Síndrome da abstinência de relações amorosas por conta da falta de correspondência sentimental por parte de outra pessoa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Asclepius.png A Desciclopédia não é um consultório de medicuzinho.
Por isso, tome vergonha e vá procurar um pra fazer seu check-up.
Cquote1.pngVocê quis dizer: Amor não correspondidoCquote2.png
Google sobre Síndrome da abstinência de relações amorosas por conta da falta de correspondência sentimental por parte de outra pessoa

Cquote1.pngExperimente também: Fossa Cquote2.png
Sugestão do Google para Síndrome da abstinência de relações amorosas por conta da falta de correspondência sentimental por parte de outra pessoa

O amor é lindo!

Cquote1.png O amor é uma dor, é um tédio sem remédio... Cquote2.png
Indivíduo infectado, em estado terminal de melancolia sobre Síndrome da abstinência de relações amorosas por conta da falta de correspondência sentimental por parte de outra pessoa
Cquote1.png Eu me amo, mas não sou correspondido. Cquote2.png
Pessoa que sofre de Síndrome da abstinência de relações amorosas por conta da falta de correspondência sentimental por parte de outra pessoa de ordem psicológica.

Ouvindo Legião Urbana mais de seis horas por dia, chorando e no escuro? É, meu amigo, você pode ter problemas...

Cquote1.png Eu sei que ela me ama! No fundo, eu tenho essa certeza, o destino vai nos unir! Cquote2.png
Você, completamente iludido, sem saber que, na verdade, isso não é mais apenas amor, já se trata de Síndrome da abstinência de relações amorosas por conta da falta de correspondência sentimental por parte de outra pessoa.
Cquote1.png Trata-se de um idiota que pensa que a guria gosta dele, mas na verdade pensa que ele é um imbecil. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Síndrome da abstinência de relações amorosas por conta da falta de correspondência sentimental por parte de outra pessoa
Cquote1.png Ficar com outra? Jamais! Eu amo a Rosicreude, sei que ela ainda vai ser minha! Cquote2.png
Anônimo, um caso perdido.
Cquote1.png O amor é sublime demais para que alguns possam senti-lo. Alguns confundem vontade de dar com amor. Cquote2.png
Filosofia de botequim sobre Síndrome da abstinência de relações amorosas por conta da falta de correspondência sentimental por parte de outra pessoa

O amor é lindo, não acha? É muito bom pensar na pessoa amada, querer estar com ela e sentir os dois corações em sintonia, não é verdade? Mas, ao mesmo tempo, é muito triste saber que essa pessoa prefere namorar com um pé de couve do que com você, certo? Saiba que isso não é apenas um comportamento emo, é sim, seu viado! trata-se, na verdade, de uma enfermidade, a Síndrome da abstinência de relações amorosas por conta da falta de correspondência sentimental por parte de outra pessoa. Ela é um problema sério, mas tem cura, mesmo que pareça impossível esquecer aquela menina de pele macia, cabelos dourados, aroma de rosas... AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!

Tabela de conteúdo

[editar] Características gerais

Antes que você pense que essa é uma bobagem, e quem diz que tem isso é emo e deve apanhar o que é verdade, saiba que isto é gravíssimo, e que está ligado diretamente a outros problemas mais graves, como o alcoolismo, o uso de drogas, o gosto por Simple Plan, a depressão, o vício em Colheita Feliz, ou, ainda, a total perda de esperanças em relação ao ser humano, e a opção pelo suicídio, preferencialmente de uma forma bem performática, como, por exemplo, cortando os pulsos de maneira alternativa, com uma bolacha Maria ou papel higiênico.

O indivíduo que sofre dessa síndrome, popularmente conhecida como frescura o ato de amar sem ser amado, nunca sabe que o amor doentio, louco e idiota intransigente que sente é, na verdade, um problema de saúde. E, mesmo quando tem essa consciência, a tomada de uma cachaça atitude para vencê-la demora consideravelmente, principalmente por essa falta de consciência. E porque amá-la é tão bom...

Aquela menina que nunca sai do seu pensamento, que você quer para a vida toda, que monopoliza os seus sentimentos...

Enfim, essa sensação terrorífica de saudade e amor incondicional acaba por impedir que o enfermo tenha qualquer outro tipo de manifestação amorosa por qualquer outra pessoa, qualquer mesmo. Ou seja, a vida da pessoa se torna um constante lamento. Cabe ressaltar que a(o) amada(o) está cagando e andando para tudo isso.

[editar] Sintomas

  • Falta de vontade de sair de casa, mesmo que esteja fazendo uma temperatura ótima, e tenham lhe convidado para fazer algo que você gosta, como andar de skate, ir no show do Ney Matogrosso ou jogar truco. E, por conseguinte, a elaboração de justificativas esdrúxulas para não ir, como, por exemplo, consulta no dentista, um trabalho para a escola ou porque a sua bisavó vem lhe visitar. Evidentemente, você se esquece de combinar isso com os seus pais, que acabam lhe desmentindo se perguntados sobre sua localização, revelando que, na verdade, você está trancado no quarto há duas horas;
  • O gosto por coisas melancólicas, como, por exemplo, ficar ouvindo Legião Urbana num quarto escuro. Cuidado, isso também pode ser sintoma de outra coisa. Ler Paulo Coelho, Franz Kafka ou a lista telefônica também são indicativos;
  • Falar durante o sono. Como você nunca dorme acompanhado, ao menos quando vai para a cama da sua mãe, a identificação desse sintoma é bem mais difícil. O assunto sempre é o mesmo: a pessoa amada. Cantar Bruno e Marrone ou Victor e Léo também é bastante comum;
  • Gastos absurdos com telefone. A outra pessoa nunca lhe atende, mas a tecnologia permite que você grave mensagens. Nelas, além de lamentar a ausência, jurar amor e pedir uma chance, o enfermo pode recitar poesias, ler letras de músicas ou outras baboseiras semelhantes;
Para você, um amor incontrolável. Para ele, uma fonte de abrigo e alimentação...
  • O desempenho de atividades aleatórias como forma de pensar em outra coisa que não em assuntos amorosos. Nesse sentido, inserem-se indivíduos que passam horas e horas postando em comunidades do Orkut ou Twitter, fazem plantões de mais de dez horas na Desciclopédia e praticam corrida às duas horas da manhã de sábado;
  • Mudança sensível de hábitos e gostos. Você não assiste mais aos jogos do seu time, deixa de ouvir rock pesaaado, não come mais pizza ou frituras. Agora, prefere ficar ouvindo óperas e comer sushi, porque são as coisas favoritas de sua (seu) sonhada(o) parceira(o), e fazer isso lhe dá a sensação de proximidade e afago;
  • Recusar veementemente a busca por um novo amor, ou conhecer pessoas novas. Ou seja, o indivíduo seria capaz de dispensar uma tórrida noite de amor com a Juliana Paes. Nesses casos, isso pode indicar, também, muitos outros problemas de saúde, como a loucura, ou simplesmente é o desabrochar de uma nova identidade que estava adormecida.

[editar] Formas de manifestação

[editar] Indivíduo apaixonado por pessoa de universo completamente diferente ao dele

Um caso clássico. Ele é um adolescente cheio de espinhas, gordo, adepto de atividades manuais, que passa as tardes em uma lan house cheia de nerds rapazes semelhantes a ele. Ela, é uma atriz da indústria cinematográfica destinada ao divertimento através da utilização de atividades de cunho íntimo, que envolvem troca de fluidos corporais, extremamente gasta bonita e bem resolvida sentimental e profissionalmente. Ele acredita firmemente que aquele sentimento todo não é em vão, e, seguidamente, pensa estar intimamente ligado à ela, como se fossem um só. É um amor arriscado, pois tem muito medo que sua mãe descubra o romance e proíba que ele veja a sua amada. Em situações normais, esse é um tipo de caso que melhora com o tempo e o aprendizado de vida. Ou não.

[editar] Namoro mal resolvido

Representação típica de guria retardada que alimenta um sentimento incontrolável por homens que jamais dariam bola para ela paixão por um professor de matemática de ensino médio, WTF??

Cquote1.png Estamos medindo forças desiguais, qualquer um pode ver que só terminou pra você. Cquote2.png
Legião Urbana, ilustrando bem a situação e comprovando que o autor entende bem do assunto que está tratando.

Vocês se amaram muito, tiveram bons momentos juntos, enfim, uma bela história de amor. Contudo, nos últimos tempos, sua namorada não atende mais às suas chamadas telefônicas, sempre já está compromissada quando você a convida para alguma coisa, e insiste em dizer que vocês não tem mais nada um com o outro, o que lhe é totalmente incompreensível. Passam dias, meses, anos... e você permanece namorando no Orkut, enquanto ela está em uma praia do litoral catarinense com Pablo, seu personal trainer. Sobre isso, você pensa: "ai que bom, ela foi para lá fazer exercícios porque está se cuidando para ficar mais bonita para mim!".

[editar] Amor platônico

Você passa horas e horas pensando naquela pessoa, suspira quando a vê passando na rua (ou quando entra no msn, ou sei lá o que), promete guardar-se de corpo e alma para ela, para que, quando o momento certo chegar, vocês vivam uma linda história de amor. Contudo, a pessoa amada o vê de qualquer outra forma, menos com os olhos da paixão (sim meu amigo, porque você é um nerd, se fosse gostosão já taria com ela A MUUITO TEMPO. Se quem está lendo isso não for um nerd, você é um merda mesmo). Quem nunca sentiu uma admiração fora de série por uma professor(a)? Ou, o pior e mais nefasto dos casos: apaixonar-se por um(a) amigo(a). Aí a merda está feita e o sofrimento é garantido. Diferentemente do primeiro caso, o envolvimento entre as duas pessoas até poderia ser possível, se você não fosse um frouxo e tivesse coragem de se declarar para a pessoa amada (se fodeu otário, agora ela é de outro). Você pode estar se amtando em depressão EMOcional, ela vai está cagando e andando pro teu sofrimento feliz da vida com outro amor dela.

[editar] Tratamento

Por mais difícil que pareça, esse terrível problema tem cura. Tirando as pessoas que se suicidam, resolvem entrar para o convento ou seminário e aqueles que mudam radicalmente o seu jeito de ser, a abstinência acaba por cessar com a adoção de algumas técnicas:

  • Reconheça o problema - Essa é a medida fundamental. De tanto apanhar para si mesmo e para esse sentimento incontrovável, uma hora você tem de perceber que isso não está lhe fazendo bem, e, assim sendo, procurar ajuda. Ela pode ser encontrado em alguns lugares, tais como: igrejas, bares, casas de divertimento masculino e conversas com taxistas. Todas as alternativas são efetivas à seu modo, muito embora a primeira possa lhe dar muito prejuízo financeiro; a segunda, uma cirrose; a terceira, outro amor sem correspondência; e a quarta, ter de ouvir piadas sem graça sobre o atual desempenho do seu time;
  • Faça coisas diferentes, fora da sua rotina. Pescar, jogar tênis, aprender catalão, fazer pintura, qualquer coisa. Nesse último caso, se você, distraidamente, começar a pintar uma paisagem e acabar por desenhar o rosto da pessoa amada, quebre o quadro, coloque fogo e engula as cinzas;
Faça coisas diferentes, como jogar cartas, por exemplo. Só não vale fazer apostas perigosas.
  • Tente arrumar um novo amor. Sim, isso é possível! Para tanto, utilize as maravilhas que o mundo digital lhe proporciona! Sempre há um Par Perfeito ou Chat UOL para um coração solitário. Evite colocar nicks como "rapaz apaixonado", ou "coração partido", isso afasta pretendentes em potencial e é brega. Caso não queira ficar muito tempo na frente do computador, esperando que aquela pessoa entre no MSN (do qual ela já lhe excluiu há tempos), vá para a rua! Por menor que seja, a sua cidade deve ter uma festa de vez em quando. Vá e tente se divertir, e se alguma pessoa vier flertar com você, não dê respostas do tipo "já sou comprometido(a)" ou "esse corpo já tem dono(a)", vá em frente e invista na possibilidade de se envolver com essa pessoa. Ou pelo menos, dê uns beijos e tire as teias de aranha que já cresceram em sua boca e demais partes;
  • Apagar resquícios que lembrem a pessoa amada. Sim, isso é difícil e doloroso, mas é necessário. Ou você espera esquecer alguém que está na área de trabalho do seu computador? Delete do Orkut, MSN, Twitter, Skype, Formspring e etc. Jogue fora objetos, fotos, papéis, tudo que, de alguma forma, lembrar essa pessoa. E não venha com a desculpa de guardar alguma coisa para "lembrar os bons momentos". Como diz o primeiro item, você deve perceber que tem esse problema, e ver que essa pessoa nunca mais dará bola pra você, isso se já tiver dado um dia;
  • Se todas as outras formas de tratamento falharem, beba. Mas beba muito. Tome tudo o que de alcoólico tiver no ambiente onde você está. Vale até Biotônico Fontoura. Se vai adiantar, eu não sei, pelo menos você vai ter uma bela ressaca para se preocupar e não vai ficar pensando tanto nessa pendenga amorosa. Talvez tenha de repetir esse processo diariamente, mas isso é apenas um detalhe. Dessa forma, você poderá acabar esquecendo, ou morrendo de cirrose, e, assim, livrando-se desse sentimento malvado.

[editar] Prevenção

Vá para a rua, aproveite, esqueça essa melancolia. Viva a vida!

O senso comum diz que o amor é algo que não se escolhe, mas que se sente, e por aí vai. Verdade ou não, o importante é que você deve se preservar, e tentar não ser dominado por esse sentimento, ao ponto de pagar outdoors e fazer outras patetices para demonstrar o que sente, sem que exista correspondência. Então, eis algumas medidas profiláticas básicas:

  • Quando for assistir a um filme pornô, ou ler uma revista do gênero, tenha consciência de que aquelas mulheres que estão ali fariam sexo com qualquer pessoa no mundo, menos com você. Seja profissional, você quer se divertir e o trabalho dela está aí para isso, e mais nada;
  • Perceba que, para um relacionamento entre duas pessoas ser viável, é necessário que ambas estejam sentindo alguma coisa uma pela outra. Ou seja, você deve atentar para os possíveis sinais que possam evidenciar isso, como gestos e palavras. Nesse sentido, saiba que um arroto ou um espirro, de maneira alguma, podem significar que a pessoa está afim de você. Experimente falar com ela, e se obtiver um "não" como resposta, saiba que isso, efetivamente, tem significado negativo, não é uma espécie de código ou algo do gênero;
  • Nada é para sempre, nem a Dercy Gonçalves. Namoros, casamentos, contratos de jogadores de futebol, pomadas contra assaduras... tudo tem um prazo de validade. Ou seja, se a pessoa pediu para terminar, até vale tentar mais um pouco, insistir. Mas não durante cinco anos! Ou seja, saber aceitar o fim é uma boa forma de evitar problemas maiores;
  • Você namorava com uma pessoa, e acabou terminando. Será que você pode ser amigo(a) dela? Depende. Reflita muito. Imagine situações hipotéticas simples, como, por exemplo, a forma de saudação. Lembre, amigos se beijam, no máximo, no rosto. Abraços são permitidos, mas sem tentar despir a outra pessoa. Depois que você estiver plenamente certificado(a) disso, vá fundo. Mas se, em determinado momento, surgir uma vontadezinha, mesmo que remota, de reviver os velhos tempos, refugie-se no interior do Uruguai, como criador de gado.
  • Por último, beba. Estando alcoolizado, você irá se apaixonar e desapaixonar várias vezes em uma mesma noite, sem problemas e angústias posteriores.

[editar] Ver também

Síndromes, Autismos, Retardamentos Mentais e outras frescuras patológicas da humanidade
Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas