São Patrício (Goiás)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

São Patrício é um afastado, isolado, desconhecido, escondido, no meio do nada, insignificante, merdinha, longe pra dedeu, nem Judas esteve lá, bota inóspito nisso, bairro de Ceres. Algumas fontes como a wikipédia definem São Patrício erroneamente como município emancipado, se aquela aldeia é emancipada eu sou o Rei da Babilônia!

História[editar]

Um habitante feliz da bucólica São Patrício.

Lugar que surgiu em 1988, quando alguns desocupados se afastaram demais de Carmo do Rio Verde e acabaram criando um curral, que evoluiu para roça que evoluiu para vilarejo.

Só em 1995 aquele grupo de caipiras de chapéu de palha foi considerado um município. O nome adotado foi São Patrício, já que a tosca tradição manda colocar nome de santo em cidades quando não se tem ideia nenhuma, e como já havia cidade com nome de tudo quanto é santo, tiveram que pegar um santo lá do Acre para nomear a cidade. São Patrício.

Geografia[editar]

Cidade onde predomina o cerrado, ou seja, muito mato, um calor do cão e muitas vacas. Os fazendeiros tem duas vacas, eles podem usar uma vaca para tirar leite e transformar em bife para o jantar, e a outra vaca para praticar zoofilia.

População[editar]

São Patrício é uma pequena aldeia com meia-dúzias de seres que se dizem habitantes. É considerada a única cidade no mundo inteiro onde 100% da população sabe ordenhar e montar bodes.

Lazer[editar]

São Patrício é a única cidade no mundo inteiro onde é possível organizar um churrasco com roda de viola em plena terça-feira.

Religião[editar]

Cidade na beira da estrada, a sua religiosidade se destaca na crença do Deus Epantalho, que abençoa a colheita todo ano, desde que um casal de virgens seja sacrificado embaixo da macieira fundamental do pomar de São Patrício.