São Sebastião do Paraíso

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Nota: São Sebastião do Paraíso pode ter outros significados, para chechecá-los, consulte São Sebastião.


DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...Para ofender um paraisense é só chamar de mineiro...
60px-Bouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: São Sebastião do Paraíso.
A foto mostra bem a região central de São Sebastião do Paraíso. Ou seria talvez Araguari?

Cquote1.pngVocê quis dizer: ValparaísoCquote2.png
Google sobre São Sebastião do Paraíso
Cquote1.pngVocê quis dizer: Distrito de Ribeirão PretoCquote2.png
Google sobre São Sebastião do Paraíso
Cquote1.png Vou criar um enorme campus para todo o povão jogar bola. Cquote2.png
Prefeito da Cidade sobre sobre o projeto ambicioso da nova enorme Universidade Privada (bem privada mesmo)
Cquote1.png Paraíso, oh terra estremecidaaaaa... Cquote2.png
Luiz Ferreira Calafiori após terremoto, sobre São Sebastião do Paraíso
Cquote1.png Os prédios de Paraíso fazem sombra em Passos! Cquote2.png
Oscar Wilde sobre São Sebastião do Paraíso
Cquote1.png Há há há, que hilário! Cquote2.png
Monsenhor Hilário sobre São Sebastião do Paraíso
Cquote1.png Aqui não é Minas! Não é Minas! POORRAAAAAAAA! Cquote2.png
Retardado após encontrar uma pessoa que falou que São Sebastião do Paraíso era Minas Gerais

São Sebastião do Paraíso
Bandeira de São Sebastião do Paraíso
Nome oficial Distrito de Ribeirão Preto.
Governo Feudalismo e Fascismo, Mineiro quase Paulista.
Gentílico Fútil
Idiomas Paulistanês e MMineirês
População Homens: 2%, mulheres: 60%, outros: 38%
Densidade populacional d=\frac{m}{v}
PIB R$ 254.243,00
IDH Imensurável
Atividades Exploração de mão de obra camponesa e escravismo funcional.
Religião Cultos à deusa Cátia e despacho
Preço da passagem do buzão R$ 3,50

Cidade mineira Feudo ítalo-pseudo-mineiro, quase paulista, localizado no sul-sudoeste de Minas Gerais que é governada pelo Sr. Feudal Carlos Merdes, conhecido também como Darth Merdes, Tii Carlim ou "Cadeirudo", do Partido Fascista Liberal (antigo PFL que agora mudou o nome para Democratas Oligarcas), proprietário de todas as terras e dos 60.000 servos, aproximadamente.

Belo Horizonte é a melhor cidade mineira mais próxima e está a 400 km de distância por rodovia (se fosse em linha reta seriam uns 180 km). Paraíso também ostenta com orgulho o título de "Cidade dos ipês", devido à existência dessas belas árvores em suas praças públicas. Segundo os últimos dados da prefeitura, existem cerca de três ipês na cidade, uma quantidade realmente espantosa.

Tabela de conteúdo

Economia

Com seu governo seguindo os moldes do feudalismo com grande influência do fascismo, São Sebastião do Paraíso consegue destaques na produção industrial e na colheitas. A economia dessa região é regida pela agricultura, destacando o café e a cana de açúcar. O salário que todos recebem no município possui um adicional de R1,99 patrocinado pelo Senhor Feudal, para todos lembrarem seu nome durante as eleições.

A cidade também mostra que é um lugar propicio para os empreendedores, algumas empresas naturais da cidade alcançam um nível nacional e até mundial no mundo globalizado de hoje, combatendo de frente com as grandes empresas norte americanas e chinesas, é o caso do hipermercado Toinzinho , cujo seu idealizador Luiz Toinzinho, batalhou duro dês de jovem para construir seu império criando uma dinastia digna a fazer concorrência com a que está no poder local.O intrigante dessa rede de supermercados é que a suas lojas do município são as menos cuidadas e menores de toda a rede e tem os preços mais caros de todas as lojas da cidade e da região, mas mesmo assim é a loja que mais vende na cidade, tal fato chamou a atenção de estudantes de economia da USP que já vieram analisar porque a loja é hegemônica na cidade, mas ainda não chegaram a uma conclusão lógica.

Outra empresa, que vem dominando o cenário de calcinhas e sutiãs é a Esponjatec, ou sua marca, Calcinhey, que emprega 90% dos moradores do bairro João XXIII



Indicador PIB per capita R$ 1.257,86 IBGE/2006, mas a maioria da população esbanja como se fosse R$ 10.000,00.

Saúde

Ficou Doente? Foda-se. Aqui tem duas opções ou você vai no hospital do Reminho e espera morrer ou vai para Ribeirão Preto tentar pelo menos ter 6 meses de vida, normalmente quando você vai você normalmente fica, mas ninguem se estranha com nada porque ate para peidar os Paraisenses preferem Ribeirão Preto.

Sexualidade

Conforme o IBGE, a população de Paraíso possui uma sexualidade equilibrada. Através de uma longa pesquisa com os anciões da IPM (Irmandade dos Pintos Muchos), clube com sede localizada nos bancos da Praça da Matriz e liderada pelos taxistas da cidade, chegaram aos seguintes índices:

Homens:

  • 25% são heterossexuais assumidos;
  • 75% são homossexuais, mas não sabem quem são seus parceiros por que sempre ficam de costas;
  • 50% dos homens casados são cornos;
  • 50% dos homens casados não sabem que são cornos;

Mulheres:

  • 50% são freiras do Colégio Paula Francisquinha;
  • 50% são heterossexuais;
  • 49% adoram ir para o motel quando o marido viaja;
  • 01% gostam de sair pelada na internet com um namorado de 5 dias;
  • 51% adoram fazer sexo grupal em sítios e casas à beira de represas;
  • 90% ainda são virgem e conheceram apenas o boto da lagoinha;

Cultura

A cultura de São Sebastião do Paraíso é diversificada em sua própria natureza. Tem a maravilhosa celebração da Congada e do Moçambique, rito religioso que mistura a religião católica com culto da deusa Cátia, padroeira da cana de qualidade. A Congada é em sua essência, depois do carnaval do Rio de Janeiro, a maior manifestação urbana mundial. No período comemorativo, que ocorre nas 2 últimas semanas do mês de Dezembro, o nosso Amado, Idolatrado Doutor, Mestrado e PHD e Deputado Carlos Merdes (vulgo Cadeirudo) concede o aval à vassalagem rural para adentrar aos territórios sagrados da Praça da Matriz para prestigiar os ternos de Congo e Moçambique, além de poder apreciar uma caninha de qualidade feita no engenho do Engeinheiro Airton Silhos, atual proprietário da Associação de Boteco e Mercadinhos de S. S. do Paraíso.

A Acadimia de Curtura do Feudo Paraiísense e seus imortais também são destaques com suas obras musicais e literárias que ninguém jamais prestigiou.

A revista Curtura e Cia Magazine também contribui com suas colunas GLS e de moda, mostrando que a população paraisense se interessa muito com as coisas fúteis do dia-a-dia. Nela, a cada quinzena tem uma gatinha paraisense estampada na capa, um serviço de alcoviterismo digno de uma taverna medieval de família. Quanto a cultura, essa não se vê por aqui, afinal, os vassalos têm que ser analfabetos.

Existem também as casas culturais da luz vermelha, recantos onde homem de paraíso diverte e a mulherada trabalha duro, tudo pelo ideal do dinheiro.

Língua

A língua falada nesse fim de mundo é o dialeto paulistanês com algumas expressões do minerês, por isso pode-se dizer que se trata de um dialeto com peculiaridades. O povo da cidade fala o R muito carregado, isso faz qualquer um imaginar que o indivíduo se trata de um cidadão do interior paulista, mas como a cidade se localiza em Minas Gerais ocorrem algumas pequenas exceções. O uso de interjeições como "uai" e a denominação de qualquer coisa como "trem" é freqüente na cidade. Já em determinadas áreas há a presença nojenta dos "mano e das mina" que falam como um paulistano torcedor do Corinthians.

Motivos para morar em São Sebastião do Paraíso

  • ...
  • ...
  • ...
  • ...
  • ...
  • ...
  • ANUNCIE AQUI.


Revolta dos Mortos e Maria Engomada

Morador original da Praça da Fonte

A Praça da Fonte segunda praça mais antiga da cidade, inicialmente não era uma praça, e sim um cemitério.

Antigamente os prefeitos tinham um projeto de reforma e melhoria incrível e radical: "Ah, vejam, um cemitério, vamos fazer uma praça lá". Simples assim começaram-se as obras de contrução da praça sobre o cemitério em 1745, com a ajuda de escravos vindos da África.

Logo no começo da reforma, vários moradores locais, mortos, resolveram rebelar contra a reforma, tornando-se a Revolta dos Mortos, que banhou o chão da futura praça em sangue. O Sargento Pirex fora convocado para dar um fim na revolta, e junto de suas tropas tomaram controle do local no dia 32 de Novembro de 1750.

Depois da primeira reforma, o local ainda tinha sérios problemas com o sobrenatural, e então, no dia 69 de Janeiro de 1768, uma mulher gigante foi vista caminhando sobre a praça da fonte, seu nome? Maria Engomada.

Figueira mal assombrada, antes da reforma da praça da fonte

Maria Engomada era uma árvore gigantesca (que ainda existe), e esta, a noite tomava forma de mulher e saia destruindo prédios, pisando em carros, fazendo um auê tremendo.

Forças militares tiveram milhares de baixas na tentativa de cessar os ataques da Engomada. Esta só foi vencida quando o esquadrão relâmpago Changeman surgiu com seu robô gigante e deu o cabo na coitada da moça, mais tarde sobe-se que Maria Engomada era fruto errôneo de Geodai, quando este passava as férias por aqui.

Curiosidades Televisivas

Apesar de pequena a cidade possui duas emissoras de TV locais, a TV Sudoeste que pertence ao senhor feudal e a TV Paraíso que pertence aos rebeldes da oposição ou os chamados não-alinhados.

Em 1989 quando a Rede Globo mudou a programação regional transmitida para a cidade seguindo a grade mineira (de Varginha) e não mais a grade paulista (de Ribeirão Preto) muitos moradores fizeram protestos, panelaços, abaixo-assinados e milhares de reclamações ao bispo de Guaxupé, mas de nada adiantou. Nessa época as lojas de antenas parabólicas se proliferaram rapidamente pela cidade, pois os moradores queriam mesmo era ver a programação de São Paulo e assistir aos jogos do Campeonato Paulista de Futebol (que passam na programação via satélite). Vide seção "O sonho de ser paulista" abaixo. Atualmente há antenas parabólicas em cerca de 89% das residências. E o resto 11% tem os famosos piratinhas ou chupa-cabras onde pega uns 1200 canais inclusive da Rússia do Japão da China entre outros.

Futebol

Vista panorâmica do grandioso estádio comendador João Alves

A cidade possui dois times que se forem somados (batidos no liquidificador) não chegam a dar nem 10% de um time ao menos apresentável (num dá meio copo, contando com a espuma), são eles a Associação Atlética Paraisense e o Operário Futebol Clube, que disputam o Campeonato Mineiro de Futebol da Oitava Divisão (Série H-Returno).

Há muito tempo atrás atrás, no início dos anos 1990 a Associação Atlética Paraisense, conhecida também como "A Paraisense" ou "A Verdona" conseguiu a façanha inédita de se classificar para a Primeira Divisão do Campeonato Rural Mineiro, mas o clube desistiu e não chegou a disputar o torneio, pois não tinha dinheiro para pagar as passagens de ônibus para os jogadores participarem dos jogos fora de casa.

Mais um típico torcedor do São Paulo andando pelos bosques da cidade.

Estranhamente na cidade os habitantes não torcem para os times do Estado de Minas Gerais, e nem sequer ficam sabendo ou se interessam pelo Cruzeiro ou Atlético.

Os moradores da cidade torcem para os times de São Paulo tais como Porcos, Bandidos e os Bambis. Segundo uma teoria de Freud isso seria a exteriorização de um complexo psicológico no qual os paraisenses enrustidamente sempre tiveram o desejo de serem considerados e reconhecidos como paulistas, e vivem escondendo inclusive de si mesmos o fato de serem mineiros.

O sonho de ser paulista

Conta a história que durante a Revolução Constitucionalista de 1930, os paraisenses lutaram ao lado das tropas rebeldes de São Paulo, contra as tropas federais de Getúlio Vargas, pois os rebeldes prometeram anexar a cidade ao estado de São Paulo, deslocando a fronteira 20 quilômetros para o leste, a fim de encampar o município, caso ganhassem a guerra. Para infortúnio dos paraisenses as tropas federais venceram e o sonho de ser paulista foi frustrado – o que torna os habitantes da cidade profundamente melancólicos e irremediavelmente infelizes até os dias atuais.
Paraisense mostrando seu amor pelosMineiros

Até hoje a população não se conforma com esse fato, e sempre se comporta como se fosse paulista. Um exemplo bastante claro desse estranho fenômeno, além do sotaque e da torcida por times paulistas, é que os moradores sempre quando vão passear em outras cidades, ou quando querem ir à shopping centers, cinemas ou McDonalds, preferem ir para Franca, Ribeirão Preto, Campinas ou São Paulo em vez de qualquer outra cidade mineira.

Segundo uma recente pesquisa do IBGE cerca de 96% da população jamais foram visitar a capital Belo Horizonte, e nem sequer sabem pra que lado fica BH, mas já conhecem São Paulo, ou qualquer outra grande cidade paulista. Alguns dizem que a razão disso é não ter que se sujeitar a passar pelo município de Passos, cidade vizinha arquirrival-inimiga cujos habitantes são fatalmente odiados pelos paraisenses.

Uma Cidade e dois Estados

São Sebastião do Paraíso, para muitos é Minas Gerais mas para muito São Paulo, normalmente quem considera Paraíso uma cidade mineira é você, Tua Mãe e o carteiro. Retirando essas exceções todos são paulistas, uma vez que ninguem liga para isso, considerando que 80% da população nasceu em Ribeirão Preto.
Vista Aérea (Ou seria apenas uma foto?) de São Sebastião do Paraíso.
O mapa dos sonhos de cada paraisense.

Distrito de Ribeirão Preto

Visão de um paraisense sobre Ribeirão Preto

Depois do frustrado sonho de ser paulista, os paraisenses decidiram cada vez mais morar e visitar a cidade de Ribeirão Preto deixando os paraisenses, se refletirem e ver que Paraíso não é nada mais do que uma grande merda é uma cidade muito carente de recursos e que não tinha tantas oportunidades para a população. Por isso Paraisenses quando viajam ou falam para outras pessoas de outras cidade a onde é o fim de mundo a cidade, o primeiro ponto referência é Ribeirão Preto até mesmo mentindo, falando que trabalham, moram e também falando que é Ribeirão Pretano. Muitas pessoas também vai diariamente para Ribeirão cuidar de suas enfermidades. A maioria vai cuidar de doenças muitos serias como Bronquite, Sinosite, Faringite, Renite e ate mesmo mais serias como uma cirurgia ou tratamento de cancêr. E também cada vez mais a população foi indo mais vezes para Ribeirão Preto para fazer muitas boas atividades como almoçar no McDonalds num bom restaurante e ate mesmo para morrer. Alguns cidadãos relatam que é mais tranquilo morrer numa sala de hospital lá porque sabe que vai ter um caixão bem mais limpo, que não vai se arrepender por morrer em minas, que dormirão em paz e nao aterrorizará nenhum Paraisense e o melhor que irá morrer no estado de São Paulo que é o sonho de cada um dos moradores.

Moda

O ESTADO DE SÃO PAULO: "Paraíso Fashion Week é a maior sensação depois da Parada Gay" São Sebastião do Paraíso é uma cidade de estilo e glamour, onde todas as "donzelas" nascidas neste estremecido arraial lugar, conseguem oportunidades no comércio mundial da moda e além disso não é raro uma profissional ir para outros países se prostituir tentar a sorte.

Capitanias Hereditárias

Guardinha

Localiza-se perdida em algum canto da zona rural de Paraíso. Recebeu esse nome durante a Revolução Constitucionalista de 1930, pois os soldados paulistas, na tentativa de cumprir a promessa de estender as fronteiras do estado de São Paulo indexando a cidade de Paraíso, invadiram o município Paraisense e ao se deparar com uma pequena guarda militar inimiga (uma guardinha) que ostentava vários canhões e morteiros apontados para eles, fugiram desesperados para São Paulo, rompendo o tratado de apaulistamento de Paraíso. Hoje se sabe que os canhões e morteiros eram carros de boi disfarçados com camuflagem e os soldados eram trabalhadores da Mogiana(estação de trem), que não queriam a indexação da cidade, pois seus salários seriam comprometidos devido a uma diminuição no preço da passagem para capital Ribeirão Preto. Hoje Guardinha continua sendo a mesma bosta coisa pequena de antes, possui apenas uma rua e uma praça. Carlos Merdes, nascido, criado e estudado na Guardinha, foi a única contribuição relevante ao mundo.

"Coréia"

Conta-se que na época da guerra da Coréia (País Asiático que ficou tomado pela violência), a Vila João XXIII também teve o azar de ser palco de grandes atos violentos, então algumas pessoas resolveram nomea-la na época de Coréia pelo fato de tantas discórdias no local, só que mais tarde, pra ficar menos ofensivo para os moradores, eles a nomearão de João XXIII. Atualmente, o João XXIII é o bairro mais seguro e respeitado na cidade.

Termópolis, "Águas Quentes"

Fica entre Paraíso e a cidade de Jacuí, bem no meio do caminho. Como em Poços de Caldas, Termópolis fica em cima de uma cratera vulcânica. Diz a lenda que a muitos anos, naquele lugar havia águas quentes sulfurosas, mas devido a presença maciça de viados e bibas (que iam dar na cachoeira), a água foi afrescalhada. Hoje é o lugar com a água mineral mais fresca de Paraíso.

A um grupo de pessoas que todo ano vão até a essas terras, falam q irão chupar laranjas e pegam facas emprestadas para os moradores, mas cometem o cruel ato de roubarem as redes do campinho de futebol da região. hoje esse costume é conhecido como ""FARRA DA REDE""

Noite

A noite em Paraíso é sempre agitada, abaixo exemplos de locais para sair.

  • Original Chope: Bar situado no paço da Praça da Lagoinha. O Original Chope é muito conhecido pelo sistema utilizado para o mantimento da ordem no local, o feudalismo. O bar é uma capitania-hereditária, cercada e fortemente guardada por capatazes. Quem alí dentro se encontra é obrigado a pagar uma quantia ao sr-feudau dono do local para que possa se manter alí, caso tal tributo não for pago, o devedor é colocado pra fora e ficará mal falado na cidade por muito tempo. Os frequentadores do local são pessoas da faixa etária dos 14 aos 17 anos, a maioria sai das aulas de catecismo escondidas de seus pais e seguem para o local para degustarem uma cerveja Krill servida em copos da Loja do 1 Real. Apesar de ostentar o Chope no nome, o bar não serve tal bebida e tampouco vende cerveja Original.
  • Docencontro: Se você tem problema de insônia, o Doce Encontro é a solução. Um bar antigo de decoração duvidosa onde o clima moroso e bucólico toma conta de tudo. É impossível ficar lá dentro sem bocejar. Grande parte dos freqüentadores do local dormem ao volante após sairem de lá.
  • Choppani: Juntamente com o Paradise, foram os únicos bares que sobreviveram à "Grande Depressão dos Bares de 1997", quando o Butiquim 3 fechou levando junto todos os outros existentes na cidade. O Choppani é conhecido pelo aperto do local e o mau humor dos garçons, que sofrem com o péssimo hábito de fechar o bar com os clientes ainda dentro.
  • Paradise: Frequentado pelos senhores feudais e seus compatriarcas. Tem mesas cativas, forjadas em ouro 24 kilates para os senhores feudais, seus capatases e bajuladores.
  • Estação Show Bar: Da fusão da Vila Lobato e São Judas surge o novo boteco disfarçado de bar cult na cidade. Baseado na arquitetura dos currais do século passado e modernizado com os padrões dos atuais bares elitistas de Ribeirão Preto, o Estação tem um lounge externo cercado por uma incrível cerca de galinheiro (com razão), onde os manos do lado de fora treinam tiro ao alvo nos transeuntes internos do bar e já selecionam quem vai ser roubado na saída.Outro detalhe é a economia interna do local. Ao entrar no bar, quando isto é possível, pois somente conhecidos do senhor feudal são bem vindos no local e não precisam ficar de pé horas na fila esperando, você paga um tributo simbólico, bebe uma cerveja de R$3,00 e mais nada. Se você quiser continuar a biritar durante o resto da noite, terá que pagar um ALTO tributo para entrar na "boate" do local, pois a venda de alcoólicos é cessada no restante do bar. Atualmente foi removida a moderna cerca de galinheiro e substituída por uma cerca de bambú no estilo retrô-curral, melhorando a aparência e criando uma barreira protetora contra os olhares invejosos. Muitos playboys da cidade ficaram triste com essa mudança, pois agora ninguém poderá vê-los tomando "1" (apenas uma) cerveja nesse boteco.
  • Sorveteria Bacana: O point da moçada sem dinheiro, que fica na porta olhando os que podem pagar uma taça caprichada de sorvete, pois perderam toda a sua mesada gastando roupas das boutiques tradicionais de Paraíso.
  • Bar do Português: Bar super moderno que rola pagode no domingo à noite e shows couvers da Cássia Eller, T.A.T.U e Ana Carolina nos demais dias. Ambiente super descontraído, apesar de não ter nada da cozinha Ibérica para servir.

Expar

A tradicional festa chamada de EXPAR (Exposição Agropecuária Paraisense) que de exposição não tem nada, ocorre anualmente uma vez por ano na cidade, nos anos de eleição para prefeito. Sempre prestigiam o evento, artistas famosos e importantes nacional e internacionalmente tais como:

  • Gerasamba (quando ainda não era "Tchan")
  • Axé Blonde
  • Katinguelê
  • Meteus Minas
  • Trio Parada Dura
  • Irmãs Galvão
  • Os Travessos
  • Sabor do Som
  • João Paulista & Marciano
  • Luiggi & Giovaldo
  • Jefferson & Cleyton
  • Emanuel Correia & João
  • Rio Negro & Solimões Cover
  • Banda Flor da Terra
  • Coral das Meninas Cantoras Saltitantes de São Joaquim da Aldeia de Baixo
  • Catarino e Valdizar
  • Wando couver
  • Banda Aquários
  • Sopro de vida acústico

Centro olímpico

Obra do Centro Olímpico: jamais terminada

Obra faraônica quase nunca acabada, iniciada em 1942, na gestão do ex-prefeito João Mambrinico, o "Centro Olímpico Paraisense", também chamado de "Centro Olímpico Intergaláctico", é um Ginásio Poliesportivo de Esportes que seria o maior da Europa segundo o megalomaníaco projeto inicial. Conta a lenda que o projeto da faraônica obra começou um certo dia quando o espírito do imperador babilônico Nabucodonossor baixou no antigo prefeito. Diz a lenda que em 1939 o imperador apareceu pra ele em um sonho e disse que a cidade precisaria de um ginásio gigantesco para ser a sede das Olimpíadas de 2008.

Assim o prefeito começou a polêmica obra, que quase não ficou pronta. O projeto inicial conta com arquibancadas para mais de 180 mil pessoas sentadas, além de 1390 banheiros, 4 quadras poli-esportivas cobertas, com teto solar de vidro elétrico e vão livre do solo de 42 metros de altura, além de espaço para 42 bares e 20 restaurantes, também um mini-centro de imprensa para 42 equipes de TV. Tudo isso com ar-condicionado central e vidros a prova-de-bala. Vestiários pra 16 times ao mesmo tempo, e estacionamento para 42 mil veículos, além de um cinema, um museu e um autódromo de Fórmula 1 no subsolo. A obra, quando pronta, seria umas das duas construções do mundo visíveis da Lua, a outra é a Muralha da China.

Durante muitos anos o povo cobrou dos prefeitos que terminassem logo a obra, pois 2008 estava chegando e as olimpíadas seriam na cidade. Mas os prefeitos que passaram pela prefeitura nunca terminavam a obra. Uma desculpa para isso era a suposta maldição secreta de Nabucodonossor, revelada anos depois por João Mambrinico. Segundo esta maldição o prefeito que terminasse a obra, morreria no dia de sua inauguração. Então, temerosos de serem vítimas da famigerada maldição nunca nenhum prefeito ousou terminar a obra, mas apenas continuá-la lentamente de onde o antecessor parou.

Durante muitas gerações de paraisenses, e vários prefeitos que passaram pela administração municipal, o Centro Olímpico foi sendo construído na esperança de se realizar a profecia de Nabucodonossor, que dizia que a cidade sediaria uma Olimpíada. Mas em 2003 a confirmação do Comitê Olímpico Internacional de que Pequim, e não Paraíso, tinha sido escolhida como sede das Olimpíadas de 2008 jogou um balde de água fria nos entusiastas do esporte da cidade.

Após saber da escolha de Pequim a obra foi paralisada de vez, e não tem previsão de ficar pronta ainda neste século.

Segundo um sábio senhor, morador ilustre desde 1950, trabalhavam 3 pedreiros no Centro Olímpico, enquanto 2 faziam, o outro quebrava, fazendo assim que o efeito da maldição de Nabucodonosor caísse com menos impacto sobre Paraíso.

No ano de 2010 o inacreditável aconteceu, o superfaturamento as obras do antológico centro olímpico terminaram, a população enlouquecida foi as ruas festejar o novo castelo do sultão para liberar a passagem de seus vassalos.

Depois do termino do centro olímpico, moradores nunca se conformaram que nunca receberam um olimpíada ali, mas para contentar o povão o prefeito esta preparando uma recepção calorosa para os atletas do Afeganistão que deverão treinar em Paraíso para as olimpíadas de 2016.

v d e h
AS FANTÁSTICAS MINAS GERAIS DO PÃO DE QUEIJO
O mapa de Minas Gerais incluindo possessões, territórios intra e ultramarinos e províncias autônomas e rebeldes, além é claro dos TREM (Territórios Remotos do Estado de Minas)
A bandeira de Minas Gerais com a inscrição em latim "Causeus Quae Sera Tamem" que significa "Queijos, ainda que à tardinha!"

Notas:
  1. Possui status de território autônomo de Minas Gerais
  2. Doada por José Serra em 2007
  3. Juiz de Fora foi cedida ao Estado do Rio de Janeiro por Aécio Never em 2003 em troca de Cabo Frio. Vide Guerra Mineiro-Fluminense
  4. Governador Valadares foi vendida aos Estados Unidos por Aécio Never e Lula em 2005 em um acordo com George W. Bush para acabar com a imigração ilegal, passando a ser um território colonial americano com o nome de "American Outland District of Walladars Governator"
  5. A existência de alguns municípios não foi confirmada cientificamente
  6. Províncias conhecidas como TREM - Territórios Remotos do Estado de Minas
Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas