Rio Branco Esporte Clube

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Rio Branco Esporte Clube
Escudo do Rio Branco-SP.png
Brasão
Hino "Yo soy Rebelde!"
Nome Oficial Rio Rosa Esporte Clube
Origem link={{{3}}} São Paulo Americana
Apelidos Princesa Tecelã
Torcedores Tecelões e Costureiras
Torcidas Malucas da Tigresa
Fatos Inúteis
Mascote Tigresa
Torcedor Ilustre Seu Peru
Estádio Casa Rosada
Capacidade 15 tecelão e 7 costureira
Sede Americana; Rua tilambucano, 24
Presidente David Brasil
Coisas do Time
Treinador Não tem
Pior Jogador Nuvola apps core.png Rosarinho
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png Xupla
Patrocinador Lubrificante Anal Ticotico
Time
Material Esportivo Tigor T. Tigre
Liga Campeonato Paulista
Divisão 24, sendo rebaixado
Títulos Série A-2 depois de 100 anos, daqui 100 anos ganham outra.
Ranking Nacional 24°
Uniformes 150px
Uniforme02.jpg



Rio Branco Esporte Clube é um famoso time do interior paulista, e segunda equipe de futebol em importância da cidade de Americana. Detém o vice-recorde de mais campeonatos paulistas disputados só para fazer número e nunca nganhar, superado apenas pela Ponte Preta que é hors concours neste título. Atualmente nem mais na Série A1 consegue se manter direito para manter esta fama, mas a julgar pelos anos consecutivos com que vem disputando a série A2, parece que o time busca o recorde de participações sem ganhar título da Série A2 também.

O Rio Branco tem como maior rival o União Agrícola Barbarense Futebol Clube, dos vizinhos de Santa Bárbara d'Oeste. Sendo que nunca venceu o time da Ponte Preta, pois como um rio pode vencer uma ponte ? Somente em dia de chuva forte.

História[editar]

Fundação[editar]

O Rio Branco EC foi fundado no ano de 1913 por alguns colonos que estavam no interior do estado plantando alguma coisa que não vem ao caso descobrir agora. Eles achavam a sua cidade tão distante da civilização que decidiram homenagear a capital do Acre, dando o nome de Rio Branco para a sua equipe.

Desativação[editar]

Obviamente, por falta de adversários, o Rio Branco fechou suas portas em 1940 e assim permaneceu criogenizado por longas décadas, até que em 1979 fundiu-se com o Americana Esporte Clube e o time ressurgiu.

Década de 90[editar]

A partir do ano de 1991 se estabelece na Série A1 do Paulista onde fica vários anos consecutivos fazendo número e sendo pontos garantidos ao enfrentar os times grandes.

Os anos de 1993 e 1994 podem ser classificados como "anos de glória" do Rio Branco Esporte Clube. Foram anos de muitas conquistas, boas posições em campeonatos e gratas revelações. O ano de 1993 especificamente foi marcado pela classificação da equipe profissional para a disputa do octogonal final do Paulistão, terminando num totalmente incrível sexto lugar, atrás apenas dos considerados grandes times da Capital (o Guarani, aquele time falido, que ficou em 5º em 1993, é considerado grande? Acho que o Rio Branco está forçando a barra).

É nesta época que o Rio Branco venceu uma grande equipe de fora: o Fenerbahçe, dirigido por Carlos Alberto Porreira nos anos 90. Além disso, venceu as China girls por 5 x 1 (tudo em um jogo-treino, claro, senão perderia com certeza).

Foram muitos anos de importância na Série A1. Mas no dia 8 de abril de 2007, após sofrer uma simples derrota para a equipe de Rio Claro, o Rio Branco cai para a série A2 do Campeonato Paulista.

Hino[editar]

1ª versão[editar]

Alvinegro desimponente
Lutando com o cu nas bichas
És a tristeza dessa gente
Que te odeia, quem não quer.

Tua idiotice e tua derrota
Há adversário que faz 10 a 0
É meu clube odiado
Pau no cu do Tigre da Paulista.

Rio Branco, Rio Branco, Rio Branco
Vai fodendo a sua glória
Queima sua bandeira
com choradeira e derrota.

Fode os jogadores estúpidos
Faz infartar meu coração
Muito choro nas bichas
O Rio Branco é perdedor.

Dá-lhe meu cu
Dá-lhe meu cu
O Rio Branco é perdedor.

2ª versão[editar]

Perdedor! Perdedor! Perdedor! Perdedor!
Perdedor! Perdedor! Perdedor! Perdedor!

Você fodeu e nos também
De tristeza choramos
Rio Branco, perdedor do interior
Seus revaixamentos há de se fuder

Não tem tradição, é um timeco enfim
No seu passado já fodeu
Hoje é tristeza, é pau no cu em mil
Futuro triste as bichas será

Sofrência, goleada e fraqueza
Medo, choro e tristeza
Onde eu fuder, lá estarei comendo os jogadores.

Rio Branco, Rio Branco, sempre chorarei
Rio Branco, Rio Branco, Rio Branco das bichas
Rio Branco, Rio Branco, sempre chorarei
Rio Branco, Rio Branco, Série A3, pra sempre...

Rebaixado! Rebaixado! Rebaixado! Rebaixado...