Rui Veloso

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Davesolo.gif

Paul McCartney deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.

PortugalDJoãoscary.jpg Manuel, vê-me dois cäcətinhos, o pá!

Æstə ärtigo é purtugäish, gajo. Élə comə cacətinho cum bəcalhau, tuma um ishtränho vinho, adora cumpetir cum a Ishpänha e tem um bigodão.

Cuidado: Ä qualquêr mumento, Napolião podə quirer-tə invədir

Cquote1.png É aquele parente do Caetano? Cquote2.png
Carla Perez sobre Rui Veloso

Cquote1.png Sou fã desse cara, "Ar de rock" é meu disco favorito e recomendo ir aos shows dele em Portugal Cquote2.png
Nelson Motta puxando o saco de outro artista portuga a não ser Carminho
Cquote1.png Vê lá bem Cquote2.png
Rui Veloso sobre cachê pra tocar em festas da cerveja com monte de bêbado chato
Cquote1.png A rapariguinha do shopping bem vestida e petulante Cquote2.png
Rui Veloso após um sonho ter rendido inspirações e composto um de seus hits após uma boa bronha horinha de sono
Cquote1.png Você traiu o movimento punk, véio Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Rui Veloso
Cquote1.png Ó pá, nunca fui punk! Vais tomar no cu, paneleiro! Cquote2.png
Rui Veloso sobre comentário acima


Rui Veloso é um guitarreiro e cantor português famoso por suas músicas que ninguém conhece no Brasil e ninguém tem vontade de conhecer, a não ser aqueles que viajam pra Portugal e conhecem artistas como Carminho, Tony Carreira, Jorge Palma e Xutos & Pontapés e mostram pra uma meia-dúzia de amigos intelectuais. Seu maior hit foi sobre um beck que ele carinhosamente chama de Chico Fininho e sobre uma mina que se cruzou em um shopping e voltou pra casa bater uma bronha relaxar e depois fazer uma música pra ela chamada Rapariguinha do Shopping.

Origens[editar]

A história de Rui Manuel Gaudêncio Veloso começa quando ele era pequeno no Porto e tinha ganho uma gaita aos 5 ânus, e depois quando via os fadistas tocando aquelas músicas de sempre, achava aquilo muito redundante, achava que se plugasse uma guitarra e tocasse rock seria considerado traidor do movimento fadista, mas como ele pouco ligava para aquilo, ele viu a chance de meter barulho sem que os puristas dissessem que ele não estava se mantendo fiel à tradição da música portuga, e foi assim. Sua mãe chegou a proibi-lo de tocar rock, chegou a convencer de que a carreira dele deveria ser de jogador do Porto, o que deveria ser uma maravilha se ele tivesse deixado de ser mais um roqueiro desafinado. Numa bebedeira pelos bares de Lisboa, já velho e já sem ter o que fazer da vida, descobre seu parceiro amoroso musical que o ajudaria para tornar-se uma grande "Estrela de Rock 'N' Roll", como descreveria em uma de suas músicas: o letrista Carlos Tê(sudo), seu maior confrade na trajetória musical até hoje. No ano de 1977 eles foram a Londres para terem um caso de amor descobrirem o que agitava a cena musical de lá: além da pavorizante Discocô, tinha também o agressivo e barulhento Panque meu queixo, além dos branquelos fazendo ska pra parecerem que são fodões, e nesse passeio por Londres para buscarem inspiração, viram os Pistolas do Sexo e o Dê Créxi fazendo algo que para os portugas era ameaçador à cultura. Voltaram decepcionados, quase desistiram de criarem algo novo para a música portuguesa, e quando viram Jorge Palma, Sérgio Godinho entre outros fazendo músicas com guitarra elétrica, acharam demais e pensaram: hora de ouvirmos aqueles discos que nós saqueamos compramos em Londres para ver se sai algo impressionante. E um produtor os viu ensaiar durante um final de semana na casa em que António Variações e seu namorado usavam para salão de cabelereiro, uma vez que Veloso e Tê ficavam no porão por castigo de Variações, que se sentia tão artista quanto os dois e não queria perder o destaque da casa para um mero guitarrista. Variações também ficara famoso, gravando vários discos e morreu de AIDS no auge da sua fama, tendo hoje uma legião de chatos exaltando seu pouco conjunto da obra Portugal afora. Os dois alugaram uma casa em frente para não incomodarem o cabelereiro-artista, e o produtor conseguiu, para infelicidade da gente, um estúdio para que eles gravassem apenas quatro músicas. Mas gravaram como doze e aí o resto já sabemos: as músicas converteriam-se em um boom mundial.

SUUUUUUUUUCEEEEEEEEEESSOOOOOO[editar]

Após o grande estouro com a música do "Chico Fininho" e da "Rapariguinha do Shopping" - a musa inspirativa da última faixa que hoje cobra pelos direitos da música na Justiça, a sua gravadora deu o privilégio dele gravar seu primeiro disco de vinil (sim, ainda não existia CD naquela época" e seu disco se tornou um grande fenômeno de vendas não só em Portugal, mas fora dele. E seu "Ar Fresco de Rock" vendeu mais que os lançamentos da época, partindo para uma grande turnê mundial que resultou em milhões de ingressos vendidos para uma apresentação no palco de um grande festival de música na época, abrindo para seus futuros parceiros: Palma, Godinho, José Mário Branco e até mesmo para brasileiros, e fizeram uma multidão cantar junto os hits de seu primeiro disco.

Voltou para os estúdios, onde gravou temas como "Um café e um bagaço", "Esta mulher é minha putinha ruína", a sua autobiografia poético-musical "Estrela de Rock 'N' Roll" onde ele contava sua triste e sofrível jornada para o sucesso, inclusive foi esta música o grande hit do próximo disco. O nome seria "Fora de moda" porque depois de ouvirem o primeiro disco, achava que falar sobre disco music e Bee Gees estava bem fora de moda, então pediram algo que não fosse isso. E assim foi o disco, e depois mais outra turnê mundial, com os grandes abrindo para ele e sendo aceito até no universo fadista, embora ainda se estranhem por ele ser um cara mais roqueiro, cheio de atitudes, mas acabaram se apegando ao talento dele, de uma forma ou outra tiveram que aceitar que se faz rock em terras lusitanas.