Rose of Versailles

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Utena02.jpg Este artigo é relacionado à Yuri!

Isso significa que ele se trata de um personagem de anime, mangá e
outras formas de alienação que joga no outro time.

Provavelmente ela estuda no Colégio Miator.


Rose of Versailles
ベルサイユのばら
Lady oscar.jpg
Parlez-vouz français?
Gênero Drama, História, Romance
Mangá
Autor Riyoko Ikeda
Divulgação Shueisha
Onde sai Nos sebos
Primeira publicação 1972
N° de volumes 10
Anime
Dirigido por Tadao Nagahama e Dezaki Osamu Tezuka
Estúdio TMS
Onde passa Japão, Brasil, EUA, Europa
Primeira exibição 1979
N° de episódios 40
Filmes
OVAs

Cquote1.png Que insulto à nossa História! Cquote2.png
França sobre Rose of Versailles

Rose of Versailles é um mangá que foi adaptado a todas as mídias japonesas existentes: anime, OVA, filme, tokusatsu, teatro... Só faltou videogame porque em 1900 e guaraná com rolha ainda não existia tamanha tecnologia. O mais curioso é que Rose of Versailles fez todo esse sucesso sem ter um único personagem japonês no enredo, apenas europeus, em sua maioria bichas e sapatas franceses.

Enredo[editar]

Maria Antonieta trabalhando duramente em seu reino.
Cquote1.png Eu gosto muito de coisas GRANDES! Cquote2.png
Oscar sobre a sua espada

A história de Rose of Versailles se passa no final do século XVIII na França. A princípio, a protagonista seria a princesa Maria Antonieta, tendo ela que enfrentar os primeiros distúrbios da Revolução Francesa ao lado de sua fiel escudeira Oscar.

Antonieta realmente existiu, e como todos sabem, não passava de uma patricinha leviana e puta. Logo, a personagem do mangá, assim como sua contraparte na vida real, não tinha carisma nenhum. Mas sua personalidade era aquela mesmo, então não podia ser mudada só para satisfazer otakas chiliquentas. Mas sua amiga Oscar, por outro lado, era uma mulher macho forte, decidida e ousada, criada especialmente para Rose of Versailles, lésbica caminhoneira para agradar as otakas, então a autora era livre para montá-la como bem entendesse sendo ela muito mais interessante que Antonieta, Oscar logo acabou assumindo o posto de protagonista.

Agora que Rose of Versailles não seria mais uma biografia de Maria Antonieta, seria necessário escrever um roteiro completamente novo, e centrado em Oscar e a personagem foi transformada às pressas em filha do general Renier Jarjayes, um homem que realmente existiu.

Oscar François de Jarjayes é uma mulher que foi criada como homem por causa do desejo de seu pai de ter um filho do sexo masculino. Como a genética quis decepcionar o velho, ele batizou a filha com nome de jogador de basquete aposentado e não se resumiu a somente proibi-la de usar saias e vestidos, mas também obrigou-a desde criança a aprender esgrima, equitação e tiro ao alvo. A ideia de transformar sua filha numa tomboy falhou porque os cabelos loiros e sedosos de Oscar continuaram bem femininos, mas naquela época todo mundo, especialmente na França, usavam penteados tão boiolas que isso nem significa muita coisa.

Quando cresceu Oscar obviamente já estava jogando no lado Azul da Força e era mais durona do que muito playboyzinho por aí, motivo pelo qual aos 14 anos ela já foi escolhida para fazer parte da Guarda Real, o serviço de proteção à jovem rainha Maria Antonieta. Apesar de ambas serem muito gostosas e aqui haver um excelente gancho para yuri, a relação entre Oscar e Antonieta nunca passou da amizade, abrindo toda a possibilidade de centenas de fanfics preencher esse romance que faltou no anime.

Devido ao jeitão tomboy, Oscar desperta tesão em pessoas de ambos os sexos ao longo do anime, mas destacam-se duas pessoas em especial: seu amigo de infância André, que sabe que JAMAIS terá chance com uma lésbica mas está firme e forte ali na friendzone, e a puta paga Rosalie, em quem até chega a dar uns pegas. Mas, para a surpresa geral da nação, Oscar acaba se apaixonando pelo conde Fersen. Sim, um homem! E o pior de tudo é que Antonieta se apaixona pelo mesmo cara, e torna-se sua amante.

Ao descobrir o interesse de Oscar em Fersen, Antonieta transfere a amazona da Guarda Real para a Guarda Francesa com medo que ela roube seu bofe. Agora que não tem mais sua leal guardiã por perto, a rainha está desprotegida e à mercê de vilões, ainda mais depois que Fersen parte para a América.

Sem Oscar e Fersen, Antonieta entra em depressão e envolve-se com más companhias. Isso acaba manchando sua reputação, pois ela passa a gastar dinheiro e embebedar-se, afundando cada vez mais o governo francês. No final, Antonieta é considerada pelo povo uma traidora e morre condenada por decapitação (nem vem chorar que eu fiz spoiler, qualquer livro didático conta isso!) e Oscar torna-se uma ronin.

Personagens[editar]

Protagonistas[editar]

Seiya!! Seiya!!

Oscar François de Jarjayes - Uma das poucas personagens que nunca existiram na vida real. Pudera: ela é uma mulher bonita, heroica, corajosa, justa, inteligente, decidida, bem humorada, boa na esgrima... Ninguém poderia de fato existir reunindo tantas qualidades em uma única pessoa! Oscar passa grande parte da série acreditando que é lésbica e tendo inclusive um caso com Rosalie, mas ao conhecer Fersen ela se apaixona perdidamente e descobre que é bissexual. Criada como homem, cresceu ao lado de André, que é secretamente apaixonado por ela. Foi amiga e protetora de Antonieta durante duas décadas.

Maria Antonieta - Essa aí existiu mesmo. Nascida na Áustria, Antonieta foi escolhida para noivar do rei da França após sua irmã mais velha, que seria a prometida, falecer vítima de varíola. Com apenas 14 anos, já não era mais princesa e sim rainha, mas para isso precisou abandonar qualquer ligação com seu antigo país. Devido a sua intensa amizade com Oscar, é acusada de ser lésbica. Foi uma puta gostosa muito corajosa e adorada pelo povo, mas depois tornou-se mimada, chata e arrogante. Como resultado, teve sua cabeça cortada em uma cena digna de Jogos Mortais.

Hans Axel von Fersen - Conde militar e diplomata da Suécia que é apaixonado por Antonieta e um grande almofadinha. Existiu realmente, mas sua contraparte original teve mais de 8000 mulheres, e ironicamente nunca foi comprovado se a verdadeira Antonieta foi uma delas. Oscar também é apaixonada por ele, mas dela Fersen foge como o diabo foge da cruz, alegando que só quer sua amizade, pois sabe que se ficar com Oscar vai ter que encarar um baita cintaralho para agradá-la plenamente. Para despistar as fofocas sobre seu relacionamento com Antonieta, foi lutar com as tropas francesas na Revolução Americana. Morreu linchado pelos seus conterrâneos suecos.

Coadjuvantes[editar]

Ui! Eu sou Afrodite de Peixes.

André Grandier - Amigo de infância de Oscar, sempre foi apaixonado por ela, apesar de saber que da fruta que ele gosta ela chupa até o caroço. Ele a segue como se fosse um cachorro, inclusive nas batalhas, mesmo sem saber lutar porra nenhuma. Tal burrice fez com que ele ficasse cego por causa de Bernard. André nunca existiu, foi criado especialmente para ser friendzone de Oscar.

Rosalie Lamolière - A verdadeira Rosalie foi carcereira de Antonieta. Em Rose of Versailles ela virou uma lésbica pobre que vira prostituta para comprar remédio e comida para sua mãe doente. Oscar a ajuda a arrumar um emprego decente, mas então a mãe de Rosalie morre atropelada pela carruagem da condessa Polignac. Com pena da órfã, Oscar a adota como padawan e quando já está perita no esgrima, Rosalie parte para assassinar Polignac e se vingar. Mas acaba descobrindo que a condessa é sua verdadeira mãe biológica, e a que morreu atropelada era uma mendiga que havia adotado-a.

Jeanne de la Motte Valois - Outra que existiu de verdade, foi uma das responsáveis por difamar Antonieta. Em Rose of Versailles, é irmã adotiva de Rosalie e se jogou na frente da carruagem que matou sua mãe para pedir esmola, sendo adotada por nobres e tornando-se condessa. Compra um colar caríssimo em nome de Antonieta, deixando-a em más lençois e com uma dívida gigantesca com o bispo que vendeu a peça. É acusada e presa, mas como Antonieta era detestada, a cadeia torna-se um clube e Jeanne escreve um livro em homenagem a si mesma.

Yolande de Polignac - Condessa que, na vida real, era amiga do rei e da rainha, mas em Rose of Versailles é uma vaca que só pensa em ferrar a vida de todos que a rodeiam, principalmente Antonieta. Como Oscar está sempre tentando alertar a amiga sobre a má influência dessa piranha, Polignac manda matarem-na. Nem sua filha Charlotte é poupada: a mãe prometeu-a em casamento a um idoso rico, sendo que a menina tem só 11 anos e é apaixonada por Oscar (LOL). Proibida de contestar as decisões da progenitora, Charlotte comete suicídio. Nem a perda da filha faz com que o coração de Polignac amoleça, pois ela decide resgatar sua outra filha abandonada Rosalie e fazer então com que esta case com o meliante cheio da grana.

Bernard Chatelet - Repórter tosco amigo de Oscar que é metido a revolucionário e durante a noite trabalha como travesti atua como o super-herói Cavaleiro Negro para derrubar as forças da nobreza e da monarquia. O motivo da revolta é porque sua mãe teve um caso com um nobre e se suicidou afogada no rio Sena após ser abandonada por ele. Oscar desconhece sua dupla identidade e, por ser da Guarda Real, persegue o Cavaleiro Negro ao lado de André, que acaba ficando cego durante um combate. Conformada de que jamais terá Oscar, Rosalie acaba casando com Bernard.