Sardinhas Soccer Team

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Aviso importante: Clubismo aqui NÃO, cazzo!
A Desciclopédia é um site de humor, logo, NINGUÉM aqui se importa pra quem você torce, seja o Inter, o Grêmio, o Figueirense ou o Vitória. Seja engraçado e não apenas idiota.


Santos Futebol Clube
Escudo do Santos.png
Brasão
Hino Agora perde a bola, é o Santos!
Nome Oficial Associação Atlética Ponte Preta do Litoral
Origem link={{{3}}} São Paulo Santos
Apelidos Viúvas do Pelé
Torcedores Sardinhas
Torcidas Associação dos Pescadores da Baixada Santista
Fatos Inúteis
Mascote Peixe
Torcedor Ilustre Pelé
Estádio Varzéa Belmiro,
localizada na Fenda do Biquini
Capacidade 14 pessoas e 20.000 sardinhas de tamanho pequeno
Sede Peixaria do Manoel, Santos, (SP)
Presidente Bob Esponja
Coisas do Time
Treinador Levir Culpi
Pior Jogador Nuvola apps core.png Avenida Ferraz
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png Vanderlei
Patrocinador Caixa
Time
Material Esportivo Ombro
Liga Campeonato Brasileiro
Divisão 1ª divisão (Nunca foi Rebaixado)
Títulos {{{títulos}}}
Ranking Nacional 58
Uniformes Novo uniforme do Santos.PNG
Uniforme02.jpg




Cquote1.png Porra, copiaram nosso escudo na cara de pau! Cquote2.png
Torcedor da Ponte Preta sobre escudo santista
Cquote1.png Santos do caralho, lugar de peixe é dentro do aquário. Cquote2.png
Torcedores rivais sobre o time dos Santos
Cquote1.png Aqui eu comecei minha carreira e aqui vou ficar. Cquote2.png
Robinho sobre sua permanencia no alvinegro praiano. No mês seguinte, faltava aos treinos para deixarem ele ir para o Real Madrid
Cquote1.png Ainda bem que o Vanderlei voltou. Se não eu com os meus 120 anos teria que voltar para o Santos voltar a ganhar Cquote2.png
Pelé sobre a quarta volta do Luxa ao Santos

Foto do "grande" Centro de treinamento. Veja como os jogadores estão concentrados.

Cquote1.png Nós não subornamos o zagueiro da Ponte Preta, nós apenas entregamos para ele um pequeno incentivo para colocar a mão na bola... Cquote2.png
Diretoria do Santos sobre Pagar zagueiro da Ponte Preta
Cquote1.png Glub, Glub... Cquote2.png
Torcedor do Santos sobre a saída de Robinho do Santos
Cquote1.png Assim fica dificil de trabalhar. Eles dispensam 10 e contratam só 2 Cquote2.png
Maldonado, volante do Santos, sobre as dispensas e contratações do Santos
Cquote1.png A camisa do Santos é mais conhecida do Mundo, junto com a do Milan e de muitos outros clubes do mundo Cquote2.png
Neto sobre a camisa do Santos
Cquote1.png Buaaa!!!buaaaaaa!!!buuuuaaaaaaaaa!!!O Botafogo roubou da gente em 1995!! buaaaaaa!!! Cquote2.png
Santista sobre Campeonato Brasileiro de 1995!
Cquote1.png O problema do Peixe é que estão sempre querendo robalo Cquote2.png
Santista sobre perseguição da arbitragem
Cquote1.png Deixa pra lá, ja somos bi-campeões e perdemos nosso maior freguês para a segundona. Buááááá Cquote2.png
Santista em 2008 sobre comentário acima
Cquote1.png É por essas e outras que o Santos é tachado de time pequeno. Cquote2.png
Neto sobre transmissão em briga pós-jogo
Cquote1.png De volta às tristezas passadas Cquote2.png
torcedor santista sobre a Volta do Corinthians pra série A
Cquote1.png Santos, Nada Pode Ser Menor! Cquote2.png
Orkut sobre esse time pequeno
Cquote1.png Meu time é bi mundial! Cquote2.png
Torcedor santista sobre títulos conquistados na época em que nem se usavam cartões no futebol
Cquote1.png Meu time encheu o Maracanã para o mundial! Cquote2.png
Torcedor santista sobre títulos conquistados na época em que meu vô era moço
Cquote1.png E desses torcedores, quantos eram santistas de fato? 2,5%? Cquote2.png
Qualquer pessoa sensata sobre comentário acima.

Santos Futebol Clube é o quarto maior clube do estado de São Paulo. Inexplicavelmente acha que consegue se equiparar aos grandes clubes da capital e que é capaz de rivalizar com os mesmos. Mas na verdade não passa de uma Ponte Preta do litoral, e os supostos mil títulos do clube são todos de campeonatos estranhamente suspeitos compostos por meia-dúzia de jogos e conquistados há 100 anos atrás.

O atual presidente do Santos, no cargo desde as Guerras Napoleônicas, pretende se reeleger ao cargo, para ficar mais 100 anos no cargo.

História

Fundação

Em tempos remotos, numa época entre os dinossauros e o dilúvio surgiu um grande time de futebol. Criado no dia de todos os Santos, o time dos Santos teve como primeiros fundadores, São Pedro, São José, São Paulo de Tarso, São Marcos, São Jorge e Pelé (que não tornou-se santo por sempre falar merda quando abre a boca). São Nunca foi o primeiro técnico.

Após uma ríspida discussão, São Paulo saiu do clube, e fundou seu próprio timinho. São Marcos irritado com Pelé que para chegar nos 1000 gols fez 999 nele (ou seja foram contra) também decide sair do clube e vai jogar em um time italiano. São Jorge também resolveu abandonar o time, e fundou um timinho na periferia.

Pelé acabou sendo o maior jogador de toda a história do clube, fazendo 35.424.4456 jogos e 254.332.985.945 gols, mesmo que a farsa de tantos gols tenha sido sobre times semi-amadores e juvenis como Juventus (que em uma única partida perdeu de 1000x0 do Santos.

O time era tão épico que foi responsável por paralisar dois grandes conflitos: as Cruzadas e a Guerra dos Cem Anos.

Primeiro Jogo

Em pleno Templo de Jerusalém, na Judéia, o Santos venceu por XXVII X I os Romanos FC na data de 13 de maio de 33 d.C. O time do Santos era: São Marcos; São Tiago (São José), São Mateus, São Judas Tadeu e São João; São Felipe, São Lucas e Judas Iscariotes; Pelé, Jesus Cristo e São Pedro e São Muniz. E o técnico: São Nunca.

Já o Romanos FC era formado por: Calígula; Nero, Vespasiano, Tibério e Cláudio; Alexandre, Marco Aurélio, Júlio César (jogaria na Internazionale de Milão) e Herodes (Pôncio Pilatos); Adriano (jogaria na Internazionale de Milão) e Marco Antônio. Com o técnico: Augusto.

Gols

Santos: Pelé (1100 gols), Jesus (666 gols por milagres), São Pedro (30 gols) e Júlio César (dois gols contra).
Romanos FC: Judas Iscariotes (dois gols contra, mas só um valeu).

Cartões

Cartões Amarelos: São Marcos, São Tiago, São Mateus, São Judas Tadeu, São João, São Lucas, São José, Pelé e São Pedro (Santos); Júlio César (Romanos FC).
Cartão Vermelho: Judas Iscariotes (Expulso por dar um carrinho violento no seu próprio colega: Jesus Cristo) (Santos).

Curiosidade: Hooligans romanos crucificaram Jesus Cristo em resposta as suas provocações no final da partida em que dizia Eu sou mesmo filho de Deus!!!. Pelé negou paternidade.

Década de 20

Em 1920 , quando o Santos já tinha 4146468696 anos e ainda nenhum título expressivo, o time santista já demonstrava toda sua incapacidade futebolística ao ir mal já nos campeonatos estaduais daquela época. A vocação ofensiva do time já era notável nesta época, o time do Santos surpreendia e maravilhava os amantes de bom futebol ao escalar para campo times com 10 atacantes ou mais, o que obviamente resultava em placares como a vitória do Corinthians que aplicou uma goleada de 11 a 0 no Santos em 1920, afinal não haviam zagueiros ou goleiros no time santista.

Temporada de 1927

A primeira temporada de destaque do Santos foi em 1927, quando deu show pra morrer na praia. A derrota neste campeonato ficou tão marcada que foi naquele ano que o peixe foi escolhido como mascote da equipe, pois nada até morrer na praia. Enfrentando times ridículos que foram montados de última hora, como Primeiro de Maio F.C., Alpargatas, Sílex... ou o Ypiranga que tomou 65 gols em 12 jogos, todos times bons que disputaram o campeonato fizeram dezenas de gols nessas equipes, enquanto o Santos marcou exatos 100 gols, 50 deles só numa goleada sobre o Ypiranga de 50x1.

A explicação de tantos gols é que estamos falando do longínquo ano de 1927, quando não existia ainda o futebol propriamente dito, e os torneios eram decididos em partidas de futebolzinho do Super Nintendo, o que gerava esses memoráveis placares elásticos.

Taça Brasil de 1961

A partir de 1959 o futebol brasileiro tentava se profissionalizar e organizar alguma coisa legal que reunisse os times a um nível nacional de competição. Obviamente estas coisas complexas não conseguem ser resolvidas do dia para a noite. Durante a década de 60 inteira os torneios nacionais eram mal feitos, mal organizados, mal disputados, mal regulamentados e praticamente amadores. Por vários anos estes campeonatos foram desconsiderados, afinal havia bom senso de que aqueles torneios de nada valiam, mas em 2010 (ou seja, quem tinha 50 anos era um recém-nascido em 1960) um grupo de cartolas com base em matérias de jornais decidiram considerar a meia-dúzia de torneios da década de 60 como títulos nacionais.

Na Taça Brasil de 1961 o Santos começou já a partir das semi-finais só porque sim, sem qualquer explicação plausível sobre este motivo. Ainda por cima enfrentou o pobre America do Rio, o qual obviamente venceu por 6x2 no primeiro jogo em casa, e ainda depois perdeu por 1x0 no jogo seguinte. Para dar uma chance para o America foi realizado um terceiro jogo, mas aí o Santos venceu novamente por 6x1.

Na final enfrentou o Bahia, isso mesmo (e isso porque o Bahia eliminou o Náutico na outra semi-final, ou seja, a final seria moleza pro Santos de qualquer maneira).

Na Fonte Nova o jogo terminou em 1x1, mas na Vila Belmiro o Santos ganhou de 5x1 e sagrou-se campeão.

Santos "Campeão Brasileiro" com 5 Jogos, jogando contra dois times pequenos de um país enorme do tamanho do Brasil...

Taça Brasil de 1962

Repetindo o mesmo absurdo inexplicável do ano anterior, o Santos entrou na Taça Brasil na moleza, já a partir das semi-finais, onde enfrentou o Sport com quem empatou o primeiro jogo, e posteriormente venceu o segundo confronto em casa por 4x0 porque os pernambucanos nunca haviam ido pra São Paulo antes, e demoraram pra encontrar o condado de Santos.

Na final enfrentou o Botafogo de Garrincha. No primeiro jogo vitória do Santos por 4x3 no Pacaembu. No jogo da volta o Botafogo venceu por 3x1... Pelo placar agregado, Botafogo campeão, certo? Errado! Ainda houve uma terceira partida, onde o Santos venceu por 5x0 o acostumado a perder time do Botafogo.

Santos bi-"Campeão Brasileiro" em 5 Jogos, com 3 vitórias, 1 empate e 1 derrota, jogando 3 vezes com O MESMO adversário e semi-final contra um time pequeno.

Copa Libertadores de 1962

Seguindo a mesma lógica do amadorismo do futebol brasileiro, o torneio continental sul-americano na década de 60 era a mesma coisa ridícula. Numa fase de grupos enfrentou os horríveis Club Deportivo Municipal da Bolívia e o péssimo Cerro Porteño do Paraguai que já desfilava sua falta de habilidade futebolística e freguesia para o futebol brasileiro já naquela década.

Na edição de 1962 o Santos de Pelé chegou a vencer o Cerro Porteño por 9x1 para se ter ideia do tamanho do amadorismo do clube.

Classificado direto para as semi-finais, devido à falta de clubes num continente enorme como a América do Sul, o Santos derrotou sofrendo o Universidad Católica. Na final, numa melhor de três partidas superou o Novorizontino do Uruguai.

Taça Brasil de 1963

Foto tirada num dos primeiros jogos do time, onde a bola de praia era o destaque

Seguindo a estranha e suspeita tendência de entrar na Taça Brasil já nas semi-finais, enquanto o restante dos times se fodiam jogando o torneio desde as trigésimas-segundas-de-finais. O Santos primeiro enfrentou o Grêmio, que apesar de ser tradicional, sabe como são esses times do sul, sempre entregam para os times de São Paulo. Com vitórias por 3x1 e depois 4x3, o Santos se classificou pra final.

Na final totalmente café-com-leite enfrentou o Bahia que perdeu de 6x0 e depois 2x0 sem quaisquer chances.

Santos tri-"Campeão Brasileiro" em apenas 4 Jogos, jogando contra apenas 2 times, sendo um pequeno e outro meia-sola, num país do tamanho continental do Brasil onde existem 1 zilhão de times.

Copa Libertadores de 1963

Quando os regulamentos varzeanos pareciam resumidos apenas às edições da Taça Brasil, qual não foi a surpresa quando na Libertadores de 1963, estranhamente e convenientemente o Santos aparece direto nas semi-finais. Enquanto o Corinthians venceu 6 jogos e empatou 4 apenas para chegar numa semi-final de Libertadores em 2012, em 1963 o Santos já estava lá por antecipação.

Enfrentou o Botafogo na semi-final (que só chegou longe assim por causa da falta de times). Primeiro houve o empate por 1x1, mas depois o Botafogo botafogueou e perdeu logo por 4x0.

Na final enfrentou o Boca Juniors, onde venceu as duas partidas é verdade.

Santos bi-"Campeão Sul-Americano" em apenas 4 Jogos, jogando contra apenas 2 times diferentes na AMÉRICA DO SUL INTEIRA!

Taça Brasil de 1964

Após algumas reclamações de que o Santos estaria mamatando demais nas Taça Brasil, os cartolas da época fingiram que colocar o Santos direto nas quartas-de-final seria melhor, mas na suposta quarta-de-final o adversário foi o Atlético Mineiro, aquele time que ninguém nunca dá importância, e o resultado foi até óbvio, o Santos venceu por 4x1 e depois por 5x1

Nas semi-finais eliminou o Palmeiras com conjunto de duas vitórias, umas por 3x2 e outra por 4x0.

A final realizada contra o Flamengo teve um empate de 0x0 e uma vitória santista por 4x1.

Santos tetra-"Campeão Brasileiro" em 6 Jogos, jogando contra apenas 3 times e ainda empatando um dos jogos.

Taça Brasil de 1965

Mais uma vez o Santos estranhamente aparece direto nas semi-finais, onde mais uma vez enfrenta o Palmeiras, que francamente é tão Guarani quando o Santos é Ponte Preta. Com um 1x1 e uma vitória de 4x2, o Santos avançou à final.

Na final enfrentou o Vice da Gama, o Santos portanto nem precisou entrar em campo, já venceu por 5x1, e depois cumpriu tabela e venceu por 1x0

Santos penta-"Campeão Brasileiro" em 4 míseros jogos, jogando contra apenas 2 adversários, em um país ENORME como é o Brasil

Esse é o Santos, o time que se aproveitou da época em que tudo era fácil e se conseguia com dinheiro.

Viúvas do Pelé e profissionalismo do futebol brasileiro (1970 a 2000)

Maior sonho de todo santista

Cquote1.png Pelé parou, Pelé parou! E o Santos se acabou! Cquote2.png
Música tema das torcidas rivais

Após a transferência de Pelé para o Cosmos, o Santos regressou à sua mediocridade, especialmente porque a partir de 1971 os campeonatos brasileiros pararam de terem seus regulamentos escritos com a bunda, e agora eram realmente torneios brasileiros onde o Santos não entrava mamatamente a partir das semi-finais. Nessa nova fórmula de disputa o Santos finalmente encontrou a realidade que era seu time: Alguém que seria impossível ser campeão brasileiro em condições normais.

Por longos 30 anos o Santos nada ganhou, frequentemente disputava não rebaixar para a Série B do Brasileirão, escapou de todas é verdade, mas é justamente por isso que a torcida das Sardinhas relembra tanto como os rivais já caíram uma vez ou outra, enquanto eles após 15 anos disputando não cair, conseguiram se livrar, afinal, após a década de 60 inteira ganhando títulos de mamata no colo, tinham que se apegar a qualquer coisa quando se viram 30 anos sem ganhar mais nada. No final de cada campeonato brasileiro a permanência na Série A era comemorada como título.

De 1971 até 2002 nada ganhou, alguns torcedores que forçam mais a barra podem até citar a Copa Conmebol de 1998, mas só de ver que a semi-final daquele torneio foi contra o Sampaio Corrêa do Maranhão você já tem todos argumentos possíveis para desvalorizar essa Série C de Libertadores.

Campeonato Brasileiro de 2002

O Santos foi ressurgir no futebol só no ano de 2002. Com a eminência da troca de fórmula de disputa do campeonato brasileiro, que a partir de 2003 viria a se tornar por pontos corridos, o Santos resolveu dar a última cagada da história dos campeonatos brasileiros com fórmulas de mamata. Numa situação normal o Santos terminaria o campeonato em oitavo lugar, como terminou... mas aí todo o esforço de times responsáveis como o São Paulo, que terminou 13 pontos à frente do Santos, simplesmente são resetados para uma fase de mata-mata na qual o Santos super-estimado de Robinho e Diego venceram. Alguns anos depois ambas supostas estrelas do Santos foram jogar na Europa, onde o fiasco de seu futebol ficou evidente.

Campeonato Brasileiro de 2003

Após o fabricado título brasileiro de 2002, a mídia sensacionalista, fútil e parcial do Brasil já colocava o Robinho como o novo Pelé e o maior jogador do século XXI. A realidade surgiu com o vice-campeonato daquele ano com 13 pontos de diferença para o Cruzeiro, time mineiro o qual o Santos sempre foi freguês.

Campeonato Brasileiro de 2004

O título de 2004 foi ganho pelo Santos de maneira ao acaso, ainda mais quando o principal rival foi o Atlético Paranaense, time que não tem a menor tradição em ganhar alguma coisa. O Santos foi deixado ser campeão este ano pelos outros times só para que ficasse reforçado que o século XXI era o século do jejum do Palmeiras, pois até o Santos que é o Santos fora campeão no novo século.

Campeonato Brasileiro de 2008

Seria só mais um ano de crise santista, exatamente aos moldes do saudoso time santista da década de 90, que só disputava figas do rebaixamento. Terminou o campeonato brasileiro daquele ano a apenas 1 pontinho da zona de rebaixamento, mas ficou marcado mesmo por ter sofrido a goleada de 7 a 1 contra o Corinthians, no Pacaembu, onde o craque argentino Carlitos Tevez, fez 3 gols num só jogo (recorde ainda a ser batido).

O Santos de Neymídia

Alguns jogadores de 30 anos fazem comemoração de gente de 5 e meio

O suposto craque Neymar, jogador mediano e firulento, fabricado pela mídia e supervalorizado por comentaristas baba-ovo tipo Neto e Caio Ribeiro, começou a jogar no time titular do Santos a partir de 2010, porque antes disso em 2009 ele era apenas um filé de borboleta segundo os atrasados técnicos brasileiros que só pensam em condicionamento físico e não em habilidade. O Santos continuou sem ganhar quase nada direito, mas para que ganhar títulos se o time tinha Neymar? Por exemplo, mesmo que o time santista perdesse ridiculamente para um falido Flamengo por 5x4, isso não importa, no jogo teve golaço Puskas de Neymar. E assim por diante, não importa perder campeonatos paulistas, pois teve canetas e chapeuzinhos de Neymar. Não importa perder pra Corntihians, porque teve comemoração de dancinha besta de Neymar. Foi realmente uma época alegre para os santistas, não tinha como eles ficarem tristes.

Mundial de Clubes da FIFA de 2011

Messi Madruga dá uma lição nos Meninos da Vila.

Após vencer mais uma vez o Novorizontino do Uruguai numa final de Libertadores, o Santos viaja para o Japão onde viria a enfrentar o poderoso Barcelona. O time santista que já era uma piada pronta, fica conhecido internacionalmente quando a FIFA divulga a tabela da competição anunciando que o time sul-americano se chamava "Ponte Preta do Litoral". A Ponte Preta do Litoral não decepciona e faz jus à matriz campineira na final. Com um humilhante 4x0 em favor do Barcelona, o Santos passa muito longe mesmo de repetir o feito do Internacional 5 anos antes. O Barcelona com 90% da posse de bola não deixou o time santista sequer ver qual era a cor da bola, além do time revelar a nível mundial a sua tradição em ter zagueiros velhos, baratos e lentos (Edu Dracena e Durval, na oportunidade). O tão valorizado Neymar nem tocou na bola, o que é óbvio, pois o time catalão já o havia contratado mesmo.

Lembrando que 2 anos depois os times viriam a se encontrar novamente para um jogo-treino em 2013, como espécie de tira-teima sobre a final de 2011, que os santistas contestavam que por ser apenas uma única partida tudo pode acontecer. O Barcelona venceu o Santos dessa vez por 8x0, e provou que o 4x0 foi sim um acaso ter ganho de tão pouco.

Temporada 2015

O Santos voltou a sua rotina de time coadjuvante sem importância, embora como sempre continuasse irremediavelmente superestimado pela mídia parcial. Os atacantes Ricardo Oliveira e Gabriel eram tratados como melhores jogadores do mundo pela mídia, e graças a isso venceu todos times lixos do campeonato paulista até vencer a final nos penaltis.

Na Copa do Brasil, todavia, entregou o título para o mesmo Palmeiras também nos pênaltis. Assim negligenciando a Série A o ano inteiro, para ser apenas um time coadjuvante na competição.

Estádio

Visão frontal da moderna Vila Belmiro

No começo do século XIV, foi construído o estádio do Santos, capacidade de 14 pessoas (de pé) e mais umas 20 mil sardinhas (das pequenas). Por falta de recursos (e de necessidade, pois a torcida não cresce mesmo...) eles continuam utilizando o mesmo até hoje (Várzea Belmiro).

O recorde de público foi no clássico Santos x Portuguesa Santista em que foram quase 11 pessoas ao estádio, 129 sardinhas médias e um lambari. O problema é que a partida foi interrompida por uma briga na arquibancada, quando um gato de um dos torcedores (Bruxa do 71) atacou 13 sardinhas.

Visão aérea da moderna Vila Belmiro

Atualmente apelidado de "Vila do Milho" por ser usado como minifúndio por seus proprietários e pela grande concentração de pipoqueiros que distribuem pororócas a seus visitantes.

Durante sua "bela" história o estádio foi palco de acontecimentos importantes, como o encalhamento da baleia Titanic, em 1945 d.C., a batalha do mar na grande guerra contra Getúlio, quando a torcida santista foi convocada para a batalha para ajudar espiritualmente os outros soldados. Os getulistas venceram por 89 mortos a 1 (o Eurico Miranda).

A Vila Belmiro é o estádio em que mais são arremessados chinelos no Mundo, e pode-se observar a recente criatividade de seus frequentadores arremessando também privadas.

Torcida

A maioria dos santistas tem mais de 60 anos, por isso por melhor que o time possa vir a ser, os mesmos vão sempre comparar com o time da época de Pelé.

Uma torcida organizada se chamava "Torcida Jovem", mas desde 2000, a mesma mudou o nome para "Torcida Terceira Idade", devido ao avanço dos anos sobre os integrantes.

Centro de Treinamento

Vista aérea do CT Rei Pelé.

O Centro de Treinamento Rei Pelé fica localizado próximo ao campo de Várzea Belmiro, e é onde os sardinhas são engordados treinam e ficam prontos pro abate concentradas para as vendas nas feiras-livres partidas.

Além disso, o Centro de Treinamento está passando por ampliações, pois agora a exportação de sardinhas em 2007 será aumentada, devido a participação da equipe na Copa Libertadores da América.

Mascote

Os mascotes santistas tendo um ataque epilético.

A torcida é tão estúpida e iletrada, que escolhem uma baleia como mascote para o time, ou seja um mysticeti, um cetáceo, um mamífero, mas nunca um peixe, como analfabetamente se denominam as vezes.

A baleia não é peixe, e sim um mamífero, isto é, fica chupando pênis dedo enquanto os outros times colocam a bola para dentro de seu gol sem pestanejar.

Hino

Santos, Santos, úúúúú!

Agora perde a bola, é o Santos
O Santos que nunca é campeão
Horroroso Alvinegro Cagando
A Peixaria tá sofrendo esse ano
(bis)

Santos, Santos
Perdendo sempre Santos
Pro Tricolor ou pro Timão
Sofra onde jogar
Perder ou empatar
Nunca mais é campeão
Sofra onde jogar
Perder ou empatar
Nunca mais é campeão!

Estatísticas

Todas as provas da superioridade do Santos:

Títulos

  • 2 Mundiais Interclubes (476 a.C. e 477 a.C.)
  • 3 Libertadores (88 a.C., 89 a.C. e 125 d.C.);
  • 8 Campeonatos de melhor do pedaço;
  • 18 Campeonatos de melhor peixaria da região;
  • 1 taça de prata (819 a.C) apesar de nunca ter sido rebaixado??...
  • 4 beatificações com apenas uma canonização (Pelé);
  • Não existem registros de outros títulos (provavelmente foram destruídos junto à Biblioteca de Alexandria)
  • Guinness Book por ter 3 Filas de 20 anos