Santuário de Mi-sön

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
ReaperlogoDare.gif Santuário de Mi-sön já morreu!

De visita agora, só urubu!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Você quis dizer: Nílson Cquote2.png
Google sobre Santuário de Mi-sön
Cquote1.png Experimente também: Mausoléu Cquote2.png
Sugestão do Google para Santuário de Mi-sön
Cquote1.png Quero ser enterrado lá. Cquote2.png
Vietnamita sobre Santuário de Mi-sön.
Cquote1.png Um cemitério gigante, UAU! Cquote2.png
Gótico sobre Santuário de Mi-sön.
Cquote1.png Grande merda. Cquote2.png
Qualquer um sobre Santuário de Mi-sön.
Cquote1.png É algo incrível... Cquote2.png
Pessoal da UNESCO sobre Santuário de Mi-sön.

Santuário de Mi-sön é um grande cemitério, muito do mal-feito, é o mausoléu de uma família que tiranizou e barabarizou pelo Vietnã inteiro, espalhando caos terror e mais o que vcê quiser imaginar por aí, mas ninguém liga para isso afinal já foram para o saco e estão devidamente enterrados por lá.

Enterrando[editar]

O garoto propaganda do local fazendo merchandising.

O local é localizado num ponto perdido do já imerso no nada país do Vietnã, o nome fala de um santuário, que é inexistente, a menos que você cultue os mortos, tal como o seu vô faz com o falecido dele, contudo dificuldades pessoais não são tratadas por aqui, para isso existem pílulas azuis e vigas de aço.

O local é um belo mausoléu, tem de tudo ali, banheiro para os mortos, tem locais especiais para eles comerem, os defuntos ficam num luxo só, o que se inclui manicure, pedicure, podóloga e até fonoaudióloga para os mortos curtirem a eteridade com toda saúde possível e imaginável para alguém em sua situação.

UNESCO e o cemitério[editar]

Um belo local para passar a eternidade.

Numa jogada de marketing funerário o governo deu uns trocados para a UNESCO reconhecer o local como patrimônio da humanidade o que não foi nenhum sacrifício já que ruínas são o forte deles e no mausoléu o que está mais bem conservado são os corpos dos caras enterrados porque as paredes já eram.

Com a UNESCO reconhecendo ali como lixo patrimônio da humanidade, as funerárias iniciaram uma campanha para incentivar o mercado lúgubre da morte, distribuindo AK-47's para a população como forma de bombar os negócios e prometiam enterros no Santuário de Mi-sön, mas como o cara estava morto não reclamaria de ir para um fosso aleatório qualquer.

Ver também[editar]