Santo Antônio do Tauá

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Santo Antônio do Tauá
"Esse ano eu caso!"
Aniversário 29 de dezembro
Fundação 29 de dezembro de 1961
Gentílico santana-antonense-tauanensiano
Lema
Prefeito(a) Não disponível
Localização
Localização de Santo Antônio do Tauá
Estado link={{{3}}} Pará
Mesorregião Cidades-dormitório de Belém
Microrregião Favela da Favela Castanhal
Municípios limítrofes Santa Isabel do Pará, Vigia, Santa Bárbara do Pará, Castanhal, Terra Alta
Distância até a capital 36m quilômetros
Características geográficas
Área Não disponível
População Não disponível
Idioma caboquês
Densidade hab./km²
Altitude metros
Clima clima equatorial
Fuso horário UTC
Indicadores
IDH
PIB R$
PIB per capita R$

Cquote1.png Você quis dizer: Santo Antônio? Cquote2.png
Google sobre Santo Antônio do Tauá
Cquote1.png Experimente também: Santa Bárbara do Pará Cquote2.png
Sugestão do Google para Santo Antônio do Tauá
Cquote1.png Eu preciso de um companheiro! Cquote2.png
Tauaense sobre Santo Antônio do Tauá
Cquote1.png O que significa Tauá? Cquote2.png
Qualquer um sobre o "Tauá" do Santo Antônio
Cquote1.png Eu tenho medo! Cquote2.png
Regina Duarte sobre o que pode ser o "Tauá" do Santo Antônio

Santo Antônio do Tauá é mais um dos trocentos municípios existentes no território, hoje, pertencentes ao atual Pará (isso se ele não for desmembrado logo amanhã, tornando assim o Brasil mais uma colcha de retalhos do que um país).

Assim como muitos outros municípios desse estado localizado no Norte do País (entre o Amapá, o Amazonas, a Região Nordeste e a Região Centro-Oeste), ele possui nome de Santo, ninguém que mora na cidade sabe o porquê desse nome ter sido colocado para denominar a cidade (e pouco se importam em saber, haja visto que conhecimento não gera dinheiro e renda para eles), não tem nenhum recurso financeiro em seus cofres públicos e, se fizer parte da Zona Metropolitana de Belém, ninguém conhece o lugar, haja visto que a capital, Belém ofusca todos os outros municípios que estão ao seu redor (ossos do progresso).

História[editar]

Típica mansão de algum rico morador de Santo Antônio do Tauá.

Como todo e qualquer idiota sabe (até mesmo você está incluso nesse meio), Santo Antônio é o padroeiro católico popularmente conhecido como o quem tira as encalhadas da fossa, que une os corações dos apaixonados e os owna casa (do verbo "casar" e não com relação ao domicílio), em suma, ele é o Santo casamenteiro (O RLY?). Tudo isso por ele ter dado sorte no casamento de um amigo, ao desejar muitas felicidades ao casal que acabaram sendo infelizes em seu matrimônio.

Mesmo sendo "O Cara" para juntar os trapos das pessoas, Santo Antônio foi, desde o seu nascimento, um homem solteiro (sim, geralmente Santos não se casam - Ou não) e nunca sequer teve uma namorada, o que abre uma brecha para um bando de questões que não vem ao caso agora, mas que abririam discussões que nem mesmo o Papa poderia responder. Apesar dessa ideia ser bastante "WTF?", é assim mesmo que as coisas andam e, pelo fato de lá (em Santo Antônio do Tauá) ter um monte de encalhadas, nada mais justo que tentar homenagear o Santo para ver se se descola um "casco" por aí.

Diferentemente do município de Santa Bárbara do Pará, que recebeu o nome da Santa que foi decapitada pelo próprio pai (isso que é progenitor) por terem achado uma pequena imagem dela enterrada naquelas bandas (não se sabe como acharam, mas que acharam, acharam), em Santo Antônio do Tauá não aconteceu nada parecido, sendo que o nome do lugar foi dado ao Santo Casamenteiro aleatoriamente e sem nenhuma grande importância a ele em si. Santo Antônio do Tauá foi formada a partir de toda uma suruba de municípios que ficavam ao redor dela e que foram cedendo porções de terras até que ele tivesse tamanho o suficiente para virar um município independente (sem falar de ter gente morando ali).

Para ser mais exato, Santo Antônio do Tauá recebeu terreno dos mais de oito mil municípios do estado do Pará, até daqueles que ficam na extremidade oposta do mapa e que sentiu pena do lugarzinho e decidiu ajudá-lo, nem se fosse despejando uma carrada de terra para ele, ao menos, pavimentar as suas ruas (o que, pelo visto, não deu muito certo, haja visto das enormes crateras lunares que existem na localidade, mas isso são detalhes).

As ruas "movimentadas" da cidade. Quase um cenário de Faroeste.

Se tem um município que simplesmente formou quase todo Santo Antônio do Tauá, doando terras, e que todos os moradores de lá devem agradecer por seus demônios domínios é o município de Segurança Vigia. Tal localidade teve de doar vários de seus terrenos e distritos para que Tauá acabasse surgindo das trevas, formando hoje um grande (WTF?) município, quase maior do que a própria Vigia (isso que é ingratidão). Além disso, atualmente, todos os distritos de Santo Antônio do Tauá já foram distritos de Vigia, principalmente os maiores distritos de lá, como Espirito Santo do Tauá e São Raimundo de Borralhos (pelo visto, todo o município tem um pé na religiosidade).

Para aqueles mais bissexuais curiosos, a palavra Tauá é, claro, um dialeto do mato (para não dizer "coisa de índio") e que significa "Amarelo", ou seja, o nome do município é Santo Antônio Amarelo, que foi dado em homenagem ao Santo quando o mesmo se encontrava com Febre Amarela ou, no mínimo, Hepatite (apesar das histórias sobre a vida dos Santos nunca esboçar nenhuma referência a isso, mas, enfim, fazer o quê? Já tá feita a coisa mesmo.)

Geografia[editar]

Supostos belos igarapés existem na cidade, atualmente verdadeiros esgotos degradados e cheio do cocô do próprio povo que ali mora.

População[editar]

Com um pouco mais de 26.000 habitantes (segundo o IBGE, que provavelmente está errado), Santo Antônio do Tauá pode sobreviver mais tempo sem depender da capital do que Ananindeua, que simplesmente tentar ser uma irmã siamesa de Belém (sem sucesso, claro).

Em Santo Antônio do Tauá é onde tem o maior numero de mulheres encalhadas e que vivem a apelar para o nome do Santo em busca de um companheiro. Até hoje, elas ainda continuam solteiras e mais encalhadas, pois "Santo de casa não faz milagres".

Transportes[editar]

É uma cidade de beira de estrada, nas margens da PA-140, e ainda assim existe quem se orgulhe de conviver com o tráfego de caminhoneiros e gente saindo de Belém para Salinas, o que dá apenas falsa impressão de movimento nesta cidade.

Lazer[editar]

A Igreja de Santo Antônio (claro que tinha que ter uma igreja lá com esse nome). O local mais movimentado da cidade.

Assim como todo município que faz parte da Zona Metropolitana de Belém, Santo Antônio do Tauá não tem porra nenhuma de interessante, fazendo com que os seus fins de semanas sejam entre os mais monótonos de todos os municípios da Zona Metropolitana (perdendo talvez para o município de Bujaru, ou não, nunca sabe, os dois competem muito ainda). Os finais de semana dali são os mais fenados de toda a Zona Metropolitana de Belém (Ou não, podem ter piores do que as de lá).

Em contrapartida, o que não falta ali são festas religiosas, principalmente em homenagem ao Santo Padroeiro da localidade, ainda mais quando chega a época das Festas Juninas (já que o que não falta por ali são mulheres solteironas afim de dar casamento).

Fora essas temporadas datadas no mapa anual, a cidade sobrevive de tudo o que pode roubar conseguir da capital do Estado, atuando como um verdadeiro parasita social, se bem que ninguém se importa muito com isso, mas tudo bem.

Turismo[editar]

Se não fossem as festas religiosas em honra aos mais de oito mil que a cidade homenageia, a cidade seria um verdadeiro Faroeste.

v d e h
PARÁ
Bandeira do Pará.png