidos que ouvem discos de trás para frente e porta copos, entre outras funções que a sua imaginação pode dar.