Síndrome da excitação sexual persistente

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.
Alguém que te deixa com síndrome da excitação sexual persistente.

Cquote1.png Você quis dizer: Síndrome do pau duro Cquote2.png
Google sobre Síndrome da excitação sexual persistente
Cquote1.png Experimente também: Síndrome da imunodeficiência adquirida Cquote2.png
Sugestão do Google para Síndrome da excitação sexual persistente
Cquote1.png O que seria isso, parece legal... Cquote2.png
Você sobre síndrome da excitação sexual persistente.
Cquote1.png Eu já tive isso. Cquote2.png
Punheteiro sobre síndrome da excitação sexual persistente.
Cquote1.png É uma doença grave, mas curável basta ter fé! Cquote2.png
Pastor e sua metodologia.
Cquote1.png Eu já gozei quinze vezes na mesma penetração. Cquote2.png
Típico portador da síndrome.

Síndrome da excitação sexual persistente é mais uma daquelas doenças bizarras que ninguém conhece e que só vem ao conhecimento público quando a Revista Caras descobre que alguma subcelebridade possui ou quando aparece num daqueles programas esquisitos do Discovery Channel, ou no Globo Repórter mesmo.

Como funciona[editar]

Cara se excitando facilmente.

A síndrome da excitação sexual persistente é mundialmente conhecida como SAPS, ou algo assim, é uma doença das mais estranhas, o ser que a porta é capaz de passar de um estado normal ao orgasmo em coisa de alguns poucos instantes, representando com a maior fidelidade possível a já consagrada "rapidinha".

As pessoas portadoras de forma geral tem medo de assumir esta doença, afinal não conseguir dar uma segurada básica na hora é tão humilhante quanto ter dificuldades de armar o soldado. Além do fato de que mulheres também apresentam essa disfunção, o que deixa os parceiros praticamente na mão.

A síndrome da excitação sexual persistente não tem relação alguma com a ninfomania ou qualquer outra estpécie de tara por sexo, é algo corporal, onde pode-se observar casos assim são em hentais japoneses, onde todo mundo goza em questão de poucas páginas e em revistas com aqueles depoimentos sobre orgasmos múltiplos e mulheres que gozam 15 vezes por dia molhando mais a calcinha do que você a tampa do vaso sanitário, ou vai me dizer que você mira no lugar certo?

Exemplo de pessoa com o distúrbio[editar]

O perfil de alguém que apresenta a doença é de certa forma padronizado, homens e mulheres ninfomaníacos portadores da síndrome da excitação sexual persistente são, de forma generalizada:

Homem que se excita com qualquer coisa.

Homens[editar]

  • São baixinhos, gorduchos e mal-amados.
  • Tem sérios problemas, transtornos causadas pela constante zoação que rebaixam a autoestima até às Fossas Marianas.
  • Usam cantadas como Cquote1.png Tá afim de uma rapidinha? Cquote2.png
  • São insaciáveis, principalmente pelo fato de não conseguirem segurar.

Mulheres[editar]

  • São ninfomaníacas.
    Sexo na velocidade de um portador da síndrome da excitação sexual persistente.
  • Tem orgasmos múltiplos.
  • São insaciáveis, contudo deixam seus parceiros chupando dedo.
  • Dão depoimentos bizarros em locais ainda mais heterodoxos[1]

Depoimentos de portadores[editar]

Cquote1.png Tenho que encontrar bares quietinhos. E eu tenho mais orgasmos quanto mais eu bebo, porque me relaxa, então eu tenho que beber muito pouco agora.
Portador suas experiências


Cquote1.png Uma vez estava no supermercado, fui a uma entrevista de emprego, e fui fazer a entrevista de admissão para o emprego, mas no meio da entrevista eu comecei a sentir uns calores subindo pelo meu corpo, não aguentei comecei a gozar ali mesmo na frente da entrevistadora, ela ficou assustada mas não deu tempo de explicar.
Outro portador da síndrome da excitação sexual persistente sua vida.


Cquote1.png Havia um garota muito feia na minha sala da escola, tão feia que nem o satã encarava, mas certa vez eu estava na aula de química e o professor mandou a gente guardar os tubos de ensaio e a salinha era estreita ele esbarrou em mim, e acabei gozando, o problema é que pelos outros cinco anos ela continuou me perseguindo.
Outro portador suas experiências.


Tenho essa doença? O que faço?[editar]

O mais recomendável que você faça se acredita possuir essa síndrome é ir a um médico confiável.
Não é porque os portadores tem certas vontades que precisam exagerar.

O simples fato de qualquer coisa te deixar eriçado não é motivo para você temer ser portador dessa síndrome, mas se você só de encostar naquele tribufu na lotação superlotada você já deixa sua roupa íntima toda melecada eu tenho uma péssima notícia, você é portador da síndrome da excitação sexual persistente ou tem um mal gosto absurdo.

Para você ter certeza se tem ou não a síndrome recomenda-se que você vá a um especialista, se for uma mulher vá ao ginecologista, mas cuidado para não se soltar com aqueles apetrechos metálicos e pagar um mico lá. Se você for homem é, ainda, mais necessário ir, para descobrir se o seu problema é a síndrome da excitação sexual persistente ou ejaculação precoce mesmo.

E se tiver fique calmo, você, ainda, pode ter uma vida normal, só irá passar por algumas situações bizarras como gozar numa velhinha ou se excitar durante a prova de matemática. Nada que não possa ser compreendido pela sociedade sem que lhe qualifiquem como um tarado, pervertido, safado, ninfomaníaco e tantos outros adjetivos carinhosos que se dão a pessoas assim.

Ver também[editar]

Ligações externas[editar]

  1. [1] Britânica com 20 orgasmos por dia


Síndromes, autismos, retardos mentais e outras frescuras patológicas da humanidade