Sara (O Massacre da Serra Elétrica)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Vanudorgas.jpg Sara (O Massacre da Serra Elétrica) dá um tapa na pantera!

E é aprovado pelo Tio Bob!

Clique aqui se você quiser dar um tapa também.

Sara pré-Leatherface.

Sara é uma semi-final girl, que apareceu em algumas cenas de O Massacre da Serra Elétrica 3 apenas para encher linguiça, e ajudar o filme a ter mais de 1 hora de duração. Não se sabe muita coisa sobre esta criatura, pois durante o filme, ela apareceu do nada, chamou Leatherface de bobo, chato, feio e cara de mamão e depois foi morta pelo mesmo, tendo o estômago atravessado pela motosserra dele. Porém, de acordo com a própria personagem, sua história é bem interessante (apesar de nem um pouco original, pois é mais ou menos a mesma história de Sally Hardesty e de todas as outras final girls da série O Massacre da Serra Elétrica). Temendo morrer sem conseguir contar para ninguém o que tinha passado, pois os últimos acontecimentos em sua vida certamente renderiam um bom filme de terror e lhe garantiriam bons milhões na poupança, Sara se abriu para a primeira pessoa que encontrou, Benny, dizendo que estava vagando pela floresta há mais de uma semana, fugindo de um doido canibal de 2 metros que tinha matado sua irmã, Gina, que estava atravessando o Texas para chegar em Dallas, onde tiraria uma foto publicitária para estampar caixas de palitos de dentes.

Características[editar]

Basicamente, Sara possui o estereótipo perfeito para ser uma protagonista dos filmes da série O Massacre da Serra Elétrica. Ela é loira, magra, corre pra caramba, teve todos os amigos mortos, sabe como fazer Leatherface de idiota e é doida de pedra. Ela poderia muito bem ser a protagonista de O Massacre da Serra Elétrica 3, mas como Michelle era mais rica, ela conseguiu comprar o papel, deixando para Sara apenas o papel de semi-figurante.

Assim como todas as protagonistas dos filmes da série, Sara possui uma séria tendência a imortalidade, pois quando Benny a encontrou (ou foi encontrado por ela), Sara estava bem ferida, com 35 ossos quebrados e com perda de sangue constante. Mesmo toda quebrada, Sara estava disposta a continuar neste mundo. Para ficar 1 mês sobrevivendo escondida, de acordo com a própria, ela comeu a carne em estado de putrefação de ratos que estavam mortos há mais de 10 anos, e como sobremesa, ela se alimentou de algumas frutinhas simpáticas, que estavam no meio das fezes dos ratos citados anteriormente e pareciam que tinham sido vomitadas. Enfim, um cardápio completo, que a ajudou a se manter firme e forte neste mês difícil.

História[editar]

Sara pós-Leatherface.

Sara estava acompanhando sua irmã, Gina, até Dallas, onde esta iria tirar uma fotografia publicitária para estampar caixas de palitos de dentes. A viagem tinha tudo para ser tranquila, mas sendo loira, Sara esqueceu-se de verificar o tanque de seu Opalão antes de sair de casa, e acabou ficando sem gasolina no meio do deserto texano. No princípio, Sara achava que ela e sua irmã estavam ferradas, já que na estrada em que estavam, não passavam carros há mais de 200 anos, e, aparentemente, não existia nenhum comércio em um raio de 700 km. Mas como estamos em um filme de terror, onde as coisas mais improváveis sempre acabam acontecendo, após andar por alguns minutos, Sara encontrou um posto de gasolina, cujo dono era um retardado conhecido como Alfredo Sawyer. Apesar de ficar com um pouco de medo do sujeito, que andava com uma espingarda na cintura e ficava fazendo caretas como se fosse uma lagartixa com cãimbra, Sara foi comprar gasolina com ele, pois não tinha lá muitas alternativas. Enquanto isso, sua irmã Gina foi no banheiro podre do posto, pois estava precisando urgentemente afogar alguns marujos.

Apesar de Alfredo ter vindo com um papo estranho, explicando como é que se tempera carne humana usando apenas sal e pimenta, Sara conseguiu a gasolina que precisava, que já era o suficiente para ela e sua irmã chegarem na cidade mais próxima. Após reabastecerem o Opala, Sara e Gina saíram dali, e acreditavam que jamais precisariam olhar novamente para a cara feia de Alfredo, que lhes causava ânsia de vômitos, caganeira e vontade compulsiva de furar os olhos. Mal sabiam elas que ainda veriam muito aquele sujeito...

Depois de rodar alguns quilômetros, o Opalão começou a se arrastar, pois a gasolina de Alfredo era adulterada. Apesar da vontade de voltar ao posto para surrar o retardado até ele pedir água, refrigerante e suco de limão que parece groselha e que tem gosto de tamarindo, Sara manteve a calma, e começou a pensar em uma solução para esse caso. Por ser loira, teve dificuldades nessa tarefa, mas foi ajudada por sua irmã igualmente loira, o que fez com que a solução viesse rapidamente, demorando apenas 7 horinhas. A grande solução que elas encontraram foi entrar na floresta, procurar por alguns bambus e fazer etanol com as próprias mãos -- Bem, na verdade, essa foi a segunda solução em que pensaram. A primeira coisa que veio na cabeça delas foi chamar o Superman.

Sara participando do Clube do Terror, contando seus causos macabros para Benny.

O que as irmãs não sabiam é que, em um filme de terror, JAMAIS se deve entrar em uma floresta, pois em 99% das vezes, o assassino mora por lá, em uma choupana rústica. Então, não deu outra. Sara e Gina não conseguiram encontrar os bambus, mas encontraram um doido canibal armado com uma motosserra, chamado Leatherface, que começou a perseguí-las, pois já estava até com lombrigas de tanta vontade de comer uma perna humana refogada no molho de sangue. Após uma perseguição que durou cerca de 1 mês, pois Sara, Gina e Leatherface eram aprendizes de Sally Hardesty e não se cansavam nunca, Leatherface finalmente conseguiu capturar Gina, a levou para o seu abatedouro, fez alguns filés com a sua carne humana e arrancou a sua cabeça, para fazer uma nova máscara carnavalesca. Enquanto isso, do lado de fora, Sara estava apenas observando, se cagando de medo do galã da máscara de pele humana. Sara estava com tanto medo, que só não entrou em estado catatônico naquele momento porque, de acordo com o enredo de O Massacre da Serra Elétrica 3, mais pra frente ela precisaria salvar a vida de Benny.

Ficando por mais uma semana apenas vagando sem rumo pela floresta, Sara ficou mais doida do que de costume, e, cheia de fome, ela comeu a carne em estado de putrefação de ratos que estavam mortos há mais de 10 anos, mostrando ser bem mais macha do que aquele carinha do filme "Fenômenos Paranormais", que apenas comera a carne fresca de um rato que acabara de matar. Para dar mais sustância a refeição, Sara também comeu algumas frutinhas que estavam no meio da carne dos ratos citados anteriormente, e que pareciam que tinham sido vomitadas, talvez porque tivessem sido mesmo. Ao saborear todos os dias da semana esse cardápio digno de um restaurante 5 estrelas, Sara conseguiu sobreviver, mas não conseguiu fugir, já que a estrada era viagiada por Alfredo Sawyer, aquele mesmo FDP que tinha lhe vendido a gasolina adulterada.

Quando Sara pensava que já estava com os dois pés na cova, pois não suportava mais as caganeiras constantes derivadas de seu cardápio não muito variado, ela encontrou um negão, que estava sendo atacado por Leatherface. Para salvar a vida daquele sujeito de melanina, que estava armado e era a sua única esperança de sair viva daquele lugar, Sara tomou coragem, e chamou Leatherface para uma treta. Como é muito macho (exceto em O Massacre da Serra Elétrica - O Retorno) Leatherface não rejeitou a oferta, e foi para a porrada com Sara, que começou a correr como uma louca que era, até conseguir despistar o vilão. Conseguindo ver-se livre dele e de sua motosserra, Sara voltou ao lugar onde o negão foi atacado, e conversou um pouco com o sujeito que ela tinha salvado. Após uma pequena conversa que durou 7 segundos, Sara explicou para o negão, que se chamava Benny, tudo pelo que tinha passado, pois ela sabia que esses fatos podiam se transformar em um filme de terror trash. Benny ouviu tudo e, mesmo sabendo que a garota poderia ser morta a qualquer momento, já que era figurante e tinha sido criada para isso mesmo, ele foi proteger a protagonista, apesar dela não precisar, já que as protagonistas da série O Massacre da Serra Elétrica são imortais.

Ficando sozinha e já tendo contado sua história, não havia mais motivos para Sara continuar viva. Então, enquanto ela procurava por mais alguns ratos mortos para comer, ela foi encontrada por Leatherface, e teve a medula atravessada pela motosserra dele, morrendo na hora, ou não. Na verdade não, pois apesar de ter ficado toda quebrada, ela ainda estava gemendo quando foi levada para a casa da Família Hewitt/Sawyer. Ela só foi morrer mesmo quando Tinker Sawyer esfolou as poucas partes de seu corpo que ainda estavam intactas.


v d e h
BUUUUUZZZZZZZZZZZZZZ!!! O Massacre da Serra Elétrica...
Leatherface montagem 2.jpg