Romênia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
SquigglyTop.gif
Este artigo é sobre humor europeu

Desculpem, o humor deste artigo é ininteligível para brasileiros e sul-estado-unidenses.
Então, nada de zoar Argentinos, Portugueses ou sua mãe aqui, certo?
Cquote1.png Você quis dizer: México da Europa? Cquote2.png
Google sobre Romênia
Texto em negrito
●Tara Romanaesca
●Terra Romana
●Romênia

Bandeira da Romenia.png Brasão da Romênia.png
Bandeira Brasão
Lema: Fodatum Populusque Romanus!
(Fodendo o Povo Romano em Latim)
Hino: Dragostea din tei
Romaniamap.jpg
Capital Nova Roma
Maior cidade Nova Roma, Bucareste, Cluj, Chisinau
Língua Latim, romeno (uma mistura de italiano com latim e português)
Tipo de Governo Ditadura Militar
César (popular), Príncipe (oficial) Nadia Comăneci
Heróis nacionais Conde Drácula, Júlio César, Calígula, Nero, Nicolae Ceausescu, Gheorge Hagi
Independência 756 a. C., da Etrúria.
Moeda Avrevs
Religião Paganismo, Mitraísmo, Zoroastrismo, Satanismo, (oficiais, minoritárias) Homossexualismo (na prática, a predominante)
População 55,000,000
Área 5,900,000 km² (sim% de água)
Analfabetismo 50%
PIB per Capita 9,446 USD/hab.
IDH 0.792
Fuso Horário Merdidiano de Redwich
Clima Clima Mediterrâneo, Clima de Suspense, Climatério
Site do Governo http://www.romania.gov.ro


A Romênia (aka. República dos Vampiros) é o país que atualmente corresponde ao antigo Império Romano e revolucionou a humanidade respeitando às teorias de Darwin, sendo habitada pela evolução do Homo Sapiens, o Homo Vampiricus. Seus habitantes são descendentes degenerados dos antigos romanos, e são chamados, é claro de romanos (alguns autores preferem "romenos", mas isso não faz diferença. É a mesma merda).

História[editar]

Dácia[editar]

Romanos indo fundar a Dácia.

A não-tão-famosa Romênia é junto das famosas Espanha, França, Itália e do também "famoso" Portugal o que restou do antigo-e-mais-famoso ainda Império Romano, pois a região antigamente chamada de Dácia sempre foi um pau mandado romano. Quando o Império Romano era pagão, os romenos caçavam os árabes, turcos, balcãs e otomanos pagãos. Quando o Império Romano se tornou cristão, os romenos passaram a caçar os árabes, turcos, balcãs e otomanos infiéis.

Depois de séculos de decadência e amedrontados com a escalada do Cristianismo os homens mais sensíveis e as mulheres mais destemidas se estabeleceram na antiga província da Dácia e de lá reorganizaram o governo nos termos dos tempos áureos, isto é, segundo Nero, Calígula, Tibério e Cômodo. As demais províncias, escandalizadas, preferiram ignorar tudo, aproveitando-se do fato de que Nova Roma ficava convenientemente escondida atrás dos Montes Cárpatos e das florestas da Transilvânia.

Idade Média[editar]

Apesar de todo o ultraje dos costumes locais, os romanos conseguiram sobreviver à Idade Média e à Inquisição. No século XVI, o César Drácula II, durante as invasões góticas descobriu a lenda de Judas e se transformou em vampiro. Além de difundir a boa nova pelos territórios romenos, tentou converter os turcos aos prazeres anais, sem sucesso (por isso ganhou fama como Vlad III, o empalador). A Romênia acabou ficando uns bons três séculos debaixo do poder turco (para grande prazer dos romenos e grande desgosto das romenas), situação que acabou no século XIX.

A "Treta" com a Ucrânia[editar]

Romenas, as maiores rivais das ucranianas.

Como todo bom país que se acha maior do que de fato é, a Romênia tem um rival declarado, a Ucrânia. Esse desentendimento surgiu por volta dos meados do século XVII, coincidentemente na mesma época que a Gangue da Foice Romena assumiu o poder liderada por Vlad LVIII¹/². Essa época ficou conhecida como As Tentativas da Ucrânia de invadir a Romênia, e pelo fato de isto ter sido uma das únicas coisas mais legaizinhas deste século, ganhou grande destaque no Leste Europeu, mesmo sendo chinfrim ao ponto que foi.

No ano de 1785 a Gangue da Foice toma o poder na Romênia, acabando de vez com a homoeroticidade do país e as relações exteriores com a Ucrânia, que acaba ficando magoada com o rompimento de sua antiga miguxa, por isso em 1851 o Exército Ucraniano tenta invadir a Romênia por trás, não obtendo sucesso. O voraz ataque foi contido pelo General-Marquês-Marechal-Dono da Budega, Conde Drácula. Sozinho.

40 anos depois, em 1891, a Ucrânia tenta invadir novamente a Romênia, e mais uma vez sai derrotada. As perdas ucranianas foram contabilizadas em um terço de seu exército, já as romenas em dois arbustos usados para desmoralizar os inimigos.

A Ucrânia mateve-se irredutível, mas em 1899 sofre um duro golpe, o maior prejuízo econômico de sua história quando todas as suas plantações de mamonas foram destruídas (junto com seus proprietários). Peritos criminais ingleses após dias de investigação concluíram que os pés de mamonas foram cortados com golpes de foices. A Gangue da Foice Romena nega envolvimento...

É importante ressaltar que essa desafinidade nunca foi resolvida, e os ucranianos até hoje não aceitam que os romenos tenham parado com a homoeroticidade generalizada, ainda vigente em seu país. Não que isso realmente importe a alguém!

Segunda Guerra Mundial[editar]

Durante a Segunda Guerra Mundial a Romênia teve participação discreta. Vendeu algumas terras inúteis para a União Soviética e matava todos nazistas que apareciam ali por engano perdidos no caminho para São Petersburgo.

Até que em 1944, devido a grave crise financeira, a Romênia se vendeu para os soviéticos. Todas as romenas foram usadas para satisfazer o stress dos soldados russos, e os vampiros romenos mandados para combater nazistas na Tchecoslováquia, os soviéticos só não esperavam que o sangue emo dos nazistas fosse letal para os vampiros que morreram todos moribundos contaminados.

Romênia comunista[editar]

Nicolae Ceauşescu feliz em ter o controle sobre toda Romênia.

O sobrinho do Drácula, Nicolae Ceauşescu assume a presidência da Romênia e coloca em prática a política social do devoramento de criancinhas.

Em 1969 a Ucrânia volta a tentar invadir a Romênia. Deubugóvski, é até hoje o único ucraniano que conseguiu entrar em território romeno, conseguindo chegar com vida até perto da capital Bucareste, quando foi pego pela Gangue da Foice. Hoje ele pode ser encontrado na Sibéria, Tasmânia, Cidade do Cabo e sul da atual República da Nicarágua, um pedaço em cada parte.

Mas quando Blade matou Nicolae Ceauşescu, o comunismo na Romênia caiu e foi instituído a República da Romênia em 1989.

Fatos recentes[editar]

Hoje a Romênia é um país em franco crescimento e que busca resgatar as suas tradições, entre elas jogar cristãos aos leões, forçar filósofos a cortarem os pulsos, nomear equinos para o legislativo, organizar guerras civis e, é claro, dar pau e circo ao povo.

Em 1994 a Romênia comemora sua melhor campanha em uma Copa do Mundo, ficando gloriosamente em 7º lugar. A Ucrânia, porém, nem à Copa havia ido, e neste dia estava apenas jogando uma amistoso, o qual perdeu por 1 a zero para uma potência emergente africana de futebol da época.

Economia[editar]

Certas coisas você só vê na Romênia...

A Romênia é um país bastante rico, já que os romenos não têm vida familiar significativa e costumam poupar seus salários. Para tentar evitar a saída dessa poupança em razão das viagens dos ricos romanos a termas e praias particulares em outros lugares do mundo o governo tem investido na construção de saunas, banhos públicos, termas, motéis temáticos, a ponto de atrair visitantes de outros países.

Política[editar]

O sistema político sempre possuiu uma infinidade de variedades divertidas de partidos radicais que compuseram os grupos dominantes até o século XVII, quando um partido emergente, a Gangue da Foice Romena tomou o poder por uma "inesperada" falta de oposição. Desde então, a Romênia é governada por estes senhores de boa índole.

A Romênia é dividida em dois tipos de regiões distintas em guerra civil permanente. A primeira parte são condados governados por netos do Drácula, cujo governo e estrutura não são reconhecidos pela ONU, a outra parte (aquele que vai a fóruns internacionais) é formada por humanos quase-normais geralmente caçadores de vampiros ou padres.

A Romênia é uma ditadura militar (Imperium). O líder romeno é normalmente chamado de César, mas recebe muitos outros títulos furtivos, tais como : Princeps (Primeiro), Imperator (Manda-chuva), Augustus (Saanta), ou simplesmente, Filho-da-Puta. O César ascende ao trono com o apoio de uma facção do exército (militia, a.k.a. "cupinchas") e o mantém enquanto consegue, ao mesmo tempo, conservar a fidelidade desta e não alimentar o surgimento de outra mais forte. A sucessão é sempre violenta, resultando na morte do César anterior por algum método cruel, desumano e demorado (o último foi descarnado com faquinhas de plástico).

O atual César da Romênia é Adrianinho Mutu, sucessor de Georginho Hagi III.

Subdivisões[editar]

O território da Romênia é hoje uma pequena sombra do que foi nos gloriosos tempos de antigamente. Das antigas dezenas de proviciæ somente restaram Dacia (caracterizada pela liberalidade sexual de suas mulheres), Gætia (onde o homossexualismo é predominante), Ardealum (onde o sexo anal é mais apreciado), Bucovinæ (onde o sexo oral é preferido), Transilvania (onde todos gostam de chupar), Prutum (onde as pessoas costumam fazer outras coisas além de sexo) e Banatum (onde os vegetais são considerados parceiros sexuais), todas localizadas entre os vales dos rios Danúbio Azul (onde florescem os limões) e Dniester.


População[editar]

Romenas, as maiores peritas no Kama Sutra depois das indianas.

A Romênia é um país bastante populoso, apesar das tendências homoeróticas disseminadas. Antes do desenvolvimento da inseminação artificial a principal forma de crescimento demográfico era a adoção de crianças bárbaras.

Os romanos falam latim, quando não estão gritando de desespero.

Cultura[editar]

Localização alternativa da Romênia.

A Romênia é famosa pelos seus vinhos franceses, suas massas italianas, sua cozinha tailadesa, seus massagistas alemães, suas saunas turcas, pela alta costura, produz botinas e sapatões femininos típicos e conhecido como Casa da Mãe Joana.

Nos últimos anos a música da Romênia ganhou destaque, com o surgimento de um grupo cover do Latino, o O-Zone.

A Romênia se destacou por possuir um grande elenco nos filmes de terror: Dracula, Lobisomen, Carl Johnson, Mick Jaegger e Silvio Santos.

Defesa[editar]

O exército romeno é famoso pela habilidade de seus soldados no manejo da lança, no combate homem-a-homem, na formação em grupo e na chupação de sangue.

Flag map România.png
Romênia
HistóriaPolíticaSubdivisõesGeografia
EconomiaCulturaTurismo


Bandeira da União Europeia.png
Europa
v d e h

Países: Albânia | Alemanha | Andorra | Armênia | Áustria | Azerbaijão | Bélgica | Bielorrússia | Bósnia e Herzegovina | Bulgária | Cazaquistão | Chipre | Croácia | Dinamarca | Eslováquia | Eslovênia | Espanha | Estônia | Finlândia | França | Geórgia | Grécia | Hungria | Irlanda | Islândia | Itália | Letônia | Liechtenstein | Lituânia | Luxemburgo | Macedônia | Malta | Moldávia | Mônaco | Montenegro | Noruega | Países Baixos | Polônia | Portugal | Reino Unido (Escócia - Inglaterra - Irlanda do Norte - País de Gales) | República Tcheca | Romênia | Rússia | San Marino | Sérvia | Suécia | Suíça | Turquia | Ucrânia | Vaticano

Territórios: Abecásia | Açores | Akrotiri e Dhekelia | Åland | Chipre do Norte | Crimeia | Gibraltar | Ilha da Madeira | Ilha de Man | Ilhas Canárias | Ilhas do Canal | Ilhas Faroé | Jan Mayen | Kosovo | Nagorno-Karabakh | Ossétia do Sul | País Basco | Svalbard | Transnístria