São João del-Rei

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Atenção: Só edite este artigo se você tem conhecimentos histórico-filosóficos-espirituais suficientes para fazê-lo!

Gnome-searchtool blue.png São João del-Rei é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
A prefeitura fica no mesmo quarteirão que o cartório e o da única agência bancária do Banco do Brasil.

Sciences de la terre.svg.png
Mico azul.JPG


O Mico Azul passou por aqui em Século XVIII!!!

Carnaval de São Jõao Del Rei. Marchinhas, folia e muitas pessoas de família.

Cquote1.png É perto de Tiradentes. Cquote2.png
Morador sobre explicando pro amigo da capital aonde é São João Del Rei
Cquote1.png Me deu um saco de cimento. Cquote2.png
Morador sobre sobre o Prefeito de São João Del Rei
Cquote1.png Me deu uma carroça de areia. Cquote2.png
Morador sobre sobre o Prefeito de São João Del Rei
Cquote1.png Asfalto a rua lá de casa! Cquote2.png
Morador sobre sobre o Prefeito de São João Del Rei
Cquote1.png Se eu pudesse eu fumava miil. Cquote2.png
Jeremias sobre sobre o Crack em São João Del Rei
Cquote1.png Sóóóó... Cquote2.png
Estudante do Campus Dom Bosco sobre sobre São João Del Rei
Cquote1.png Roça braba. Cquote2.png
Morador sobre sobre São João Del Rei
Cquote1.png Cracolândia. Cquote2.png
Morador sobre sobre São João Del Rei
Cquote1.png ¢ลקเ†ลℓ вяลรเℓэเяล ∂ล ¢µℓ†µяล. Cquote2.png
perfil no Orkut sobre de sanjoanense em 2007
Cquote1.png Odeio Lavras. Cquote2.png
Turista sobre como chegar em São João Del Rei
Cquote1.png Nunca vi lugar mais bonito. Cquote2.png
Stevie Wonder sobre sobre São João Del Rei
Cquote1.png Sí, és bueno, mui bueno!!! Cquote2.png
Maradona sobre Carnaval em SJDR

Sobre São João Del Rei[editar]

São João del Rei na hora do rush
Famosa ponte sob a praia de SJDR. Dizem os mais antigos, dados obtidos junto ao inconfidente José Sarney, que Tiradentes passava horas a admirar as escravas que lavavam roupas nas águas turbulentas do pequeno córrego. Ali também costumava, segundo as más línguas, urinar de vez em quando. Local onde João Batista, não o bíblico, mas um louco extraviado de Barbacena, costumava batizar pessoas. Ainda hoje, nas épocas de lua cheia, é possível vislumbrar silhuetas de garimpeiros noturnos de Serra Pelada que ainda estão presos à corrida do ouro.



Cravada no meio do campos das vertentes, nas terras das lugar de gente altaneira São João del Rei se destaca no cenário mundial por ser a primeira cidade planejada no século XVIII. Com concepção arquitetônica de Aleijadinho e execução das obras por Mestre Ataíde e a Ordem Maçônica, a cidade tem lugar privilegiado entre as montanhas mineiras. Todo o planejamento se deu quando da vinda de Dom João VI para o Brasil, à convite do seu caro amigo Napoleão Bonaparte, no intuito de ali se construir uma cidade modelo que pudesse ser considerada a Londres brasileira. Como a corte brasileira era muito requintada o lugarejo se caracterizou, a priori, por seu casario suntuoso, pelo excesso de escravos, por avenidas largas, como as do Conde Leite de Castro, a do Marquês de Sade, dentre outras. Aspecto interessante se destaca por ser aquela vila a primeira a contar com um sistema revolucionário de captação de dejetos humanos. Eram os mesmo coletados por honrosos escravos, designados exclusivamente para tal função, e jogados às margens do Córrego do Lenheiro, também conhecido como o Córrego do Dia do Fico, do Grito da Independência e futuramente como o local onde o Ex. Presidente Fernando Collor de Melo diria a salutar frase: 'Não me deixem só'!

Apesar de não constar nos registros históricos brasileiros, a empreitada proposta por Dom João VI não pode se realizar. Ao contrário ao chegar ao Brasil foi o nobre comandante da nação luso-brasileira obrigado a aportar na cidade canhestra do Rio de Janeiro. Lugar violento e sujo, freguentado pelas piores espécies de salteadores e piratas da época. Tal acontecimento foi determinante para fazer com que o nobre regente retornasse a Portugal. Graças às forças esotéricas que regem os desígnios humanos, e para a felicidade da nação brasileira, seu filho, e nobre amante, Pedro I resolveu ficar, com a condição de se mudar para a bela e maravilhosa cidade de São João del Rei.

Outra parte que não consta dos registros históricos diz respeito ao lado negro dessa história. Manipulado por desígnios malígnos Dom Pedro I não ficou muito tempo no país, sendo que seu reinado foi marcado por muitos conflitos, corrupção e disputas por terra, nessa época surgiria um movimento social muito forte e com raízes fincadas na terra, o MST. Dizem os mais antigos, dados obtidos junto ao então conselheiro José Sarney, que tudo se deu por influencia de um ministro palaciano muito ganacioso, José Bonifácio. Este nobre sr., que foi o responsável pela criação da série star wars, que tem como principal vilão o meio androíde, meio humano, Darth Vader (segundo as más línguas uma expressão lírica de sua própria personalidade), usando-se do lado negro da força, forçou a retirada de Dom Pedro I para Portugal, tornando-se tutor do sucessor na linha real Dom Pedro II. Como este era criança e José Bonifácio não suportava o clima quente, humano e sadio da pequena estrela de minas, que é a cidade de São João del Rei, determinou que a corte fosse transferida para a gélida vila de Barbacena. Nos registros históricos fala-se muito na cidade de Petrópolis e seus palácios, o que esqueceram de contar é que esse era o apelido dado pelo malígno José Bonifácio para a cidade de Barbacena. Uma terra de loucos e desordeiros que refletia muito bem as condições em que a corte se encontrava naquele momento. Conta-se que nesta época houve a escravização dos povoados de Barroso, Dores de Campos e Prados, não havendo registros nesse momento do lugarejo conhecido como Vitoriano Veloso, vulgo Bichinho.

Avançando na história, em meados do século XX, a pequena cidade do interior de Minas retornaria ao cenário nacional num rompante de alegria e ao mesmo tempo de tristeza. Trata-se do período conhecido como Anos de Chumbo, em que o país foi governado por um governo de exceção comandado pelos descendentes de José Bonifácio, o Malígno. Esse período, que entrou para os anais da população brasileira, conhecido como Ditadura, foi comandado por sucessivos presidentes-irmãos da linha mais dura que qualquer nação ao redor do mundo já viu. Segundo os mais velhos, dados obtidos junto ao exmo. sr. ministro das relações internas José Sarney, as grandes malvadezas que pairavam no mundo, sim, nos referimos a Sadam, Osama e até mesmo aquele que não se deve nomear, temiam os ditadores brasileiros. Mas, num período de obscuridade, em que as pessoas se relacionavam de maneira superficial e sorumbática, um homem resolveu dizer basta àquela situação. Relatos da época atribuem a força para enfrentar aquele regime a um treinamento intensivo com indivíduos subversivos que, hoje nos tempos mais liberais podemos incluir no texto, se intiluvam a liga extraordinária. Chucky Norris, Mestre Yoda e Mestre Miag, respectivamente, conduziram o jovem sao-joanense Tancredo Neves pelos cinco caminhos da luz, pela perseguição às estrelas do dragão e, por fim, mas não menos importante, ajudando Paulo Coelho no caminho de São Tiago. Munido desse espírito de luz, moldado na superação de obstáculos intransponíveis para qualquer ser humano o jovem herói nacional trilhou caminhos nas zonas mais cinzas da administração do Leviatã brasileiro até conseguir chegar ao máximo poder do país. tornar-se-ia presidente da república do Brasil, e teria livrado nosso país das garras das oligarquias que imperavam, não fosse um acidente ocorrido logo após a sua subida ao poder. Dizem as fontes mais sinceras, relatos obtidos junto ao então vice-presidente José Sarney, que Tancredo Neves, apesar de sua força estrombólica, não resistiu às forças misteriosas e maléficas que acabaram deixando-o doente e levando-o do nada a lugar algum. A história neste ponto se perde...

Atualmente São João del Rei suspira de expectativa diante da possibilidade de seu mais honrado filho, neto do grande herói Tancredo Neves, e pequeno princípe, assumir sua cadeira na mais alta corte legislativa do país. Aécio Neves, de origem do pequeno torrão natal de Guidoval, mas filho de corpo, alma e coração da nossa querida cidade, pretende alçar vôo a uma cadeira no Senado Federal.

Curiosidades[editar]

O gigante trio elétrico do Chácara e seu numeroso grupo de foliões.
  • Nos idos do término do derradeiro século XX, São João del Rei foi eleita a capital brasileira da cultura. O título se deve a diversidade cultural encontrada na região, que conta com elementos folclóricos do Hip Hop, até com grandes artistas e obras do cenário nacional. Dentre elas se destacam: Eike Maravilha, que é um dos carnavalescos mais queridos da cidade; o nobre edil Antônio das Moças, e seus nobres amigos pares Tião Queijinho, Zezinho Tratorista e outros; as sete igrejas das sete candeias da ordem das ordálias da luz suprema; dentre outras.
  • Diversas celebridades da cultura pop e tradicional do Brasil nasceram em SJDR. Chacrinha e Jânio Quadros são as principais e mais lembradas pelos seus trabalhos em valorização da cultura das marchinhas. O primeiro, inclusive, é lembrado com carinho numa das paradas da estrada que liga a suntuosa São João del Rei a cidade de menor importância conhecida como Belo Horizonte, vulgo, numa demonstração de sua pouca relevância, BaH.
  • O renomado escritor José Saramago se inspirou nos causos populares contados pelas ruelas da cidade luz para compor as suas mais variadas obras. No seu derradeiro livro Caim, o nobre autor conta a história do Ilustre cidadão Caio Antônio Inácio Moreira, carinhosamente chamado pelos cidadãos com a alcunha de 'Caim', responsável por grandes feitos naquelas terras.
  • Um dos aspectos culturais mais importantes da cidade, e que já foi objeto de estudo dos maiores especialistas no assunto, são os bares locais. Apesar de vários se destacarem, como por exemplo o Bar do Tavarez e Estevez amigos LTDA, o Bar do amigo Claudionor, mais conhecido como Bar do Kibom (considerado a tempos atrás como a Savassi de São João del Rei, dados obtidos junto ao carnavalesco Clodovil Hernandez), dentre outros, um tem um carinho especial pela população. É o famoso e consagrado Bar do Dadinho. Peculiar pelo seu atendimento profissional e de extremo zelo, o bistrô conta com um cardápio refinado que inclui iguarias como bola de capota, risólis de carne, chouriço e outros. Palco de encontro das personalidades mais importantes do país e importante em momentos decisivos para a cultura nacional. Foi naquele bar que o Clube da Esquina se uniu pela primeira vez. Dos mais diversos temas, o que mais ensejou discussão foi a questão das "privatizações", tema aborda exaustivamente pelos convivas, como relata José Sarney, freguentador cativo do lugar, em seu livro Marimbondos: um discursso sobre o liberalismo.

Carnaval[editar]

No início, mais conhecido como "entrudo", o carnaval, de origem portuguesa, não era uma festa agradável. As pessoas saiam as ruas em arroubos de cólera e atiravam umas contra as outras bexigas de porco recheados de excrementos e materiais outros não muito agradáveis. Mais uma vez o povo da ilustre cidade de São João del Rei permitiu que a festa, outrora motivo de barbárie, se tornasse uma divertida brincadeira entre foliões alegres e felizes que aproveitavam seus momentos de descontração para aliviar o stress da vida. Motivo de estudos do sociólogo Paulo Freire, em seu livro Carnavais: minha experiência em São João del Rei, o Carnaval da cidade foi alçado a um dos melhores do país, servindo como parâmetro para as maiores folias que ocorrem ao redor do planeta.

Os foliões sao-joanenses foram importantes por introduzirem ideias como: o trio elétrico, que posteriormente foi importado pelo Estado da Bahia, juntamente com as cantoras de maior expressão da cidade Ivete Sangalo e Cláudia Leite; pelos belíssimos desfiles de escola de samba, organizados por Joãozinho trinta e a velha guarda das escolas mais tradicionais, que se encontravam no famoso Bar do Dadinho; os saudosos bailes e matinês que ocorriam nos clubes da cidade (América, Athletic e Minas) sob o comando de Clóvis Bornay e Heloi Machado, que traziam fantasias importadas da Europa com a assinatura dos estilistas mais expressivos do século XX, dentre eles destacamos Clodovil Hernandes, Hercovicht, Valentino, Marc Jacobs e outros.

Principais Blocos[editar]

  • Bloco do Copo Sujo
  • Bloco da Chácara
  • Bloco Unidos da Cambalhota
  • Bloco Vamos a La Playa(Tudo quanto é raça, beba com moderação ou irá perder o brioco)
  • Bloco do Pantanal
  • Bloco do Juízo Final
  • Bloco Unidos do Gato de Botas (Palyboys querendo pagar de animais em zoológico para as pressas de escola pública)

Atrações turísticas[editar]

Igrejas[editar]

Seguindo os desígnios do planejamento arquitetônico esboçado pelo grande Aleijadinho, a cidade conta com um acervo primoroso de monumentos religiosos. As catedrais se destacam não só pelo aspecto suntuoso, mas também pelas inovações trazidas pelo grande mestre. Usando-se da técnica desenvolvida por mestre Ataíde, mais conhecida como pau-a-pique armado, as Igrejas trazem um misto de reverência ao passado e visão de futuro. Com linhas arrojadas elas inspiram pelo primor dos traços barrocos e de suas linhas modernosas de estilo rococó. São patrimônio da humanidade reconhecidas pela Unesco, contando com proteção internacional.

Algumas igrejas[editar]

  • Igreja de Nossa Senhora do Carmo
  • Igreja de Nossa Senhora do Pilar (Matriz)
  • Igreja de Nossa Senhora das Mercês
  • Igreja do Rosário
  • Igreja de São Francisco
  • Igreja de São Gonçalo
  • Igreja de Bom Jesus de Matozinhos(já era)
  • Igreja dos fiéis da gritaria da Ultima Hora (59min, agr)

Athletic Matosinhos[editar]

Antigamente uma danceteria legal, mas foi tomada por marginais (ah não, eles de novo?). Putas saem nos tapas e chegam com 2hs de antecedência para economizar R$3 e entrar de graça na cota de 50 primeiras não pagam. Se tem um carrinho e quer uma metida certeira, tá esperando o que?? Só fica a dica, use camisinha.

Domo[editar]

Boate de posers, fanfas, falsos playboys, patricinhas e traficantes. Antigamente era reduto da high-society (manheeê eu to na balada), hoje em dia frequentado por traficantes (estão em todos os lugares) e menininhas que adoram postar fotos no Facebook (Ui, ela vai na Domo) no dia seguinte. Cobram uma micharia de entrada e recuperam o dinheiro cobrando R$20 em uma lata de Red Bull. DJs escrotos e bandas fuleras reinam durante o ano inteiro, só presta realmente a apresentação anual do Ventania (louco, louco, louco melo).

Posto Ipiranga AM/PM Centro[editar]

Conhecido como "postinho de baixo" é um lugar democrático, frequentado por todas classes baladeiras sanjoanenses (marginais, playboys, patricinhas, putas) mas principalmente point de cheiradores. É o local onde todo mundo marca de pegar sua droga com os traficantes antes e depois da "balada".

Posto Texaco Centro[editar]

Conhecido como "postinho de cima", antigamente era habitat de "playssons" sub 12 e patricinhas(?), foi gradativamente tomado por marginais oriundos primeiramente dos bairros Tejuco e Senhor dos Montes, mais tarde tomado inteiramente por manos e minas de toda a cidade. Point de rinhas, tráfico de drogas e prostituição, vindo a substituir a antiga Praça do Matosinhos que teve seus bares demolidos e vinha cumprindo brilhantemente o papel de prostíbulo público, mas "inteligentemente" as autoridades transferiram a putaria para o centro, que aparentemente é mais rentável e mais democrática, pois o centro é um lugar de fácil acesso de qualquer bairro da cidade.

Hills Street Mall[editar]

Como não poderia perder sua veia vanguardista, sob encomenda do grande arquiteto Oscar Niemeyer, um centro comercial foi encomendado. Com a visão futurista, arrojada e desafiadora, que é peculiar ao nobre arquiteto, pode-se erigir no centro da cidade, em meio ás casas de estilo barroco, rococó e contemporâneo, uma das sete maravilhas modernas da humanidade. Com estrutura metálica, amplos andares, luminosidade superior e linhas que desafiam a gravidade, a obra é reconhecida internacionalmente. Mas sua grandeza se amolda ás peculiaridades locais por ter sido concebida como uma galeria de lojas que trariam ao público freguentante um aspecto bucólico, já perdido nas grandes cidades assoladas pelos grandes centros comerciais conhecidos como shoppings.

Nessa galeria, é onde os jovens bêbados se encontram. Lá é o lugar ideal para você caçar uma briga, ou se ainda der tempo, pegar uma mulher ( que por sinal, vai acabar com seu dinheiro ).

Mas não acaba por aí, além disso tudo, você ainda encontrará TODAS, eu disse TODAS, as tribos de São João del Rei, em um só lugar. Desde traficantes, emos, hardcores até mesmo prostituta. É um lugar que você nunca deverá levar sua família, ou deixar a sua filha ir, a não ser que você, pai de família, queira um netinho.

Casa Blanca[editar]

Local tradicional de jovens e de pais de família da cidade. Todo mundo já foi. Quando seu marido sumir a noite em plena quarta-feira e dizer que estava jogando bola ou na sauna do Athletic, é mentira, ele estava no Casa Blanca.

São Jorge[editar]

Com o crescimento da Universidade Federal de São João del - Rei e dos alunos de humanas, foi necessário o estabelecimento de um point LGBT, maconheiro, hipster e conceitual na cidade. O "Bar Divertido" foi então remodelado para atender essas propostas. Para a entrada é necessário portar uma coroa de flores e querer estar morta.

Ver Também[editar]

Prados
Tiradentes
Carnaval
Universidade Federal de São João del-Rei