Rip-Off Church

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Mafiapre.jpg Este artigo é criminoso!
Este artigo fala sobre um bando, uma quadrilha ou sobre um criminoso qualquer. Ele usa de sua influência nas forças armadas para praticar crimes numa boa e não paga impostos, pois é protegido pelo governo. Tem boa convivência com os populares, frequenta estádios de futebol apenas para fazer baderna e tem supostas ligações com a máfia.

Provavelmente trata-se de alguém inimputável.

LadrãoIdiota.gif


Típica freira membro da Rip-Off Church, observe a candura em seu olhar.

Cquote1.png Você quis dizer: Convento Cquote2.png
Google sobre Rip-Off Church
Cquote1.png Ah... Vai se foder. Cquote2.png
Freira da Rip-Off Church para quem vem pedir esmola.
Cquote1.png Elas poderiam se converter a minha religião... Cquote2.png
Darth Pedir Maiscedo sobre as freiras.
Cquote1.png Se ele pagar bem. Cquote2.png
Irmã superiora sobre a oferta acima.

Rip-Off Church é mais uma das máfias mirabolantes do anime/mangá de cunho subversivo Black Lagoon, sendo a Rip-Off Church um bando de freiras usurárias e traficantes de armas que fazem acordo até com o diabo para manter seus negócios indo de vento em popa.

Início[editar]

Eda, uma das freiras, semibêbada perguntando para a Revy se ela fez com o Rock, ou não.

No conturbado mundo de Black Lagoon, no qual o Rei Hiroe viajou legal, tudo pode ocorrer, absolutamente tudo visto que até hoje o shortinho da Revy, apesar da braguilha aberta e do cinto folgado ele jamais caiu, desafiando a Física, partindo disso pode-se afirmar que tudo é possível nesse universo, inclusive nobres e gentis freiras tornarem-se sanguinárias negociantes de armas da falida URSS apenas injetando matéria nas guerras do globo.

A Rip-Off Church, cujo sentido seria de Igreja da Exploração numa tradução literal, ou melhorando essa tradução do Google, o sentido seria de Igreja trapaceira, ou algo assim, isso porque nela freiras não são freiras e padres não são padres, mas coroinhas ainda são coroinhas molestados.

Uma outra igreja enganadora, esses podem não traficar drogas, mas para acreditar em sua própria doutrina devem usar muita.

Essa coisa inicia-se em Roanapur, antro de tudo que há de desprezível, só faltavam bandas coloridas por lá. Em Roanapur, foi fundada uma igreja provavelmente pela Organização Iscariotes após do fracasso deles em Hellsing eles devem ter decidido que era melhor mudar de ares e ver se conseguiriam ser protagonistas de algum outro anime, pena que eles erraram.

A Rip-Off Church foi fundada para, inicialmente, converter ao fundamentalismo cristão os tailandeses da cidade, mas quem acabou sendo convertido foram os cristãos, no caso as freiras já que as missionárias eram mulheres consagradas a Jesus Negão, elas foram arrebatadas pelo mundo de tráfico de drogas, armas, mulheres e até de ideologias. Assim o convento mudava de ramo, da dominação peo medo do inferno eles passaram a dominar as pessoas pelo medo que eleas tinham de levar chumbo na bunda. Começava assim o intuito da Rip-Off Church, se fantasiar de igreja e assim sonegar impostos e ter mais crédito nas transações comerciais.

Revy e Eda, dupla dinâmica, melhores amigas em toda situação.

Assim surgiu a máfia das freiras de Roanapur, sendo que todas as freiras possuíam vasta experiência no ramo da prostituição e nenhuma era noob com uma pistola na mão, provando que a Igreja Católica escolhe bem suas servas. Assim elas passaram a tocar o terror nas missas fazendo todos pagarem religiosamente o dízimo.

Procedimento[editar]

A Rip-Off Church é conhecida por suas freiras pouco ortodoxas e tão católicas quanto o Friedrich Nietzsche. Todo o trabalho delas é feito por baixo dos panos, inicialmente elas são uma organização religiosa sem qualquer fim lucrativo, sob essa máscara as freirinhas fazem tudo o que o Diabo gosta e coisas as quais ele jamais ousaria fazer.

Como a Eda é a única personagem da Rip-Off Church que aparece na história, esse artigo só tem imagens dela.

A organização apresenta a freira-chefe que é uma velhinha caolha que parece uma pirata pelo tapa-olho chamada Yolanda e com um passado extremamente interessante, mas é apenas revelado que ela era gostosa e que usava aqueles espartilhos nada dignos de uma irmã de congregação. Essa freira-chefe é a manda-chuva e a que recolhe o dinheiro do tráfico e do dízimo.

Existem as outras freiras que são as responsáveis pela manutenção da ordem e da imagem da Rip-Off Church, são todos gostosas e malucas, destacando-se a Eda que além dos problemas mentais consegue ser a melhor amiga da Revy servindo de confidente e conselheira, isso enquanto ambas apostam o rabo do Rock no pôquer.

Os métodos das freiras são todos truculentos, quem deve dinheiro vai para o pau-de-arara, quem tenta enganá-las é enforcado, aqueles que as desafiam vão para o saco e quem não vai na missa acaba sendo empalado. Óbvio que dentro dos limites impostos pelas outras máfias da cidade, que são maiores e com armas mais apelonas além do fato de terem a Shenhua ou a Roberta.

Membros[editar]

Yolanda
Yolandabl.jpg
É a freira chefe, perdeu o olho, provavelmente, em algum tiroteio ou numa manobra errada enquanto tentava comer usano garfo e faca, visto que japoneses só usam aqueles malditos palitinhos o que torna impossível para eles comerem arroz soltinho. Yolanda como toda mulher de Black Lagoon tem uma queda pelo Rock e por sua nerdice inteligência acima da média. Durante o anime ela não faz porra nenhuma.
Eda
Eda2bl.jpg
A freira louca e liberal, essa como diria sua avó "dá mais que chuchu na horta". Isso numa primeira vista, ela gosta de roupas curtas se oferece toda para o Rock e adora uma marvada, além de ser amiguinha da Revy. Tudo fachada, ela não passa de uma agente amerciana da CIA infiltrada em Roanapur para monitorar o local, só que acabou sendo esquecida por lá e teve de se acostumar a viver na cidade com o pior IDH do planeta. Eda é o sonho de 11 em cada 10 otakus, que amam hentais dela com o Rock, com a Revy, com a Balalaika, com Hansel e Gretel, com o Seiya de Pégasus, com a Sakura Kinomoto, com o cão do Nosferatu Alucard e o que aparecer.

Participação na história[editar]

Na verdade, as freiras mal aparecem, ninguém se preocupa com elas. As moças acabam sendo meramente negociantes de armas oriundas de ninguém sabe onde e vendem para pessoas suspeitas, inclusive crianças romenas de 10 anos de idade e empregadas psicóticas. A isso resume-se a participação da organização em quase todo o anime.

Apesar da Rip-Off Church ser do mal a Lagoon Traders também é, então eles se entendem.

O único momento em que eles aparecem é no caso da Greenback Jane, as freiras para se dar bem decidem negociar com a detentora das fôrmas de cédulas de dólar e a protegem em troca disso, mas tudo resume-se a Eda atirando em quem quisesse tirar o doce dinheiro das mãos dela. O que rende ótimas cenas de ação nas quais, no mangá, o desenho é mais confuso que um livro do Hegel. Ao fim tudo dá certo e todos ficam razoavelmente felizes, ou não.

Depois descobre-se que eles tem o rabo preso com o governo americano e que elas trabalham como malditas espiãs e até hoje só estão vivas pois o imperador das trevas, Darth Bento XVI não soube do caso, pois senão a inquisição espanhola já teria ido até lá e passado a faca no melhor estilo Contra-Reforma.

Mais uma imagem da Eda já que só tem dela no Google para os otakus babarem.

Curiosidades[editar]

  • Tem um cara chamado Rico na Rip-Off Church, um latino que ninguém sabe de onde saiu e não importa, ele aparece só em 2 quadrinhos do mangá.
  • A Eda é membro da CIA e ninguém nunca desconfiou disso com ela estando em um local como Roanapur. Isso porque ela é loira, peituda e fala "Oh yeah", nada americano.
  • A Rip-Off Church vende todo tipo de droga, desde a maconha holandesa até cocaína e DVD's com os filmes de cavaleiros do Zodíaco.
  • Não havia necessidade delas serem freiras, isso foi feito só porque o autor estava afim de polemizar, falar mal da igreja sempre rende algum dinheirinho.

Ver também[editar]