São Francisco do Sul

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Ponte-HLuz.jpg Se quésh quésh, se non quésh, dish!

Este artigo é catarinense! Já entrou em coma alcoólico na Oktoberfest, sabe o que é boi-de-mamão, tem um poster do Guga e pensa que é alemão!

Venha para o lado barriga-verde da força você também!

Gnome-searchtool blue.png São Francisco do Sul é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
A prefeitura paga tudo em prestações.

Sciences de la terre.svg.png
Wikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: São Francisco do Sul.

Cquote1.png O shopping deve ser bom mas eu nunca vi! Cquote2.png
Morador de São xico sobre o shopping da cidade

Cquote1.png Goneville foi muito importante para a cidade Cquote2.png
professora sobre Historia de São Francisco

Cquote1.png Aquela padaria? Cquote2.png
Aluno sobre a padaria Goneville

Cquote1.png No surf só da gata! Cquote2.png
Stevie Wonder sobre o Surf Bar

Cquote1.png Só tem gente velha! Cquote2.png
Adolescente sobre Banana Joe

Cquote1.png Qualquer coisa agente vai pra Joinville Cquote2.png
Morador sobre comprar pão em São Francisco

Cquote1.png No verão tem tudo menos água! Cquote2.png
Turista joinvillense sobre São Francisco

Cquote1.png Joinvillense vem pra praia, caga lá, e sai reclamando! Cquote2.png
Qualquer morador da Enseada sobre Turista Joinvillense


Localiza-se a uma latitude 26º [...] sul e a uma longitude 48º [...] Oeste, estando a uma altitude de 9 metros, a maior causa de morte da cidade é a falta de ar devido á essa altitude. Sua população estimada em 2008 era de -39.341 habitantes. Possui uma área de 493 quilometros cagados quadrados.

A sede do município está localizada no extremo norte da Ilha de São Francisco do Sul, na entrada da Baía Babitonga, mais como a cidade têm sede se ela fica numa ilha?

Venha para São Francisco do Sul, e aproveite nossas garotas de programa!

Fatos da cidade

Esses são fatos totalmente verdadeiros sobre a cidade:

  • Se tu é pobre estuda numa escola com nome de gente.
  • Se tu tem dinheiro estuda no Francisquense ou Adventista.
  • Se tu é rico estuda em joinville!
  • Se tu chuta uma parede de qualquer casa velha tombada do Centro, tu destrói a cidade.
  • O shopping é uma galeria.
  • Na verdade galerias não tem todosvários espaços de loja vazios.

História

São Francisco do Sul é uma das cidades mais velhas de Santa Catarina chegando ser mais velha que a própria Dercy Gonçalves, sua primeira ocupação, foi feita temporariamente por espanhois por volta de 1553, diferente do resto das cidades catarinenses que foram colonizados por emos nazistas alemães. Não existem provas de que teria sido um dos pontos onde em 1504 a famosa expedição de Binot Paulmier de Gonneville teria aportado.

Em 1640, Gabriel de Lara, conhecido como Pau Mór, Capitão Mór, Povoador da Villa de Nossa Senhora do Rosário da Capitania de Paranaguá, com portugas e vicentistas, procedentes de Paraguai Paranaguá, fundou a 3 de dezembro de 1641 a Villa de Nossa Senhora da Graça do Rio São Francisco, por não ter muita para fazer, e não ter lugar para morar.

Em 1658, Manoel Lourenço de Andrade, acompanhado por casais gays portugas e paulistas, chegou a São Francisco, com plenos poderes como parar o tempo, concedidos pelo Marquês de Cascais um véinho portugês, para povoar a terra, repartindo-a entre a sua comitiva e os que fossem chegando. Já em em 1660 obteve autonomia municipal, quando foi elevada à categoria de vila, um pequeno passo para a cidade atingir glória.

A glória da fundação do primeiro estabelecimento catarinense atribuem os historiadores, tanto a Andrade como a Lara, segundo o livro Colonização do Estado de Santa Catarina pelos Emos.

Finalmente em 1847 é elevada a categoria de cidade, depois de uma série de testes e provas valendo a categoria de cidade que valem mais do que dinheiro.

O "descobrimento"

A teoria de que São Francisco do Sul foi descoberta pelos fedorentos franceses nunca foi provada. Nem o nome da Ilha ou mesmo a exata localização da aportagem de Gonneville consta na relação completa da viagem escrita pelo mesmos franceses que não tomam banho. Parte desta hipótese se deve a uma interpretação das discusões teóricas des historiadores fumadores de baseados em um livro que ninguem lê; "História de São Francisco do Sul", que afirmou veementemente no mesmo livro, que "jamais se saberia por quê és um burro". A história falada da viagem relata que em 24 de junho de 1503, partiu do porto de Honfleur, França, a expedição de Binot Paulmier de Gonneville, a bordo do veleiro L'Espoir. Seis meses após sua partida da França, a expedição descobriu uma grande terra sem dono, como eles são aproveitadores pegarão a terra pra eles, que devido a vento terral contrário, só puderam aportar na tarde do dia seguinte. Segundo historiadores, a "História de Santa Catarina", a terra era descrita como fertilíssima, abundante em animais, aves, peixes e árvores, e povoada por índios carijós, que "procuravam apenas passar a vida alegre, sem grande trabalho, vivendo da caça e da pesca, e do produto espontâneo da terra, e de alguns legumes e raízes que plantavam".

A colonização

Juan Díaz de Solís

Cerca de onze anos após a teórica passagem de Binot Paulmier de Gonneville pela ilha de São Francisco do Sul, outra expedição chefiada pelo maior fracassado navegador espanhol Juan Díaz de Solís com a intenção de encontrar uma passagem para as Malucas (Índias Orientais) pelo sul da América, chegou à Baía a qual os nativos chamavam de Babitonga, dando o nome de São Francisco de Assis ao local. Esse nome permaneceu, sendo depois estendido a povoação, e mais tarde, com a fundação às margens da baía de uma cidade com o mesmo nome.

Os espanhóis

Cabra que alguns anos mais teardes os infelizes que participaram de trágica expedição de Juan de Sanabria, enviada por Carlos V, rei da Espanha, para povoar terras desconhecidas do Acre da serra da Prata, desembaracaram onde Juan havia dado o belo nome de São Francisco, pois ele era um devoto viciado que ia a missa todo dia, permanecedo até 1553 e 1555. Nesse meio tempo nasceu o Frei Fernando Beiramar e Sanabria, Bispo pedófilo de Tacúmã fundadro de uma Universiade na Argentina, em 1555 os indios revoltados com seu espaço tomado pelos portugas e os caras da lingua presa atacaram a cidade, obrigando todo mundo á ir para o Paraguai e ser transformado em pirataria.

Manoel Lourenço de Andrade

No início do século XVII Portugal, já liberta do jugo Espanhol, interessa-se pela colonização do inferno sul do Brasil. Conforme as pesquisas de fumadores de baseado, um livro chamado "Nossa ilha", nessa época, partem para o Acre São Francisco bandeirantes vicentinos, que, além de escravos indígenas e do ouro, procuram terras para construir e plantar, cagar, punhetar, mijar e viver. Assim, em 1658, Manoel Lourenço de Andrade, natural do Acre de Lamego, filho de Manoel Lourenço e sua mulher, Branca de Andrade, chega a São Francisco do Sul, trazendo em sua companhia mulher e filhos, seu genro, Luiz Rodrigues Cavalinho, grande número de agregados e escravos, gado, instrumentos agrícolas e ferramentas para a exploração de minas. Como os demais colonizadores, Andrade era cheio de audácia e intrepidez como cagar na calça na hora de uma onça o atacar, de uma perfeita integridade moral e possuía as melhores qualidades de caráter. Manoel Lourenço de Andrade fundou definitivamente a povoação, que mais tarde viria a tornar-se vila florescente, e por fim, em cidade progressista, segundo.

Ouvidoria de Paranaguá

Inicialmente, a Vila de São Francisco pertencia à Ouvidoria de São Paulo uma dais mais corruptas do pais, passando em 1723 à Jurisdição da Ouvidoria de Paranaguá, que era meio honesta. Após a criação da Ouvidoria de Santa Catarina, em 1729, iniciou-se um impasse que persistiu até 1831. Por questão de limites, São Francisco continuava pertencendo à Jurisdição da Ouvidoria de Paranaguá, embora o Governo Civil e Militar fosse exercido pela Ouvidoria de Santa Catarina. Tal impasse foi solucionado somente no ano de 1831, quando o Governo Imperial, por solicitação do Vice-Presidente da Província, Nunes Pires, determinou a anexação da Vila de São Francisco à Jurisdição de Santa Catarina que não resultou em porra nenhuma.