São José do Herval

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-searchtool blue.png São José do Herval é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Esse ano chegou internet lá... Internet discada.

Sciences de la terre.svg.png


São José do Herval é uma cidade que fica no Rio Grande do Sul, tem cerca de mais de 8000 menos 5000 habitantes e que tem o costume de criar bombas nocivas para pessoas não-gaúchas e não-argentinas. O material dessas bombas vem dessa região geralmente, mas após a corrida armamentista entre os municípios de Cândido Godói e a cidade catarinense de Calmon ter se agravado, a cidade de São José do Herval começou a expandir seu território usando bombas de erva-mate e chimarrão.

História[editar]

São José do Herval quando ainda tinha dignidade (detalhe, a foto foi tirada 50 anos atrás).
60px-Bouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: São José do Herval.

Mais uma cidade fraca e inútil surgia após a grande emancipação: em meio a rastros de merda que os prefeitos antigos de São José do Herval haviam feito são as únicas coisas boas que aconteceram na história da cidade. Depois disso, teriam começado a reforma militar e a desenvolver armas que realmente iriam aumentar seu território, tal como a guerra dos seis dias que aumentou abruptamente o território de Israel e fez eles parecerem fodões... Ou não.

Inspirados nisso, surgia um dos poderes militares do sul: São José do Herval

Poder militar[editar]

O poder militar consiste em tanques feitos de madeira gaúcha e de troncos de araucária. Além disso, é movida por cavalos treinados para serem mais eficiente que tanques. Mesmo o tanque sendo ineficiente, o batalhão de São José do Herval diz que é melhor confiar nos cavalos do que em máquinas...

OBS: A afirmação "Melhor confiar nos cavalos do que nas máquinas" é uma alusão ao sargento que acabou levando um pé na bunda da mulher que havia comprado um vibrador (ou seja, uma máquina) e trocado ele chamando ele de cavalo.

Outra parte de seu poder militar é a granada de pinhão, que quando destravada e arremessada, acaba soltado 50 projéteis de pinhões envenenados no inimigo. A arma é proibida em guerras, por isso os Estados Unidos acabou recusando a bomba de pinhão que foi considerada uma arma de apelão.

Atualmente[editar]

A cidade vende suas armas milagrosas para outros municípios se protegerem. A última invenção de São José do Herval foi a bomba de erva-mate que foi testada pela primeira vez em Machadinho e que matou 90% da população de lá que foi asfixiada por um chuva de pó verde por 3 semanas.

Isso explicaria o porquê daquele município ser vazio.