Sítio Fossilífero de Messel

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Frauleinpre.jpg Desciclopëdia über alles in der welt!!!

Estä arrtigö é alemon! Issö querr düzerr que ele é parrte dö conspürraçon gerrmänica parra inwadir ö Frankreich por trrás öutrra wez. Non faça scheiße, öu te porremos de quatrro nö Berliner Mauer.

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Meu local de trabalho Cquote2.png
Contrabandista de esqueletos sobre Sítio Fossilífero de Messel
Cquote1.png Vovô! Cquote2.png
Mafagafo sobre animal encontrado no Sítio Fossilífero de Messel

O Sítio Fossilífero de Messel era uma pedreira aonde um monte de carinhas retiravam ossos de animais mortos para venderem-nos no mercado negro. Com oshomens que trabalhavam lá sumiram misteriosamente (provavelmente estão dentro do intestino de algum dinossauro, o governo descobriu o tráfico de fósseis lá e pediu para a UNESCO transformar a área num patrimônio mundial.

Características[editar]

Messel, o cemitério de dinossauros e mafagafos ancestrais.

Por ser um cemitério de animais velhos lugar com muitos fósseis (vivos ou não) ele é um local muito importante para os cientistas, que ficam observando um monte de ossos sem nenhuma utilidade. Mas o comércio de fósseis para colecionadores em Messel faz parte de um mercado muito importante para a economia alemã, movimentando um bom dinheiro e empregando muitos trabalhadores, enriquecendo e melhorando a região em volta de sítio fossilífero.

Sua quantidade imensa de esqueletos fossilizados era conhecida desde o período Terciário, porque nessa época lá era um cemitério de dinossauros, aonde os homens das cavernas enterravam seus bichinhos de estimação. Os homo erectus decidiram deixar seus animais mortos, sem incomodar o sono eterno deles. Também não existia o interesse desinteressante de examinar um monte de ossadas, como se isso fosse algo legal.

Por isso, só durante 1900 e cassetada, quando descobriram que o comércio de fósseis é uma atividade econômica bastante lucrativa, é que passaram a explorar a região. Durante 50 bilhões de anos antes de cristo, a Alemanha era muito quente, atraindo muitos animais que gostavam de passaras férias nas praias que existiam em Messel, o que explica a enorme variedade de ossadas encontradas nesse sítio.

De alguma forma mágica, os animais enterrados em Messel não se decompõem, permanecendo soterrados pela eternidade. Os cientistas estudam esse fenômeno para descobrirem a fonte da imortalidade. Alguns animais foram encontrados até com vida dentre os escombros, inclusive uma rara espécie de mafagafo, que depois de desenterrada matou os pesquisadores.

O sítio abriga até espécies de peixe, que por meio de teletransporte conseguiram parar nesse fim de mundo. Também foram encontrados plantas carnívoras, anacondas, jacarés com 150 metros de comprimento, aua bisavó, o Wally, etc. Ninguém pode entrar no parque, devido ao que aconteceu com os pesquisadores que encontraram os mafagafos vivos, mas qualquer um pode observá-lo usando o Google Earth (quem tiver um computador).