Roberto Gómez Bolaños

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Death99.png Roberto Gómez Bolaños já morreu!

Já entregou as moedas de bronze ao Caronte!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno

Chespirito
Chapolin.jpg
Não contavam com minha astúcia!
Nascimento 21 de fevereiro de 1929
Cidade do México, Distrito Federal
Morte 28 de novembro de 2014
Acapulco Cancún, Quintana Roo
Nacionalidade Mexicana, Bandeira do México México

Cquote1.png Isso aí foi comparado comigo? Cquote2.png
William Shakespeare sobre Roberto Gómez Bolañoz

Roberto Gómez Bolaños, também conhecido como Chespirito foi um multitalentoso artista mexicano, mas eu nem vou perder meu tempo aqui listando tudo que ele fez porque você só o conhece mesmo como humorista dos seriados Chaves e Chapolin.

Pessoal[editar]

A diferença de idade entre Bolaños e Meza sempre foi gritante.

Como todos sabem, Bolaños era casado com Florinda Meza, sua antiga colega de trabalho. O que poucos sabem é que esse casamento só aconteceu no final de 2004, porque antes disso ele tinha medo de que a mulher estivesse interessada unicamente em seu dinheiro e seu status como Chespirito, portanto enrolou-a durante 27 anos até ter certeza de que Meza estava realmente apaixonada. Anteriormente, ele já havia sido casado e tido seis filhos, então fez vasectomia para evitar um novo rebento e um possível golpe do baú.

Sobrinho de um ex presidente do México, Bolaños tornou-se ativista político de direita assim como seu tio (morto desde 1979) e faz campanha a favor do aborto, provando não apenas que estava senil mas também que nunca gostou de crianças (o que também comprova sua habilidade como ator, já que trabalhava para o público infantil).

Sua vida nos últimos anos, consistia de idas e vindas do hospital e ele ainda abriu uma conta no Twitter onde recebia diariamente tweets dos fãs chatos e fanáticos pelo seriado. Depois de ser morto mais de oito mil vezes pela mídia mentirosa, Bolaños preferiu morrer do que perder a vida e ocorreu o mesmo que a história de Pedrinho e o Lobo do Chapolin: quando ele realmente morreu ninguém acreditou!

Carreira[editar]

Além de comediante, Chespirito também é um excelente compositor.
Chespirito de saco cheio.

Bolaños parece ter uma espécie de fetiche pelo dígrafo CH, já que praticamente todos os personagens que interpreta iniciam seus nomes com estas letras. Além do Chaves e do Chapolin, podemos destacar ainda o Doutor Chapatin, Chaveco, Charrito e sua própria alcunha de Chespirito (que nada mais é do que a forma ignorante como os mexicanos ousam se referir a William Shakespeare), além da expressão inexistente criada por ele Chanfle.

Chegando no paraíso, ele encontrou vários sanduíches de presunto

Embora seja escritor e diretor de grande parte dos episódios do programa Chespirito, nem todos os personagens foram criados por ele, o que lhe rendeu brigas feias na justiça pelos direitos autorais de alguns deles, como a Chiquinha e o Kiko, chegando ao ponto de seus intérpretes mandarem ele tomar no cu e seguirem carreira solo.

Considerado um gênio por si mesmo e por grande parte de seus fãs alienados, Bolaños não se intimida em desprezar alguém que tenha uma importância histórica e, portanto, visivelmente maior que a sua, tanto que declarou achar o quadro Guernica, de Pablo Picasso, um completo lixo e disse que a sua xiforínfola era muito mais bela e bem desenhada.

Após escrever alguns livros autobiográficos que eram praticamente a mesma coisa, mudando apenas alguns pontos e vírgulas de um para o outro para não dizer que o conteúdo era idêntico, Bolaños produziu o desenho do Chaves, que é uma merda.

Ele procurava um substituto para interpretar o Chapolin em um filme.

~