Rodrigo Mancha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Boneco do Rodrigo Mancha, completo. Já vem com perna de pau e com armas, para armar as jogadas para o time adversário

Cquote1.png Isso é uma mancha negra na história do Santos, entende? Cquote2.png
Pelé sobre Rodrigo Mancha
Cquote1.png Se colocasse a mancha da perna da Angélica pra jogar futebol, garanto que jogaria melhor que o Rodrigo Mancha! Cquote2.png
Milton Neves sobre Rodrigo Mancha
Cquote1.png Como jogador de futebol ele é um boxeador mediano, mas um ótimo garçom Cquote2.png
Mylena Ciribelli sobre Rodrigo Mancha
Cquote1.png No segundo tempo, Dorival substituiu Marquinhos, colocando Mancha no lugar. Assim, o Santos ficou com 10 jogadores enquanto o Grêmio ficou com 12 Cquote2.png
Michelle Gianella sobre Copa do Brasil

Rodrigo Mancha é um jogador de botão, poste de luz e garçom dos adversários, que estragava integrava o elenco do Santos Futebol Clube. Às vezes Rodrigo Mancha se arrisca no mundo do boxe com cadeiras e no revezamento de banco.

História[editar]

Rodrigo Mancha surgiu de um cruzamento de um boi bumbá com uma mancha de petróleo que vazou de uma plataforma na bacia de Santos. Rodrigo Mancha começou a tentar a jogar futebol aos 20 anos. Chegou na cidade de Santos e começou a investir em sua carreira. Em pouco tempo já era reserva do reserva do gandula reserva da equipe B da Portuguesa Santista sub-17. Rodrigo Mancha conheceu os poderes da cabala e através de um cheat, Rodrigo Mancha conseguiu integrar o Santos Futebol Clube.

Carreira no Alvinegro Praiano[editar]

Rodrigo Mancha em uma jogada de peixinho (contra o próprio gol, claro!)

Rodrigo Mancha já começou arrasando... a própria equipe. Em seu curriculum futebolisticum vitae ele já tem:

  • 17 gols contra, incluindo um gol olímpico contra;
  • 413 passes errados;
  • 6 chutes pra fora. Se não fossem para fora, Mancha teria mais de 20 gols contra na carreira;
  • 37 assistências para o time adversário;
  • 22 pênaltis cometidos;
  • 13 expulsões. Todas as 13 expulsões foram contestadas pelos times adversários, inclusive os jogadores que sofreram as faltas alegaram que não sofreram nada e que nem falta foi.

Além desse currículo invejável, Rodrigo Mancha também quebrou o recorde de substituição. No jogo do Santos contra o Brusque Futebol Clube Mancha entrou aos 22 minutos do segundo tempo e foi substituído aos 21 minutos do segundo tempo, ficando exatamente -1 minuto em campo. O jogo estava 10 a 0 para o Santos. Bastou colocar Rodrigo Mancha em campo e o Brusque Futebol Clube virou o jogo. Com a substituição atemporal de Mancha, o Santos marcou outros 13 gols e conseguiu ganhar por 23 a 11.

Copa do Brasil 2010[editar]

Nas semifinais da Copa do Brasil de 2010, mais precisamente no dia 12 de Maio de 2010 (Toda tragédia deve ser registrada), Rodrigo Mancha integrou e entregou (a bola pro Grêmio fazer 2 gols) a equipe reserva do Santos. Neste fatídico dia, Dorival havia tomado muito rabo de galo e acabou trocando as bolas. Madshow havia sido chamado mas Dorival, com dicção embriagada, acabou falando "Mansho". Mancha levantou e entrou em campo. Este dia ficou marcado como O Dia em que o Santos parou.

Ver também[editar]