Rio Verde

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Green River
"Green River das Abóboras"
Bandeira de Rio Verde.png
Bandeira
Aniversário
Fundação Não disponível
Gentílico rio-verdense
Lema O viaduto que você vê
Prefeito(a) Paulo Del Valle
Localização
Localização de Green River
Estado link={{{3}}} Goiás
Mesorregião Cu de Goiás
Microrregião Velho-Oeste Goiano
Municípios limítrofes Aparecida do Rio Doce, Cachoeira Alta, Caiapônia, Castelândia, Jataí, Maurilândia, Montividiu, Paraúna, Quirinópolis, Santa Helena de Goiás e Santo Antônio da Barra
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área Não disponível
População Não disponível
Idioma Uma leve mistura de Goianês e Nordestinês
Densidade hab./km²
Altitude metros
Clima Árido, Super Árido e Mormaço, Fresco Quente no inverno, frio no verão
Fuso horário UTC
Indicadores
IDH
PIB R$
PIB per capita R$

Cquote1.png Você quis dizer: Dependente da Perdigão? Cquote2.png
Google sobre Rio Verde
Cquote1.png Bora da uma volta lá no shopping? Cquote2.png
Cidadão rioverdense sobre o shopping popular Paulo Reis
Cquote1.png Ano que vem a UFG vem pra cá Cquote2.png
Universitario utópico sobre Rio Verde
Cquote1.png Adoro ir para a metrópole fazer compras, lá tem até shopping. Cquote2.png
quirinopolinos (criminopolinos) que saem de sua cidade para ir ao shopping de Rio Verde
Cquote1.png Êêê vontade de fincar meus chifre no chão e sair araaando! Cquote2.png
Rioverdense obviamente corno sobre vontades que vem do nada.
Cquote1.png Vamo lá na cidade grande fazer compras. Cquote2.png
santa-helenenses sobre Rio Verde
Cquote1.png Oxente bixinho, nóis rioverdense sabi qui aqui em River Green só tem cabra machu!! Cquote2.png
Nordestino fingindo ter nascido em Rio Verde
Cquote1.png Lugar de pobre ficar rico (ou não) Cquote2.png
Paulistas sobre Rio Verde
Cquote1.png Borb's é baumxxx. Cquote2.png
Cidadão doido sobre a lanchonete fajuta que imita o Bobs'
Cquote1.png Foi a Igreja onde gravamos o clip November Rain... Cquote2.png
Slash sobre Igreja São Sebastião
Cquote1.png Oxenti bixin ésxta é a mió banda di arrasxta pé do mundo! Cquote2.png
Funcionário baiano da Perdigão sobre show do Dejavu em Rio Verde
Cquote1.png Tava ruim lá na Bahia, profissão de bóia fria, trabalhando noite e dia eu vim me embora pra Rio Verde.. Cquote2.png
Baiano cantando sobre sua imigração para Rio Verde
Cquote1.png Cos tonight you are THE BULL... Cos tonight you are THE BULL... Cquote2.png
Massacration tocando uma música para os cornos a maioria dos habitantes de Rio Verde, tirando os Headbangers e alguns outros que escutam música "mais ou menos"
Cquote1.png Proibiram a gente de entrar na cidade Bicho! Cquote2.png
Nômades de verdade sobre o evento "Nômades"
Cquote1.png Cancelaro nosso segundo show... Cquote2.png
Chiclete com Banana sobre incompetência de alguém de Rio Verde.

Rio Verde, conhecida popularmente como RV ou por Green River pelos emos caipiras, é uma cidade do interior goiano em que vivem cerca de 180.000 habitantes que só comem soja. É muito conhecida por sua beleza e sua fama na produção de grãos. A cultura rio-verdense é basicamente nula. Nesta cidade existe cerca de 100 produtores de grãos podres que ficaram ricos comprando terra barata a alguns anos atrás, e hoje ganham muito dinheiro com ela, fato este o qual denominamos de "sorte".

A cidade é livre de qualquer tipo de preconceito, portanto aos paulistas razoavelmente inteligentes e querem ficar ricos, Rio Verde os esperam. E os nordestinos que procuram um (péssimo) bom emprego, a perdição lhes esperam em Rio Verde.

Rio Verde está sempre em obras, e a primeira vista isso parece boa coisa, sinal de avanço e de algo está sendo consertado ou melhorado, porém essas obras nunca acabam, e antes de terminar uma obra já começam outra, por isso há praticamente uma obra por quarteirão atualmente.

História[editar]

O anoitecer às margens da Corrego Barrinha.

Dizem a lenda que desde 1500, o único território restante do antigo glorioso Império Goiano era Rio Verde , lugar dos bandeirantes comerem abóboras durante sua Jornadas nas Estrelas, pois assim que descobriram o prazer (sexual) de comer abóbora, todo mundo vinha comer essas abóboras alucinógena, e assim dali surgia um povoado que se tornaria a atual Rio Verde.

Em 1987, catadores de lixo estavam fuçando os escombros de um hospital particular da na capital (Chernobyl) Goiânia que pertencia ao irmão do prefeito, e encontraram uma caixa de chumbo lacrada, com pó azul brilhoso. Mas na caixa tinha um aviso "Não abra ou você vai se fuder e cagar sangue azul", e brasileiro só faz o que é proibido, abriram a porra. Então pensaram: "Sô, isso deve ser maquiagem de gente rica!", e salpicaram o pó pelo corpo, até que ele grudasse. Mal sabiam eles que o "pó azul brilhoso" era Césio-137, usado para exames de prevenção contra câncer de ânus. Um bocado morreram, outros começaram a brilhar no escuro , uma caralhada ficou contaminada, muito peão de touro fugiu. Em decorrência da explosão desse reator nuclear que dizimou grande parte da população, poucas pessoas sobreviveram sendo resultados dessas mutações aqueles que logo depois iriam formar essa cidade maravilhosa de Rio Verde cheia de história e cultura para contar, como vocês podem ver.

Depois de vários estudos físicos-quânticos e históricos baseados no Cálculo Hipotético Universal de Tempo e Espaço (CHUTE) e na Alegoria Categórica Hipotética Intraespacial de Silogismos Matemáticos Orbitais (ACHISMO) chegou-se a duas explicações para a origem do nome "Rio Verde": Na primeira hipótese, o nome "Rio Verde" foi decidido quando agricultores acharam um rio quase verde, lotado de agrotóxicos de suas fazendas, e o nomearam de Rio Verdão, e a cidade de Rio Verde. Na segunda hipótese, o nome é "Rio Verde" porque o primeiro otário que pisou lá era daltônico, e confundiu o laranja das abóboras com verde, dai ficou Rio Verde das Abóboras que posteriormente foi resumido quando as plantações de abóboras foram todas trocadas por plantações de soja.

Clima[editar]

O clima rio-verdense se baseia muito no calor. Uma época é tanto que as crianças quase morrem pela falta de umidade no ar e, quando é mais tranquila, a temperatura chega aos 30°C, deixando um friozin na galera.

O melhor de tudo no clima desta cidade maravilhosa é que, quando chove, parece que o mundo vai acabar, todos sentem como se o dilúvio estivesse chegando. E para não esquecer, quando chove muito, o calor é o mesmo.

Atualmente existem 4 estações do ano em Rio Verde: Quente, Quentura, Calor e Viroses nos Hospitais.

Política[editar]

A política é algo sério a ser discutido em Rio Verde, tão sério que não merece mais do que um parágrafo. Simplesmente é uma lástima.

População[editar]

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...A maior quantidade de rio-verdenses do mundo está em Rio Verde?

A População é linda e maravilhosa. Com muitos drogados e viciados, alcoólatras e pobres que vagabundos que não trabalham. É a terceira cidade com o maior número de caipiras do mundo, perdendo apenas para Belo Horizonte e Anápolis.

Aqui vemos um morador do Centro em seu elegante traje de inverno.

Os rio-verdenses são indivíduos parecidos com os humanos, mas usam chapéu ao invés de boné, calçam botina ao invés de tênis, bebem café em vez de água, dançam rebolation, usam de supositórios para dormir (o motivo você descobre olhando para o Córrego do Barrinha, ou para a sujeira boiando ao longo dele e todas as visíveis doenças intestinais que esse córrego transmite só de se olhar para ele) e metabolizam dióxido de carbono em vez de oxigênio.

A classe alta formada pelos burgueses e agro-boys se acham os maiorais, quando na verdade não se equivalem nem à classe mais obre da periferia de Goiânia. A tendência dessa classe é seguir modinhas, por isso existem em Rio Verde tribos de emos, góticos, ateus e esse tipo de raça ruim.

Não podemos esquecer dos mendigos, numerosos em Rio Verde, também conhecidos como Mindingos, Minmin, Hippies ou Grunges. São uma espécie de protozoário derivada da raça humana (Homus pedintun). São caracterizados pela indisposição para qualquer forma de trabalho, sobrevivendo como caçadores-coletores (de esmolas). Morfologicamente apresentam uma ampla gama de fenótipos, no entanto certos traços são comuns a todos os mendigos, como dentição incompleta, manchas marrom-enegrecidas sobre a pele ("sujeira"), e um odor característico expelido por suas poderosas glândulas. Também possuem o dom raro de se teletransportar, parecendo que estão em vários lugares da cidade ao mesmo tempo.

Cultura[editar]

Rio Verde é excelência em cultura musical, praticamente 50% da população escuta (sertanojo) sertanejo, uma música típica muito bela que enaltece as vantagens de ter dor-de-cotovelo, ser corno ou simplesmente ser um filho-da-puta mesmo. E os outros 50% escutam Nilton Lamas.

A cultura e o idioma são notadamente uma mistura de paulistanês, nordestinês, gauchês e goianês, onde a mistura desses fez nascer o de mais inovador em cultura norte-gauchês-paulista, como todo tipo de forró-sertanejo-metal.

Saúde[editar]

A saúde de Rio Verde é quase a pior do estado, perdendo apenas para Santa Helena de Goiás e Jataí, ganhando destas cidades apenas no quesito de número de profissionais gostosas.

Como a cidade é detentora de um dos maiores índices de AIDS, gripes, mortes e crimes do Brasil, os hospitais estão sempre abarrotados.

  • Hospitais Públicos: - Simplesmente deplorável, não tem como consultar sem seu filho morrer de doença hospitalar. SUS? Sim, alguns médicos Cubanos...
  • Hospitais Particulares: - Nem os ricos tem vez, pois os hospitais particulares estão lá só para sugar grana e devolver em serviços horríveis, lixentos, caros e inúteis.
  • Clínicas Particulares: - As melhorzinhas, porém cada consulta custa um rim.

O lixo hospitalar que é jogado a céu aberto no Lixão Municipal, prática considerada normal em Goiás, assim a doença volta para a população e a secretaria de saúde gasta mais um monte de dinheiro num ciclo sem fim, o pobre fica mais uma vez nas intermináveis filas dos pronto-socorros e as crianças aparecem com alguma viroses que ninguém descobre o que realmente é.

Educação[editar]

Até agora Rio Verde foi abordada com bastante ironia ao longo desse artigo, mas quanto à educação, nem dá para abordar assim, a educação em Rio Verde é uma bela porcaria. Não existe uma cidade com tanto burro e analfabeto fumador de maconha como Rio Verde. As escolas particulares que deveriam ser as melhores, são apenas um antro de vagabundos marginais, onde o aluno que paga passa, e quanto às escolas públicas e estaduais, simplesmente todos passam por preguiça dos professores darem recuperação final do ano, mesmo que a sala de aula inteira seja formada por burros fumadores de maconha.

Já na parte de Ensino Superior a cidade conta com renomadas faculdades: FESURV, FAR, IESRV (Objetivo). A FAR nem era para ser considerada faculdade de tão ruim que é, a IESRV dá para o gasto, e a FESURV até que seria boa para os baixos padrões rio-verdenses, se o antigo reitor não tivesse manipulado as bolsas para bem próprio.

Esportes[editar]

O esporte mais praticado em Rio Verde e o golfe, a pratica em bem difundida principalmente pela prefeitura que teve a brilhante ideia de utilizar os buracos no asfalto para a prática esportiva. Inclusive foi fundada em Rio Verde uma nova modalidade de golfe, o Golfe Olímpico que se trata de uma prova de resistência cuja as pessoas tem que acertar os 467 buracos enquanto correm dos (zumbis) viciados em crack.

Alguns afirmam existir times de futebol na cidade, um tal de Esporte Clube Rio Verde, mas isto ainda não foi comprovado cientificamente.

Lazer[editar]

Os bares são toscos, só tocam sertanejo, ou músicas gays e lésbicas...

Os principais eventos anuais da cidades são:

  • Fantasy - Reunião onde a maioria dos habitantes jovens dessa cornolandia cidade se reúne para uma festa a fantasia com música e péssima qualidade cultural... A Maioria das fantasias são pobres e sem criatividade ou originalidade.
  • Metal das Abóboras - O evento é tão restrito que nem é divulgado nas rádios da cidade, tudo medo do bando de corno pobre aparecer por lá. Nesse evento um monte de homens com cabelo de mulher se reúnem pra tocar e ouvir "rock de verdade" com equipamentos quase péssimos fornecidos pela prefeitura...
  • Festival Gastronômico - Um monte de gente comendo abóboras e cantando música em sua grande maioria o cornonejo. Salvam-se algumas poucas almas que mandam bem no rock e mpb, que por sinal foram os que ganharam ate agora todas edições (que foram três).

Turismo[editar]

O turista que chega em Rio Verde normalmente são gordos obesos sedentários buscando alguns dos spas dos arredores da cidade o cidadão.

Nos dias de muito calor, o turista normal pode contar com a grande atração da cidade que é o Clube Thermas Park, uma tentativa fracassada de Pousada do Rio Quente, onde todos podem ir nadar nas piscinas com alta tecnologia de aquecimento solar, fazer gangues e ser roubado.