Ribeirão Claro

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Fim do Mundo? Cquote2.png
Google sobre Ribeirão Claro
Cquote1.png Tive oito filhos por lá Cquote2.png
Mc Catra sobre Ribeirão Claro
Cquote1.png Pena que faz um sol do inferno Cquote2.png
Edward Cullen sobre Ribeirão Claro
Cquote1.png É tipo um rio com claridade? Cquote2.png
Você sobre Ribeirão Claro


Fundadora do Asilo São Vicente Palotti.
Moça exibe garrafa com água deliciosa do Ribeirão.

Ribeirão Claro é uma aldeia cidade situada no norte do Paraná, conhecida por toda sua população ter parentesco de alguma forma e tem grande destaque com o número de véios. Destaca-se também por um grande número de mistérios, pessoas e eventos de cunho paranormal que surgem e são relatados desde o surgimento da aldeia cidade. Não se sabe exatamente a população exata, já que o IBGE contratou pessoas da cidade para realizar o senso e todos habitantes não aprenderam a contar.

A juventude tem idade média de 65 a 80 anos, seguidos pelos moradores mais velhos que habitam o Asilo e compreendem maior parte da população; abrigam pessoas de renome como Avril Lavigne, Ana Maria Braga e a falecida Dercy Gonçalves, esta última que foi a fundadora do Asilo, homenageou com o nome do Santo São Vicente Palotti, seu amigo de infância que chegou a pegar no colo.

Apelidada carinhosamente de Pérola do Norte ou Fim do Mundo, muitos divergem se a pérola da cidade foi roubada ou se é bijuteria barata e perderam nas curvas entre Jacarezinho e Ribeirão Claro. Apesar do que muitas pessoas pensam, não existe um "Ribeirão Claro" e sim um bosteiro fedido no qual a cidade foi erguida.


Geografia e Turismo[editar]

Como não é possível enxergar a cidade por satélites, o Google em 2014 ampliou o desenho dos barracos arredores da cidade para incluí-la no site. Toda geografia é feita de picas picos enormes onde as trans ficam sentadas o dia inteiro, como a rampa perto do Mercado Baggio que foi registrado ter duas vezes a altura do Monte Everest. A represa de Xavantes abriga o maior poço de xixi do mundo, com 35.600.000m³ de mijo feitos pelos nativos carlópolianos. Sismólogos advertem que a cidade foi construída em cima de um vulcão que não mostra atividade há 2000 anos, e explica porque muitos moradores parecem ter o rabo os pés pegando fogo.

O município é lar de lugares excêntricos que atraem turistas sexuais de todo o mundo, como a piroca torre de pedra, o morro do zé do caixão e o parquinho da rodoviária. O estilo da cidade conserva todo contexto histórico na arquitetura e até nas estradas, que continuam do mesmo jeito desde 1440 a.C quando foram descobertas. Visitantes que vêm à Ribeirão Claro são geralmente pessoas que buscam fugir do mundo moderno, tendo em vista que a eletricidade ainda não foi trazida para o município e os moradores tão pouco conhecem tal tecnologia, assim a internet e eletrônicos ainda não chegaram por lá. Certa vez um turista foi morto pela tribo da baixada por ter usado um Laptop publicamente, pois foi confundido com um praticante de magia negra.

A famosa prainha da cachoeira, que não tem praia nenhuma e nem cachoeira, é alvo dos pobres que se pururucam no sol e fazem xixi na água. Enquanto o Tayayá, área da alta viadagem classe, atrai os nobres e Mauricio mauricinhos que desfrutam de lanchas, caviar e mordomias.

Ribeirão Claro também é destaque por possuir alguns pastos na zona urbana da cidade. (Isso mesmo, pastos!). É também muito bela por suas ruas terem algumas carroças de véios no meio delas, com aroma natural de bosta de vaca esterco, criando um ar de bosteiro rural fascinante. É possível ver vacas andando na cidade a luz do dia, e principalmente a noite nas praças da cidade bebendo e subindo na bike entrando no carro dos playboys para dar o rabo uma volta no mirante.

Existem dois mercados (que mais ou menos valem a pena), 138 igrejas, 1 hospital, 25 penitenciárias, 8 zonas, não há escolas que prestem, farmácias abrem só para membros da Tribo Cachoeira comprar maconha genéricos, e há uma vaga de emprego para cada 10.000 habitantes. Duas praças na cidade são as únicas áreas de lazer, sendo uma a praça dos véios vagabundos jogadores, e a outra a dos véios pedófilos beatos.

História[editar]

Integrante da tribo melancia.

Tudo começou quando uma cambada de italianos burros decidiram sair do amado patrimônio da maconha cachoeira e decidiram montar uma cidade a 2 metros de Jacarezinho. O cafezal local tinha grande destaque da nobreza até surgir as baixadas e a rádio 104.9, que atraíram uma série de tribos e metade dos moradores do aeroporto em Jacarezinho, criando as 5 tribos Dhelugarnen-ün, formadas pela tribo da baixada, a tribo da maconha cachoeira, a tribo dos três corações, a tribo pé-vermeio e a tribo melancia. As cinco tribos possuem papeis variados na administração da cidade, sendo a baixada a tribo que cuida da segurança, a cachoeira cuida dos cultivos, os três corações cuidam do entretenimento e os pé-vermeio e a melancia da política.

Noé quase descobriu Ribeirão Claro, durante os últimos dias do dilúvio, e descreveu como o lugar que ganhava de Sodoma e Gomorra nos níveis de putaria e de boiolas pecado e maldade, porém parou lá para ajudar uma criança indonésia chamada Sã, que estava no alto do castelinho, único lugar em todo planeta que água não sucumbiu.

Política e Facções[editar]

As duas autoridades máximas da cidade é o Padre e a mulher do prefeito, ambos que fazem parte da tribo melancia. No início de tudo, o cidadão mais importante era o querido japonês de descendência chinesa Imperador Sã, (cujo nome verdadeiro era Tomano Nomeoku, mas ninguém sabe disso) além de ser o único filho de coreanos que vivia no meio de branquelos de grande poder, pois todas as crianças o obedeciam quando dizia: “Olha o algodom doce! Baratinhu, baratinhu!”. Sã é detentor de um dom raro da imortalidade, e apesar dos céticos contradizerem, estudos relacionados com aparições alienígenas comprovam que Sã teve contato direto e sofreu transformações, ao tentarem extrair duas sondas anais. O rumor mais credível é que o carrinho de algodom doce de Sã era uma nave alienígena, por isso tinha poderes hipnotizantes e fazia todas as vítimas crianças adorarem o algodom. Hoje não se sabe onde foi parar Sã, mas a teoria é que ele foi contratado pela Disney para vender algodom doce, ou foi deportado para o Taiwan pelas autoridades após denúncias da tribo melancia.

As tribos pé-vermeio e a tribo melancia são rivais desde a fundação da aldeia cidade. O conflito começou quando os pé-vermeio queriam que o nome da aldeia cidade fosse Taquaral, e as melancias queriam que o nome fosse Carolinacity. Desde então nunca houve trégua entre as duas facções, com grandes conflitos como o que ocorreu em 1939 com a Segunda Guerra Municipal, onde os aliados da força Carriel & Pereirão confrontaram os católicos germanos onde ficou conhecida a célebre frase “Já fez besterrinhas?”, frase do comandante germano em alusão às cagadas cometidas pelos pé-vermeios no meio do mato.

Habitantes[editar]

População jovem da cidade.

A população é diversificada, mas em particular possui um número acentuado de retardados loucos, já que por conta dos muitos relatos de avistamentos alienígenas, surgiram muitos pesquisadores e ufólogos que se apaixonaram pela pinga e pelas barangas mulheres da tribo Três Corações que em maioria ainda não inventaram as roupas. Muitos estranhos habitantes surgiram desses contatos alienígenas, como o Bilú que é natural de Ribeirão Claro, e seu filho Luís Carlos Paraná que buscou tanto conhecimento que criou músicas hipnotizantes como “Cafezal em Flor” que atingiram boa parte do país. A teoria é que por meio do algodom do Sã e da música de Luís Carlos os ETs estejam manipulando a mente humana lentamente para transformar todas garotas em fãs do Justin Bieber e todos garotos em bibas loucas jogadores de LOL, para inibir a suruba procriação e escravizar a população de pessoas, escolhendo Ribeirão Claro por ter uma população com maioria de véios.

O habitante mais velho é o Alencar, que pode chegar a te matar se chamá-lo de corintiano, diz a lenda que ele é o irmão mais velho de Mumm-Rá e só irá morrer quando perseber o quanto é inutil torcer pro palmeiras ; ou seja, morreu ,deixando para seu maninho Mumm-Rá uma camisa verde, um boné, dois real e um bilhete dozendo "bendito sejas corintians" ,a Mumm-Rá nossos mais sincersos pesames da nação alvo e negra. Ribeirão além de tudo isso tem o privilégio de possuir um dos Pioneiros dos Emos Pretos, o Deilson S2. Até hoje ele é o único emo que se tem notícia que a população de "ribercity" aceitou.

Mais da metade do povo se diverte morando no mato, nas baixadas ou perto do Pelego.

Sr. Alencar consegue um bico como apresentador de TV.

A população toda é alimentada através do Laticínio, aos domingos tem o privilégio de tomar Refrigerante Fabiane e uma vez por ano comer no Bar do Tucão e agora no Pimenta no cú dos outros é Doce, o novo boteco. Outra coisa que é importante comentar dos habitantes de Ribeirão Claro é que o ramo funerário é muito lucrativo já que cada família tem que comprar dois ou mais caixões (um para o corpo o resto para a língua). O fato é que os ribeirãoclarenses, são mutantes, que ficaram expostos ao Merdonium P412, um mineral radioativo abundante no solo da cidade que faz o povo ficar viciado em falar da vida alheia botando no chinelo ícones da mídia como Nelson Rubens, Leão Lobo, Sonia Abrão e aquelas malas do programa da Adriane Galisteu (volta futurama!) fazendo de Ribeirão Claro, o maior portal de notícias não virtual do mundo, servindo de fonte para os maiores tabloides de fofoca do universo. Reza a lenda, que um ribeirãoclarense foi para os E.U.A e gerou o boato de que Alessa Gillespie era uma bruxa, mas o tonto não sabia que era verdade e condenou a pacata Silent Hill à uma maldição inexplicável.

Os habitantes mais famosos de Ribeirão Claro são:

  • Soró (famoso por ganhar dez metros de linguiça do circo, por ser elegido homem mais feio da cidade).
  • Alencar (famoso por ser um véio do c@#$$%& e ser o mais fodão da cidade).
  • Tonho Queijo (famoso por dizer: "a fi la nus dozi" e "bom fi!").
  • Duardo (famoso por vender mandioca e maracujá).

Religião[editar]

Briga entre crentes em Ribeirão Claro.

90% da população é católica, 9% é crente do rabo quente e 1% é Sã. Dos 90% de católicos, 30% são ateus, e desses 30% de ateus 50% são religiosos fervorosos. Os outros 70% vão à igreja para mostrar as roupas bonitas e não para rezar, e desses só 10 pessoas não pecam frequentemente ou seguem conduta religiosa, pois são amigos imaginários do padre. O Sã tentou fundar uma religião chamada Religião “Algum Dom Divino”, onde na Santa Ceia serviria algodom para os fiéis para que fossem abençoados com o açúcar sagrado. Em um batismo, uma criança foi banhada em açúcar bento, onde na cerimônia a mãe deveria realizar o banho. Com isso surgiram playboys na cidade, que criaram o estilo ostentação, fortemente disseminado a partir disso, inspirando até mesmo um trecho de música bostaneja que canta: “Mamãe passou açúcar em mim”.

Os grupos de jovens e ministérios são muitos, onde os jovens fazem os pais pensarem que estão rezando, mas na verdade estão ajoelhando e bebendo leite indo à festas regadas a Vodka e dancinhas pseudoreligiosas com roupas curtas em ambientes fechados. Também existem muitas seitas que amedrontam toda população, saindo na sexta-feira treze para fumarem um baseado realizar pactos e trazer o McCatra capeta, com a intenção de fazer o funk dominar a música mundial.

Atualmente surgiu na pacata aldeia, um grupo de jovens babacas que tem sua sede na Santa Laura, Reivindicam para si os títulos de anticristo e anunciam o fim do reinado do padre germano. Geralmente são discípulos de um certo desertor da igreja, estudante de filosofia na UEL, bebedor de pinga e cuzão, cujo nome pode ser citado (Mas não será citado) e seu servo analfabeto funcional, o mais maconheiro e apaixonado da cidade João "Madin Bu" Guilherme Neves. São autores de diversas babaquices na cidade, o que justifica o nome tal qual são conhecidos entre os moradores : Pichadores Babacas. Boatos dizem que seu líder supremo é dono de um monopólio de transportes para universitários e para cabaços que frequentam a zona (Celinha Drink's).

Batalha contra Chavantes[editar]

Guerreiro de Chavantes pronto pra sair do armário em combate.

A molecada pichador de cemitério ódio pelos incríveis bibas machos chavantenses, pois em Ribeirão não é tolerado nenhum 'Emo' e quando um é capturado é aprisionado na sapolândia até ser sacrificado no CTG na maior festa de sitiante do Paraná, a Fescafé.

Voltando ao assunto de veado, quero dizer, sobre Chavantes, os "Ribeirão-Crarenses" querem matar todo chavantense, pois eles pensam que são fodas e querem pegar as minas gostosas de Ribeirão, porque lá só pegam o Celião do Trailer.

Outro fato engraçado maconha os pega-pica amigos de Chavantes é que sempre afirmam que a Ponte Pênsil é deles quando na realidade a única coisa que fizeram foi tocar fogo nela umas 547 vezes. Quando construíram a ponte (sem pensar que posteriormente seria utilizada para o tráfico de entorpecentes para Irapé) Ribeirão Claro entrou com toda a infraestrutura e Chavantes só com dois paus de Bambu para fazer andaime. Em compensação, cada habitante de Chavantes já viu como o ferro de Ribeirão Clarense é robusto, e importam de cá o máximo que podem enfiar em seus tobas caminhões para se satisfazerem na cama com construções de casas que não são de palha.

Na Segunda Grande Guerra Municipal de 1939, Chavantes lutou ao lado da tribo baixada, pois tinham mais coisas em comum. Em 1945 lançou uma bomba de destruição em massa na área da tribo Três Corações, que tinha o efeito de aumentar os hormônios femininos além da destruição da maior parte das casas. Com isso 85% dos homens mudaram de sexo, e as mulheres ficaram ainda mais frescas, tendo crises de TPM que levaram à crise masculina de 1946, por conta disso também Ribeirão Claro possui uma terra vermelha, quase roxa. Desde então os Três Corações nunca se recuperaram, e ainda possuem só uma zona igreja, um colégio e algumas ruínas fazendas em volta.

Administração[editar]

Economia e Lazer[editar]

Moradora sensualizando.

Anteriormente, de todo PIB gerado na cidade 9% vinha do Laticínio, 1% do turismo do bosteiro e 90% era do algodom doce do Sã. Antigamente tinha alguns pés de café, mas cortaram tudo para dar lugar à Vila Rural (Condomínios de luxo).

Atualmente o Laticínio foi comprado pelo Barack Obama pela bagatela de U$ 2,00 dólares, e exporta os produtos para alimentar seus soldados com crise de caganeira, e como o produto causa e cura o problema, o ciclo vicioso fez a empresa crescer e competir com a Nestlé e Vigor para ser a maior causadora de diarreia crônica do mundo. Graças à grande quantidade de estudantes do colégio vacas no perímetro urbano, o obtenção é de leite é fácil e em enorme quantidade. O mato nasce nos telhados e até na areia, o que faz a vegetação do município ser um mistério para biólogos e ecologistas, e um prato cheio pra Dona Carolina.

Em segundo lugar em lucros, entra as vans escolares, que cobram preços leves de 900 reais por aluno, para leva-los a dois quarteirões de distância. Retiram os pintos cintos de segurança para dar mais conforto, e dirigem a 480 km/h na curva para garantirem a eficiência do serviço. São conhecidos como os mais filhos da puta confiáveis e desgraçados honestos comerciantes da cidade.

A pedreira da cidade, fica próxima à rodoviária e tem a finalidade de empoeirar todas as casas em um raio de 10 quilômetros (considerando que a cidade tem 150 metros de extensão), gerando empregos para diaristas e faxineiras que trabalham 24 horas para tentar minimizar o acúmulo de sujeira. Além dos benefícios às mulheres quanto ao trabalho, também ajuda a aumentar a autoestima de todo tribufu cidadão mulher que passa em frente ao local, pois dão em cima até da mula-sem-cabeça se passar por lá.

Dia movimentado no centro da cidade.

Algo notório nos comerciantes ribeirão-clarenses, é uma personalidade única de educação e paciência. Só mandam tomar no cú naquele lugar se o cliente demorar mais que 30 segundos para comprar algo, e tendem a não serem grosseiro todos os dias, apenas nos dias úteis. Contribuem com a economia do consumidor, já que dificilmente é possível encontrar o que procura, então o consumidor desiste da compra e acaba não gastando seu suado dinheiro. O patriotismo é marcante em todo profissional, já que são fortes adeptos do jeitinho brasileiro em tudo. Um exemplo é o Shopping 1,69 que compra itens a 10 reais e revendem a 80, mostrando que são experts em economia, com vendedores educados e atenciosos, que evitam olhar pra bunda cara do cliente pra não envergonhá-lo, e evitam falar também, além de atender.

O salário médio de um habitante chega a atingir R$ 12,50 por mês nos cargos melhores, com exceção dos vereadores que ganham o mesmo para cada mentira que falarem.

Desde a recuperação da bomba lançada na Tribo dos Três Corações, a promessa de melhores opções de lazer existe, mas até agora só conseguiram fazer uma festinha no ano, que quase sempre terminam com mortes a facadas, tiros, estrangulamentos, dilacerações, torturas, sequestros, afogamentos, mutilações e outros acontecimentos normais para a região.

A época de maior pico na economia, é quando acontece a Festa do Sertanojo Café, onde bolivianos montam barracas pra vender balas Halls a um preço barato, custando no máximo um carro popular. Chamam artistas como Linkin Park e Avenged Sevenfold, com a condição de tocarem uma bronha com chapéus de boiadeiro, e calça apertando a racha as bolas como fazem os merdanejos universitários, mas negam geralmente pois não gostam de passar humilhação pública pra fazer sucesso. O rodeio geralmente prende os chifrudos cowboys em uma arena, pra montarem em touros enquanto suas mulheres estão sendo vacas dançando no outro lado da festa. No ano de 2015, a festa bateu o recorde de nascimentos após nove meses, ultrapassando o carnaval do Rio de Janeiro, já que cú de belda não tem dono os homens engravidam também perdem o controle e atacam quem estiver na frente.

Esporte e Cultura[editar]

Garry Kasparov tentando entender como perdeu pra um bosta ribeirãoclarense.

A pequena metrópole cidadezinha é lar de grandes esportistas, exportando marijuana atletas para o exterior e levando o nome do município para o infinito e além. O futebol é uma paixão, assim como para todo jumento brasileiro, e já houveram jovens indo jogar para fora buscando fugir dessa bosta e comer várias prostitutas melhores condições e prostitutas. O outro esporte muito popular na região é a canoagem, onde os jovens se enfiam em canos e tentam ganhar corridas idiotas em círculos, com alto índice de adesão por suicidas e enrustidos que variam a forma de competir colocando o cano em si mesmos pelo orifício cagonal nasal. Outro conhecido esporte na cidade é o Xadrez, que por algum motivo que ninguém sabe, desapareceu. Acredita-se que após um gordinho enxadrista ter ganhado de Gary Kasparov, todos os outros jogadores desistiram por vergonha, já que o gordinho só fazia gordisse era o pior jogador que o cosmos já viu, e se sentiram humilhados por ele ter derrotado um débio gênio russo.

Os teatros acabaram, o cinema acabou, a música acabou, e até o acabamento acabou. A ausência de cultura fez com que a população ficasse ainda mais imbecil, e vendo que isso era aclamado e todos concordavam, foi criado o novo departamento de cultura chamado de Academia da Imbecilidade. Projetos culturais baseados na cidade foram criados e tiveram alto índice de participação, onde podemos citar:

  • Censurar-te: Festival de música culta, onde é expressamente proibido músicas ruins como todos os estilos que não são porranejo sertanejo e fuckme funk.
  • De Livro Livre-me: Onde estantes pobres brancas são enfiadas em todo canto, com material educativo como revistas da Capricho e da Veja, é possível encontrar raros exemplares de A Grande Esperança.
  • Destrua uma Árvore: Com o intuito duplo de auxiliar a prefeitura na remoção de objetos urbanos indesejados, como no controle temperamental extravasando a raiva nas plantas.
  • Cercas Comunitárias: Contribuiu pra reduzir 90% da superpopulação que se concentrava na Praça nos finais de semana, dando um lugar para as vacas que frequentavam lá pastarem com mais tranquilidade e diversão. Proporcionou ótimos locais para casados pularem.
  • Telecentros: Locais destinados ao Alencar e Tonho Quejo se vestirem dos icônicos Telletubies e realizarem seu sonho enquanto os visitantes recebem balinhas de LSD .

Infraestrutura[editar]

Solo Pavimento surreal, parece que nem estamos na Terra.

O transporte público de Ribeirão Claro inova em vários sentidos e traz uma alternativa realmente inteligente. As pessoas são transportadas por jegues, que foram cedidos pela prefeitura, e os burros são conhecidos como amarelinhos por usarem protetores de pinto coletes amarelos. Quando os habitantes não tem pressa, podem usar o outro meio mais lento e ecologicamente correto, porém muitos não gostam ou não conseguem, que é dar de ré andar a pé. Por toda cidade os vereadores se voluntariaram a ficar de boca aberta o dia inteiro nas ruas chupando eleitores, já que não trabalham mesmo, incentivando os moradores a darem um destino correto ao lixo. As casas são feitas de bambu, e rebocadas com areia e bosta queijo do Laticínio, uma mistura que provou ser resistente aos ventos absurdos da região e aos ataques terroristas de Irapé.

As estradas são asfaltadas com as cinzas do fumo dos véios da praça. A prefeitura incentiva jogos como Pôquer, Rouba-monte e Troca-troca entre véios para estimular a transa livre fumaça livre e manter o controle populacional através da cirrose, com o bônus das cinzas. A largura total das ruas e estradas é suficiente pra passarem três bicicletas (em fileira) ou 2 fuscas (um em cima do outro), e para facilitar o trânsito e não poluir a cidade foram dispensados objetos inúteis como semáforos, placas, faixas e as calçadas, porém se preocuparam em chamar um construtor de montanhas profissional para projetar as lombadas.

Estudantes de Educação Física tentando editar o TCC.

Educação[editar]

As escolas do município são o que podem ser chamadas de verdadeiro lar, já que os alunos aprendem em casa com os pais. Uma das controvérsias geradas por esse tipo de ensino era de que o presidente do Brasil é o Agrinho quando todos sabemos que é o Beto Richa, ou pelo menos era ele quem as crianças deveriam seguir e votar. A cada dez jovens, nove fazem Educação Física e a outra parte estuda em uma faculdade. A profissão de professor está sendo estudada para implantação no município desde os anos 90, mas a secretaria da educação ainda não conseguiu entender para que serve o profissional, e criaram o cargo de vereador erroneamente, chamando o que seriam as câmaras secretas de escolas do povo.

Pontos Turísticos[editar]

Turistas em foto desfrutam de passeio no Portal da Cidade.

Com diversidades turísticas e atrativas, Ribeirão é o destino número cinco bilhões trezentos e oitenta mil, setessentos e onze um de aventureiros e amantes da natureza. Com a desgraça beleza de suas montanhas e os rios imundos de merda límpidos e radiantes, cada segundo de estadia é uma experiência torturante e infeliz implorando misericordiosamente a todo tempo pra ir embora, pelo amor de Deus, SOCORRO! agradável e prazerosa com seu povo hospitalizadoleiro de rabos braços abertos para todo visitante que por aqui passar.

Dentre os pontos turísticos notáveis, destacam-se:

  • Parquinho da Rodoviária: Lugar criado pelos dentistas de Ribeirão Claro. Todas crianças que tentam “balangar” caem de boca e quebram os dentes da frente.
  • Bicicletaria do Juarez: Recinto refinado, existente desde a época jurássica sobrevivendo ao meteoro da extinção. Toda bicicleta que circula na cidade deve ser credenciada com o Juarez, e um pacto entre a magrela e a bicicletaria é lei municipal (PL “Lei das Bike” nº 20.666 de Outubro, 1876).
  • Avenidas das Palmeiras: Uma avenida com Palmeiras. Antes haviam alguns pés de amora, moitas que atraíam gatos. Por conta dos cheiradores que invadiram o lugar cortaram tudo e hoje a rua passa a se chamar “Deserto das Palmeiras”.
  • Portal da Cidade: Desocupados resolveram inventar algo com cimento e tinta azul, e montaram uma boiolisse entrada para cidade com duas torres que parecem cercas de roça, com espelho d’água e quiosque de informações sobre as zonas, bocas e recantos gays turísticas. O nome portal foi dado fazendo alusão que ao atravessar ali, você está entrando em um portal para o inferno Acre, ou pelo menos pra encontrar muita gente feia que veio de lá.
  • Serra do Mirante: Também conhecida por Serra da morte, por que sempre alguém bebe muito e tropeça do mirante caindo centenas de metros, é uma parte insignificante da rodovia entre Carlópolis e Ribeirão Claro. Permite avistar de longe as vacas que cobram caro pela hora que pastoreiam às margens da represa, e as praias da Cachoeira onde as banhistas cobram menos e tem promoção a cada duas horas nadam e praticam boquete canoagem nas águas brilhosas em frente ao Morro do Gavião da fiel.

Cumprimentos da Cidade[editar]

O cumprimento oficial da cidade é o famoso e lendário “Bão fiii!”, criado por ninguém menos que o legendário vendedor de buchos de boi de origem desconhecida “Tonho Quejo bão fiiiii”. Por muito tempo reinou o tradicional "oooba", que ainda é falado pelas ruas pelos véio anciões da cidade.

Hino Oficial de Ribeirão Claro[editar]

Querida Pérola do Norte,
Teus filhos sentem-se enjoados.
Onde domina a politicagem,
Ribeirão Claro, és cela forte.

Teu povo dando a marcha ré,
No kibe cru da Ki Delícia,
Gastar no Tucão ou na Marilda:
Tá cincão um relis café!

"Vamos lá", com hemorróidas,
"Pra tentar soltar!
De sangue um Ribeirão.
Salve! Viva o Fernandão,
Eterna baixada
que só dá bafão

Calada, inútil e ingênua
Terra que tomei no meu cu
Eu morei antes no Iraque
Não tinha tanta violência

Tem cafezais até nos postes,
Não descobriram a internet,
Comércio rouba e te estorque
Tradição da corrupção

Estribilho:
"Vamos lá", com hemorróidas,
"Pra tentar encher!
De bosta um Ribeirão.
Salve! Viva este chão,
Eterno pelego
Onde caguei de montão.